História Long Imagine - Park Chanyeol - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, D.O, Sehun
Tags Chanyeol, Exo, Hentai, Romance, Sexo
Exibições 297
Palavras 2.143
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Harem, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello Angels!
Esse long imagine do nosso querido Chanyeol era para ter sido postado a três dias atrás, mas acabou dando errado.
Enfim como eu expliquei na sinopse essa bagaça vai ter dois capítulos, sendo que o ultimo vai ser mais longo. P.S: por causa de um leve Hentai. ( ͡° ͜ʖ ͡°)ψ( ͡° ͜ʖ ͡°)ψ
Espero que gostem e até amanhã!

Capítulo 1 - Bêbado Idiota


Fanfic / Fanfiction Long Imagine - Park Chanyeol - Capítulo 1 - Bêbado Idiota

Dês de o começo, tudo não passava de disputas para ver quem era melhor.

Sinceramente nunca gostei daquele imbecil, ao contrario, sempre o odiei e ele certamente possuía os mesmos sentimentos em relação a mim, mas o fato é que tudo isso havia acontecido inevitavelmente.

Nossas famílias são bastante próximas e isso fez com que passássemos toda a nossa infância e adolescência juntos. E o que mais me irrita é que mesmo expondo que não gosto dele sou obrigada a escutar comentários como “você são tão parecidos”, “deveriam se casar”, entre outras idiotices...

 

Não tinha mais saco para aturar aquilo.

 

Dai você me pregunta “mas você nunca sentiu nada por ele?”, sei que esse “nada” é relacionado a coisas amorosas e minha resposta sinceramente será um grande “não”.

Não que eu não o ache bonito, na verdade Chanyeol é um homem de aparecia esplendida, e nunca neguei isso a mim mesma, não sou nenhum tipo de garotinha que nega para si coisas que estão na cara. Mas o problema era que minha raiva de Chanyeol era tão grande que me fazia repudiar qualquer envolvimento amoroso com ele.

Sério, vocês não sabem como é passar sua vida inteira pressa em uma pessoa a contragosto...

-Hey baixinha se anima, não te trousse aqui para ficar pelos cantos com um copo de alguma bebida vagabunda na mão. – Soo brigava comigo pelo fato de não querer dançar.

-Não enche, sabe que eu só aceite porque não queria dar uma de filhinha do papai. – dei de ombros, já de saco cheio de toda aquela situação.

-Sei... –disse com uma sobrancelha arqueada.

-O que?

-Pensei que não quisesse ver certa pessoa. – sabia que ele estava se referindo a Chanyeol e fiz questão sorrir irônica.

-Também, não estou com saco.

Pra resumir tudo, hoje meus pais iriam para um jantar da empresa em que são sócios juntamente com os pais do Chanyeol e do Sehun, que por coincidência estava nessa droga de festa.

-Falando no diabo. –D.O.  riu enquanto olhava pra entrada repleta de adolescentes ridiculamente bêbados dançado sem nenhum pingo de vergonha.

Suspirei cansada vendo um gigante idiota adentrando o local e trazendo a atenção de muitas pessoas.

-Tá de sacanagem... Por que esse idiota tá aqui? –choraminguei inconformada.

-Não sei, vai ver ele estava sentindo saudades de você. –me provocou, mas eu realmente não tinha paciência para discutir com Chanyeol, não hoje.

-Eu vou embora. –dei dois passos já indo em direção aos fundos quando senti a mão de Kyungsoo me impedir de andar.

-Tarde demais mocinha ele já te viu.

-Merda. –virei meu corpo e avistei Chanyeol com um olhar malicioso em minha direção me fazendo revirar os olhos de puro tedio.

-Por que você não vê isso como algo bom?

-O que você quer dizer com isso? –observei Chanyeol novamente que agora conversava com uma garota extremamente bonita.

E foi ai que uma ideia fodidamente maquiavélica passou pela minha cabeça.

-Algo bom? –sorri maldosa com meu plano, só não sabia se iria dar certo, mas bem... É como eu sempre digo.

Que se foda.

-Por que eu estou achando que você vai aprontar alguma coisa?

-Eu? Imagina. – ri sarcástica indo em direção a Sehun.

-Hey pirralho. –o chamei dando um tapa na cabeça atrapalhando a sua pequena “conversa” com uma das suas amiguinhas intimas.

-Omo Noona, Isso dói. –coçou a cabeça bagunçando ainda mais os cabelos com uma cara sofrida.

-Desculpa. –o puxei até o bar ignorando por completo sua amiguinha.

Sehun era como um irmão mais novo, porém não valia nada. O conheci quando ainda éramos crianças pelo fato de nossas famílias também serem bastante próximas, mas não tanto quanto a do orelhudo.

-O que você quer?

Ignorei sua pergunta de primeira e olhei para o barman que eu já conhecia há muito tempo, fazendo um pequeno sinal para que ele nos servisse, o que imediatamente aconteceu.

-Como eu sou uma Noona muito boa vou pagar qualquer bebida que você quiser hoje. –disse sorrindo maliciosa e lhe entregando uma dose de whisky, percebendo seu olhar desconfiado.

-É pouco, aumente o meu suborno que eu te ajudo em qualquer coisa. –pegou o copo de minha mão já tomando o liquido.

-Não conto para seus pais que o filhinho deles anda em festas bebendo e transando com prostitutas. – disse irônica fazendo o mesmo cuspir a bebida fora e trazer a atenção de todos ao nosso redor.

-Fechado. –limpou a garganta algumas vezes tentando se normalizar.

-Não é nada difícil. –disse um pouco manhosa deixando nossos corpos bem próximos.

-Hum... Por que eu acho que isso não é verdade?

-Há qual é Dongsaeng? Faz um favorzinho para a sua nona. –sussurrei em seu ouvido sentindo o mesmo se arrepiar e suspirar pesado.

-Ne, pode falar.

-Qual é a garota alvo do Park nessa festa?

-O que você está aprontando?

-Nada de mais, apenas me diga o nome.

-Hany.

-A loira dos peitões? – disse me lembrando da garota que estudava no terceiro andar.

-O que? Você não fica muito atrás dela. –sorriu malicioso apertando minha cintura contra seu corpo e consequentemente prensando meus peitos em seu tronco.

-Você não presta mesmo Sehunie. – ri dele logo me afastando. – Obrigado e qualquer coisa é só me chamar. –pisquei para o mais novo já voltando para perto de Kyungsoo e recebendo um olhar desconfiado em resposta.

Ok agora era só esperar para por o plano em pratica.

 

 

...

 

 

Sabia que esse idiota era ruim de papo. Dês de que havia chegado ele apenas conversava com a tal Hany, que já parecia cansada de tanta conversa, me rendendo um longo tempo de risos.

Enquanto os dois conversavam vi minha chance para iniciar o plano. A loira saiu de perto dele e caminhou na direção em que eu estava, obvio que era para pedir alguma bebida, talvez para desentediar do papo daquele idiota.

A loira parou ao meu lado se inclinando um pouco sobre o balcão e pedindo uma dose de whisky, o que me fez virar o rosto em sua direção e lançar um sorriso malicioso que fora percebido rapidamente.

E enfim recebi a confirmação de que todo o meu plano daria certo. Hany olhou para o lado me analisando e logo depois me mostrando o mesmo sorriso.

Ha Chany espero que você não fique com raiva de mim.

-O papo do seu amiguinho anda muito fraco não é? – disse direta para que ela entendesse que eu já a observava há muito tempo e como resposta ela suspirou profundo mostrando seu cansaço. –Não precisa responder. Na verdade uma mulher como você parecer ter muitas opções, então cheguei a conclusão de que está o desejando bastante para ter que aguentar essa enrolação toda.

-Nem tanto assim. –riu abertamente virando seu copo.

-Jin mais duas doses. –disse sem desviar o olhar dela. –Aceita?

-Ne.

Virei meu corpo chegando mais perto dela enquanto escutava o barulho dos copos sendo colocados sobre o balcão.

-Espero que você ainda tenha bastante paciência com o idiota ali atrás. – disse recebendo um uma risada divertida da loira que logo se desfez quando me aproximei de seu ouvido sussurrando provocativa. –Mas caso você perde-la, eu mesma posso resolver isso. – me afastei observando-a umedecer os lábios em resposta e então viramos a dose juntas.

-Eu vou me lembrar disso. – colocou o copo sobre o balcão e saiu em direção ao gigante que agora me olhava desconfiado. Apenas dei de ombros fingindo que nada havia acontecido.

Observei os dois durante mais algum tempo e cada vez que a loira me olhava eu piscava o olho ou mordia os lábios inferiores para que ela entendesse o recado. Chanyeol ainda permanecia concentrado na conversa e nem percebia o que eu estava fazendo.

Esperei até que ele se distanciasse dela para então finalizar aquilo, e na primeira oportunidade avancei lentamente entre as pessoas que dançavam no meio do daquele local sem tiram o olhar de Hani que correspondia todos os meus movimentos.

Em menos de trinta segundos já estava em sua frente e sem mais delongas levei minha mão até sua nuca puxando-a para um beijo tão quente quanto aquele local. Queria deixa-la extremamente louca, para que ela se lembre disso caso Chanyeol fosse tentar algo de novo. E acredite eu conseguiria fazer com que isso acontecesse.

Desci minha outra mão pela lateral de seu corpo apertando sua pele e só parando quando enfim cheguei a sua bunda.

Não sabia se Chanyeol estava vendo tudo aquilo, e a ideia de ele estar presente me deixava mais motivada a ir em frente.

Interrompi o beijo por alguns segundos apena para olhar a garota que já possuía a face extremamente rubra e a respiração descompassada. Sorri com aquilo e mais ainda quando olhei para trás dela.

Foi a primeira vez que tive pena dele, sério.

Seus olhos estavam arregalados enquanto sua boca se mantinha em um perfeito “O”.

Mas sinceramente não iria para por causa disso. Umedeci meus lábios e aproveitei para contorna os da loira que se arrepiou rapidamente. Puxei seu cabelo para trás e por mais alto que a musica estivesse, ainda consegui escutar um gemido sair de sua boca.

 

 

...

 

 

Meus ouvidos foram preenchidos pela musica quando pus novamente meus pês dentro daquela casa. Havia acabado sair para servir de companhia a Hani até que um taxi viesse lhe buscar, o que não demorou muito.

Aquilo havia sido algo histórico na minha vida, foi a primeira vez que beijei uma garota e a primeira vez que consegui humilhar Park Chanyeol.

Não conseguia conter o riso, e a procura do maior para jogar tudo em sua cara avistei Sehun encostado na escadaria, parecendo estar esperando por alguém.

-Sehun viu o Chanyeol? – disse com um sorriso nos lábios enquanto ele me olhava sério.

-Você é muito loca mesmo Noona, o que estava pensando quando fez aquilo?

-Não enche Sehun e me responde logo. –ouvi o mais novo suspirar derrotado.

-Não sei, depois de todo mundo ter visto aquilo acho que ele no mínimo foi pra casa, ou então tá enchendo a cara.

É... Pelo que eu o conheço, Chanyeol deve estar realmente enchendo a cara.

-O que está falando? Quase ninguém viu... –disse pensativa. Para min que só Chanyeol havia visto o que eu tinha aprontado.

 Escutei um riso vindo de Sehun e o observei com uma sobrancelha arqueada.

-Se você está dizendo... Mas fique sabendo que Kyunsoo quase enfartou, alias acho melhor você evita-lo, porque ele não ficou nem um pouco feliz com o que você fez.

Ok, isso é algo que eu tenho que me preocupar...

Suspirei cansada. Depois teria que resolver isso com o Soo, mas agora iria dar uma passada lá no bar.

De repente bateu uma sede...

-Ne, valeu Sehunie. – dei um beijo em sua bochecha e me afastei.

Não via a hora de tirar sarro do Park, e quando avistei sua imagem amargurada debruçada sobre o balcão do bar, minha alegria aumentou de uma forma alucinante, mas logico que não o deixaria ver isso tão facilmente.

-O que foi Park? Já quer ir pra casa? – disse irônica vendo-o se erguer rapidamente tentando disfarçar seu estado.

-Cai fora _______. –percebi que ele evitava me olhar, pois mantinha seus olhos fixos em algumas bebidas que estavam na prateleira a sua frente, ou talvez ele simplesmente estava muito bêbado para virar-se.

-Há algo te incomodando? – cheguei mais perto dele sentindo um cheiro de álcool invadir minhas narinas. – Já está bêbado Chanyeol? – disse surpresa esticando minha mão para pegar seu copo, mas me assustei quando ele segurou meu pulso com força enquanto elevava sua voz grossa próximo ao meu rosto.

-Escuta aqui garota... –fez uma pausa enquanto piscava seus olhos rapidamente. -Mandei você cair fora daqui.

Ok, ele realmente estava com raiva de mim, e o pior era que estava completamente bêbado.

-Hyung solta ela. –escutei a voz de Sehun atrás de mim e logo senti minha mão ser solta.

-E-essa vadia passou dos limites Sehun.

Foda-se se ele estava bêbado ou não, Chanyeol não tinha o direito de me chamar daquele jeito.

-Tá me chamando de vadia só por que eu fiz uma coisa que você simplesmente não conseguiu fazer?

 -O que você falou? Repete. – se levantou da cadeira, mas logo se desequilibrou tendo que se apoiar no balcão.

-Hyung se acalma. –vi Sehun se por ao lado de Chanyeol e fazer um careta por sentir o cheiro de álcool que emanava do maior. –Você está bêbedo? –disse incrédulo.

-Não, não. –repetiu de forma engraçada.

-Claro que está, é tão patético que se embebeda com três doses. –ri de sua situação sendo repreendida por Sehun.

-_______ já chega. - escutei Chanyeol soluçar e logo murmurar algo baixinho.

-Sehun eu vou acabar com essa garota.

-Não Hyung você tem que ir para casa.

-Você vai me leva? –Chanyeol perguntou se apoiando nos ombros do mais novo que lançou um olhar maldoso em minha direção.

 

Merda.

 

 


Notas Finais


Desculpem por qualquer erro!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...