História Long Imagine - Park Chanyeol - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, D.O, Sehun
Tags Chanyeol, Exo, Hentai, Romance, Sexo
Exibições 153
Palavras 4.565
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Harem, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello Angels!
encerrando o long imagine com essa delicia de ser humanino.
espero que gostem!
P.S; A partir de agora postarei todas as minhas One-shots em uma fic especifica pra facilitar as coisa então e quiserem fazer pedidos...

Capítulo 2 - Dois completos idiotas


Fanfic / Fanfiction Long Imagine - Park Chanyeol - Capítulo 2 - Dois completos idiotas

 

-Calado. –ralhe quase explodindo de tanto ódio.

Não acredito que Sehun me pós para trazer esse idiota pra casa, e ainda mais bêbado.

-Você é muito baixa, onde está a sua metade? –ria sem para enquanto me ofendia com suas piadinhas sem graça ou imorais.

-Aishi você que é enorme. –disse sem paciência já pondo o nome de Sehun na minha lista de homicídios, mas logo escutei um riso malicioso vir de Chanyeol, o que me fez revirar os olhos.

-Como você sabe? –continuou a rir enquanto eu me martirizava mentalmente.

-Não me referi a isso imbecil. –suspirei já vendo a sua casa. - Pronto chegamos. –retirei seu braço de meu ombro, e por ele não conseguir se mante em pé normalmente, acabou por sentar na calçada.

-Jagi tem que me deixar lá no meu quarto. –choramingou enquanto eu arregalava os olhos por ele ter me chamado de “jagi”.

-Não me chame assim, e o meu trabalho era ter que te trazer em casa, a partir de agora você se vira sozinho.

-Hey, você está me devendo uma.

-E você me deve varias. –dei de ombros já andando em direção a minha casa, porém suas palavras me fizeram parar.

-Por favor, jagi. –era a primeira vez que ele me pedia algo educadamente...

-Tá bom, mas só se você me der àquela guitarra que a noona te deu.

O que? Não acharam que eu iria fazer algo por pura comoção? Aquela guitarra era para ser minha, mas ele me trapaceou, então nada mais justo eu ganhar ela por ajuda-lo.

-Nem fodendo. –jogou seu corpo para traz deitando na calçada.

-A que pena, então vai ter que ficar aqui fora, só espero que seus pais fiquem felizes quando verem o filho deles bêbado e jogado na calçada.- ri irônica recebendo um ronco como resposta.

Ha porra não acredito que esse idiota dormiu.

 –Hey idiota? –o chamei, mas continuei sem resposta. - Chanyeol? –me pus em sua frente cutucando seu braço na esperança dele estar apenas brincando. –Tá de sacanagem.

Ok... Vou dar uma de boa garota e levar ele até seu quarto, e pelo meu esforço um agrado seria de bom tamanho, então acho que Chanyeol não vai se importar se eu pegar algumas coisinhas.

Comecei a rir maldosa pelos meus pensamentos e logo passei a tentar levanta-lo.

-Vamos Chanyeol. –puxava sua mão para que ele se levantasse enquanto o escutava murmurar coisas desconexas com a voz extremamente arrastada.

E sabe, a única coisa que eu não conseguia odiar nele era sua voz, pois adorava quando o via cantar.

Depois de muita luta consegui levantá-lo, tendo que conduzi-lo por toda aquela casa, o que dificultou tudo já que o seu quarto era no segundo andar.

E mais uma coisa... Nunca mais olharei uma escada com os mesmos olhos, no sentido figurado é claro.

Já estava me arrependendo de ter feito tudo aquilo.

-Você está fedendo de mais. –reclamei já adentrando o seu quarto. –Acho que vou ter que te dar banho. – ri internamente com a ideia de empurra-lo de baixo de agua fria.

Chanyeol parecia ter piorado e nem ao menos conseguia abrir os olhos ou me responder claramente. Pensava que um banho o despertaria daquele porre, então o conduzi até o banheiro, pondo-o de baixo do chuveiro e o ajudando a se apoiar na parede.

-Hey se segura. –o adverti antes de solta-lo para que pudesse ligar o chuveiro, mas logo senti meu coração para quando Chanyeol se desequilibrou caindo rapidamente no chão de forma brusca, não dando nem tempo para que eu o segurasse.

Estava preocupada com Chanyeol , afinal ele poderia ter se machucado seriamente depois da queda, sem contar o fato do mesmo estar com uma grande quantidade de álcool no organismo. E de imediato me ajoelhei no chão para certificar se ele não havia se macucado.

-Chanyeol. – tentei chama-lo enquanto virava seu corpo logo percebendo que havia um corte entre seus fios de cabelo que eram molhados por um liquido rubro.

Me desesperei ao ver aquilo, ainda mais pelo fato de que ele não acordava de maneira alguma. A minha única solução foi coloca-lo rapidamente de baixo do chuveiro na esperança que ele se despertasse.

-DROGA. – gritei por causa do desespero, abraçada ao seu corpo enquanto erguia seu tronco, o deixando sentado, e por fim liguei o chuveiro sentindo em seguida a agua fria molhar nossos corpos.

Foi como um dispositivo, o maior se debateu assustado sob mim, me fazendo abraça-lo mais forte ainda.

-Calma, não se mova. –disse aliviada por ele ter acordado.

Podia escutar o som das batidas de seu coração e aquilo me parecia tão confortante que passei a me concentrar naquilo.

-_______... –escutei sua voz falhar como se ele quisesse algo, mas eu não havia entendido.

-Está sentindo algo?

-E-eu, preciso. –Chanyeol disse com dificuldades e então pude entender o que ele queria.

- Tudo bem eu te ajudo.

Não sabia por que diabos tudo aquilo estava acontecendo, mas apenas uma coisa perturbava a minha mente.

Ajudei o maior a se ajeitar próximo ao vazo enquanto ele se inclinava esperando pelo vomito que não demorou muito a vir.

Via seus músculos se contraírem a cada minuto sem para, enquanto ele expulsava tudo o que havia em seu estomago, e a única coisa que consegui fazer foi acariciar suas costas delicadamente tentando conforta-lo.

Mesmo que fossem apenas três ou quatro minutos, não importa, mas aquele tempo que ele ficou ali pareceram longas hora.

-Há merda. –disse fraco limpando os lábios enquanto escondia o rosto.

-Você esta bem? –eu continuava preocupada e como resposta recebi o silencio vindo dele. –Chanyeol? –me aproximei de seu corpo puxando seu rosto para que me olhasse, mas ele relutava.

-Me solta.

-Eu estou te ajudando.

-Eu sei o que você quer... Vai me humilhar e dizer para todo mundo o quão ridículo eu sou.

-Não seja idiota, se eu não estivesse disposta a te ajudar teria deixado você dormindo do lado de fora. –disse sincera vendo-o fraquejar e então tentei novamente tocar seu rosto.

Não sabia se ele havia acreditado em minhas palavras, mas aquilo não me importava.

Toquei sua pele delicadamente, conduzindo seu rosto para minha direção e então pude ver o quando abalado Chanyeol estava. Seus lábios quase não possuíam cor e seus olhos se mantinham avermelhados.

Acariciei meus dedos em suas bochechas vendo-o fechar os olhos e logo depois tremer os lábios.

-Precisa terminar o banho. –parei com meus movimentos enquanto ele abria os olhos ainda fraco.

-Ne.

-Quer minha ajuda? –perguntei um pouco indecisa, ele parecei que ainda não conseguia se manter em pé sozinho.

Esperei por sua resposta que veio relutante como um sussurro.

-Ne.

-Ok. –suspirei cansada, já o ajudando a se levantar.

Conduzi o maior até o chuveiro e o ajudei novamente a se apoiar na parede me certificando de que ele não iria cair novamente.

-Eu vou... Te ajudar com as roupas tudo bem? – sorri amarelo para ele que assentiu logo em seguida.

Levei minhas mãos até a barra de sua camisa sentindo um arrepio percorrer a minha pele. A temperatura do meu corpo havia caído drasticamente assim como a dele, e sabia que se não fosse rápida com aquilo poderíamos pegar um resfriado.

Ergui meus braços retirando sua camisa com uma pequena ajuda de Chanyeol, já ele era alto demais para eu conseguir sozinha. Escutei um pequeno sorriso vindo dele e balancei a cabeça rindo também.

-Idiota. –ri vendo-o parar rapidamente me olhando sério.

E mais uma vez senti meu corpo enfraquecer diante do frio.

Desci meu olhar pelo seu tronco e um misto de pensamentos atingiu minha cabeça.

Eu odiava Park Chanyeol e mesmo assim estava ali, o despindo, pois o mesmo se encontrava em uma situação decadente, incapaz até mesmo de se manter em pé sozinho. Mas por que eu estava o ajudando? Por que simplesmente não neguei o pedido de Sehun? E o pior...

Por quer eu estava me sentindo daquele jeito? Não que eu nunca tenha visto um homem nu, mas apena por imaginar Chanyeol meu corpo era tomado por sensações as quais nunca imaginei que sentiria.

 Suspirei pesado tentando afastar todos aqueles pensamentos enquanto desabotoava sua calça rapidamente.

-_______ eu não consigo. –olhei para seu rosto que era tampado por sua mão e logo tratei de acompanha-lo até o vazo, vendo novamente ele por tudo para fora já cansado de tanto esforço.

A preocupação tomou conta de mim novamente, pois já não havia mais nada em seu estomago e mesmo assim ele continuava a botar foça enquanto seu corpo amolecia cada vez mais.

-Chanyeol já chega. –puxei seu corpo e limpei sua boca que estava suja já que ele não conseguia nem mais fazer isso. –Vamos, eu vou te ajudar. –levantei seu corpo novamente e por mais que eu estivesse com frio me sentia na obrigação de ajuda-lo.

Deixei ele encostado na parede e passei a descer sua calça o deixando livre dela e logo liguei o chuveiro pondo seu corpo de baixo da agua fria sendo molhada juntamente por estar segurando o corpo do maior.

-Por que está tão fria? –tremeu os dentes por consequência do frio.

-Você precisa disso. –segurei sua mão colocando-a em meu ombro. –Se segura em mim.

Senti meu ombro se apertado levemente pelos seus dedos e então estiquei minha mão para pegar o shampoo que havia em uma das prateleiras. Iria pedir para que ele se abaixasse, mas Chanyeol fez por si só, facilitando meu trabalho para alcançar seus cabelos, ensaboando seus fios enquanto ele fazia caretas.

-Minha cabeça está doendo.

-Me desculpe. –olhei o local em que havia o pequeno corte percebendo que o sangramento já tinha parado e suspirei aliviada com aquilo.

Enxaguei sua cabeça e logo passei a lavar seu corpo, percorrendo minhas mãos por cada milímetro de sua pele descoberta, sentindo sua macies imersa ao frio. O fato era que a cada segundo me sentia mais atraída pelo seu corpo, coisa que nunca imaginei que aconteceria, e me embriagava com a imagem de seus braços tão próximos a mim, me tocando enquanto eu os percorria com as mãos.

Terminei o seu banho rapidamente já que ele estava se tremendo bastante e conduzi seu corpo até a pia para que pudesse escovar seus dentes, o que não foi muito difícil, pois Chanyeol já começava a apresentar melhoras.

-Onde está a sua toalha?

-Não sei.

-Ok, eu vou caçar uma, vem. –levei Chanyeol para fora do banheiro, já avistando uma toalha embolada em cima da cama. –Ela está ali.

O enxuguei ligeiramente deixando seu corpo seco, porém ainda tinha um único detalhe... Teria que retirar sua box para poder vesti-lo.

-Eu vou tirar. –disse relutante sendo interrompida logo em seguida.

-Não precisa fazer isso, eu posso tirar sozinho. –sua voz estava tão baixa quanto um sussurro o que me fez duvidar das suas palavras.

-Tem certeza?

-Tenho.

-Então eu vou caçar alguma roupa.

Dei as costas para Chanyeol indo em direção ao guarda-roupa e rapidamente pegando uma muda de roupa que juguei confortável e me virei me deparando com a imagem de suas costas nuas o que me fez morder os lábios para repreender todos os meus pensamentos indevidos.

-Aqui. - me aproximei dele lhe entregando as roupas pelas costas já que ele continuava parado do mesmo jeito.

-Obrigado.

-Consegue fazer tudo sozinho?

-Ne, eu estou um pouco melhor, só  minha cabeça que ainda dói.

-Eu vou pegar algum remédio.

Caminhei até a cozinha onde já havia visto sua Omma pegar uma caixa cheia de remédios, e por sorte ela não tinha trocado a caixa de lugar. Peguei alguns comprimidos de um remédio para dor de cabeça juntamente com um copo e uma jarra de agua para que ele tomasse quando acordasse.

Sentia minhas roupas pingarem enquanto andava e ao adentrar novamente o quarto de Chanyeol, vi que o mesmo a já estava devidamente vestido.

Entreguei-lhe um comprimido, porém quando o mesmo tocou minha mão imediatamente fez uma careta de desgosto.

-Você está molhada.

-Quando eu chegar em casa cuido disso, mas agora você precisa tomar seu remédio. –lhe ofereci o comprimido novamente, mas ele continuou para do me observando sério.

-Não pode sair desse jeito, vai pegar um resfriado.

-O que você quer que eu faça? Seus pais podem chegar a qualquer momento, acha que eles vão ignorar a nossa situação?

-Não, mas.

-Chanyeol toma logo esse remédio. –estendi minha mão novamente para ele vendo-o suspirar derrotado e pegar o remédio, logo o engolindo com a ajuda da água. –Eu já estou indo.

Não podia mais ficar ali, sentia que minha mente e corpo estavam no limite e iria enlouquecer a qualquer momento.

-Hey. –segurou minha mão me impedindo de sair do quarto. –Por favor, não vá.

-Mas seus. – relutei sendo interrompida por ele rapidamente.

-Que se foda, esse não pode ser o único motivo para você sair desse jeito. -ele parecia inconformado, enquanto apertava mais ainda seus dedos em volta do meu pulso.

O silencio tomou conta do local deixando que meus pensamentos tomassem conta da minha mente paralisando meu corpo automaticamente.

Por que Chanyeol estava insistindo naquilo?

Mas tudo foi interrompido quando senti meu corpo ser puxado por ele e algo macio tocar meus lábios de uma forma tão magnifica me induzindo a corresponder todos os movimentos.

Mas eu não podia fazer aquilo, sabia que irai me arrepender no dia seguinte e rapidamente me afastei de Chanyeol que mantinha seus lábios entreabertos já voltando a cor avermelhada de sempre.

-O que você está fazendo? -disse inconformada com as suas atitudes precipitadas.

-Te retribuindo. – sussurrou calmo se aproximando novamente do meu rosto e selando nossos lábios calidamente pedindo passagem com a língua, que por descuido meu acabei sedento.

Sua língua fazia movimentos premeditados acariciando a minha enquanto suas mãos desciam pelo meu corpo e adentravam meu vestido, subindo o tecido até a altura da minha cintura. E já sem ar interrompi o beijo respirando ofegantemente enquanto Chanyeol continuava a selar vez ou outra nossos lábios.

-Chanyeol, para. – disse entre os selares.

-Por quê? –ele parou me olhando como uma criança curiosa.

Pisquei algumas vezes tentando achar motivo plausível para que ele parasse, mas nada vinha em minha mente.

-Você não pode. –suspirei manhosa enquanto ele descia suas mãos para minha bunda apertando-a fortemente, me fazendo morder os lábios para conter um gemido que insistiu em sair.

-Não posso? –sussurrou em meu ouvido deixando minha pele completamente arrepiada.

-Não. –disse em um fio de voz inconformada por estar fraquejando sobre seus toques.

Era a primeira vez que via Chanyeol como um homem a qual fosse capaz de me oferecer prazer.

Senti seu corpo se inclinar mais sobre o meu deixando nossas testas coladas e sua respiração quente tocar minha pele como uma brisa de verão capaz de relaxar completamente nossos corpos.

-Não é um motivo para me fazer para.

-Chanyeol.

Em meio aos nossos sussurros minha vontade de experimentar novamente seus lábios crescia cada vez mais, o que dificultava que meu autocontrole se manter-se intacto.

-Você não me disse que não queria.

Vê-lo dizer aquilo me deixou estática, de fato eu não havia dito e nem iria dizer, pois como disse no começo; não costumo negar a verdade para mim mesma, porém a pessoa a minha frente era Park Chanyeol, eu não podia simplesmente ignorar tudo que já passamos e me entregar em seus braços.

-Por que você está fazendo isso? Nós nos odiamos. – franzi meu cenho observando a feição de Chanyeol que agora se mantinha confusa, como se estivesse caçando a resposta para minha pergunta.

Vi seu corpo se distanciar do meu me dando as costas não entendi de primeira, o que me fez querer puxa-lo novamente e possuir seus lábios enquanto sentia outras partes do seu corpo me darem prazer, mas logo percebi que ele se encontrava no mesmo estado que eu.

Somos dois completos idiotas.

-Eu... –iniciou ainda imerso em pensamentos que logo foram expulsos por um longo suspiro agonizante. - não sei o que eu estou sentindo, só quero fazer isso. –

-Você não quer?

Que se foda; foi a ultima coisa que pensei antes de caminhar até seu corpo e puxa-lo para um beijo a qual tive o prazer de ser correspondida de uma maneira extremamente excitante.

Sentia minha pele esquentar enquanto meu coração estranhamente se acelerava de uma forma que me fez ter medo de que Chanyeol escutasse os batimentos. Não sabia que apenas um beijo dele me deixava daquele jeito, tão inebriada.

Porém eu queria mais.

Empurrei seu corpo fazendo com que o maior se sentasse sobre a cama e logo depois lancei um sorriso malicioso para ele que permanecia com a respiração afoita e os olhos arregalados com tudo aquilo.

-O que você acha? –disse irônica respondendo sua pergunta e rapidamente passei minhas pernas ao redor de seu corpo, sentando sobre seu membro que já se mantinha desperto e escutando um pequeno gemido escapar de sua boca.

Aquilo realmente foi como musica para meus ouvidos e como consequência senti minha calcinha extremamente molhada enquanto minha pulsação aumentava abaixo de meu ventre.

Sorri com aquilo, e logo fui surpreendida por um beijo necessitado da parte de Chanyeol o que aumentou mais ainda minha alegria.

Levei minhas mãos para seu cabelo fazendo caricias e lodo depois os puxando fazendo com que o beijo fosse interrompido.

-Calma Park. –sorri novamente vendo que o maior não havia gostado daquilo e de imediato selei nossos lábios descendo os beijos até seu pescoço enquanto ele apertava minha bunda prensando nossos corpos cada vez mais, me incentivando a ter mais contato entre nossas intimidades.

Lentamente passei a mover minha cintura contra seu corpo, rebolando em seu membro enquanto chupava seu pescoço o deixando com varias marcar. A pele de Chanyeol estava bastante quente o que me fazia ter a curiosidade de saber sua temperatura lá em baixo.

Mas aquelas roupas estavam me incomodando extremamente e logo me distanciei do pescoço de Chanyeol levantando meu vestido e me desfazendo dele em menos de dez segundo, tendo os olhos de Chanyeol agora presos aos meus seios descobertos.

-Eles não são de enfeite. – segurei suas mãos conduzindo-as até meus peitos.

Chanyeol me encarou com um sorriso malicioso no rosto e em seguida deu a devida atenção aos meus seios, os apertando com precisão e agilidade me deixando completamente afoita, tudo apenas melhorou quando o mesmo se ergueu me segurando com os braços e me deitando em sua cama já voltando para meu busto, porém agora utilizando a boca.

E... Porra o que foi aquilo?

Seria muito difícil dizer o quão bom ele era. Sua boca trabalhava de forma esplêndida contornando e chupando meus mamilos, enquanto eu mantinha o lábio inferior preso entre os dentes me deliciando com todas as sensações que Chanyeol me proporcionava.

Os beijos descerem pelo meu corpo fazendo com que minha respiração se tornasse rápida. Já não via a hora de Chanyeol me tocar lá em baixo, mostrando mais algumas coisas que sabia fazer com a boca.

Abri mais minhas pernas quando ele enfim chegou a minha intimidade dando o ultimo beijo sobre a calcinha rendada que cobria minha pele. Observava cada movimento seu enquanto ele segurava uma das minhas coxas passando seus lábios levemente por a minha pele indo novamente em direção a minha intimidade que implorava pelos seus toques.

Porém o meu erro foi ter deixado na cara minha ansiedade, e como um grande filho da mãe, o idiota parou tudo de repente e se levantou me deixando com uma puta cara de desespero.

-Calma jagi, vou fazer tudo o que você quiser. –fez uma pausa observando meu rosto. - Mas não acha melhor que seria mais divertido se eu também tirasse minhas roupas? –riu malicioso enquanto retirava a camiseta, mostrando-me seus músculos ainda em formação.

-Pensei que não conseguia nem se manter em pé. –ironizei o vendo retirar a calça rapidamente chutando-a para longe.

-Tem razão, ainda me sinto mal. – usou o mesmo tom de voz que eu, tirando sarro da minha cara. – Por que não me dá o remédio? Hum? –disse já se pondo entre minhas pernas e passando a mão em minha intimidade me fazendo apertar os olhos como resposta.

-Pode tomar o quanto quiser. –sorri com aquilo e rapidamente senti minha calcinha ser rasgada com brutalidade.

Eu iria reclamar com o mesmo, porém fui surpreendida no momento em que abri meus olhos.

Sua língua quente e macia fez contato com minha intimidade movendo-se afoitamente estimulando meu ponto sensível de uma maneira tão boa que foi impossível conter meus gemidos.

-Chanyeol. –gemi seu nome o que acabou sendo estranho para mim, pois nunca imaginei que um dia iria passar por isso.

Chanyeol pareceu ter gostado do que havia acabado de escutar e logo passou a aumentar ainda mais os movimentos fazendo pressão sobre meu ponto sensível, me lançando um olhar penetrante me enlouquecendo mais ainda.

Já sentia minhas pernas fraquejarem e diversos músculos de meu corpo ganhavam vida própria se movimentando involuntariamente o que aos olhos do Park era algo divertido e incentivador.

Seus dedos deram apoio a sua língua e rapidamente deslizaram para dentro de mim sendo apertados e molhados pelo meu interior que parecia pegar fogo com o calor que subia por entre minhas pernas e se alastravam pelo meu corpo.

Os dedos de Chanyeol entravam e saiam forma harmônica com os movimentos da sua língua. E tudo aquilo resultou em um dos meus maiores orgasmos me deixando completamente extasiada inerte sob meus espasmos enquanto Chanyeol passava a língua por toda a extensão de minha intimidade aumentando minha sensação de prazer.

-Cansou? –me olhou com a sobrancelha arqueada subindo pelo meu corpo e depositando pequenos selares em meu pescoço, deixando minha pele arrepiada.

Suspirei profundamente tendo a atenção de seus olhos que me olhavam curiosos esperando por minha resposta. Apenas balancei minha cabeça de um lado para o outro negando sua pergunta vendo seus lábios serem umedecidos e logo depois mordidos.

-Então o que acha de me fazer um favorzinho?

-E o que seria?

Ele sorriu minimamente me puxando até a beirada da cama me deixando senta enquanto ele se mantinha em pé com as bochechas extremamente vermelhas.

Era engraçado vê-lo daquele jeito, mas ele era tão lindo que me hipnotizava.

 Levantei-me da cama e me pus em sua frente com as mãos presas em sua box que marcava um grande volume me deixando novamente excitada.

-O que você quer que eu faça? –sussurrei descendo sua box lentamente.

-Me mostra o que você sabe fazer.

Sorri maliciosa me livrando de sua box e deixando Chanyeol completamente nu. Olhei seu rosto completamente corado diferente do que eu havia trazido há tempos atrás.

Seus olhos me observavam atentamente como se quisesse desvendar quais seriam meus próximos passos, porém no momento em que toquei seu membro vi seus olhos se fecharem e sua cabeça pender para trás mostrando o quanto ele queria aquilo.

Comecei fazendo movimentos de vai e vem gradativamente vez ou outra alternando a velocidade, e sempre que fazia isso recebia como resposta gemidos arrastados de Chanyeol me deixando molhada novamente.

-Sua voz fica melhor ainda gemendo. –disse sem pensar e de imediato Chanyeol abriu seus olhos focando em meu rosto.

O conhecia tão bem ao ponto de saber que ele nunca mais iria esquecer aquilo.

Iria me abaixa para então dar mais atenção para seu membro, porém antes mesmo de fazer aquilo Chanyeol afastou minha mão e me empurrou novamente sobre a cama me fazendo deitar surpresa com seus atos repentinos.

Olhei curiosa para Chanyeol que apenas se virou pegando algo dentro da gaveta, voltando já com seu membro completamente revertido, subindo por entre minhas pernas e se posicionando em minha entrada me fazendo suspirar, porém ele se manteve ali, parado, como se estivesse esperando algo, e logo senti meus lábios serem possuídos novamente por ele.

Seus toques me faziam flutuar e em seguida eu já estava embriagada diante de sua maciez e de seu gosto doce, viciante e alucinador.

E para completar tudo aquilo Park Chanyeol me fodeu como nenhum outro homem jamais havia feito.

Nossos corpos se chocavam produzindo um som erótico que preenchia o quarto juntamente com nossos gemidos baixos e contidos nos excitando cada vez mais.

Enlacei minhas pernas envolta de sua cintura deixando que ele fosse mais fundo, me fazendo puxar o ar entre meus dentes e consequentemente meus gemidos passaram a ser mais agudos e sofridos enquanto os dele eram roucos e arrastados.

Sentia meu corpo chegando ao limite novamente e ao perceber aquilo Chanyeol aumentou ainda mais suas invertidas, me deixando ainda mais quente e contraída ao redor de si, que crescia mais a cada minuto em meu interior, pulsando arduamente e me enlouquecendo por completo.

E pela segunda vez Park Chanyeol me fez chegar ao meu limite, completamente satisfeita enquanto observava seus músculos se contraírem e meu nome sair de sua boca em um gemido alto deixando meu corpo completamente arrepiado.

E lá estava ele, sorrindo para mim e me mostrando sua pequena covinha que eu tanto amava e odiava ao mesmo tempo.

Eu odiava Park Chanyeol.

-Obrigado. –disse ele deitado ao meu lado acariciando meus cabelos.

-O que? –o olhei sem entender nada.

-Você cuidou de mim, nunca pensei que faria isso. –riu balançando a cabeça.

E mais uma vez eu escutava aquelas batidas aceleradas que me incomodavam tanto deixando meu rosto quente e avermelhado.

Desviei meu olhar dele focando o teto de seu quarto que não me interessavam nenhum pingo.

-Por que você me atrai tanto? –sua voz me parecia séria, mas mesmo sim eu continuei sem o olhar.

-E você me irrita. –disse simplesmente recebendo uma gargalhada alta em resposta.

-Mas você gosta não é? –ele sempre foi convencido... –Não responda, mas saiba que o melhor de tudo e te ver irritada. –o olhei com a sobrancelha franzida não acreditando em suas palavras. –Sempre que fica irritada você faz bico e suas bochechas coram.

-Isso não é verdade eu. –fui retruca-lo, mas acabei sendo interrompida.

-A não? e por que está tão irritada? –seu corpo se aproximou do meu me deixando paralisada, podia sentir sua respiração calmas tocar meu rosto e rapidamente seus lábios novamente envolveram os meus, porém agora de uma forma carinhosa e apaixonada.

-Sabe mais cedo eu estava morrendo de inveja.

-O que?

-Queria estar no lugar da Hani. –riu enquanto eu revirava os olhos.

-Calado. –me repreendi de rir de suas bobagens enquanto ele continuava a me observar constantemente.

-Você ainda me odeia?

Aquela pergunta havia me pegado de surpresa, mas minha única reação foi olha-lo e sorrir lembrando-me do que havíamos feito e em como aquilo influenciaria minha relação com ele.

-Sim. –ri de lado vendo o maior fazer o mesmo.

O que havíamos feito certamente tinha afetado nossa relação drasticamente. Mas de fato nossas brigas nunca iriam acabar, pois aquela era a nossa natureza.

Levantei da cama tomando o maior cuidado para não acordá-lo, vesti meu vestido e peguei sua guitarra preferida a qual havia roubado de mim. E antes de ir embora olhei para seu rosto tão sereno e me refiz novamente uma das perguntas que mais me faziam...

“Você o ama?”

Sinceramente minha resposta poderia ser um “talvez” ou “quem sabe...”, e mesmo que fosse “sim” não iria embora sem pegar aquilo que era meu por direito.

Só espero que ele não fique bravo; Ri irônica com meu pensamento já me distanciando de sua casa.


Notas Finais


Beijos de satansoo para você que chegou até aqui, safadenha! ( ͡° ͜ʖ ͡°)( ͡° ͜ʖ ͡°)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...