História LOL - loving out loud - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescência, Amor, Colegial, Heart, Imagine, Kawai, Morte, Novela, Original, Perfewito, Romance, Sofrimento, Te Amo, Vida, Você
Exibições 23
Palavras 811
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Demorou um pouco mais do que eu pensei mas tá pronto. Espero que vocês gostem, um beijo da unnie S2

Capítulo 2 - Cada limão se torna Limonada pt.1


Fanfic / Fanfiction LOL - loving out loud - Capítulo 2 - Cada limão se torna Limonada pt.1

 

 

Acordo com o som do despertador. Desligo-o e me assusto com o horário que o mesmo mostrava.

Estava atrasada. Levanto-me em um pulo, vou ao banheiro, tomo o famoso banho francês. Depois do meu breve banho volto ao meu quarto e visto correndo meu uniforme, uma calça azul escura minha camisa e uma sapatilha azul da melissa.

Desço as escadas correndo, pego uma maça e dou um beijo nos meus pais.

-______ porque tanta pressa?-minha mãe pergunta quando já estava na porta.

-Estou atrasada mãe. Preciso ir.-respondo-a.

-Não está esquecendo de nada?-Logo agora que estou atrasada ela vem com esses adivinhas.

-Não que eu saiba.

-Será que isto?-ela ergue minha mochila.

-Verdade, obrigadissímo mãe já falei que te amo né?-falo pegando-a da mão de mamãe.

-Hurum, boa aula.

Finalmente saiu de casa, corro até o ponto de encontro de meu transporte e assim que chego ela parti. * E agora? O que eu faço? Meus pais me matam se eu voltar pra casa. Não tenho dinheiro para um táxi.* Penso por uns minutos até que decido pegar um Uber. Não demorou muito até ele chegar.

-Escola ______, rua _______- ( coloque o endereço de sua escola).- falo entrando no veículo.

-OK, Gostaria de alguma coisa? Tenho água, balinha, chocolate.-ele me oferece dando partida no carro.

-Aceito uma água.-digo e ele me entrega uma bem gelada.

Escola

Chego ao meu destino, dou o dinheiro ao rapaz e salto do carro correndo até as catracas. Abro minha mochila e vasculho atrás da miséria da carteirinha.

-Cadê?!-penso alto.

-Mocinha, já está atrasada e sem carteirinha pelo visto por favor vá aos atrasados.-a coordenadora se dirige a mim. Ela abre a pequena porta, e adentro o colégio . Vou até a salinha onde fica o pessoal que chega atrasado e os que não trazem a carteirinha. As vezes como eu, as duas coisas.

-_________ (nome completo) primeiro ano B.- dou as informações para Reinaldo o encarregado do dia.

-Atrasada ou sem carteirinha?

-Os dois.

-Pode se sentar. -Viro de costas, procuro um rosto conhecido e logo reconheço um cabelo loiro familiar.

-Dia.-Falo me aproximando de David, namorado de Bea.

-Dia?-fala largando seu celular e olhando para mim.

-porque de bom até agora, nada.

-Pra variar está de mal humorzinho.- fala rindo de forma fraca.

-Como sempre um palhaço de tão engraçado.

-Se acalme jovem, e se sente.- diz tirando suas coisas do resto do sofá para que eu pudesse sentar no mesmo.

-Que dia é hoje?-Falo lembrando de uns trabalhos e projetos.

-17\10 por que?

-O trabalho de português! Eu esqueci de por no pen-drive. Tenho que ligar pra minha mãe.-Procuro mais uma vez por algo em minha bolsa, e nada.-Amigooo.

-Que é?- Ele tinha voltado a escutar sua música.

-Me empresta o celular?

-Pra quê?

-Pra ligar pra minha mãe. Me empresta logo vai David.

-Qual a operadora?

-Vivo, vai David!!!!

-Eu sou claro _______.

-Eu ligo a cobrar David Filho! Dá logo o celular.

-Tá bom, calma estressadinha.-ele finalmente me entrega o telemóvel. Disco o numero de casa.

- Trim.....Trim.....Trim....sua chamada será encaminhada após o sinal, Bip.-Tentei ligar seis vezes e nada, agora era rezar pra que alguém retornasse a ligação de um celular desconhecido.

-Brigada,-Falo triste.

-Calma, se você ficar nesse astral nada vai realmente melhorar.- Nossa meu amiguinho falando algo que preste. Que novidade.

-WOW, finalmente falou algo que presta. Demorou 15 anos mas chegou a hora.

-HA HA HA.-ele riu forçadamente.- Sem vocês seriam todos perdidos na vida.

-Subindo!!!!- Reinaldo sobe.

Subimos rápido e nos separamos ele é da F e eu sou da B. Entro na sala e era aula de matemática. Me pego muitas vezes quase dormindo na aula. 

-Onde você estava.-Lorena surge das trevas do meu lado.

-Cheguei atrasada e sem carteirinha.

-Nossa, pra você se esquecer dessas regras a noite deve ter sido boa hein.-ela dá uma olhada pra mim.

-Não!

-Não!? Não o quê senhorita _______? - Professora Márcia de português chega na sala.

- Nada não Pró.- falamos em uníssono.

-OK, gente eu sortei e o primeiro  grupo a apresentar é o de Luccas, segundo o de Larissa, terceiro o de Sabrine, quarto o de Vanessa e o quinto de Moisés. Se organizem rápido.

O nosso era o quarto grupo, tempo suficiente para minha mãe retornar a ligação e enviar por e-mail. O tempo vai passando, segundo grupo e nada. Até que quando eu perdi as esperanças David toca na porta.

-Professora preciso falar com _______.

-Pode ir!-ela responde rigorosa.

-Sua mãe tá me ligando que nem uma louca.-ele diz assim que saiu da sala.

-Dá o celular.-ele me entrega o aparelho e ligo.- Alô?

-Alô _______, o que você esqueceu?

-Eu preciso que a senhora vá no meu computador e me envie um arquivo por e-mail.

-_______! Você só não esquece a cabeça porque está colada no pescoço né menina?

-Por favor mãezinha!


Notas Finais


continua


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...