História Live A Dream - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gabriel "Gabigol" Barbosa Almeida, Lucas Lima, Neymar, Thiago Maia
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Futebol!, Romance, Santosfc
Exibições 103
Palavras 2.120
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpe os erros e boa leitura!

Capítulo 36 - Um fim de semana maravilhoso


Fanfic / Fanfiction Live A Dream - Capítulo 36 - Um fim de semana maravilhoso

— Ai eu não aguentava mais meu irmão reclamando que queria você de volta. Que bom que vocês se acertaram — Dhiovanna dizia com um sorriso no rosto. Eu dei uma risada.

— Eu também não aguentava mais pra falar a verdade — Sorri — Ah, e acho que te devo desculpas por não ter escutar tá?! — Ri fraco abaixando o olhar, fitando o copo de vidro com água em minha mão.

— Claro que não, Clarissa. Tudo bem que você é bem teimosa e orgulhosa — Ela disse e nós duas rimos — Mas você não teve culpa.

— Eu deveria ter escutado você... O Thiago e a Sophie também. Vocês tentaram me alertar e eu me deixei levar pelo o que vi — Falei e revirei os olhos.

— Você teve motivos para ter ficado assim. Acho que eu no seu lugar faria o mesmo — Riu — Mas agora tá tudo bem, né?! Minha cunha tá de volta — Ela disse e eu sorri.

— E meu relacionamento com o Gabriel está ainda mais forte — Eu disse — Ele me deu ontem — Eu disse lhe mostrando minha mão com a aliança.

— Você gostou? Eu achei sua cara quando vi — Ela disse.

— Você ajudou ele a escolher, Dhio? — Sorri. Ela assentiu.

— E ela ficou tão linda em você — Ela disse sorrindo.

— Obrigada — Eu sorri boba — Por tudo, por todo esse apoio, de verdade.

— Você não tem noção de como faz meu irmão feliz, Clarissa e não tem coisa melhor do que ver meu irmão feliz, com os olhos brilhando desse jeito. Além de você ser uma ótima amiga, claro — Ela disse e riu fraco — Eu vou sempre apoiar a felicidade de vocês dois.

Ela disse e sorriu, eu sorri também e voltei a beber minha água, enquanto a gente continuava nossa conversa. Ela se levantou dizendo que ia rapidamente ao banheiro, eu apenas assenti.

Peguei meu celular e tinha algumas notificações do Instagram, que estava bem agitado nos últimos dias. Eu havia postado minha foto com o Ney, e aquilo havia gerado um alvoroço em minha rede social.

Estava descendo as notificações, quando li algumas que fez meu coração disparar e eu sorri.

" neymarjr curtiu sua foto "

" neymarjr comentou: Moça bonita ❤"

" neymarjr começou a seguir você "


— Eita — Sussurrei pra mim mesma relendo aquelas notificações.

— Aconteceu alguma coisa? — Eu ouvi a voz de Dhiovanna.

— Não, tá tudo bem — Eu disse e ri fraco.

Voltei a bloquear a tela do celular e o deixei em cima do balcão da cozinha novamente.

— Como foi a festa do Lucas ontem?

— Foi legal. Por que você não foi? — Torci os lábios.

— Eu tinha umas provas hoje, não pude ir — Ela disse.

— Que pena — Falei. Ela assentiu.

Escutei passos vindo em direção a cozinha, em seguida vi Lindalva entrando com algumas bolsas. Dhio desceu do balcão e foi ajuda-la. Eu me aproximei para fazer o mesmo e Lindalva parecia surpresa em me ver.

— Clarissa querida, quanto tempo — Ela disse a após colocar as bolsas em cima do balcão, me abraçou.

— Olá Lindalva — Ri fraco.

— Como você está? — Ela perguntou.

— Bem, e a senhora? — Eu perguntei.

— Estou ótima — Ela disse.

— Mãe, Cla e Gabriel voltaram — Dhio disse rindo, já que a mãe ainda parecia meio confusa quanto a minha presença ali.

— Jura? E por que Gabriel não disse nada? — Ela perguntou sorrindo.

— Foi anteontem — Eu disse.

— Vai ver ele ainda não teve tempo — Dhio falou.

— É, eu vi pouco o meu menino nesses últimos dias — Ela disse refletindo — Bem, seja bem-vinda de volta, Clarissa — Ela disse.

— Obrigada — Sorri com isso.

— E aonde esta esse menino? Não era estar aqui? — Ela perguntou.

— Falando de mim? — Bi perguntou entrando na cozinha.

Ele, como sempre, estava lindo. Usava uma bermuda beje simples e uma camisa branca, sapatos da mesma cor. Usava um boné preto pra trás e tinha seu lindo sorriso no rosto.

Bi foi direto abraçar bem forte sua mãe e beijou sua testa, sem seguida abraçou da mesma maneira sua irmã, repetindo o mesmo ato do beijo na testa. Depois disso, ele veio até mim e me abraçou de lado.

— Vocês ficam pro almoço? Não aceito um não como resposta — A mãe do Gabriel disse. Eu ri.

— Eu vou adorar. O que você acha, amor? — Gabriel perguntou me olhando.

— Por mim está tudo ótimo — Eu disse sorrindo.

Lindalva sorriu também e nos "expulsou" da cozinha, dizendo que prepararia um delicioso almoço. Dhiovanna foi até seu quarto atender uma ligação – a qual vou querer saber quem era depois – e eu e Gabriel nos sentamos na sala mesmo..

Ajeitei meu vestido larguinho e passei a mão em meu cabelo preso em um rabo de cavalo. Deixei minha bolsa do outro lado do sofá e deixei só meu celular em mãos.

— Aonde vamos depois aqui, senhor Barbosa? — Perguntei apoiando minha cabeça em seu ombro.

— Bem, senhorita Goulart, eu não pretendia falar, mas sei o quanto você é bem insistente. Nós vamos para uma cidade bem próxima daqui. É uma casa de um amigo — Ele disse. Eu sorri.

— Só eu e você?

— Somente nós dois — Ele sorriu — Você não quer ir?

— Que? Claro que quero, Bi — Eu disse rindo.

— E tem mais uma coisa — Ele disse.

— O que? — Perguntei.

— Nós vamos passar esse fim de semana lá — Falou. Eu olhei pra ele, que riu — Fica tranquila, já está tudo certo — Ele sorriu.

— Tem certeza que eu não tenho que levar nada?

— Tenho. Está tudo sob controle, relaxa — Ele disse e beijou minha testa.

— Ok — Eu sorri.

— Esse fim de semana vai ser só nosso — Ele disse me abraçando mais forte.

— Calma amor, eu não vou fugir — Eu falei segurando o riso.

— Palhacinha — Ele riu — Nós vamos hoje depois do almoço e voltamos segunda bem cedo.

— Tudo bem — Sorri pra ele, que selou nossos lábios.

(...)

Já era finzinho da tarde, quando eu e Gabriel estávamos – segundo ele – quase chegando na tal casa em que ficaríamos.

— Bi, você disse que não ia demorar — Eu reclamei e ele riu.

— Estamos chegando, amor. Calma — Ele disse.

Já estava dentro daquele carro a quase duas horas. Era uma cidade um tanto afastada de Santos. Eu havia gostado mesmo da ideia. Queria passar mais tempo com ele, longe de tudo e aquele fim de semana seria exatamente para isso.

— Não aguento mais ficar nesse carro — Falei me ajeitando.

— Mais cinco minutinhos — Ele disse colocando sua mão em cima da minha.

Suspirei e assenti. Além do barulho do carro, era possível ouvir a música tocando bem lá no fundo, já que estava baixinho. Encostei minha cabeça no vidro e os cinco minutos pareceram os mais longos, quando finalmente chegamos.

Gabriel estacionou o carro e então eu pude sair dele. Senti um alívio por poder andar e movimentar as pernas, realmente não aguentava mais ficar sentada. Gabriel entrelaçou nossos dedos e caminhamos em direção ao portão da casa.

Era um lugar fechado com muros altos e brancos e um grande portão. Gabriel abriu o mesmo e ao passarmos por ele, sorri com o que vi. Era um espaço grande e uma casa enorme, até ai ok, tudo normal. Mas a casa era toda de vidro. Era linda. Conseguia ver do lado de fora mesmo os móveis da casa todos brancos com detalhes cinzas. A casa era simplesmente perfeita. Bem em frente a casa tinha uma piscina bem grande e as gramas eram bem verdinhas.

— O que achou? — Gabriel perguntou, provavelmente me olhando, mas eu continuava olhando pra casa.

— Maravilhosa — Falei sorrindo. Escutei sua risada fraca — Aqui é lindo, Gabriel.

— Eu sabia que iria gostar — Ele disse sorrindo.

— Você é incrível — Falei e parei para lhe dar um abraço.

— Eu prometo que vai ser um fim de semana maravilhoso — Ele disse antes de me dar um selinho.

— Já está sendo — Eu disse sorrindo.

Voltei a entrelaçar nossos dedos e puxei ele para dentro da casa, eu escutava sua risada, provavelmente estava se divertindo com as minhas reações, mas a casa era mesmo incrível.

— Aqui tem tudo o que a gente vai precisar pra esse fim de semana — Ele disse.

— A quanto tempo você está planejando isso? — Eu perguntei.

— Desde ontem na verdade — Ele disse — Pedi pra um amigo vir aqui junto com a Dhio preparar tudo. E eu espera que esteja tudo em ordem — Falou e eu ri.

— Você não existe — Sorri me sentando no sofá.

— Eu precisava de um tempo com a minha menina, depois de um mês longe — Ele disse sentando ao meu lado — Um tempo só nosso, longe de todos e de tudo.

— Quando você disse que ia me sequestrar alguma vez eu não pensei que era sério — Falei.

— Isso que dá não me levar a sério — Ele disse e nós dois rimos — Tá com fome?

— Sim — Falei e ri.

— Você pode ir lá tomar um banho que eu vou preparar alguma coisa pra nós dois — Ele beijou minha bochecha.

— A parede do banheiro não é de vidro né? — Perguntei com certa timidez.

— Não, pode ficar tranquila — Ele riu fraco — O quarto é ali — Apontou para uma porta — Tem umas roupas que Dhio escolheu no armário e toalhas limpas no armário do banheiro.

— Ok, eu já volto — Lhe dei um selinho longo.

Levantei sorrindo boba e caminhei até o quarto aonde Gabriel tinha dito. Abri a porta e as paredes do quarto eram todas com cortinas escuras, que não deixavam a claridade entrar, eu agradecia por isso. Tinha uma cama de casal e logo ao lado um criado mudo, do outro lado uma porta, que eu tinha quase certeza que era o banheiro. Um pouco mais a frente tinha uma estante com uma TV em cima e um telefone fixo. E ao lado disso, um guarda-roupa branco grande. Era tudo muito simples e eu estava satisfeita com isso.

Caminhei até o guarda-roupa e o abri, vendo algumas peças escolhida por Dhiovanna. Optei por um short de malha cinza da Nike, uma camiseta branca que eu tinha quase certeza que deixaria parte da minha barriga a mostra e um conjunto de lingerie também branco.

Eu me sentia mais confortável por saber que foi Dhio que escolheu tudo, talvez eu sentia vergonha se tivesse sido Gabriel.

Caminhei até o banheiro que também era bem simples. Liguei o registro do chuveiro e me despi, em seguida entrando e sentindo a água morna me refrescar devido ao calor. Após alguns minutos, sai e coloquei aquela roupa, ficando descalça mesmo. Deixei meu celular em cima da cama e sai do quarto.

— Gabriel? — Gritei por ele.

— Oi — Ele apareceu na sala sorrindo — Vem.

Quando ele se virou, corri e pulei nas costas dele. Ele trombou pra frente mas não caiu, nós rimos.

— Que susto, doidinha — Ele riu.

Chegamos a cozinha, que por sinal era bem grande, e ele me pos no chão. Sentei-me em uma das cadeiras do balcão e fiquei o observando enquanto terminava alguma coisa. Ele vestia apenas uma bermuda e estava descalço também, seu cabelo estava levemente bagunçado e ele parecia bem feliz. E eu também estava.

— O que você tá fazendo? — Eu perguntei.

— Eu não sou bom na cozinha — Ele disse — Mas estou tentando fazer salada de frutas, você gosta?

— Eu amo — Sorri.

— Então acho que acertei — Ele riu fraco e veio em minha direção, colocando um pedaço de kiwi na minha boca — Tem alguma fruta que você não goste?

— Eu não gosto muito de côco — Eu disse rindo.

— Então não vamos ter problema com isso. Aqui não tem côco — Ele disse.

— Não quer ajuda? — Eu perguntei.

— Não. Já estou terminado — Ele sorriu fofo.

Após mais alguns minutos, ele finalmente terminou. Nos sentamos e comemos trocando algumas palavras. Depois disso eu e ele lavamos a louça, já que ele insistiu em me ajudar.

— E agora, vamos fazer o que? — Eu perguntei sentando no sofá. Ele sentou meu lado.

— Você quem sabe — Ele respondeu rindo.

— Aquilo é um videogame? — Eu perguntei olhando.

— Sim — Ele disse.

— Vamos jogar? — Perguntei animada.

— PES?

— FIFA — Revirei os olhos e ele riu.

— Tá, vai — Se levantou para ligar o game.

Eu iria com o Barça e ele foi com o Real. Consegui ganhar a primeira partida e ele ganhou as outras duas. Porém eu sou bem competiva e ele também, então passamos uma grande parte da noite jogando. 


Notas Finais


Oi meus amores. Como vocês estão? Eu na verdade tô muito mal ainda.

Sim, era pra ter postado o capítulo ontem. Mas provavelmente vocês já sabem o que aconteceu com o avião da Chapecoense, e eu passei o dia todo chorando, muito mal mesmo. Nunca pensei que um dia fosse chorar por um time que não seja o meu ( Flamengo ). Eu fiquei realmente mal, não tinha clima pra nada, muito menos postar capítulo. Principalmente por ter pegado um carinho muito grande pela Chape nesses últimos meses. Agora estou um pouco melhor, mas ainda está sendo inacreditável, a ficha não caí. Eu queria que isso tudo fosse apenas um pesadelo, mas infelizmente não é. Eu só peço a Deus para que esteja na vida dos sobreviventes dessa tragedia, eles precisam ser fortes agora. E claro, que Deus conforte o coração dos familiares e amigos de todos eles. #ForçaChape 🙏💚

Em fim... O que acharam desse capítulo? O que esse fim de semana vai trazer em? Hehehhe.

Obrigada pelos comentários dos últimos capítulos e já deixem o seu comentário nesse tá?! Me digam o que estão achando da fic. Sugestões, opiniões, dúvidas, críticas... São bem-vindas Ok?!

Beijos amores! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...