História Live My Life - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Winx Club
Personagens Aisha, Bloom, Flora, Musa, Personagens Originais, Stella, Tecna, Valtor
Tags Amigos, Colegial, Romance, Valoom, Winx Club
Exibições 38
Palavras 2.583
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Meu Deus do céu! Nem me matem! Eu sei, fiquei um ano sem atualizar, mas resumindo, foi por preguiça, falta de tempo, problemas na escola, sem criatividade... Enfim, agora que tudo isso reduziu, aqui está o capítulo! Mas peço e recomendo à vcs antigos leitores que releem os caps anteriores, pois editei tudo! Não se preocupem, não alterei a história nem nada, só mudei umas coisas e uns erros... sem mais demoras, boa leitura :3

Capítulo 7 - "Eu não acredito que fiz isso!"


Fanfic / Fanfiction Live My Life - Capítulo 7 - "Eu não acredito que fiz isso!"

- Tá tudo bem, Bloom? – perguntou Vanessa – Vou ao banheiro tá? Já volto! – disse Vanessa e saiu.

Bloom assentiu com a cabeça num sorriso forçado e, de repente, Valtor aparece novamente.

- Você de novo, não! – disse Bloom.

- Não está feliz com minha presença? – perguntou Valtor.

- Nem um pouco!

- Tudo bem, mas eu vim lhe dizer uma coisa, ou melhor, te pedir desculpas!

- Hunf, agora?

- Ué, e tem outra hora pra isso?

- Não, mas é que... - Bloom procurava respostas.

- Olha, me deixe ir direto ao ponto, logo! Me desculpa, eu não devia ter te largado pra ir à escola sozinha só porque não passaríamos o dia juntos... – explicou Valtor.

- Hum, tudo bem! Dessa vez passa! Até porque eu preciso te apresentar à minha mãe, certo? – interrogou a ruiva.

- Certo! – confirmou Valtor e beijou sua amada mais uma vez.

As meninas então se aproximam dos dois.

- Olha só quem está aqui... – disse Aisha se aproximando.

Os dois reparam na presença das amigas e ficam envergonhados.

Logo, Vanessa também retorna.

- Oh, que surpresa esse monte de gente aqui, Bloom! – surpreendeu-se.

- Prazer, dona Vanessa! Sou Valtor, namorado de Bloom! – cumprimentou Valtor.

- Prazer! – cumprimentou de volta Vanessa - Hum, você é bastante atraente! - disse lhe admirando.

- Mãe??!! – chamou Bloom a atenção da mãe.

- Brincadeira... Ele é todo seu! – disse.

- Bom saber disso, dona Vanessa! – disse Valtor jogando um olhar malicioso para Bloom.

E assim, continuaram o passeio todos juntos, Bloom até não se importou mais de que estava se escondendo das meninas pra evitar perguntas sobre aquele assunto.

Na semana seguinte, Valtor voltou para a escola. Agora, ele e Bloom estavam sendo respeitados como um casal normal por todos, inclusive por Stella e Sky, mas isso demonstrava desconfiança para eles.

Um mês depois...

Era Julho, mês das férias e chegara o dia em que os pais de Valtor viriam para a cidade visitá-lo e conhecerem Bloom.

Bloom estava na casa de Valtor esperando por eles e estava nervosa.

- Bloom, não fique nervosa! Vocês se darão bem, você vai ver! - repetia Valtor.

- Eu sei, mas... Será que vão gostar de mim? Eu ainda sou um pouco tímida, Valtor... – disse Bloom.

A campainha toca.

- Claro, minha linda! Não precisa ficar tímida! Pode deixar que farei de tudo para não te decepcionarem! - disse e caminhou até a porta abrindo-a.

- Valtor!! – cumprimentaram Marion e Oritel os abraçando.

- Pai, mãe! Que saudades! Quero que conheçam Bloom, minha namorada! – disse Valtor.

- Han, o quê? – perguntou Marion confusa.

- A Bloom é uma pessoa excelente e muito especial para mim! Espero que vocês a aceitem se conhecendo melhor! – disse Valtor.

- O que tu achas, Oritel? – perguntou Marion para o marido.

- Hum... Nos prepare hoje um jantar em família feito pela Bloom! Quero ver se ela é boa em cozinha! – respondeu Oritel.

 Bloom engole seco: - Gulp!

- Combinado, pai! Obrigado, mãe! – agradeceu Valtor.

- Jantaremos então às 19hrs! Até, meu filho! – concluiu Marion e foi com Oritel em direção ao quarto para desfazerem as malas e em seguida dar um passeio pela cidade.

- Que ideia foi essa de aceitar isso, Valtor? – perguntou Bloom num tom baixo.

- Calma, vai dar certo! Eu ajudo você! – respondeu Valtor no mesmo tom.

- Eu não sei cozinhar direito... Só convivo com produtos artificiais!

- Coisas artificiais não fazem bem, meu amor! Já lhe disse isso!

- Mas por que eu não engordo, então? E os meus peitos que nunca crescem? – resmungou Bloom.

- Ah, amor! Que isso... Seus peitos são lindos e eu te amo! – beijou sua testa - Vamos lá, o que iremos cozinhar? - perguntou levando-a para a cozinha e pegando um livro de receitas.

- Eu não sei! O que você sugere? – perguntou Bloom.

- Que tal... Rocambole à milanesa e espaguete ao molho? – sugeriu Valtor.

- Parecem bons, mas... São complicados! – disse Bloom lendo a receita.

- Já disse que te ajudo! Já preparei muitas vezes essas receitas! - disse Valtor pegando os ingredientes.

- Puxa, que bom que você é um homem bom de massa, Valtor!

- Ah, que isso! Você também vai ficar melhor do que eu na cozinha! Pode apostar que vai!

- Tomara que você esteja certo... – disse Bloom preocupada.

- Relaxa! Se eles aprovarem que você realmente é boa em cozinhar, me deixarão ficar contigo! – explicou.

- E VOCÊ NÃO ESTÁ NEM UM POUCO PREOCUPADO SE ELES NÃO ME ACEITAREM? – perguntou aumentando o tom de voz.

- Shh!! Não fala alto! Tá maluca? – disse Valtor.

- Valtor, você é um inútil! Você disse que me ajudaria e não atrapalharia! – brigou Bloom.

- Quantas vezes tenho que repetir que você vai conseguir aprender a mexer na cozinha com a minha ajuda? Pô, você é uma mulher, tem que saber cozinhar!

- Tá me dando sermão? Minha mãe já tentou me ensinar, mas eu me acostumei a comer produtos artificiais porque eu nunca conseguia aprender direito!

- Pois então comigo você irá conseguir! Que nem daquela vez! E eu não estou falando sobre comida... – disse Valtor se referindo a outra coisa.

- Safado! – disse Bloom.

- Bloom, eu estou tentando, ou melhor, querendo te ajudar e você não colabora!

- Tá bom, tá bom! Eu vou colaborar... – bufou Bloom cruzando os braços.

- Enfim, eu sei que nem todas as mulheres sabem cozinhar, mas a MINHA tem que saber! – disse Valtor.

- É o quê?

- É isso mesmo que você ouviu!

- Nossa, Valtor... – Bloom finalmente permaneceu quieta e passaram o resto da tarde preparando o jantar especial.

E assim...

- Eu consegui! Consegui! Preparei um jantar especialmente... CHIQUE! – disse Bloom orgulhosa.

- Viu só? Agora vamos arrumar a mesa porque logo, logo eles retornam pra cá! – disse Valtor.

(...)

- Huum... O cheiro está bom! Tens a certeza de que foi ela quem cozinhou? – perguntou Marion sentindo o aroma do jantar.

- Mãe... Eu a ajudei, tudo bem? – perguntou Valtor.

- Claro, meu filho... Contanto que ela me surpreenda!

- Creio que a senhora irá adorar! – exclamou Bloom servindo os pratos.

(...)

- E então...? – Valtor e Bloom esperavam ansiosos pela resposta dos portugueses.

- Hum...- pensava Marion.

- Ah, não faça suspense! – pediu Valtor.

- Bom... – levantou-se Marion do sofá – O jantar foi aprovado! Estava perfeito! – finalmente respondeu.

- Aeeeee!! – comemorava Bloom com Valtor dando pulinhos de alegria.

- Mas! – prosseguiu Marion e os dois logo pararam de pular e se espantaram.

- Se descobrirmos alguma coisa entre vocês dois, qualquer coisa que estejam aprontando... Iremos separa-los imediatamente!

Os dois engoliram seco, MUITO seco.

- É esse o nosso aviso para vocês! Boa noite!  – concluiu Oritel e foi com a esposa para o quarto.

Agora, não sabiam mais o que fazer a partir daí. Mal sabem eles que os dois já haviam aprontado e MUITAS vezes. O que fazerem se descobrirem?

- Valtor... E-Eu vou dormir em casa hoje, beleza? – avisou Bloom e foi embora.

(...)

Mês de Agosto, volta às aulas.

- Pessoal! Todos estão convidados para a minha festa de aniversário aqui na escola na semana que vem! – avisava Stella no megafone em todos os corredores da escola.

Os alunos não pareciam estar muito interessados, pois já fazia um tempo que ninguém mais obedecia às ordens de Stella. Sky também não andava mais tanto com Stella, pois ele desconfiava dela se não estava mesmo mais armando planos por aí.

- Você vai, Bloom? – perguntou Valtor para a namorada.

- Depois de tudo que ela fez e de repente parou... Ainda acho que não se pode sair confiando nela desse jeito! Então, não! Eu não irei! – respondeu Bloom.

- Certo! Então, nesse caso, eu também não! – concluiu e a beijou.

- Ei, ei, ei! Quero respostas! – chegou Stella os interrompendo e fez uma pausa – Vocês vêm, não vêm? – perguntou numa voz suave e olhar de convencimento.

- Não! – responderam.

- O quê? M-Mas Bloom! Não vê que não estou mais lhe perturbando? E nem a você, Valtor? – implorou Stella.

- Não interessa! Não iremos e ponto final! – concluiu Bloom e puxou Valtor para se distanciarem da loira.

Pov. Stella

Ah, ela acha que vou deixar barato assim? Pois está muito enganada! Tenho um plano em mente...

- Sky! Rápido! Preciso da sua ajuda! – disse Stella às pressas em direção ao loiro.

- Stella, não começa, por favor! O que você quer? – perguntou irritado.

- Ninguém quer vir no meu aniversário! – começou a fazer drama aninhando-se.

- Ah, para de drama!  – disse afastando-se.

- Mas... Todo mundo sempre vinha em meus aniversários! – disse a loira.

- Por que você os obrigava! E agora estão te dando um fora legal e merecido!

- Nossa! Me despreza mesmo! Não vai me ajudar mesmo, né? Só deixa você! – disse e saiu.

Stella então resolveu fazer tudo sozinha. Ela tinha a chave da sala de informática e começou a digitar um comunicado.

Assim que terminou de imprimir todas as cópias, começou a distribui-las para todos os alunos de Alfea.

- Stella, posso saber o que isso significa? – perguntou Sky em direção à loira.

- Meu novo comunicado! – respondeu Stella.

- Pra que isso tudo? Só porque ninguém aceitou o seu convite fez obriga-los DE NOVO a irem pro seu aniversário, mas agora inventando uma regra??? – interrogou desesperado.

- E daí? Eu sou sua namorada e eu também tenho os mesmos direitos que o seu! – disse e saiu.

E assim, no dia do aniversário...

A decoração na escola já estava toda pronta e todos estavam na pista de dança se divertindo, alguns com empolgação, outros não.

- Eu não estou acreditando ainda que a Stella fez isso... – disse Bloom na mesa de bebidas com Valtor.

- Eu também não... Realmente não se dá pra confiar nessa garota! – disse Valtor.

- Claro que não! Eu te disse! Ela se finge de inocente o tempo todo pra armar algum plano! – disse Bloom furiosa.

De repente, Stella se aproxima do casal.

- Olha só, eles vieram mesmo... Estão curtindo a festa? – perguntou sendo sarcástica.

- Claro que viemos! Porque fomos obrigados! E você acha mesmo que estamos curtindo essa sua festa idiota? – ironizou Bloom.

- Hunf! Bom, eu vim aqui pra dizer uma coisa... Fiquei sabendo que seus pais estão aqui, Valtor! – disse Stella.

- Sim! Eles vão embora semana que vem! – disse Valtor num tom de deboche.

- Certo... E eles já vieram visitar sua escola nova? – perguntou.

- N-Não... Eu só contei pra eles que estou aqui em Alfea... Por quê? – perguntou confuso.

- Porque eu acho que eles iriam adorar vir conversar com a diretora sobre uma descoberta de vocês dois... – disse.

- Que descoberta, Stella? – perguntou Bloom por ter sido mencionada na conversa – Não estamos escondendo nada! – disse.

- Ah não, é? Quer dizer que vocês ainda são... Virgens? – perguntou num tom de ameaça.

- Q-Quê? Quer dizer que... Como você soube? – perguntou Bloom chocada e furiosa.

- Graças às suas novas amiguinhas e com a ajuda da coordenadora Daphne... A casa caiu pra vocês... Já que os pais de nenhum de vocês dois sabem, não é mesmo? – interrogou Stella.

- Então você... Você as ameaçou também! Antes de você planejar essa sua festa obrigatória! – deduziu Bloom.

*Flash Back On*

Dias antes do mês das férias.

- Meninas, eu posso confessar uma coisa a vocês agora que estamos mais próximas?  - perguntou Bloom - Tem haver com aquilo que não contei aquele dia na escola! – disse.

- Claro, vai em frente! – respondeu Musa.

- Bem... É que eu e o Valtor... Nós não somos mais... Vocês sabem... – explicava Bloom.

- Como é que é? – perguntou todas juntas.

- É... E o Valtor não foi nesse dia pra escola porque queria ficar comigo, e eu disse que não porque minha mãe ia ficar em casa! – continuou.

- Eu fui um egoísta com ela e ao mesmo tempo um pervertido, pensando apenas na diversão e não se preocupando com as consequências, pois os pais dela ainda não sabem de nada! – contou desta vez Valtor.

- Espera! Uma pergunta... Vocês estão usando... Preservativo? – perguntou Aisha.

- Camisinha? N-Não... – respondeu Valtor.

- Como assim não, cara? Vocês são o quê? Loucos? Isso também traz outra consequência, sabia? – disse Aisha totalmente chocada.

- Calma... Vamos começar a usar, não é mesmo, Valtor? – perguntou Bloom ao namorado.

- Isso, vamos sim! É melhor mesmo nos prevenirmos o quanto antes! – respondeu Valtor.

*Flash Back #2*

Começo de Agosto, volta às aulas.

- Musa! Aisha! Tecna e... Flora! Queridas amigas! – chamava Stella se aproximando das garotas.

- Ex-Amigas... – corrigiu Aisha.

- Tanto faz! Queria saber das novidades da amiguinha nova de vocês... E daquele namorado dela também! – pediu Stella.

- Se está falando da Bloom e do Valtor, pode esquecer! Não temos nada para contar e se tiver, é somente entre a gente! - disse Tecna.

- Ah, vocês não querem me contar, né? Eu acho então que todos de Alfea iriam adorar se eu contar que todas vocês são virgens! Pensam que eu não sei? Vocês fingiram esse tempo todo que não eram só para se defenderem e fazerem amizade comigo para não sofrerem bullying como a Bloom! – disse Stella – Pena que se vocês não contarem logo o que esse casalzinho inútil aprontou, vão sofrer agora! – ameaçou por fim.

- Tudo bem, a gente conta! Mas como soube o que eles aprontaram? – perguntou Musa com medo da ameaça da loira.

- Através da Daphne! Ela também sabe do relacionamento deles! – respondeu Stella – Agora vamos! Contem logo! O que eles fizeram? – insistiu.

- Eles não são mais virgens, Stella! É só isso que temos para dizer! Agora por favor, não faça nada com a gente! – implorou Flora.

- Com vocês não... Mas com eles sim! – disse Stella.

- NÃO! – gritou Musa.

*Flash Back Off*

- É... Eu as ameacei! Mas como elas foram boazinhas... Desisti! Vocês são tão idiotas que contaram antes para a Daphne! Por isso fui confirmar com as meninas e elas revelaram também que não estavam usando camisinha, não é mesmo? O que é um perigo, já que são novos nessa experiência, hê, hê, hê! – riu Stella malvadamente.

- Bem... Acho que pisamos na bola sim, mas... Começamos a usar na semana passada... – explicou Bloom se lembrando.

*Flash Back #3*

Casa do Valtor, uma semana atrás.

- Mas Valtor... E se seus pais verem? – perguntou Bloom preocupada.

- Não vão, meu amor! Vou deixar bem escondido na gaveta do meu quarto! – respondeu Valtor.

- Valtor... Estou com medo... Faz muito tempo que estamos transando sem isso e agora pode ser que não adianta mais! – confessou a ruiva.

- Bloom... Vai dar tudo certo! E também, qualquer coisa eu coloco na gaveta do quarto deles achando que foram eles mesmo que usaram! – disse Valtor.

- Tudo bem... Estou confiando em você, vamos logo com isso antes que eles cheguem de novo! – pediu Bloom.

*Flash Back Off*

- Bloom, Bloom, Bloom... Você não sabe mesmo de nada... Pobrezinha, tão inocente... Acho que vocês não me deixam escolha... Amanhã mesmo vou chamar os seus pais, Valtor! – disse Stella se afastando.

- Não! Stella, por favor! Não faça isso! Queremos que eles fiquem sabendo através da gente com calma! Não conte a eles! Eu te dou qualquer coisa, mas, por favor, não faça o Valtor sofrer como eu já sofri em suas mãos! – implorou Bloom desesperada indo à direção de Stella.

- Me dar...? Eu quero o Valtor, Bloom... – declarou Stella.


Notas Finais


Espero que tenham gostado! Só pra avisar, os pais de Valtor são portugueses e por isso o sotaque, ok? Obrigada aos novos leitores tbm e por favor, se algum fantasminha estiver por aí, apareçam e não deixem de colocar sua opinião nos comentários! Desculpem mesmo, mas agora não vou mais demorar tanto assim, então, até o próximo cap :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...