História Lluvia. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 35
Palavras 300
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Lírica, Poesias

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


olha eu aqui de novo, quebrando a "promessa" de não postar nada até depois do Enem...

Capítulo 1 - No paraguas.


Fanfic / Fanfiction Lluvia. - Capítulo 1 - No paraguas.

 

“Minhas feridas choram pela sepultura,
Minha alma grita por libertação.”

- Evanescence

 

Eu tentei exterminar a dor do meu subconsciente enfermo, mas foi como se isso tivesse aberto sem mais delongas as portas do inferno decadente e enfurecido; agora estou sendo puxada pelos meus tornozelos, estou sendo arrastada para aquela tão conhecida escuridão, que já não a via fazia tempos. Eu estou morrendo por dentro e eu estou derramando o restinho do fôlego que me restara, estou perecendo, de pouco a pouco.

Eu estou morrendo, como se um corte imaginário em minha jugular tivesse sido procedido com êxito, estou orando por misericórdia, sangrando chão afora cada restinho de felicidade que eu tinha e estou gritando por benevolência.

Alguns pequenos e inimagináveis seres, morrem em silêncio, em degradê. Quando percebemos, já se passaram dois anos e tudo, exatamente, tudo, permanece na mesma rotina entediante e pavorosa. Muitas dádivas que nos cercavam, que nos alegravam, tem seu tempo de viço, sua hora de recado. Quando a gente percebe, o canto da onda já enterneceu-se na areia...

Tudo dança a coreografia sábia e implacável da impermanência, mas a música daquilo que verdadeiramente nos toca com amor, deve ser guardado a sete chaves, dentro de nossos corações. Veja bem, nem cinco, nem nove; Sete.

Certa vez, vi em um filme que, “Deus estava na chuva”. Creio eu, então, que não precisarei das minhas galochas por um bom tempo, muito menos de uma capa de chuva – até porque, eu nem tenho uma. Jogarei o guarda-chuva de poás vermelhos pra cima, pois quem me dirá que as gotículas gélidas ao atingirem a palidez, iluminará os becos do meu coração de primeira? Eu preciso de Ti, Paizinho.

Mas sinceramente, talvez eu seja, bem lá no fundo, subitamente, una persona non grata.

Estou perdida demais para ser salva?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...