História Livro sem título. - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amizade, Realidade, Sonhos
Exibições 5
Palavras 257
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


~uma mão surge das profundezas do cemitério~ EU NÃO MORRI! ~ Tanaaaaaaaaaaaaaam~
OI OI GENTEEEEE! Sim, eu sei que sumi, e em parte foi por causa das provas que eu tinha que fazer, mas agora elas já passaram e eu tenho tempo de novo :) Bom, eu também estava com um bloqueio criativo do mal chsbdvhbvbs
Mas enfim voltei e hoje trouxe um texto que escrevi com minha colega da escola para o projeto da consciência negra. Eu espero que gostem :)

Capítulo 13 - Monólogo


Desde pequena eu fui ensinada que minhas características eram defeitos, passei a minha infância querendo ser branca por ter sofrido tanto por ser negra.

  Você acha que eu não percebia aqueles olhares? Hoje eu entendo o que eles queriam dizer, entendo cada olhar acusador, como se eu fosse indigna de respeito. O que nos leva a pensar que todo negro é assaltante? Que todo negro pertence a uma suposta classe inferior? Acho que passou da hora de pararmos de dividir o mundo entre negros e brancos.

  Todo aquele sentimento fez com que eu amadurecesse e me tornasse o que sou hoje. O sentimento é esse, de assumir cada vez mais a negritude e continuar, porque a maioria acha que é mimimi, que não existe, que é apenas uma brincadeira, mas o fato de eu ter a pele mais clara não significa que eu não seja negra. Eu sei o meu lugar, eu sei os privilégios que tenho, mas eu também trago uma luta, sofri tanto quanto outro negro, então não venha me chamar de moreninha depois de tudo o que eu passei para me amar como mulher negra, que é o que eu sou.

  O que eu diria a essas pessoas? Eu diria obrigada. Obrigada por me fazer perceber o quanto eu sou forte, obrigada por me fazer ter uma visão melhor sobre a vida e, apesar de tudo, eu te perdoo.

 

  Monólogo com base nos depoimentos de alguns alunos e professores para o projeto da consciência negra, escrito por Beatriz dos Anjos e Caroline Vilela.

                                                                                          ♛


Notas Finais


O que vcs acharam?
Me desculpem por ter ficado tanto tempo sem postar, sério, não fazia ideia de que estava tão atrasada :c
Um beijão! :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...