História Loco Por Ti - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Gaston, Luna Valente, Matteo, Nina, Simón
Tags Romance, Sexo, Sou Luna, Universo Alternativo
Exibições 353
Palavras 2.607
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


A pedidos de algumas leitoras ansiosas para ler mais um capítulo, és me aqui postando mais um capítulo para vocês meus amores. Bjs e boa leitura *--*

Capítulo 7 - Capítulo 7


A semana havia passado rapidamente e desde o dia em que Luna teve a conversa com Matteo, ele passou a cumprir com sua palavra... No trabalho não dirigia nada além de palavras necessárias como uma pessoa educada, nem ao menos no dia em que Yam teve de sair para uma reunião com Gastón, ele usou a oportunidade para uma aproximação maior com Luna.

Luna por sua vez, tentava a todo custo não pensar nele, mas às vezes tinha que ser forte quando passava por ele dando um cumprimento de bom dia ou boa noite... Isso ocorria por que era nesses momentos que percebia o quanto Matteo ainda lhe afetava mais do que deveria... Sua indiferença estava lhe torturando, mas nada poderia fazer. Além do mais deixou claro que tudo que queria ali era trabalhar e ele mesmo mostrou que nada o que aconteceu com entre eles não passava de uma lembrança vaga... Mesmo assim Luna sentia seu peito doer. Não queria admitir, mas não havia se dado conta de que estava apaixonada por Matteo sem ao menos ter se esforçado para provocar essa súbita paixão. No entanto, para quem via a situação obviamente percebia seus verdadeiros sentimentos e foi graças a Jazmín que descobriu essa paixão pelo italiano.

Quando Matteo havia deixado Luna em sua casa após a tensa conversa que tiveram, ela simplesmente desabou em lágrimas e Jazmín foi testemunha de toda sua dor. Nunca tinha visto sua amiga daquele jeito nem mesmo quando estava preocupada em arrumar a grana para cirurgia de seu avô, mas cada palavra que Luna dizia lhe contando tudo o que havia acontecido fez com que ela percebesse o quanto estava sofrendo por algo que não merecia tanto de suas lagrimas. Por um lado Jazmín acreditou que poderia ser por magoa de como Matteo a tratou, mas com os dias passando vendo o quanto Luna estava distante e triste chegou à conclusão de que sua amiga estava completamente apaixonada como nunca esteve... Jazmín não sabia se sentia pena ou feliz por sua amiga, porque talvez em algum momento ela e Matteo possivelmente se renderem a essa paixão. Era evidente que ele também estaria apaixonado, mas como se tratava de um homem que com certeza nunca tenha se apaixonado, obviamente iria relutar com seu sentimento... Tolice quando isso só trás infelicidade para ambos... No entanto Jazmín não pode suportar ver sua amiga no escuro...

“- Não sei como... Mas você está apaixonada por ele.” - disse Jazmín no dia anterior após Luna ter chegado do trabalho mais desanimada do que o costume.

Luna encarou a ruiva com olhar de negação.

“-Não... Eu não estou. Está imaginando coisas.” – disse tentando expressar que dizia a verdade, mas soava mais como uma grande mentira.

“-É mesmo? Então porque ainda sofre mesmo ele não ter feito nada para te prejudicar, e está cumprindo com o que prometeu? Já vi muitas pessoas apaixonadas e você foi uma exceção do tempo em que mantemos nossa amizade, mas agora é diferente... Vejo um sentimento em seus olhos diferente do que já expressou. Se não quer admitir para si mesmo, vou entender sua negação... Talvez seja uma defesa para que não sofra mais do que está sofrendo.”

Luna não negou somente refletiu aquelas palavras e no fim se deu conta de que Jazmín poderia está mais do que certa. Mesmo assim, isso não a ajudaria em nada...

 

O fim de semana chegou e para muitos que trabalham arduamente durante a semana, sexta feira era o dia anterior para o descanso. Mas para Luna isso não fazia diferença, pois seriam dois dias sem nada que ocupasse seus pensamentos do que mais lhe entristecia.

-Ei, Luna! – disse Yam chamando a sua atenção aproveitando que seus chefes haviam saído para almoçar.

-O que? – ela respondeu olhando para loira.

-O que pretende fazer hoje à noite?

-Nada. Por quê? – respondeu voltando a prestar atenção no que digitava no computador.

-Então, eu e você vamos dançar? – Yam sugeriu animada e sorridente.

Luna volta olhá-la incrédula.

-Yam... Eu acho que não... Eu só quero ficar em casa descansando e organizando algumas coisas. Só isso.

Yam murchou seu sorriso, mas sua expressão mostrava que não iria aceitar o não.

-Ah... Luninha. Vamos... Vamos comemorar que conseguiu o emprego.

Dessa vez Luna sorri rebatendo.

-Eu não consegui totalmente. Esqueceu? Ainda estou em fase de experiência e nem faz uma semana que vim trabalha nessa empresa.

-Ora, deixa de ser pessimista e estraga prazeres... O senhor Parida está satisfeito com seu trabalho.

-Ah é? E como você sabe disso? – Luna questionou incrédula.

Yam rolou os olhos, mas respondeu.

-Ele não está reclamando de nada, está? Você em menos de uma semana conseguiu organizar junto a mim arquivos e papeladas que duraria mais de uma semana ou certamente um mês para organizar tudo, mas não... Fez tudo organicamente em pouco tempo... E toda vez que ele nos pede alguma coisas temos em mãos ou enviamos para ele, sem muito esforço e em menos de dois minutos... Quer mais do que isso? Então, só o que tem é continuar assim, mas o que está obvio é que já está mais que contratada.

Luna respira fundo não sabendo o que responder. Achava estranhando Yam insistir em sair e fora essa amizade que criou com ela quando mal a conhecia, mas a loira era uma boa pessoa e sempre a ajudava quando tinha duvidas, e de uma forma teria de retribuir o que fez por ela.

-Está bem... Para onde vamos... – Luna concordou em sair com Yam por fim fazendo com que a loira sorrisse.

-Na boate Red Night.

Luna abriu os olhos surpresa ao saber qual lugar.

-Red Night? Yam... Nessa boate só gente com muita grana vai… Eu nem tenho dinheiro para pagar uma garrafa d’água quanto mais para entrar lá.

-Não seja dramática... Eu também não tenho tanto dinheiro assim para frequentar lugares como essa boate. Acontece que já faz duas semanas que ganhei dois convites de cortesia validos por um mês. Parece que fizeram isso por conta da comemoração dos anos em que está funcionando, algo do tipo... E... Tenho um pouco de grana que sempre guardo para fazer coisas fúteis e outras para emergência, como não pude ir lá antes e não tinha ninguém para me fazer companhia, acabei deixando de lado...

-Tudo bem, mas mesmo com o ingresso eu não tenho muito dinheiro para consumir lá dentro... Pelo que sei tudo é muito caro.

Yam rolou os olhos...

-Luna, eu convidei, eu vou pagar...

-Nada disso! – Luna a interrompeu protestando. – Não gosto de ninguém bancando nada para mim... E além do mais, posso pagar um suco ou uma água... Até porque não sou muito de bebe.

Yam percebeu que Luna era o tipo orgulhosa, mas como já havia convencido de ir não iria dar bobeira.

-Okay! Vamos fazer o seguinte... Dividimos, caso precise. Tá bom assim?

Luna pondera um pouco e ver que é justo e assente.

-Tudo bem...

-Então... Nos encontramos em frente ao Red Night as nove em ponto. Sei que a balada fica melhor bem mais tarde, mas gosto de curtir antes que vire um amontoado de mauricinhos e patricinhas bêbadas e suadas...

Luna sorri balançando a cabeça, mas não discorda de Yam.

(***)

O dia passou rápido apesar de tudo... Matteo não voltou depois do almoço com Gastón, e Luna sentiu triste por não podê-lo ver mais...

Quando chegou ao final do expediente, Luna e Yam terminaram de combinar suas saídas para a balada após Gastón ter ido embora...

Quando Luna chegou em casa encontrou Jazmín de malas prontas...

-Aonde vai? – perguntou curiosa para a ruiva.

-Um cliente me ligou solicitando minha companhia nesse fim de semana... Como ele é um cara legal e paga bem sem esculachar, não tem porque não ir... Então, estarei de volta domingo à tarde. Tudo bem?

Luna dar de ombro, pois não é a primeira vez que Jazmín sai de viagem com um de seus clientes fieis.

-Vai lá... Boa sorte. - disse por fim.

-Valeu! E se precisar, pode me ligar. Okay?

-Okay!

Luna caminha até a cozinha na intenção de ver se havia algo para comer quando Jazmín volta a falar ao terminar de colocar o ultimo objeto em sua mala.

-Já que vai ficar com o apartamento todo pra você, o que vai fazer nesse fim de semana?

Voltando com uma maçã na mão, Luna responde.

-Bom, a Yam me pediu que fosse com ela hoje naquela balada... Red Night. Não estava a fim de ir até porque não tenho como bancar essa saída, mas ela ganhou uns convites... Insistiu que fosse com ela e acabei aceitando. Mas o resto do fim de semana ficarei em casa sem intenção nenhuma de ir a lugar algum.

-Uau... Red Night! Já fui algumas vezes com alguns clientes... Vale apena ir... Tomara que conheça algum gato que arrebate esse coração partido. – Jazmín disse sorrindo, mas recebe um olhar de “tenha dó” de Luna. Até porque sabia que em quanto estivesse apaixonada por Matteo ela não conseguiria dar uma chance a outro homem... Achava ridículo que sua amiga era esse tipo de pessoa que sofre até o fim, mas não poderia mudá-la, e além do mais Luna é uma pessoa maravilhosa e merecia ser feliz. Só torcia que tudo desse certo para a morena no final de tudo.

-É... Quem sabe... - Luna respondeu não confiando em suas palavras.

-Então tá tudo certo. Eu estou indo, porque meu voou sai às sete e meia e por sinal estou atrasada... Fim de semana, hora do rush... – Jazmín pega sua mala e vai até Luna depositando um beijo no rosto da amiga se despedindo.

-Boa viagem... – é tudo que a morena disse vendo sua amiga ir.

(***)

Matteo terminava de vestir a camisa enquanto observava sua figura refletida no enorme espelho... Não que fosse do tipo de cara narcisista, mas gostava de averigua se estava bem vestido... Mesmo para uma noite na balada sempre procurou usar algo confortável, descontraído, despojado diferente do que sempre usa durante o trabalho.

Ele respira fundo, não muito satisfeito. Na verdade sua insatisfação não era por razão de suas vestimentas e sim, porque se dependesse dele passaria todo final de semana e mais com Luna em seus braços em cima de sua cama, mas não... Ele havia prometido a ela que sua relação seria extremamente profissional de empregada e empregador, nada, além disso. No entanto as coisas não estão sendo tão fáceis para ele, porque para cumprir com sua promessa vive isolado e preso dentro de sua sala para não correr risco de fazer uma besteira... Deus sabe o quanto teve de se esforçar para não ir até a morena no dia em que ficou somente o dois sozinha sendo uma única parede os mantendo afastados.

Mas não poderia continuar nessa tormenta, então optou que a melhor coisa a se fazer, era sair, distrair como antes e encontrar uma bela mulher para satisfazer suas necessidades masculinas do que ficar enlouquecendo dentro de sua solitária cobertura.

Sem mais demora pegou a chaves do carro e carteira saindo de seu apartamento indo até a garagem pegar sua bela Aston Martin preta, e assim que já estava acomodado no banco confortável de seu carro logo deu partida e percorrendo as ruas de Buenos Aires... Não demorou a chegar à boate que tipicamente frequentava... Deu as chaves para o manobrista e como sendo um cliente vip, entrou na boate atraindo os olhares cobiçadores das mulheres e olhares invejosos de homens que aguardava sua vez de entrarem.

Ele caminhou diretamente até o camarote que dava boa visão para a pista de dança e a qualquer espaço do local... Foi recebido por duas morenas e uma loira que sempre buscavam sua atenção, mas a maioria das vezes Matteo optava em ficar com outra mulher... Como não estava muito para escolha aceitou a companhia das belíssimas mulheres que ansiava por sua atenção e solicitando ao garçom bebidas para eles.

O lugar estava lotado, com diversos corpos seguindo ritmo da música eletrônica, mas apesar da companhia Matteo não conseguia manter sua mente ali e sim numa pessoa que vem deixando fora do prumo com sua beleza e inocência atípica... Como também se lembrou da conversa que teve mais cedo com Gastón quando ele foi até sua sala chamá-lo para irem almoçar.

“Você anda muito estranho por esses dias... – comentou Gastón. – Isolado... Está com algum problema ou saudades da Âmbar?”

Matteo rolou os olhos respondendo.

“-Saudades de quem toda vez que há uma oportunidade me cobra em marcar a data do casamento? Não, obrigado.”

Gastón ri com as palavras do amigo.

“-Se não quer casar com ela, então porque mantem esse noivado? E obvio que nunca a amou...”.

Matteo respira fundo, mas não podendo negar.

“- E verdade... Mas sei lá... Parece conveniente em tê-la por perto... Só deixei até aqui, porque vi um potencial nela que fosse a mulher certa para me acompanhar... Mas agora... Não...”.

“- Nem mesmo o sexo?” – Gastón perguntou malicioso.

Matteo sorri.

“-É... no começo foi ótimo, mas só isso... Ela parece com todas as mulheres que tive em minha cama... Deram-me prazer e só...”.

Mesmo com a sinceridade e conhecendo Matteo, Gastón voltou a ficar sério.

-Mesmo assim, acredito que isso não seja a razão por andar isolado...

Matteo ponderou se desabafasse com seu amigo... Mas decidiu não contá-lo a verdade, pois prometeu que não faria nada que prejudicasse a permanência de Luna naquela empresa. E mesmo não sendo essa a intenção, revelar o que aconteceu para Gastón poderia ter uma repercussão nada favorável para sua morena...

“-Nada relevante... Só um pouco cansado. Só isso. – foi tudo o que disse dando por encerrado aquela conversa.”

Mesmo que fosse errado, Matteo sentia o desejo de desabafar sobre tudo que o atormentava... Pois se sentia como se a qualquer momento poderia explodir, mas prefere guardar para si mesmo seu tormento.

A loira sentada ao seu lado o puxa para uma dança sensual já que o DJ mudou o repertoria de músicas. Matteo deixou ser conduzido e envolvido pela mulher que tentava seduzi-lo, e quase conseguiu porem os olhos de Balsano por um segundo foi em direção da pista de dança... Sem perceber, se afastou da loira que insistiu em mantê-lo perto... Ele não sabe se foi indelicado o suficiente para que a loira entendesse que não a queria, pois não voltou a insistir. Os olhos de Matteo continuavam concentrados na cena que se passava diante de seus olhos.

Luna estava lá... Linda, com um vestido tomara que caia que realçavam seus seios médios e redondos... Ela dançava livremente como se a música envolvesse todo seu corpo... Ainda sim Matteo sentiu seu corpo ferver em um misto de desejo e raiva, pois ela não estava sozinha e sim acompanhada de um moreno, alto e forte a qual parecia se deleitar em ter o corpo dela se encaixando com o dele perfeitamente...

Isso foi o que bastou para que Matteo perdesse a cabeça e tomasse a decisão que o deixaria fodidamente perdido, ou mudasse o rumo dessa história tomando para si e por direito o que lhe pertence... Sua mente gritava dizendo que Luna era dele, e de mais ninguém...

Não se sabe o que aconteceu com a morena, mas a viu se afastar do cara depois de dizer algo para ele e o deixando sozinho... O cara não foi atrás dela, pois na sequencia foi rodeado por outra mulher que reenvidou sua atenção... Matteo teve desejo de socar aquele homem até não ser capaz de respirar, mas sua mente o ludibriou em fazê-lo mover seu corpo e ir atrás de Luna...

 

 


Notas Finais


Ah vá! Matteo é noivo ( pronto. fudeu!) kkkk Quem é o moreno forte lá dançando com Luna? Não sei, só saberemos no próximo capítulo e neste mesmo canal. kkkk
Comentem meus amores.... Bjs *--* #lutteo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...