História Little White Lies (Imagine Jungkook) - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Lay, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, V, Xiumin
Exibições 116
Palavras 1.288
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - Oppa


“-Tchau Biscoito – digo sorrindo.

Em um movimento rápido ele me pega pela cintura e me encosta na porta, assim selando nossos lábios com voracidade, seguro em seus ombros e ponho as mãos em sua nuca, arranhando o local enquanto quase nos comíamos encostados na porta, ele leva as mãos até minhas coxas e me levanta, me fazendo entrelaçar as pernas em volta de sua cintura enquanto nossas línguas batalhavam sem ter algum vencedor. Nos separamos por falta de ar e ele desce os beijos para meu pescoço, revezando entre selares e lambidas, ás vezes, algumas sugadas. Logo desço de seu colo e olho para seus lábios avermelhados.

-Tchau meu amor – ouço ele dizer, ainda com a respiração descompassada e sorri o dando mais alguns selinhos.

-Tchau Coelhinho – abro a porta e ponho o pé pra fora – Eu te amo – digo e dou um ultimo selinho nele, saindo da casa do maior em seguida.

Vou para casa e entro pela entrada dos fundos. Entro e solto um suspiro ao ver a luz desligada, logo solto um suspiro pesado.

-Onde você estava mocinha? – ouço uma voz masculina e arregalo os olhos.”

+++

 

-E-Eu estava... Por aí – digo, engolindo seco.

-Por aí aonde? – meu pai pergunta, sério, ligando a luz.

-Por aí... Na casa de uma amiga... – digo.

-Que amigas _______? Você nem tem amigas! – ele diz.

Confesso que essas frases do tipo me deixam tristes.

Machucam.

-E-Eu tenho sim... – digo olhando para o chão.

-Quem ______? Se são suas amigas, são por causa do dinheiro. Ninguém quer ser seu amigo! – ele diz.

Começo a sentir as lágrimas já em meus olhos.

-Você é uma pessoa horrível – digo, deixando uma fungada.

Saio correndo para o meu quarto e tranco a porta, me jogando na cama e soltando tudo que estava preso dentro de mim.

Chorei por mais ou menos umas duas horas, ou um pouco menos até ouvir baterem na porta do meu quarto.

-Senhorita ______, seu namorado quer ver você – a voz do outro lado da porta diz.

-E-Eu não quero ver ele... – digo ainda chorosa.

-Vou manda-lo subir então senhorita – ela diz e ouço seus passos para longe.

-NÃO! – berro mas era tarde, uns três minutos depois ouço batidas na porta novamente.

-______ - o meu falso namorado diz.

-Sai daqui... – digo ainda chorosa.

-O-O que houve? Você tá chorando? – ele diz parecendo... Preocupado?

-N-Nada... – digo – Eu tô bem.

-Abre a porta Honey... – ele diz – Eu quero ajudar.

-Pode ajudar indo embora – digo enxugando minhas lágrimas.

-Aish, vai logo ______ - ele diz – Não vou sair daqui até você abrir.

Suspiro e logo vou até a porta, a abrindo com as mãos no rosto.

-_______.... – ele diz se aproximando e vou dando passos pra trás até sentar na cama.

-Não olhe pra mim Taehyung – digo, agora com um travesseiro no rosto.

-Pare com isso Honey... Me diz o que está acontecendo – ele diz sentando do meu lado.

-São problemas familiares – digo fungando.

-Quer me contar? – ele pergunta.

-Não... – digo a ele e sinto ele pegar uma mecha de meu cabelo, o enrolando entre os dedos – Para...

-Ah, qual é. Pode confiar em mim, eu sou seu amigo, ne? – ele diz ainda brincando com meus cabelos.

-V-Você não vai contar pra ninguém? – pergunto tirando lentamente o travesseiro do rosto.

-Não – ele diz firme.

-Jura? – o olho com os olhinhos vermelhos – De dedinho?

-Juro – ele sorri e estende sua mão fechada, logo pega a minha e entrelaça nossos dedos mindinhos – De dedinho.

-É-É que... – digo meio sem jeito.

-Calma, você tem o tempo que quiser pra me contar, ne? Eu vou ficar aqui – ele diz.

-Ne... Só estou um pouco cansada – digo deitando na cama.

-Tá com fome? – ele me pergunta e eu concordo com a cabeça, o fazendo rir – Vou pegar algo pra você comer, baixinha.

-Trás um pote de sorvete que tá no congelador também, ne? – digo a ele –Por favor – sorri fofo, fazendo aegyo.

-Ne, só por que você é fofinha – ele diz e bagunça meus cabelos, assim saindo do quarto, deixando a porta fechada.

 

 

Um tempo depois ele volta com sanduíches e refrigerante, junto com o maravilhoso sorvete em uma bandeja. Sorri abertamente pra ele.

-Olha se você sempre me trouxer comida, nossa relação vai ser ótima – digo sorrindo pra ele.

-Sério? – ele ri baixo – Gorda.

-Excesso de gostosura – o corrijo o vendo rir – Agora me dá esses sanduíches aqui.

-Sim senhora – ele vem até mim e põe a bandeja no meu colo, sentando do meu lado depois.

Começo a comer até olhá-lo.

-Você quer? – pergunto botando o sanduíche em frente ao seu rosto o vendo dar uma grande mordida.

-Aigoo, não era tudo Oppa – digo fazendo biquinho e logo percebo de como o chamei.

Ele sorri.

-Fala de novo – ele pede.

-O-O quê? – pergunto corada, meio sem jeito.

-De que você me chamou – ele diz ainda sorrindo bobo.

-D-De O-Oppa... – digo envergonhada.

-Você é fofa – ele diz sorrindo e pega o pote de sorvete, o abrindo. Logo começando a tomar o sorvete, termino o sanduíche e vou até ele me sentando de frente pra ele, enquanto sorri sem mostrar os dentes, fechando os olhos de leve.Logo sinto algo gelado em meus lábios e logo abro os olhos.

-O-O que você fez? – pergunto arregalando de leve os olhos, me separando dele.

-Te dei um selinho, é o que namorados fazem, não é? – ele diz, meio confuso.

-Não! Q-Quer dizer... É. Mas, ainda é muito cedo... Entende?! – digo tentando desmentir.

-Ah ne... – ele diz meio desapontado.

Olho pra ele e sorri, dando um beijo em sua bochecha, logo pego outra colher e começo a comer junto à ele.

-______ - ele me chama.

-Hm? – o olho.

-Estamos nos dando bem? – perguntou o maior, meio nervoso.

-Sim TaeTae, estamos nos dando bem – ri baixo de sua pergunta – Você é muito fofinho.

-Ne, eu sei. Você também é muito fofinha – ele diz apertando minhas bochechas.

-Aigoo – resmungo fazendo um biquinho e ele ri, bagunçando meus cabelos.

Eu já tinha esquecido totalmente do acontecido com meu pai, e nem pretendia lembrar.

 

 

 

Ficamos o dia todo conversando, já eram mais ou menos 4:30 p.m.

-Você quer sair comigo hoje? – ele pergunta sorrindo.

-Um encontro? – ri.

-É-É... Você aceita? – ele questiona, meio inseguro.

Somente confirmo com a cabeça, o vendo soltar o ar que estava preso em seu interior.

-Aonde vamos? – pergunto a ele.

-Á um parque! – ele diz animado.

-Parque de diversões! – comemoro sorrindo.

-Parque de diversões! – ele também exclama, comemorando junto a mim.

Logo paramos e começamos a rir.

-Venho te buscar as sete. Esteja preparada – ele diz sorrindo e se levanta da cama.

-Eu vou te deixar na porta – digo empolgada e pulo em suas costas, prendendo meus braços em seus ombros e minhas pernas em volta de sua cintura.

-Ai! – ele ri e logo descemos as escadas, brincando como duas criancinhas.

Chegamos na porta e ele abre a mesma.

-Tchau Oppa – digo indo até ele e abraçando sua cintura.

-Tchau Honey – ele sorri.

Ele retribui meu abraço e bagunça de leve meus cabelos, logo ele vai embora.

Talvez não seja tão ruim ter que conviver com ele, o problema é o ponto de vista. Do meu ponto de vista, nos somos amigos. E acho que em tão pouco tempo ele já se tornou muito próximo. Ele é alguém especial. Mas futuramente, o ponto de vista da sociedade, vai ser que nós dois somos namorados que tem uma vida amorosa quase perfeita. Pelo dinheiro.

E o pior, isso já foi divulgado.

Então, eu e Kim TaeHyung estamos definitivamente namorando.

 

 

 

Volto para o meu quarto e me jogo na cama, pegando o meu MacBook, começo a assistir algumas séries até uma chamada inesperada brotar na minha tela.

 

   Jeon Jungkook

   (Atender)      (Rejeitar)

 


Notas Finais


Ah gente, Taehyung é um amorzinho <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...