História Live A Dream - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gabriel "Gabigol" Barbosa Almeida, Lucas Lima, Neymar, Thiago Maia
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Futebol!, Romance, Santosfc
Exibições 220
Palavras 2.175
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ooi amores hahha.
Como está sendo esse sábado que parece domingo mas na verdade é quarta? 😂 o meu tá bem chato...

Em fim, desculpe os erros e booooa leitura! 💜

Capítulo 12 - My Princess.


Fanfic / Fanfiction Live A Dream - Capítulo 12 - My Princess.

Sophie Pov's

Como de costume eu estava na casa do Lucas. Minha mãe novamente viajou a trabalho e eu não gosto de ficar sozinha em casa. Lucas em dias assim sempre me arrastou pra casa dele. O mesmo também sempre foi como um irmão mais velho pra mim.

Eu estava jogada – literalmente – no sofá e o Lucas no outro, enquanto a gente assistia um filme. Era sempre assim, ficávamos largados no sofá assistindo uma boa comédia, ou ação, dependia do humor do Lucas. Se ele tivesse de bom humor, deixava eu escolher. Se não – o que quase nunca ocorria – ele mesmo escolhia e era um chato de ação.

O filme terminou e ele se levantou para desligar a TV. Em seguida sentou na ponta do sofá.

— Tá com fome? — Perguntou.

— Tô — Falei e ri.

— Então faz alguma coisa lá pra gente, Sophiezinha — Ele disse.

— Nossa que folgadinho você em — Falei levantando.

— Sabe que eu te amo — Ele disse.

— Hahaha — Ri irônica — Interesseiro.

— Assim você me ofende — Ele disse colocando a mão no peito. Dei os ombros — Que menina má.

— Ô Lucas, pode parar — Eu ri e fui pra cozinha.

— Tá bom — Ele disse me seguindo — Vai fazer o que?

— Pra você, nada — Falei e ri.

— Vai me deixar com fome? — Ele fingiu indignação.

— Você sabe se virar — Dei os ombros.

— Tá falando sério? — Ele riu.

— Sim — Falei abrindo sua geladeira.

Ele abriu a boca pra falar alguma coisa, mas seu celular tocou.

— Já volto — Ele disse e eu assenti.

Assim que ele saiu eu fechei a geladeira e me sentei no balcão. Minutos depois, Lucas voltou.

— Sophie, vou ter sair rapidão. Quer ir comigo? — Ele perguntou.

— Não, prefiro ficar aqui — Eu disse dando os ombros — Aliás, acho que vou caminhar um pouco.

— Desde quando você é fitness? — Ele perguntou rindo.

— Não sou fitness, Lucas. Pegar um ar as vezes é bom sabia?! — Falei descendo do balcão.

— Vou me lembrar disso — Ele disse. Eu ri fraco.

— Vai aonde em? — Perguntei passando por ele.

— Vou na casa do Braz. Ele tá lesionado e me pediu se eu posso levar ele a um lugar — Ele disse. Eu apenas assenti — Eu já vou. Tranca a porta e leva a chave com você, eu tenho outra.

— Tá bom — Sorri.

— Se cuida, tá?! — Falou.

— Pode deixar — Falei.

Ele se aproximou e beijou minha testa, em seguida se foi. Suspirei e fui para o quarto aonde eu ficava sempre, acredito que já posso dizer até que ele é meu. Abri o armário – que já continha algumas roupas minhas aqui – e escolhi uma calça legging, uma regata simples e um sapatinho. Tomei um banho rápido e coloquei essa roupa, em seguida arrumando meu cabelo. Não passei maquiagem, aliás eu nem gosto muito, minha pele estava boa, então iria assim mesmo. Por cima coloquei um casaco simples, já que estava meio friozinho.

Sai de casa e tranquei e porta, coloquei a chave também no bolso do casaco. Pus meus fones de ouvido e coloquei em uma playlist qualquer. O tempo aqui em São Paulo estava bonito, apesar do frio. O céu estava estrelado, dando sinal que amanhã seria um dia de sol.

Já estava andando a uns dez minutos enquanto pensamentos iam e viam. Senti alguém me puxar pelo braço e já estava pronta pra xingar, quando percebi quem era, desisti e um sorriso se fez no meu rosto.

— Tá fazendo o que por aqui? — Eu perguntei rindo. Ele se aproximou e me deu um selinho.

— Estava fazendo umas coisas pra minha mãe — Thi sorriu — E você? — Me abraçou.

— Lucas foi na casa do Braz, então eu decidi sair pra caminhar um pouco — Eu disse.

— Sozinha? Essa hora? É perigoso, Sophie — Ele disse me abraçando de lado.

— Thiago, tá cedo ainda — Falei rindo — E eu não gosto de ficar sozinha em casa.

— Por que não me ligou? — Perguntou.

— Você disse que ia jantar com a Clarissa — Dei os ombros. Ele riu.

— Ia mesmo, mas precisei fazer algumas coisas pra minha mãe — Ele disse. Eu assenti — E eu pedi pro Gabriel ir no meu lugar.

— Ela deve ter ficado chateada contigo, Thi — Falei.

— E se a gente fosse lá agora?! — Ele perguntou.

— Não, amanhã você fala com ela. Deixa eles sozinhos um pouco — Eu disse rindo.

— Se for pra ficar sozinho com você... Tudo bem — Ele disse e eu ri.

— Então vamos andar comigo — Eu puxei ele.

— Ah não — Ele revirou os olhos.

— Como diz minha mãe: "anão é um homem do...

— Seu tamanho — Ele completou rindo — Realmente, ela tá certa quando fala isso.

— Ah vá te catar, Thiago — Falei e andei na frente.

— Não, amor. Eu tô brincando — Ele disse me abraçando por trás.

Oi?! Eu escutei direito?!

— O que você disse? — Perguntei.

— Que tava brincando — Disse prendendo o riso.

— Antes disso, você me chamou de...

— Amor — Disse e sorriu — Meu amor. Algum problema nisso? — Ele perguntou.

— Não, nenhum — Eu sorri tímida.

— Ótimo, por que é assim que vou te chamar agora — Falou se aproximando — Eu amo você, Sophie! — Ele disse e eu senti meu coração acelerar.

— Eu... Também amo você — Sorri tímida.

Ele sorriu satisfeito e selou nossos lábios.

Clarissa Pov's

— Bi, pega ali pra mim? — Apontei pro controle da televisão. Ele me olhou e riu.

— Menina folgada — Falou levantando.

— Obrigada — Sorri quando ele me entregou — Quer ver o que?

Ele se sentou do meu lado e passou seu braço em torno da minha cintura, me puxando para mais perto.

— Escolhe você — Ele disse.

Me ajeitei mais perto dele, deitando minha cabeça em seu ombro. Ali ele depositava leves carinhos. Aquilo me deixava com sono.

— Se você continuar com isso, eu vou dormir — Falei rindo.

— Pode dormir — Ele disse e eu senti seus lábios no topo da minha cabeça.

— Não. Eu não vou te deixar aqui sozinho — Falei. Ele riu ignorando o que eu falei e continuou os carinhos — Eu te odeio!

— Nossa, que ódio diferente — Ele disse me fazendo rir.

— Eu te odeio do meu jeitinho — Dei os ombros.

— Eu amo o jeitinho que você me odeia — Ele riu. Eu ri também — Ou ou ou, volta! — Ele disse enquanto eu passava os canais.

— Que foi? — Perguntei.

— Tá passando Star Wars — Ele disse e eu ri.

— Fala sério, esse filme é chato — Ele falou.

— Não é nada — Disse enquanto eu voltava os canais, até chegar no filme.

— Pode ver então — Eu ri dando os ombros.

Deitei no sofá apoiando minha cabeça em sua perna e novamente ele começou a fazer carinhos em meus cabelos soltos. Dessa vez não protestei, fechei os olhos e deixei o sono me consumir.

(...)

— Cla, acorda... — Escutei Gabriel sussurrando.

— Oi — Resmunguei e escutei ele rindo.

— Acorda! — Ele disse.

— Já acordei — Disse me levantando.

Passei as mãos nos olhos e fiz um coque no meu cabelo. Sabe quando você acorda e não sabe que horas são e nem se ainda é o mesmo dia que quando foi dormir?! Eu estava assim.

— São que horas? — Perguntei olhando pra janela, ainda era noite.

— Quase uma hora da manhã — Ele riu.

— O que? — Arregalei os olhos.

— Eu não queria te acordar, mas preciso ir embora — Ele riu.

— Não, tudo bem. Mas é perigoso ir embora sozinho essa hora, Bi.

— Relaxa, eu tô de carro. Minha casa não é longe daqui — Ele disse passando a mão na minha testa, aonde tinha uns fios de cabelo.

— Tudo bem — Sorri fraco.

Ele se levantou e eu levantei junto, indo até a porta com ele.

— Boa noite, minha princesa — Ele disse me abraçando.

— Boa noite — Sorri passando meus braços em torno da sua nuca — Gabriel, cuidado nessa rua sozinho, tá?!

— Pode deixar — Ele riu fraco — E você, mocinha, tranca essa porta.

— Tá — Eu ri fraco.

— Tchau — Ele selou nossos lábios em um longo selinho.

— Tchau — Falei quando nos separamos.

Ele me deu um último selinho e foi. Eu fechei a porta e desliguei a televisão. Fechei a porta da sacada e a janela, em seguida fui pro meu quarto. Coloquei um pijama e me joguei na cama de novo, pegando no sono logo em seguida.

(...)

Suspirei saindo do vestiário e segui para o refeitório. Mais um treino tinha se encerrado, dessa vez nada muito pesado, pois teríamos amanhã um confronto contra o Flamengo.

— Bu! — Gabriel apareceu do meu lado, me fazendo pular de susto — Nossa, em que mundo tu tava?! — Ele ria.

— Nossa que engraçado! — Falei revirando os olhos — Tu que fica brotando do lado dos outros do nada. Eu em — Falei.

— Desculpa — Sorriu fofo. Eu apenas ri fraco — Bom dia, azedinha.

— Azedinha? — Eu ri — Bom dia, Gabigol.

— Nossa que formal — Ele fez uma careta. Novamente ri — Já falei que você fica muito bonita com esse uniforme do Santos?

— Não — Sorri tímida, sentindo minha bochecha corar.

— Você fica linda com ele — Me deu um selinho e me abraçou de lado — E o jantar lá em casa, tá de pé?!

— Claro que sim — Ri fraco.

— Oi casal — Outra vez alguém brotava ao meu lado.

Thiago!

— Oi furão — Falei sem olhar pra ele.

— Aaaaah não fica chateada comigo, Clari — Disse me puxando dos braços do Gabriel e me abraçando.

— Não tô chateada contigo. Só acho que você deveria ter ligado avisando — Revirei os olhos.

— Eu tentei, mas não sei pra quê tu tem celular. Só dava caixa postal — Ele disse. Eu ri.

— Que mentira, Thiago — Falei.

— Claro que tentei — Ele disse fazendo careta. Eu dei os ombros — Desculpa tá?!

— Não até você me falar o porque de não ter aparecido lá — Cruzei os braços.

— Que menina difícil você foi arrumar em, Gabriel — Thiago disse e os dois riram.

— Ah cala a boca — Dei um tapa na barriga dele.

— Au! — Resmungou.

— Seja lá o que vocês estiverem fazendo, acho melhor parar. Ela tá até vermelhinha de raiva — Robinho disse.

De onde ele brotou também?!

— Até você? — Revirei os olhos — Tchau.

Disse e comecei a andar na frente. Escutei a risada dos três atrás de mim.

— Ou, volta aqui — Thiago correu um pouco e parou ao meu lado — Eu fui fazer umas coisas pra minha mãe, sua doida — Ele riu.

— Hum — Murmurei — Desculpado.

— Aeee! — Ele me abraçou.

— Solta ela — Gabriel disse rindo.

Thiago deu os ombros desfazendo o abraço, então Gabriel voltou a me abraçar de lado.

— Tá de mal humor hoje ou isso é fome mesmo? — Gabriel perguntou.

— Deve ser tpm — Robinho respondeu por mim. Revirei os olhos.

— Vocês são chatos — Falei. Eles novamente riram.

Estava se divertindo com a minha situação. Alguns passou a mais e finalmente entramos no refeitório. Arrumei minha bandeja e sentei na mesma mesa de sempre, perto da janela. Logo Gabriel sentou a minha frente e Thi do meu lado.

— Bom dia — Zeca se aproximou.

— Zequinha — Sorri e lhe mandei um beijo no ar. Ele riu.

— Oi Cla, tudo bem?

— Uhum — Murmurei.

Aos poucos aquele lugar enchia mais. Logo na mesma mesa que a gente estavam Alison, Victor e Braz. O horário do almoço passou bem rápido, através de conversas e brincadeiras.

— Vai embora agora? — Gabriel perguntou.

— Vou. Vou sair com a Sophie — Eu disse — E você.

— Academia — Ele riu fraco — Mas tarde a gente se vê, tá bom?!

— Tá — Sorri — Bom treino pra você.

— Obrigada — Ele sorriu e selou nossos lábios de uma forma rápida — Tchau.

— Tchau — Falei.

Ele seguiu para algum lugar daquele CT. Eu voltei pro vestiário e troquei de roupa. Peguei minha mochila e fui pro estacionamento. Depois disso, fui para o shopping que eu e Sophie sempre nos víamos.


Notas Finais


Às leitoras novas... BEM VINDAS AMORES 💜💜💜
Obg pelos comentários do capítulo anterior ❤
E agora me contem oq acharam desse... Oq estão achando do casal #Clael? Hahhaa amei o shipper que vcs criaram, sério ❤
Em fim... Obg por ler e até o próximo 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...