História Lobo Mau!!! - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Abo, Família, Mpreg, Originais, Universo A/b/o, Yaoi
Visualizações 206
Palavras 3.761
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fluffy, Lemon, Luta, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Gente eu quero explicar antes de tudo que terá uma parte de dois desse cap. será postado hoje ou amanha depende do que acharem do final e o que postarem nos comentários, ser for positivo eu vou postar, como esse é o "ultimo" espero alguns comentários por que isso ajuda bastante, mas agradeço de coração os que comentam favoritam e ate mesmo que só olham.

BJS

Capítulo 22 - XXI - Epílogo


Fanfic / Fanfiction Lobo Mau!!! - Capítulo 22 - XXI - Epílogo

LIAM AS NOTAS INICIAIS SERIO (importante)

 

P.O.V. DAN

Fazia uma semana que estávamos na ilha, eu fiquei bem feliz aqui é bem mais frio que onde estávamos morando anteriormente, na primeira semana foi uma verdadeira confusão as crianças começaram um colégio novo, todos ficaram felizes já que muitos de seus amigos também vieram para a ilha, Anna e Val estão abrindo uma loja no centro da cidade para que todos da ilha sejam os primeiros a receber suas coleções e bem Justin está indo ajudar o pai no preparo de medicamentos, já que era o curandeiro.

Alec e  os outros três alfas estavam super apresados para conseguir terminar os preparativos da barreira o mais cedo possível e bem isso faz mais ou menos um mês, e finalmente eles conseguiram amanha será quando fecharemos finalmente a barreira.

-Querido? – ouço uma voz me chamando da porta, olho e vejo meu pai, ele não mudou nada nesses anos.

-Pai! – falo me levantando de meu lugar correndo e pulando em seus braços, que me abraçaram com força.

-Como você esta? – ele me pergunta quando nos soltamos, ele coloca uma mecha do meu cabelo para trás de minha orelha e sorri.

-Vou bem, essa crianças são o motivo de eu conseguir continuar. – digo lhe dando um sorriso. – E então como está sendo viver com meus sogros? – pergunto já que eu realmente estava curioso.

-Eles parecem mais duas crianças do que dois adultos casados. – diz bagunçando os próprios cabelos em quanto dava um suspiro audível.

-Ah papai não fique assim. – digo lhe dando um sorriso brincalhão. – Vai ficar para o churrasco de hoje à tarde? – pergunto me soltando e indo até o espelho para arrumar minha roupa, eu usava uma camiseta branca, uma jardineira verde e uma sapatilha branca, estava ensolarado hoje então tinha que aproveitar já que nessa ilha sempre é nublado.

 -Sim, eu vou descendo para ir arrumando as coisas na churrasqueira. – ele fala me dando um ultimo beijo na cabeça e saindo do quarto.

Termino de amarrar meus cabelos em um rabo de cavalo e saio do quarto indo até o andar de baixo onde estão todos, quando digo todos são todos mesmo, vejo que em um canto Anna e Val discutem sobre algo provavelmente sobre a nova coleção que será lançada em três meses, Justin está com Drake em seu colo em dormia calmamente e estava com Meg ao seu lado, a menininha de cabelos castanhos estava concentrada na TV que passava um filme mas não sei qual é, no chão Jay e Marcelo também assistem o filme bem concentrados. Dou uma risada baixa é sempre a mesma coisa, ando agora até a cozinha onde vejo minha sogra que segura a pequena Beatrice em quanto Dafne está nas costas de meu sogro, ado até Bella e a dou um beijo na bochecha.

-Ah quanto tempo querido. – ela fala rindo após me ver e me dar um beijo na testa.

- Ha quanto tempo tia Bella. – digo dando um sorriso e indo até David que me deu um abraço de lado para que Dafne não caísse de suas costas. – Quanto tempo tio David, fazia tempo que não via vocês dois. – digo me sentando no balcão.

-Sinceramente estávamos aproveitando para viajar para todos os lugares que não pudemos viajar em quanto éramos reis, e arrastamos seu pai já que não podíamos deixar um velho rabugento em casa ai depois ele não falaria com a gente e isso seria péssimo, por que precisamos de um intermediador. – Tia Bella fala dando um sorriso de canto. – Agora todo mundo pra fora da cozinha o churrasco provavelmente já começou eu já vou.

As meninas assim que ouviram isso saíram correndo lá pra fora, ando calmamente para o lado de fora, vejo a mesa de piquenique estava com uma toalha estendida e com algumas comidas, vejo que meu pai, Luca e Alec estão na churrasqueira em quanto o resto do pessoal está perto do lago que tinha atrás de casa, isso não vai acabar bem, Jace e Harry estão lá, mas não estão prestando atenção nas crianças, e conhecendo essas crianças como eu conheço vão aprontar algo.

- Victor, Josh, Lion, Luck, Brian e Enrique venham os seis aqui agora! – eu grito da ponta da varanda, os filhotes olham pra mim e depois se entreolham como se estivessem conferindo se não tivessem aprontado nada depois correram até mim, me agacho a frente deles e falo com calma. – Vão lavar as mãos será servido o almoço. – digo dando um sorriso fraco os meninos assentem e saem correndo para o lado de dentro.

Depois de exatos quinze minutos estavam todos na mesa de piquenique rindo e contando sobre algumas historias de antigamente por parte de meu pai e tio David os dois adoram dar cutucadas, mas é já no finalzinho que recebemos um comunicado vindo de Anna e Val que nos surpreende.

-Gente eu tenho algo a dizer. – Anna fala se levantando e olhando para todos que pararam de falar esperando seu comunicado. – Eu e Val teremos que fazer uma viaje de emergência para Londres.

-Como assim Londres Anna? – pergunta Luca se levantando também dava para notar o quanto estava irritado com isso principalmente agora que as barreiras seriam fechadas.

-Luca, eles estão tendo problemas com a confecção eles pediram que eu fosse pessoalmente ver as coisas com meus olhos. – ela fala dando um suspiro cansado. – E não, não tem outro meio eu já tentei, e acabou dando tudo errado eu terei que ir esta noite mesmo para chegar lá durante a manha. – ela fala e apenas vejo Luca se jogar no banco sem falar nada com cara amarada. – Querido não se preocupe assim que a barreira abaixar do nosso lado eu volto, não será para sempre.

-Está bem Anna. – ele fala se dando por vencido.

-E você Val por que tem que ir? – perguntou Jace sem se mostrar abalado, mas dava pra notar que também estava com raiva.

-Sou o modelo chefe da companhia de Anna, e parece que estão criando confusão pelas roupas da próxima estação, eu tenho que ir e botar um ponto nessa bagunça eles não são crianças para agir dessa forma, não se preocupe meu amor eu vou voltar rapidamente para você. – ele fala dando um beijo estralado na bochecha de Jace que suaviza a expressão dando um sorriso contido.

Todos ficam quietos esperando alguém dizer mais alguma coisa mas ninguém fala mais nada, com isso começo a recolher os talheres e pratos com a ajuda de Anna, todos foram pra dentro, Val e Justin foram ajudar as crianças a se limparem e os adultos foram para a sala para ver o jogo que teria durante a noite, acho que era de futebol não tenho certeza. Eu estava lavando os pratos quando Anna trouxe os últimos pratos, ela me sorri e começa a secar a louça ao meu lado e a guardar.

-Então vai me dizer a verdade ou vou ter que te forçar a falar? – a pergunto sem olhar em seus olhos, mas podia notar que estava surpresa. – Oh Anna não podia acreditar que eu acreditaria nesse papo furado, você pode até ser boa em mentir, mas não tanto assim. – digo lhe lançando um sorriso para tranquiliza-la.

-Você sempre me conheceu tão bem Dan... – ela diz voltando a fazer o que estava fazendo antes e com um sorriso pequeno no rosto. – As flores da meia-noite estão floridas depois de tanto tempo. – ela diz.

-Espera como assim? Pelo que me contaram para uma flor dessas florir demora 20 anos, só plantamos a 6 anos. – digo arregalando os olhos em choque.

-Não Dan essas flores foram plantadas para a rainha, ela não sobreviveu a tempo e agora depois de seis anos ela finalmente floriu, podemos colher. – Anna fala com lagrimas nos olhos. – Vamos salvar Pati da morte, podemos fazer o antidoto para aquele maldito veneno. – ela fala agora derramando algumas lagrimas. – Mas eu falei a verdade sobre a confecção se eu não for lá hoje eles vão destruir a minha imagem diante da moda e isso eu não posso permitir. – ela fala com raiva, ninguém nunca deve fazer nada com relação às roupas dela ou ela fica louca.

-Bem então boa sorte. – digo lhe dando um sorriso contente. – Salve nossa princesa.

-Sim, Dan eu vou salvar. – ela fala me dando um sorriso radiante, terminamos de lavar, secar e guardar a louça e vamos para a sala rindo ando até o outro cômodo, porem assim que entro na sala sinto uma tontura forte que me faz me apoiar no batente da porta. – Querido está tudo bem? – ela me pergunta colocando a mão em meu ombro, mas não consigo responder sinto mais uma pontada, mas nessa vez em meu ventre, uma dor agoniante nessa região e logo em seguida tudo ficou escuro, mas antes disso sinto meu corpo despencando e o grito de Anna pedindo por ajuda.

Quebra de Tempo.

Abro meus olhos de vagar e vejo que estou no meu quarto, as luzes estão apagadas mas os dois abajures do lado da cama estão aceso, quando me sento na cama as luzes são acesas e vejo Val sentado ao meu lado e Justin ligando as luzes.

-Hey Dan como você está? – Val pergunta segurando minhas mãos.

-Oque aconteceu? – pergunto pegando o copo de agua que Justin tinha me oferecido.

-Você desmaiou após lavar a louça, Alec quase surtou, na verdade você quase matou todo mundo do coração, Alec colocou todos na cama as crianças, mas você sabe que eles estão preocupados com você. Todos já foram Justin prometeu que quando você acordasse avisaria a todos, o Darien, a Pati e o Mike foram para a casa de papai eles estavam muito preocupados mas vão ficar com papai até o final da semana que vem. – Val fala com calma me olhando, olho para meu amigo e ele acena com a cabeça confirmando. –Dan o que você sentiu àquela hora? – ele me pergunta com seriedade mudando de assunto.

-Uma tontura e logo em seguida uma dor no ventre. – digo desconfiando de suas palavras, Val coloca a mão em meu ventre com as sobrancelhas franzidas e seus olhos totalmente brancos por um momento e logo em seguida voltam ao normal, ele solta um suspiro e olha em meus olhos. – Você acabou de ter uma visão não? – pergunto preocupado, isso começou a acontecer depois do ataque que tivemos a alguns anos, eu não estava em casa por causa disso não sei os detalhes mas sei que Val desbloqueou poderes de ver uma imagem do passado ou do futuro, não é proposital, são raríssimas quase nunca acontecem e quando acontecem não podem ser evitadas.

-Sinceramente Dan! – ele fala me lançando um sorriso malicioso. – Eu estou cansado de ser tio! – ele fala agora com um sorriso no rosto. – Principalmente de gêmeos, pelo menos dessa vez é um casal.

Eu fico em choque com suas palavras, espera um pouco?! EU VOU SER PAI DE NOVO?! Meus olhos se arregalam e eu olho para minha barriga e logo em seguida a abraço.

-Gente... eu não consigo acreditar. – digo os olhando eu estava esperando mais duas crianças, e uma delas era uma menininha. – Alec vai surtar. – eu falo bagunçando meus cabelos já tínhamos decidido que não teríamos mais filhos três estavam mais do que bom. – Acho que eu vou surtar. – digo.

-Hey se acalme está bem? Não vai adiantar nada surtar agora. – Justin fala se sentado ao meu lado e me abraçando. - Se quiser podemos falar pra eles juntos. – ele fala tentando me apoiar, mas dou um suspiro eu tenho que contar isso eu mesmo, agradeço a ele mas recuso sua ajuda.

Ficamos os três calados quando Anna entra no quarto e diz que já está indo ela vem até mim e me abraça dizendo que vai me ligar para entender  tudo melhor, já que era a única que não sabia de nada, Val me da um beijo na bochecha e diz que logo está de volta pra gente fofocar, nesse momento eu lanço um travesseiro nele que apenas ri e sai rindo do quarto.

Fico com Justin no quarto conversando duas horas depois o Alec aparece seu rosto demonstra receio, ele entra e se senta ao meu lado, Justin sai de fininho para que possamos conversar em paz.

-Acabei de levar Val e Anna para o helicóptero, eles acabaram de ir. – ele diz isso sem olhar em meus olhos mas assim que seus olhos vem aos meus vejo pequenas lagrimas. – Dan o que aconteceu? – ele me pergunta preocupado, por algum motivo sinto que não devo contar nesse momento sobre os bebes tenho que fazer uma surpresa.

-Nada de mais meu amor apenas uma leve queda de pressão eu já tomei um remédio, vou ficar melhor. – digo acariciando seu belo rosto, ele assente e se deita ao meu lado me puxando para seu peito e me abraçando com força.

-Não me da mais um susto desses Dan, por favor, eu não suportaria viver sem ter você. – sua voz era quebrada, dava para se notar o tanto que ficou assustado com a situação pensando que iria me perder.

-Oh meu amor, você jamais vai me perder, isso eu prometo. – Digo sentindo meus olhos marejarem. – Como as estrelas no céu...

-...E no mar,...

-...Você será eternamente meu. – dizemos a ultima frase juntos, elas estão escritas em nossa aliança de casamento e é nosso mantra para os momentos difíceis.  – Nem a morte vai nos separar Alec, eu sempre vou te amar. – falo lhe dando um beijo nos lábios.

-Idem, amor mío. – diz e dessa forma dormimos juntos com essa promessa de amor eterno.

P.O.V. ALEC

Abro meus olhos e vejo meu anjo ao meu lado, Dan dorme de forma calma sobre mim, olho para o relógio ao lado da minha cama e vejo que está na hora de me levantar, assim que faço isso vou até o banheiro e tomo um banho demorado, sentindo cada parte de meu corpo relaxar.

Saio do meu quarto e me visto com um terno preto, vejo que Dan ainda dorme em nossa cama, ando até ele e dou um pequeno beijo em seus cabelos e saio do quarto, passo na cozinha e como um pão de queijo com um café expresso rapidamente, ando até meu escritório e já encontro todos lá, me sento em minha cadeira sem dar uma palavra se quer, e então nosso cientista feche começa a falar.

-Senhor essa noite fecharemos as muralhas como a gente vem planejado há anos, mandaremos um sinal que fara com que todo e qualquer Shandow entre na ilha – ele fala com confiança em seu plano. – Assim que o sinal ficar intenso a ilha estará totalmente fechada, em três dias abriremos nossa parte da ilha deixando apenas a ilha S fechada, não há erros nos cálculos. – ele fala. – E como bem sabem só poderemos abrir a ilha depois de oito anos quando as forças diminuírem.

-Está bem Greg, deixe tudo pronto e os barcos também. – falo o dispensando com um acenar de mão, assim que ele sai me viro pros garotos. – E então? – pergunto levantando uma sobrancelha.

-Eu não sei sinceramente, mas investimos muito dinheiro nisso Alec temos que ligar essa geringonça. – fala Luca me lançando um olhar preocupado. – Isso pode dar tão errado que eu até tenho medo de pensar.

-Eu sei tá! Agora não há nada que possamos fazer. – digo jogando a cabeça para trás. – Harry traga-me aqueles documentos que tenho que assinar. – digo voltando a me sentar de forma correta na cadeira estofada.

E foi isso durante o dia inteiro, eu e os meninos estávamos cuidando de papeladas e formulários, em quanto eu tratava de coisas da empresa que deixei em minha terra natal, como pagamentos dos funcionários, contas e fechamento de contratos, Harry e Luca faziam a organização das papeladas da ilha e Jace cuidava das crianças já que no momento não havia nada para fazer pela área dele, assim que bateu cinco da tarde consegui terminar tudo o que tinha para fazer: Finalmente!

Saio de meu escritório e vejo meu esposo sentado no sofá com Jay no colo que ri com o desenho que passa na TV, ando até eles e os abraço com força, sinto o cheiro que Dan tem, lírios, ele começou a ter esse cheiro após a gravidez mas tudo bem eu amo.

-Meus dois ômegas... – digo dando um beijo nos cabelos de Jay e nos lábios de Dan que apenas me da um sorriso. – Querido sei que estava esperando por esse evento há muito tempo, mas... Gostaria que você fica-se em casa hoje, você desmaiou ontem estou preocupado, não quero arriscar. – digo olhando em seus olhos tão lindos.

Ele sorri pra mim, triste, mas sorri e concorda com o que eu falo, ele fala para Jay subir para que possa falar comigo a sós.

-Eu entendo, já esperava que fizesse algo assim, olha eu conversei com as crianças e o Jay, o Victor e o Josh não querem ir disseram que querem ficar um tempo só comigo o que acha? – perguntou.

-Pode ser acho que não tem problema eles faltarem vai ser até melhor já que não vou poder prestar atenção neles já que estarei fazendo o discurso. – digo lhe dando um sorriso e beijando sua bochecha ele cora levemente e se levanta me puxando pelo braço até a cozinha onde me faz sentar na cadeira de frente da mesa, e depois de alguns minutos coloca um prato com sushi na minha frente. –Oque é isso?

-Seu almoço/jantar, eu encomendei já que sei que ama comida japonesa. – ele diz sorriso e saindo da cozinha, mas antes para e se vira pra mim dizendo. – Se aprese só tem meia hora para estar lá. – ele fala se retirando de vez da cozinha.

Como rapidamente a refeição que me foi servida e subo correndo pra escovar os dentes, assim que faço isso, tomo um banho em tempo relâmpago não me preocupando de secar o cabelo, me troco com um treno negro e sem gravata, com a camiseta negra em baixo com alguns botões abertos, desço as escadas correndo passando pela sala e vendo Dan com as crianças no tapete.

-Eles já estão no carro esperando por você querido. – Dan fala sem olhar pra mim, mas logo em seguida se vira e me da um sorriso. – Divirta-se ah mais uma coisa quando chegar, temos que conversar eu tenho uma novidade.

-Ok meu amor e crianças comportem-se nada de cansar a mãe de vocês, ele não está bem para sair correndo pela sala inteira. – digo dando um beijo na cabeça de cada um, mas logo saio correndo até o carro onde um Luca irritado reclama que eu demoro mais que uma garota pra me arrumar e me sinto ofendido é ele que leva uma hora pra decidir uma roupa.

Ficamos discutindo o caminho inteiro até as docas, com o Lion, o Luck e a pequena Bia, que riam de nossa bobagem, assim que chegamos eles saem correndo do carro se reunindo aos primos que já tinham chegado, ando até lá e somos guiados por Greg até nosso barco, assim que entramos e colocamos os coletes salva-vidas nosso capitão começa a guiar a nossa embarcação, assim que chegamos onde será visto o fechamento das barreiras vejo que há muitos barcos em volta para presenciar esse momento, me levanto e vou até a parte de trás do barco e pego o microfone, que na verdade é um alque toque que fala numa pequena caixa em cada barco.

-Hoje estamos celebrando um trabalho que durou cinco demorados anos, e hoje os frutos do nosso trabalho será recompensado...- eu paro de falar quando sinto meu peito se aperta de forma dolorosa, tem algo errado, muito errado, mas eu tenho que terminar isso antes. – E em alguns minutos veremos nossa maravilhosa muralha contra esses monstros levantada, que comesse o show. – digo adiantando o discurso, Greg liga e um fino brilho aparece por volta da ilha que está bem longe, ela ainda não está completamente impenetrável vai demorar algumas horas, mas isso serve. – Agora soltem os balões dos falecidos que lutaram corajosamente para que esses monstros não dominassem! – digo essas palavras e sinto como se uma lamina tivesse sido enfiada em meu coração... Dan... DAN PRECISA DE MIM!

Eu mando o capitão voltar para a costa, o mais rápido possível, vendo todas aquelas luzes subindo, todos de meu barco soltaram as suas em quanto estava em movimento lento, mas assim que soltaram aceleramos a toda velocidade, assim que desembarcamos eu e Luca nos transformamos em lobos eu um lobo negro e Luca um branco e saímos correndo por entre terras, a cada minuto que se passava e a terra batia em meus pês, a essência e o cheiro de Dan diminuíam como se estive sendo levado para muito longe, longe demais, mas isso só se intensificou mais ainda quando os meus filhotes ficaram desesperados, e eu podia sentir que Jay era o que mais estava angustiado.

Assim que chegamos perto de minha casa eu vi as luzes apagadas e senti um cheiro no ar, não por favor que não seja o que estou pensando, mas era... era cheiro de sangue...

Pulo a sacada vendo que a porta estava destruída, entro correndo mas tudo está escuro , os moveis estão revirados ou quebrados, por todo canto, ouço um choro baixo vindo de cima nos quartos subo com Luca ainda em sua forma de lobo, e entramos em meu quarto o que eu vejo faz meu coração ficar quebrado, ah uma poça de sangue no meio do quarto, muito sangue... Consigo sentir que é de Daniel, a janela estava aberta por onde passava uma brisa fraca dando um ar mais macabro ainda a cena.

Ouço um som no closet, primeiro me transformo em minha forma humana, é nessas horas que agradeço por minhas roupas não rasgarem quando me transformo, vou pra perto da porta e a abro com força, e quando vejo dentro meu mundo cai, Jay meu bebe esta chorando descontroladamente abraçado a Victor que está com o rosto enterrado em seus cabelos e do outro lado de Jay está Josh, seus olhos não se desgrudam da possa de sangue que está no meio do quarto, lagrimas silenciosas descem por seu rosto alvo, meu filhote está em choque, me deixo cair no chão e puxo os três para perto de mim tentando fazer com que meu cheiro os acalmasse, mas como vou acalmar meus filhos sendo que eu não consigo conter as lagrimas de dor, o cheiro de lírio... A única coisa que me ligava a ele... Havia sumido...


Notas Finais


Muita gente deve estar querendo me matar, mas gente será explicado esse final no próximo, quase chorei ontem escrevendo, não fiz isso por que se não iam me chamar de louca aqui em casa...
Perguntas, podem fazer, nos comentários ou no privado que farei o melhor possível para responder, OK?
Uma coisa pra não mata-los do coração:
(spoiler da próxima temporada se não quiser pula.) o que eu escrevi no final do cap. home era verdade ok?

continua aqui: quero comentarios se der: por favor isso ajuda de verdade.
Bjs até logo eu postarei a parte dois hoje, mas depende dos comentários ok? bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...