História LL - Unconditionally - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Tags Gosh, Lana Parrilla, Rebecca Mader, Sean Maguire, Seana
Exibições 324
Palavras 2.865
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Alô alô!

Queria apenas dedicar esse capítulo a todas as meninas que mandam mensagem pra mim dizendo o quanto minhas fanfics fazem bem, que quando elas estão tristes, elas releem e que são muito gratas por eu compartilhar minhas histórias com vocês. Eu que tenho que agradecer por ter leitoras tão maravilhosas, que me apoiam e confiam em mim. Sei muito bem como é ter um refúgio, eu encontro um refúgio na escrita e vocês na leitura. Não há nada melhor não é mesmo? Espero que gostem desse capítulo pois é inteiramente de vocês. E nunca se esqueçam: Vocês são muito especial e não importa o que dizem, vocês são mais fortes do que imaginam.

ENJOY IT!

Capítulo 10 - Pequena bailarina


Fanfic / Fanfiction LL - Unconditionally - Capítulo 10 - Pequena bailarina

Lana

 

 

 

 

Sean estava deitado na cama com o controle remoto na mão e passando por vários canais, sua expressão demonstrava insatisfação com alguma coisa e eu já fazia ideia do que poderia ser. Acabei de sair do banho e falar com minha irmã para confirmar que esse final de semana nós iríamos para New York e que Alice estava muito animada, minha irmã também perguntou se eu e o Sean gostaríamos de ir a um show logo na sexta com ela e o marido dela. Subo na cama apenas com um top que eu iria pra academia com Bex daqui a pouco e uma calcinha, apoio meu queixo em seu peito e espero ele olhar pra mim, mas isso não acontece.

"Amor?"

"Oi!" responde ainda com a atenção voltada para televisão.

"Vamos ao show do Elton John na sexta? Deena já está com os ingressos e você sabe como eu adoro as músicas dele." Sean me olha mas ainda não fala nada "Se você achar que vamos estar cansados pela viagem podemos ir na quinta à noite pra lá e passamos a manhã inteirinha descansando, mas agora, se você não quiser ir mesmo eu também não vou, porque só tem graça se você tiver comigo." paro de falar esperando por uma resposta que vem após uma demora torturante.

"Eu vou."

"Jura?" sorrio.

"Você sabe que eu adoro Elton John." ele volta a mexer no controle e eu reviro os olhos.

"Vai ficar com esse bico mesmo?"

"Que bico?"

"Esse aqui." dou um selinho nele.

"Não tem bico nenhum."

"Hm... Ok. Vou me arrumar que a Bex já deve estar vindo." fico sentada e puxo a bermuda de ginástica que estava na beirada da cama.

"Você vai mesmo pra academia?""

"Claro!" fico em pé e olho pra ele enquanto me vestia.

"Lana, você já é gostosa pra caralho, não tem necessidade de ir pra uma academia."

"Amorzinho, academia não é apenas pra ficar gostosa pra caralho, é questão de cuidar da saúde também. Sabia disso?"

"E por que eu não posso ir?"

Dou um sorriso e agacho pra ficar no mesmo nível que ele. "Porque eu quero conhecer o ambiente primeiro, quero ver como são as mulheres, se eu decidir que não tem perigo, eu te levo e... Eu juro por Deus, Sean, se você olhar pra qualquer piriguete pode ter certeza que eu vou te deixar incapaz de procriar." ele morde os lábios prendendo o riso e olha pra mim.

"E eu vou ficar aqui sozinho?"

"Quer uma foto minha pra te fazer companhia? Acho que tem uma minha nua na galeria do seu celular."

"Você é tão sensível." ele revira os olhos e encara a televisão, dou um sorriso e beijo o pescoço dele.

"Ah amor, a gente ficou ontem o dia todo sozinhos porque Alice saiu com a Ginny, o Josh e as crianças. Hoje ela foi pra escola e ficamos mais um pouco sozinhos, acabamos de fazer amor e agora eu vou levar minha filha ao ballet e ir à academia com a minha amiga. Posso? Quando você que ir ver seus jogos com os seus amigos, não pensa duas vezes antes de me deixar sozinha."

"É diferente."

"Diferente como?"

"Geralmente os jogos são na casa de algum amigo, lá não tem um bando de mulher gostosa que vai ficar me devorando com o olhar..."

"Obviamente, ou você só assistiria jogo em casa."

"O que eu quero dizer é que nessas academias tem um monte de homem sarado que vai querer chegar em você."

"E...?"

"E que eu não gosto nenhum pouco disso."

"Ai Sean, tá vendo isso aqui?" aponto pro meu dedo anelar esquerdo e ele olha. "Eu faço questão de mostrar pra todo mundo essa aliança, pra todo mundo saber que eu sou casada e feliz. Se um desses homens sarados chegar em mim, vão perder tempo." dou um beijo em sua bochecha e levanto. "Para com esse ciúme bobo."

Ando até o closet no mesmo momento que ouço batidas na porta.

"Podemos entrar ou existe cenas que podem traumatizar a infância da pequena Alice?" a voz de Ally ecoa abafada por conta da porta fechada. 

"O que é traumatizar?" dou risada com a inocência da minha filha e logo Sean pede para elas entrarem. "Cadê a mamãe?"

"Tô terminando de colocar a roupa, já vou."

"Meu Deus, que bailarina mais linda!" ouço meu marido exclamar realmente admirado e eu me apresso com a blusa para poder vê-la logo. "Vem cá pro papai tirar foto."

Boto a blusa sem nem me preocupar se estava colocando do lado certo ou não e corro de volta para o quarto. Ao chegar lá vejo Alice de pé fazendo pose pra uma foto. Sinto meu olhos marejarem na hora. Ela usava um collant preto com um saia transpassada na cor rosa por cima, seus cabelos estavam preso num coque que estava envolvido por uma redinha rosa com detalhes em missanga e um grande laço da mesma cor. Fico paralisada analisando a minha filha, sem encontrar palavras pra dizer como ela estava.

Ela me olha e abre um sorriso lindo. "Tô bonita, mamãe?"

"Você está maravilhosa!" me agacho na altura dela e abro braços "Vem cá!" ela vem correndo e me abraça.

"Papai, não para de tirar foto." faz uma cara brava e damos risada.

"Porque você está muito linda." beijo o rostinho dela. "Você é a coisa mais linda, mais preciosa que mamãe fez."

"Ajudou a fazer." Sean acrescenta e eu olho feio pra ele.

"Vamos descer? Sua madrinha está chegando." me levanto e encaro Sean que já estava com a cara fechada novamente "Tudo bem?"

"Não." reviro os olhos e me aproximo dele.

"Volto logo." selinho "Te amo!" outro "Muito" mais um "Muito" outro mais longo "Muito." falo ainda com a boca colada na dele.

"Também te amo!" sorrio "Nada de personal."

"Pode deixar!" o beijo pela última vez antes de pegar minha bolsa e descer com Alice.

Chegamos lá em baixo e vemos Rebecca conversando com Ally, a ruiva claramente tinha se adiantado, não que eu esteja reclamando. Ela para de falar ao nos ver descendo e seus olhos brilham ao pousar em Alice.

"Que bailarina mais lindaaaa!"

"Dindinhaaaa!" minha filha corre de encontro a Bex e as duas se abraçam apertado.

"Você está uma princesinha, sabia?" ela alisa o rosto de Alice e nesse toque eu vejo algo diferente na Rebecca, não sei explicar exatamente o que é, mas têm.

"Brigada!"

"Aqui a bolsinha dela." Ally me entrega. "Vão precisar de mais alguma coisa?"

"Não Ally, muito obrigada, pode ir." ela pisca e sobe as escadas para pegar as coisas dela antes de ir para casa. "Vamos?"

As duas acenam positivamente com a cabeça e seguimos para o carro.

 

 

(···)

 

 

Deixamos a Alice no 3° andar do prédio que era onde ocorria as aulas de ballet e eu prometi a ela que viria vê-la antes da aula acabar, ele soltou mais um de seus maravilhosos sorrisos e correu para aula, após trocar algumas palavrinhas com a professora eu e Bex descemos para o 2°andar. 

 A academia era enorme e bem refrigerada. Havia muitos jovens de diverso tipo espalhados pelo local, outros nem eram tão jovens assim. A equipe que trabalhava na academia usava uma blusa laranja com a logo da empresa que tomava conta do prédio. 

"Uau! Adorei!" Bex exclama e eu sorrio concordando. 

Separado da academia por uma grande janela de vidro, havia a lanchonete certamente somente com coisas saudáveis. Olho mais uma vez ao redor e paro em um grupo de meninas fazendo de tudo para chamar a atenção de alguns personal trainers. Estremeço e faço uma careta de nojo ao imaginar meu Sean aqui.

"Não acho que será uma boa ideia a gente trazer os nossos maridos pra cá." Bex gargalha.

"Deixa de ser ciumenta." dou de ombros. "Muito bem, por onde começamos?"

"Acho que pela esteira."

"Olá, vocês são novas por aqui? Posso ajudá-las?" uma moça simpática e alta com os cabelos cor de mel presos num rabo de cavelo aborda a gente.

"Somos novas sim mas... Por enquanto está tudo certo."

"Ok então, qualquer coisa meu nome é Leane e eu estarei por... Aqui." ela faz círculos com a mão indicando a academia e nós sorrimos.

"Vamos?" 

"Só um minuto, vai na frente que eu já vou."

Olho para as duas mulheres e então concordo. Ando até chegar na parte onde havia as esteiras e encontro umas três livres, observo Bex conversando com a moça que nos atendeu e decido esperá-la para começarmos juntas. Cerca de cinco minutos depois ouço a voz dela.

"E aí, vamos?"

"Bora!"

Subimos no aparelho e ajustamos a velocidade, nada muito rápido, começamos a caminhar e conversar sobre os mais variados assuntos. Percebi que a todo momento Rebecca olhava para o relógio e concluí que realmente ela estava mais estranha do que o costume.

"O que foi?"

"Hã?"

"Você... Por que não para de olhar o relógio?" ela suspira. 

"Não é nada." ela aperta o botão de parar a esteira e eu ergo minhas sobrancelhas. "Eu só... Eu vou estar alí na lanchonete."

Paro a minha esteira também e viro para olhá-la.

"Bex, não fizemos nem 15 minutos de esteira. Você estava tão animada com essa ideia de academia, o que houve?"

"Nada, Lana, é sério." ela começa a andar e eu vou atrás dela.

"E por que nada te deixa assim?"

Ela me ignora e sentamos na primeira mesa que encontramos vazia, logo um funcionário vem nos atender.

"Droga, a carteira está no carro." praguejo.

"Não tem problema, você pode abrir uma conta aqui na lanchonete e só pagar no fim do mês"

"Eu vou querer fazer isso." Bex fala.

"Eu também."

"Ótimo, só irem alí no caixa e fazer a ficha." ele aponta. "O que vocês vão querer?"

"Salada de frutas." falo sem nem olhar o cardápio.

"Eu vou querer esse sanduíche aqui..." ela aponta para a ilustração e olha os sabores do suco. "E um suco de goiaba mesmo."

"É pra já!" ele nos deixa a sós e quando faço menção de falar algo ela me interrompe.

"Vamos fazer a ficha."

Reviro os olhos e sigo-a até o caixa, onde preenchemos um formulário com algumas informações e abrimos a tal conta. Voltamos para os nossos lugares e eu cruzo os braços, ela olha pra mim e sorri enquanta soltava o cabelo.

"E aí? Me conte da sua magnífica vida sexual?"

"Nada disso. Eu sei quando você está realmente interessada e quando quer mudar o foco da conversa."

"Eu estou interessada." fala brincando com o guardanapo.

"Não está não."

Ela respira fundo e me encara, ergo a sobrancelha esperando ela começar a falar mas sinto que sua hesitação está no controle.

"Eu não sei como falar isso."

"Você vai se mudar?" ela balança a cabeça. "É grave? Você tá doente?"

"Não." ri "É que..." ela morde os lábios. "Droga, eu não consigo esconder nada de você. "

"Graças a Deus, né?"

"Eu não queria contar agora... Eu... Eu não sei."

Nosso pedido chega e nós duas agradecemos, assim que ficamos a sós novamente, a olho.

"Ok, Bex." suspiro e busco as mãos dela por cima da mesa. "Sempre contamos tudo a outra, não enrole, só diga... Ok?" ela balança a cabeça e engole em seco. "Ok, vai lá!"

Ela fecha os olhos e dá um sorriso e quando os abre havia um brilho lá, um brilho que não me era desconhecido.

"Sis... Eu tô grávida."

"Vo... Você o quê?" dou risada pensando que havia escutado errado.

"Eu estou grávida." fala mais firme dessa vez e as minhas mãos que estavam sobre as delas agora pousam sobre a minha boca. "Por isso eu saí da esteira mais cedo, eu ainda não fui ao médico, não posso abusar."

"Bex... Oh meu Deus." olho desnorteada ao redor da lanchonete. "Quando você ia me contar isso?"

"Eu descobri ontem."

"O telefone existe para ser usado sabia?"

"Jura que você gostaria de saber pelo telefone? Aliás, você demorou semanas pra contar pra gente."

"Ai, eu sei, é que... Meu Deus... Você vai ser mãe." sorrio surpresa. "Eu não imaginava isso agora."

"Nem eu. Eu estou desesperada, não faço ideia de como ser mãe, eu não levo jeito pra isso isso."

"Ninguém nasce sabendo ser mãe, Bex."

"Mas tem gente que nasceu pra isso, como você." ela abaixa os olhos para as mãos trêmulas. "Você é uma ótima mãe, desde quando estava grávida."

"Mas eu tive esses medos aí, tive muito. Ser mãe sempre foi meu sonho e quando vi que estava indo longe demais entrei em pânico." volto a pegar a mão dela. "Pensa nas variadas mães que você tem ao seu redor." rimos "Sua mãe, sua irmã, Ginny, Ems, eu... Vamos estar aqui para ajudar a você."

Ela assente e aperta minha mão. "Você é a primeira pessoa que sabe."

"Sou? E o Marc?"

"Ainda não sei como contar, vou pensar em algo hoje."

"Se quiser ajuda." pisco.

"Óbvio." sorri "Preciso fazer o convite ou você já sabe que será a madrinha?"

"Vamos sair daqui."

"Por quê?" 

"Quero gritar." ela gargalha. 

"Vamos ver a Alice, quero muito vê-la no ballet."

"Vamos, mamãe." quando ficamos de pé eu a puxo para um abraço. "Eu tô muito feliz por você amor, parabéns!"

"Obrigada, mesmo a ficha ainda não caindo." rimos.

"Você acredita que até hoje, às vezes, eu não acredito que tenho uma filha ainda?"

"Sério?" nos afastamos e começamos a andar.

"Muito sério, na gravidez, com aquele barrigão, eu ficava olhando e me perguntava o que estava acontecendo..." Bex ri enquanto entrávamos no elevador que por sorte estava parado. "Hoje em dia, eu olho pra ela e acho que é muito perfeita pra ser real e minha."

"Às vezes eu também penso." olho pra ela confusa e ela continua. "Penso em como você e o Sean conseguiram fazer uma princesa tão linda."

"Ridícula!" bato no braço dela e saímos do elevador. "Somos um casal muito lindo, tá aí sua resposta."

Seguimos pelo corrredor ouvindo uma melodia bem suave vindo da grande sala onde estava acontecendo a aula de ballet. Chegando lá, ja procuro minha filha com o olhar e a encontro recebendo ajuda da professora com os passos, ela me olha e eu abro um sorriso dando tchau para ela.

"Vamos sentar alí, vem!" Bex me puxa até uma área com um banco e sentamos alí. 

Havia outros pais olhando suas filhas também. Pego meu celular e envio uma mensagem para Sean.

Eu: "Amor?"

Não muito tempo depois vem a resposta.

Husband: "Oi!"

Eu: "Saí mais cedo da academia, estou vendo nossa filha no ballet."

Termino a mensagem com vários coraçõezinhos e envio.

Husband: "Manda foto!!!!!"

Sorrio e boto na câmera, logo tiro duas fotos de Alice tentando ficar na ponta do pé e mando pra ele.

"Ela leva jeito pra isso." Bex comenta.

"É de família." ela me olha com uma interrogação estampada no rosto. "Esqueceu que quase a família toda do Sean são bailarinos? Inclusive eles têm uma academia de dança irlandesa."

"Ah, me lembro... Imagina a felicidade dá dona Kathleen vendo a netinha de bailarina?" sorrio.

"Depois eu mando foto pra ela."

Continuamos alí conversando e observando Alice até a hora da aula terminar, assim que a professora dá a aula por encerrado, minha filha vem correndo e se joga no meu colo.

"Gostou, meu amor?"

"Gostei... Eu aprendi a ficar na ponta do pé, quer ver?" faço que sim com a cabeça e ela desce do meu colo para me mostrar sua mais nova conquista.

"Que linda! Faz de novo pra mamãe bater foto."

Ela faz de novo e eu tiro a foto, logo ela vai correndo em direção a Bex que se agacha pra falar com ela.

"Gostou dindinha?"

"Amei! Você é muito linda, sabia disso?" 

Fico olhando as duas, Bex estava diferente, mais radiante e eu entendia muito bem disso. Eu estou tão feliz pela minha amiga, não há presente maior que um filho. E eu tenho certeza que ela será uma mãe maravilhosa, levando em conta o jeito que ela trata a minha.

Pego a bolsa de Alice e elas vão andando na frente, enquanto caminhava, eu editava a foto pra postar. Entramos no elevador e Alice pede para apertar o botão, assim que as portas se fecham elas começam a brincar.

"Primeiro dia da minha linda princesa no ballet."

Posto a foto.

"Você sabe que nem devia ter vindo a academia antes de fazer a consulta né?" falo quando saímos do prédio e Alice começa a andar um pouco na frente. "Os três primeiros meses são os mais delicados Bex, você tem que ter cuidado."

"Eu sei, eu sei. Amanhã mesmo eu marco uma consulta."

"Ótimo."

Viramos a rua e andamos até onde o carro estava estacionado. Porém Bex para atrás de mim e eu me viro ficando confusa ao vê-la com os olhos marejados.

"Bex, tá tudo bem?" olho pra minha filha que desenhava no vidro do carro antes de me aproximar dela.

"Tô." diz com a voz embargada e dá um sorriso. 

"O que foi?"

O sorriso da minha amiga se abre mais ainda e ela fala quase num sussurro: "Eu vou ser mãe."


Notas Finais


O que a acharam da ruivinha grávida? 😱 Já tava na hora do timing materno dela entrar em ação né? haha

Até o próximo cap!

Foto que a Lana postou: https://www.instagram.com/p/BLpAHERDFxm5HJzlccsiM9T3IqjYQY4r5dbQDk0/


Sigam o twitter das minhas fanfics e fiquem por dentro das novidades: @eliteparrilla

xx, rhay!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...