História Livre - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Comedia, Gay, Homossexual, Livro 2, Romance Gay, Sensível, Suspense, Terror
Exibições 19
Palavras 2.242
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Heyyy seus lindos! Bom, pensaram que eu tinha parado com a fic?! POIS NÃO EU NÃO VOU PARAR HAHA, é que irei postar um capítulo por semana 😀🎈 Bom espero que gostem e até semana que vem. 💗✨

Boa leitura! 📚❤

Capítulo 2 - Vadia Amadora


— Ei pera ai! Você me chamou de Melanie… — Amy comentou com indignação.

— Eu claramente acho vocês duas super parecidas! — debochou Stavo rindo enquanto bebia um drink.

— Não precisa me ofender tanto assim, sou feia? SOU, mas pelo menos não sou dark das trevas igual a ela.

— Ela é dark das trevas que sabe se vestir, diferente de você que além de lerda é cafona. — Stavo riu em meio de uma troca de olhares com Chad Murphy que ainda conversava com sua irmã, Melanie. — Nossa esse Chad é tudo de bom na vida, queria muito…

— Então chega nele, Sta!

— Ata claro, irei chegar e dizer: “Olá! Me chamo Stavo Trigwell, sou gay e tenho interesse. — ironicamente Stavo argumentou.

Amy apenas riu e puxou o amigo pelo braços e o levou até a pista de dança que era iluminada por um globo de luzes. Tocava agora a música Work From Home e Stavo e a amiga movimentavam-se e dançavam.

Stavo achava o cúmulo Amy ser melhor na dança do que ele. Não é inveja, ele sempre dizia, eu apenas sou eu e acabou.

***

O relógio do quarto marcava 8h da manhã. Stavo puxa sua máscara de dormir e levanta seus lençóis de veludo. No quarto se encontrava apenas a gótica, Melanie Murphy. Ela terminava de se arrumar de frente ao espelho.

— Finalmente acordou, princesa. — Melanie falou.

— Cala boca sua vaca! — Stavo disse levantando e indo até o banheiro do quarto.

Olha o mau humor matinal, gritou Melanie para que Stavo pudesse escutar.

O banheiro estava um nojo. Calcinhas espalhadas por toda parte assim como sutiãs. Nem Stavo que era homem era tão nojento quanto elas duas.

— Eu confesso, não vai ser fácil aturar essas duas por anos. — suspirou e começou a recolher tudo e em seguida tomando banho.

Durante o banho Stavo alisava o pescoço e sentiu o colar que sua tia, Sol havia lhe dado ainda criança. Era um sol. Ela falou que o pingente era um sol para que ele nunca se esquecesse dela, jamais. E funcionou, Sta nunca se esquecia sequer um dia de sua tia, de Brooke e de seus pais.

Nesse mesmo instante lágrimas jorraram dos olhos negros e brilhantes do rapaz. A água batia em seu rosto fazendo o garoto sentir uma nostalgia de tudo que já havia acontecido de bom na vida dele. Tinha pais maravilhosos, tias que o amavam… mas isso tudo era passado, Stavo agora tem uma nova vida, Dallas agora — mais especificamente na Power House — era sua nova moradia.

***

Stavo descia a escada da Power House com uma elegância que era de se encher os olhos. Usava uma calça preta apertada e rasgada nos joelhos, um moletom preto com um ET no peito e uma bota. Trazia uma mochila em volta dos ombros, era preta e cheia de pedras cor de ouro.

A tutora Spencer James e o restante da irmandade já estavam acomodados nos sofás e pareciam apenas esperar o próprio, Stavo Trigwell.

— Hum… ah sim, finalmente Sr. Trigwell, já estávamos aqui a mais de 30 minutos lhe esperando. Vamos ter agora uma pequena reunião. — a Sra. James falou indo até o meio e começando.

Stavo sentou-se ao lado de Amy, pondo uma almofada nas pernas.

— Bom, todo ano aqui na fraternidade Power House, fazemos uma eleição para escolhermos o novo presidente da casa. E este é ano não será diferente, vamos ter uma eleição. Então preciso agora mesmo de dois candidatos…

— EU! — Stavo berrou inesperadamente.

Todos ali lhe perfuraram com olhares inclusive Chad. Stavo ficou cabisbaixo.

Muito bem, já temos o Sr. Trigwell e o próximo ou próxima… indagou Spencer obtendo resposta.

— Eu, tutora.

Stavo e Amy não conseguiram acreditar, como aquela vaca gótica tinha ousado se candidatar. Era muita ousadia.

Melanie era a segunda candidata.

— Haha ela não ganha de mim… — gabou-se Stavo.

— O que disse Sr. Trigwell?! — Spencer virou-se e indagou novamente.

— Não, nada, nada! — disfarçou Sta pondo a mão na nuca.

— Ok. As votações serão amanhã mesmo e vocês têm hoje o dia todo para apresentar o que irão fazer na irmandade. Hoje pela tarde vocês irão discursar para a nossa fraternidade.Boa sorte a ambos! — a tutora disse e saiu em cima de um salto altíssimo.

Stavo junto de Amy foi até Melanie e debochou.

— Melanie, Melanie, Melanie… tsc tsc tsc, realmente não tem medo de perder.

— De perder! — Amy repetiu atrás do braço direito de Stavo.

— … Você sabe, eu sou eu. Ninguém nesse mundo é igual a mim. Eu sou único!

— ÚNICO!

— Então amiga, melhor preparar sua festinha de derrota porque você vai perder e vai ser feio!

— VAI SER FEIO! — Amy tornou a repetir.

— Fica calada Amy, parece até um papagaio sem noção, repetindo tudo que eu digo!

Amy ficou quieta. A garota tinha muito medo de Stavo e de sua curta paciência.

— Vamos ver então Stavo. Que vença o melhor! — Melanie estendeu a mão.

Stavo pegou na mão da jovem e em seguida pegando um lenço e limpando.

— Desculpe, não costumo pegar na mão de vadias. Vamos Amy, precisamos preparar muitas coisas. — e saíram.

***

No restante daquela manhã, Stavo e Amy distribuíram panfletos por todo o campus e na fraternidade. Blue era o lado de Stavo e Black, o de Melanie.

Stavo com a ajuda da amiga passou mais de 2 horas escrevendo o discurso a seu favor.

Era a hora de discursar. A sala da Power House estava cheia de universitários. Stavo ia começar a falar. Estava de óculos de sol preto e segurava um papel na mão. Suspirou e começou a falar pelo microfone.

— Queridos universitários, eu, Stavo Trigwell venho pedir o seu… ah que palhaçada mais encenada é essa! — Stavo rasgou o discurso e continuou —, esse não sou eu. Eu não faço nada pensando, eu apenas faço e nesse caso vou falar o que vier na cabeça. Bom, eu sou Stavo Trigwell, todos sabem disso, sou gay, e venho aqui dizer a todos vocês, que quero ser presidente da Power, e mais do que tudo vencer a dark das trevas. Porque não é querendo me exibir, mas eu sou muito mais bonito, me visto melhor, e com certeza sei comandar essa porra, então se vocês realmente querem festas toda semana e umas dicas de como se vestir melhor, vote em mim queridos. BLUE IS POWER! UH UH UH UH. Obrigado.

Alguns aplaudiram e outros vaiaram. Melanie foi até o microfone e começa.

— Bom, diferente do Stavo eu quero uma fraternidade mais limpa, mais focada em nos formar, longe de brigas e com respeito que é o que Trigwell não tem de jeito nenhum. Aqui é uma irmandade e não uma loja de modas que ensina como se vestir bem, quer ensinar moda?! Cria um blog. Mas eu sim, quero que nossa casa seja comandada por uma pessoa responsável, EU. Então por favor votem BLACK! Obrigada.

Stavo e Amy vaiaram junto de outras pessoas.

COISA MAIS CHATA, LONGE DE BRIGAS. NÓS GOSTAMOS DE UM BARRACO SIM! BLUE BLUE BLUE BLUE BLUE. Stavo berrou em meio a vários deboches e xingamentos de Amy e outros.

***

No dia seguinte Stavo acordou bem cedo. Vestiu-se bem como sempre e foi andar sozinho pelo campus. Algo estranho chamou bastante a atenção de Stavo. Melanie falava com uns garotos de outra irmandade. Ela parecia não querer ser vista. Stavo escondeu-se atrás de uma árvore quando ela quase o vê.

Horas mais tarde a votação já estava quase acabando. Todos votavam por meio de bolinhas. Tinham as azuis representando Stavo e as pretas, de Melanie.

***

A noite já havia caído sobre o Texas. Todos já esperavam bastante ansiosos pelo resultado que estava sendo apurado pela tutora James e alguns universitários.

O coração de Stavo gelou quando viu a Sra. James chegar no saguão. Nunca havia se sentido tão nervoso antes.

Stavo e Melanie logo ficaram de pé.

— Bom, parabéns ao dois desde já e quero informar a todos da nossa fraternidade… — gritou Spencer eufórica —, QUE MELANIE MURPHY VENCEU DE STAVO TRIGWELL DE 26 A 24. Meus parabéns a você Melanie. — foi até ela e a abraçou.

Melanie gritava e pulava e jogava na cara de Stavo. Quanto a Stavo, ficou simplesmente paralisado, havia perdido. Não conseguia acreditar naquilo. Derrota era horrível. Ele saiu dali, não queria ver ninguém, foi até o banheiro e na frente do espelho ele chorava e se encarava foi quando veio um pensamento que ainda hoje doía.

— CADÊ O STAVO, HENRY? — Augustus estressado perguntou ao marido.

— No quarto dele, porque?

Não respondeu, apenas subiu as escadas e entrou no antigo quarto de Jonathan que agora era de Stavo.

Stavo estava deitado em sua cama, coberto por lençóis. O pai ligou a luz bem na sua cara fazendo com que esse Stavo com uma aparência mais juvenil. Parecia ter uns 14 anos.

Augustus estava vermelho de tanta raiva.

— ACORDA SEU MOLEQUE!

— Que foi pai?!

— QUERIA SABER PORQUE VOCÊ É ASSIM? TÃO ISOLADO DO MUNDO, VAI BRINCAR FAZER ALGUMA COISA NESSA TUA VIDA.

— Você sabe muito bem que eu não gosto de brincar, esse sou eu pai.

— SABE VOCÊ SÓ ME TRAZ DESGOSTO, ÀS VEZES EU ME ARREPENDO DE TER TE ADOTADO! — falou Augustus em alto e bom tom.

Aquilo pareceu doer em Stavo que no mesmo instante uma lágrima escorreu pelo seu olho esquerdo.

E agora no presente, Stavo lembrava-se desse ocorrido com pai. Aquilo ainda hoje era doloroso, palavras tão duras ditas pelo seu próprio pai. Stavo queria ganhar essa eleição por causa de seu pai, mesmo estando morto ele queria dar orgulho pro pai de qualquer lugar onde ele estivesse.

— Me desculpa papai! Não foi dessa vez. — e chorou mais ainda.

Minutos depois já com o rosto normal Stavo volta agora para a sala que estava em festa. Era a festa de comemoração de Melanie. Amy estava sentada no pé da escada olhando distraída.

— Oi!

— Oi, onde estava? — Amy perguntou.

— Andando por aí. Vamos sair d…

— Ei psiu, Stavinho! Sinto muito por você MAS EU GANHEI. Agora eu acho que mereço um prêmio por isso. Quero que vá com sua amiguinha até o porão da Power House e roube uns vinhos caros que tem lá. Agradeço.

— Claro!

— Nós vamos?! — indagou Amy.

— Sim, vem. — ele retrucou e foram até a cozinha e debaixo de um enorme tapete havia uma porta. Abriram-na e desceram as escadas que rangiam a cada degrau.

Havia muito pó e teias de aranhas. Ratos e baratas eram vistos passando.

— AAAAAAAAAAAAAAAAA! — berrou Stavo.

— Que foi?

— Um rato! Ai que nojinho meu santo Deus.

O porão era grande e no final havia prateleiras e lá estavam os vinhos pedidos por Melanie. Os dois com a ajuda das lanternas dos celulares foram até lá. Quando iam pegando o vinho uma caixa cai. Era pequena e parecia de um baralho antigo. Stavo abriu-a e tirou uma carta, e em vez de símbolos e números haviam frases. Na frase da carta de Stavo tinha a seguinte:

Há algo errado. Corrija!

— “Há algo errado. Corrija!” o que isso significa? — Stavo olhou para Amy. Na caixa antiga, parecia do século passado, tinha escrito na mão mesmo, Maddie Maddison.

— Bom, segundo o Google, essa aí era uma famosa vidente do século XIX, ela ficou famosa por criar um baralho antigo e perdido que contém frases videntes. — Amy leu olhando pro celular.

— JÁ SEI!

— NÓS ENCONTRAMOS O BARALHO PERDIDO DE MADDIE MADDISON! QUE MASSA.

— Não é isso, Amy. A frase diz que há algo errado e eu preciso corrigir. Eu acho que já sei o que é! Vamos. — falou subindo as escadas, com o baralho na mão.

— Mas e os vinhos?

— VEM AMY!

Foram até a sala da tutora que estava vazia. Em cima de sua escrivaninha havia as bolinhas da votação.

— O que exatamente nós vinhemos fazer aqui?! — Amy perguntou.

— Já já saberemos. Agora pega essas bolinhas e começa a arranhar elas com a unha e não me faça perguntas.

E Amy fez. Stavo também e em uma das bolinhas pretas que Amy arranhava tinha escondido a cor azul. Aquela bolinha havia sido alterada.

BINGO! Exclamou Stavo pondo um sorriso no rosto. CONTINUA.

E fizeram aquilo e no final acharam mais duas bolinhas azuis alteradas para a cor preta.

— EU SABIA! Amy eu ganhei. — comemorou abraçando-a. — Mudaram o resultado mas ninguém engana Stavo Trigwell de jeito nenhum.

— MEU DEUS! AQUELA MELANIE É PERIGOSA. CHOCADA!

— É, eu tinha visto hoje mais cedo ela de papo com um dos que apuraram os votos. Eu nem desconfiei droga! Mas o que importa é que vadias amadoras como Melanie não são párias o bastante para mim. VEM, VAMOS ESFREGAR ISSO NA CARA DA FRATERNIDADE.

Saíram e chegaram no saguão agitado de gente e música. Stavo foi até a mesa de som, parou a música, e pegando um microfone falou feliz.

— MELANIE QUERIDA! VOCÊ NÃO ME ENGANA. QUEM PERDEU AQUI FOI VOCÊ E EU SOU O VERDADEIRO GANHADOR SUA VADIA AMADORA!







Notas Finais


Eitaaaa Melanie queria sabotar o Stavo mas não conseguiu! 😁🌉 O que acharam do capítulo 2?! Comentem o que acharam que eu ficarei muitooooo felizzzzz meus leitores preferidos 😍❤💭

E se é novo por aqui seja bem-vindo (a) ao 2° livro dessa história. O 1° chama-se "Sensível" e já foi finalizado com sucesso. 😊💖

Se gostarem deixem um like pra euuuu ficar feliz da vida. 👍🙈💘


PS: Stavo ama chamar os outros de vadia. Eu também gosto rsrsrs 😂💙

Até o próximo capítulo semana que vem (ou antes não sei) 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...