História Little Wonders - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach
Personagens Aizen Sousuke, Byakuya Kuchiki, Gin Ichimaru, Ichigo Kurosaki, Orihime Inoue, Renji Abarai, Rukia Kuchiki, Sado Yasutora, Ukitake, Uryuu Ishida
Tags Aizen, Ichika, Ichiruki, Kazui, Romance
Visualizações 79
Palavras 1.282
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Survival, Suspense, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem à demora, vida colegial em um internato não é fácil!

Trouxe mais um capítulo para vocês e quero agradecer a todos os favoritos e comentários que recebi, vocês são uns coelhinhos fofos♡ - eu adoro.
Quero dizer que tentarei no máximo não enrolar com a fanfic mais posso dizer que ela será longfic. Deixando claro que: tudo dependerá de vocês desde o relacionamento lento deles até o meio da fanfic.

Qualquer erro, me desculpem, meu tempo de mediano assim como a internet cronometrada.

Enfim, espero que gostem do capítulo, não é nada demais ainda, contudo, agora a história para a parte Ichiruki vai se desenrolar.

Beijos de pêssego!

Capítulo 2 - Capítulo 2



O céu de Karakura tinha tons alaranjados por conta do pôr-do-sol que estava dando as caras por aquele lugar, a família Kurosaki estava em festa, o motivo? Aniversário de Kazui.

– Parabéns meu netinho! Tomara que você cresça e fique igual ao vovô. – Isshin apertou o neto nos braços o erguendo do chão e rodopiando com ele pela sala recheada de enfeites

– Larga ele, ‘tá sufocando meu filho. – Ichigo chutou o pai levemente pegando sua pequena cria nos braços do mesmo

– Masaki, ele já é homem de família e ainda não respeita o próprio pai, o que fiz para merecer isto?! – Tal questionou olhando para cima já que quando menos esperou a tempos atrás, o filho “malcriado” fez questão de retirar e guardar o pôster de sua mãe

– Não seja tão rude com seu pai, querido, é normal ele agir assim, você deveria se acostumar. – Orihime pegou Kazui em seus braços, ajeitando os cabelos ruivos que estavam bagunçados

– E eu já estou acostumado, ele é um perturbado e eu anseio pelo dia em que quando eu der um chute nele, ele volte ao normal. Saco. – Respondeu o Kurosaki, revirando os olhos âmbar e caminhando para a cozinha

Por mais que deveria estar alegre por ser a data de aniversário de seu primogênito, Ichigo não negava o cansaço que a vida de universitário lhe trazia, além do trabalho na clínica do pai e o esforço que dava para ser presente na vida do filho e dar a atenção necessária para a mulher. Seus cabelos ruivos, agora com um visual novo estavam jogados para o lado enquanto o mesmo separava os salgadinhos em seus devidos pratos.

– Ichi-nii, você deveria ficar na sala e esperar os convidados! – Yuzu afirmou colocando o líquido do suco em uma jarra decorada – Orihime-san ficaria mais à vontade, entende? Ela se sente tão estranha com o papai.

– Todo mundo se sente estranho com o pai. – Argumentou soltando uma lufada de ar – Eu espero que a Rukia se lembre desta data pelo menos...

– O que disse? Kuchiki-san também vem? – A loirinha logo se animou batendo levemente palmas em sinal de alegria


– Eu não sei, acho que não. Ela e Renji vivem viajando. – O ruivo murmurou colocando um pouco de água para si mesmo

– Ah, é. Como pude me esquecer? Ela é Abarai agora! Mais Kuchiki combina muito mais com ela né? Falando nisto, qualquer inicial K combina com a Rukia. Imagina só, Kurosaki Rukia! – Brincou Yuzu levando o irmão a cuspir de forma desleixada no copo em suas mãos

– Sim... Combina mais com ela sim.
 


– Tá com você, vem me pegar!

A voz infantil chamou a atenção de poucas pessoas que haviam ali, e junto a ela, o homem ruivo escarlate. Seus passos eram rígidos e apressados, afinal, a menininha não estava no seu modo Shinigami e pela segunda vez estava usando um gigai, ou seja, Ichika Gigai = Perigo infantil.

– Vamos lá, você quer que sua mãe brigue com nós? Precisamos comprar roupas para nós e o presente para o filho do Kurosaki. Ei Ichika, onde você se meteu? – Renji gritou coçando a nuca em sinal de nervosinho olhando para todos os lados e acabou tendo uma surpresa

O gigai estava jogado no chão e a ruivinha usava a escada rolante ao contrário. Enquanto a escada descia, ela tentava subir, típico shinigami que vem ao mundo humano e se depara com objetos estrondosos e estranhos.

– A garotinha está bem, senhor? Precisa de ajuda? – Um segurança se aproximou aflito, pegando no pulso da mesma e colocando a mão no peito tentando sentir os batimentos cardíacos – Ela está morta?!

– Mais é claro que não! – Respondeu enquanto ainda fitava a filha do outro lado – Ela só está brincando comigo, menina rebelde que puxou a mãe, entende?

– Quem é rebelde e puxou a mãe? – Com um vestido totalmente soltinho, a mulher se opôs a falar e encarar mortalmente o marido – O único rebelde que eu conheço aqui é você.

– Você está linda nesse vestido! – Ele ignorou tal ofensa e analisou dos pés a cabeça sua maravilhosa esposa – Você não acha que isso está mostrando muito sua pele?

– Eu adorei! Sabe o nome desse pano? – Ela questionou puxando uma parte das mangas soltas e compridas e viu o marido negar – Se chama renda, e é maravilhoso.

– Legal, mas se não percebeu, Ichika está à solta por aí. Rukia, o que tá acontecendo com essa menina? Ela some mais que ouriço e minhas coisas! Ela não tem limites! – Disse exaltado mostrando o corpo mirim em seus braços

– Você percebeu isso agora? Deixa ela, depois ela volta. Se ela fizer alguma gracinha eu me vejo com ela mais tarde. Enfim, eu comprei o presente para o filho do Ichigo. – Ela sorriu animada tirando o presente empacotado

– E o que seria?

– Comprei um boné com orelhas de coelhos, veja só, comprei um rosa para Ichika também! – Ela ergueu em sua cabeça o boné personalizado, sorrindo – Vamos logo ver uma roupa para você e depois vamos encontrar ela.

 

C A P Í T U L O   2


– Ishida, ele tem o formato dos olhos da Orihime e... e só. Kazui é a cópia de Ichigo! – Keigo comenta olhando para o garotinho a sua frente


– Papai disse que eu não devo falar com idiotas! Você parece um. – Com a inocência exalada, Kazui disse tais palavras em frente ao Keigo, levando Ishida a repuxar os lábios em um sorriso debochado


– Ichigo é um bom pai. – Chad apareceu atrás do moreno, que assentiu ainda olhando para o pequenino que matinha um sorriso inocente nos lábios com o presente em mãos – Tem notícias da família Abarai?


– Fui no shopping hoje e encontrei a filha deles lá se aproveitando do poder shinigami entrando um alas de crianças. Cama elástica, videogame. – Ishida respondeu, ajeitando seu óculos


– Oi Ishida, Chad, como vão? – Ichigo apareceu atrás dos mesmo, com uma bandeja em mãos


– Bem! – Responderam em uníssono


– Kazui está crescendo, daqui a pouco ele está saindo par deter hollows na cidade conosco. – Chad afirma, olhando o pequeno conversando com outras crianças – Ele é sua cara, mais a personalidade é totalmente da Orihime.


– Sim, além disto, se duvidar nem Orihime deixa ele sair! Ela é tão apegada a ele. – O Kurosaki comentou erguendo a bandeja para os mesmos – Peguem, lanchinho para aguentar os parabéns.


– Você está esperando a Rukia ou estou enganado? – O trio se vira para trás vendo o tiozinho do chapéu com o leque aberto escondendo seu rosto – Eles chegaram hoje ao mundo dos humanos, segundo a Rukia, eles comprariam roupas para eles e o presente de seu filho, Ichigo.


– Olá para você também, Urahara.


– Como estão todos nesta parte, vou ficar por aqui. A propósito Ichigo, Orihime estava lhe procurando.


O ruivo resmungou baixinho vendo a barulheira e bagunça que a casa estava se tornando e logo encontra sua mulher sentada na cozinha bebendo água.


– Está se sentindo bem? – Perguntou preocupado, vendo-a pálida


– Sim, sim. Só estou cansada, queria lhe dizer que é para reparar os convidados enquanto eu cuido da casa. Vou entreter as crianças que estão muito energéticas. Kazui já está suando e se descabelando todinho! – Ela disse, enchendo novamente o copo de água


– Tudo bem, vou ficar na recepção à espera d---


– Ichigo, tem uma surpresa lá fora para você! – Karin interrompeu o irmão, dando o pequeno recado para o mesmo


Seu corpo estava extasiado e tinha que se controlar para não abraça-la ali mesmo, afinal, o orgulho o consumia. Desde a primeira vez que se viram, acabaram se passando um ano e novamente ela estava ali, contudo, acompanhada da família assim como ele.
Os olhos âmbar captaram os violetas e um breve sorriso dou dado por ambos.

– Quando tempo... Rukia.

– Olá, Ichigo.


Notas Finais


Até mais! Não deixe de favoritar se gostar e comentar para dar aquela vontade de escrever mais e mais.

Beijos de morango!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...