História Longe Dos Livros - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Casual, Praia, Rico, Romance, Ruivo
Visualizações 6
Palavras 1.833
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Slash
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Bem Vindos ao Terceiro Capitulo, :3 Espero que Gostem

Capítulo 3 - Cake By The Ocean


Fanfic / Fanfiction Longe Dos Livros - Capítulo 3 - Cake By The Ocean

Acordo e demoro um pouco para abrir meus olhos, levo a mão até o rosto, a claridade do quarto estava me incomodando um pouco, acho que esqueci de fechar as cortinas antes de dormir, abro os olhos aos poucos e vejo Ricardo dormindo do meu lado, ele até que é fofo, porém não posso fazer mais o  que eu fiz ontem, me deixei levar por um momento de carência e isso podia ter me deixado pior.
 Me levanto sem acordar Ricardo e vou tomar banho, volto para o quarto e começo a me trocar, checando se Ricardo continuava dormindo, após me trocar, começo a arrumar algumas coisas para dar uma volta pela cidade, estou querendo conhecer um pouco os lugares daqui e fazer alguns amigos, me sinto um pouco cansado de não ter amigos, pego meu celular e meus documentos, em seguida acordo Ricardo, e pergunto "quer ir dar uma volta comigo ?", ele abre os olhos devagar e fala "você espera eu me trocar?" olho pra ele e balanço a cabeça concordando, e assim sento na cama e ficou olhando o teto até ele aparecer na porta "estou pronto, vamos?" Ricardo disse segurando uma mochila e com uma roupa bem normal, shorts marrom e camisa folgada azul claro q combinava horrores com o cabelo dele, "nossa q camisa bonita" eu disse sorrindo, ele sorriu de volta e falou "então, você ta pronto?" ele disse me olhando, eu respondi q sim então passamos na cozinha e comemos qualquer coisa para não ficarmos com fome, saímos, fomos andando ate a parte mais urbana da cidade aonde ele começou a me explicar aonde ficava cada coisa, enquanto caminhávamos, tive a leve impressão de que alguém nos seguia, as ruas era pouco movimentadas, quando mais perto da praia mais pessoas enchiam as ruas, mas nada tão gritante, chegamos a calçada da praia,  eu sentei na mureta e olhei o mar, Ricardo sentou do meu lado, "senti falta de ver o mar, quase dois anos sem ver" eu disse com um olhar sonhador em direção ao horizonte, Ricardo levanta e vai ate um mural cheio de papeis e imagens, acho que era um quadro de avisos da praia, ele diz "bom vai ter uma festa mais tarde na ponta leste da praia, quer ir?" olho para ele e digo "poderíamos ir sim, mas quero conhecer pessoas novas, você me ajuda?", algo que eu disse ai não foi muito bem recebido por Ricardo que na hora andou ate mim e perguntou "conhecer pessoas novas? você é rico, não tem dezenas de amigos? para que mais?" ele me olha e da um sorriso desconfortável, eu olho para a areia e falo "bom, não é bem assim, sabe, eu na verdade não tenho amigos, meus únicos amigo que eu já tive... bom pararam de falar comigo.", não vejo a expressão de Ricardo, mas ele me abraça e fala "podemos ir, mas você tem q ficar perto de mim promete?" me sinto confortável no abraço dele e respondo "tudo bem, prometo", ficamos ali abraçados olhando o mar e as pessoas na praia se divertindo, então eu perguntei "bom, você estuda por aqui?" Ricardo demora um pouco para me responder "Não, eu estudo em um colégio interno, só venho para casa nas férias, sim minha família mora aqui na praia." ele fala meio triste, eu me solto do abraço dele e olho para ele " Você ta bem?" pergunto com doçura, "estou sim, sabe as vezes é difícil ficar longe de casa, eu sinto falta, eu não gosto nem um pouco da minha escola, é um colégio interno só para garotos e eu não suporto o lugar."ele começa a olhar a areia, e eu rapidamente penso em algo para mudarmos de assunto "bom... você quer entrar na água comigo?" Ricardo me olha e sorri, "Claro! vamos." Levantamos, ele pega minha mão e sai correndo me levando para o mar.
 Enquanto estávamos no mar, brincamos de jogar água um no outro, entre outras diversas coisas, depois de um determinado tempo Ricardo me pergunta "você ta com fome?" e eu respondo que estava morrendo de fome, então vamos andando até um restaurante na avenida da praia e pedimos uns salgados para comer, enquanto estava comendo, não deixei de notar Ricardo me olhando com aqueles olhos maravilhosos, e então vem um arrepio, de novo a sensação de alguém estar me olhando, Olho a rua procurando alguém me olhando mas não vejo nada, supondo que era somente coisa da minha cabeça continua a comer e conversar com Ricardo, que fica muito fofo quando ta comendo "você quer fazer o que agora?" Pergunto para ele Esperando que ele tenha uma resposta "A Gente podia andar um pouco pela costa do mar e depois ver se tem algo nas cavernas"ele diz de boca cheia  "cavernas? tem cavernas aqui?" pergunto surpreso, e ele terminando de mastigar me responde "tem sim, um labirinto inteiro de cavernas, um verdadeiro paraíso, mas é tão fácil se perder lá, que ninguém gosta de entrar lá sozinho, eu felizmente conheço grande parte do lugar" Ricardo sorri para mim sutilmente, eu olho para ele "bom acho que me sinto mais seguro assim".
 Terminamos o almoço e fomos andar pela costa do mar sempre na mesma direção até que chegamos em uma grande formação de pedras "bem vindo a ponta leste da praia, estamos muito adiantados para a festa, felizmente aqui também é uma das entradas para as Cavernas, tem uma em especial que eu gosto muito, você que ir comigo?" Ricardo da um sorriso e me estende a mão "não é perigoso?" Pergunto meio sem graça, "eu nunca te colocaria em perigo" Ricardo responde sorrindo, Seguro a mão dele e ele começa a me levar por uma entrada no meio das pedras, e enquanto andávamos de repente a luz começa a ficar mais escura e antes de escurecer por completo Ricardo pega uma pedaço de madeira e enrola um pano em cima e acende com um isqueiro,  "isso deve durar ate chegarmos lá, "você sempre faz isso?" Pergunto meio abismado, "você realmente acha que eu te entraria em uma caverna sem luz alguma?"Ricardo fala em tom de ironia, e vamos seguindo mais a frente, agora só a luz meio amarelada do fogo iluminava o caminho, passamos por alguns lugares até chegarmos em uma parte que parecia ter água, e tudo ficou mais claro, "chegamos, O Lago De Luz, eu que dei o nome pro lugar, quase ninguém vem pra essa parte, dizem que existem monstros, eu nunca vi um " Ricardo Começou a rir e continuo "a água reflete a luz do sol do outro lado, isso ilumina a caverna, e faz a água brilhar com essa claridade,  e graças aos reflexos da luz, temos essa obra de arte q forma nas paredes", Olho ao redor, e vejo os reflexos nas paredes, era realmente maravilhoso, me senti mais leve e confortável ali, sentei eu um lugar e Ricardo sentou do meu lado, e começou a fazer cafuné em mim, eu abracei ele e disse "é realmente lindo aqui, obrigado", Ricardo retribui meu abraço e encosta a cabeça dele na minha, "você ta preocupado com algo ?" Ele me perguntou, "só preocupado com a velocidade que as coisas vem acontecendo, eu cheguei aqui ontem, e olha tudo que já aconteceu? o que será q pode acontecer agora, qualquer coisa" Falo meio pensativo, Ficamos lá abraçados por um tempo que não consigo definir, Então, sem avisar, Ricardo me beija e pela primeira vez eu retribuo sem ser um impulso, ficamos Algum tempo se beijando até que sinto aquela sensação de estar sendo observado de novo, paro o beijo extremamente rápido e olho para a entrada da Gruta que estávamos, e realmente vejo algo se mover, "Ricardo tem algo ali na entrada!" me levanto e vou olhar, Ricardo se levanta e vem atrás "como assim ?", ele pergunta meio confuso, "eu vi algo se mexendo na entrada" falo já observando os corredores das cavernas, "tem certeza que não foi um reflexo da água?" Assim q Ricardo termina a frase, barulhos de passos correndo para longe ecoaram nos túneis, Ricardo ficou serio e falou "temos que ir então" , Ricardo segura minha mão e reacende a tocha, e começa a refazer o caminho de volta para entrada no lado das Pedras da praia, enquanto andávamos em direção a saída eu pude ver uma curva de um dos corredores estar brilhando com um brilho azul fantasmagórico, mas resolvi não ir investigar, demorou um tempo, parecia mais do que demorou pra chegar na gruta do Lago de Luz, mas finalmente chegamos a praia, aonde o sol estava começando a se por, mas faltava um tempo ainda, "quanto tempo ficamos nessa caverna?"Perguntei para Ricardo, que automaticamente olha para seu relógio e fala "umas duas horas e meia, nem pareceu tanto", e realmente não pareceu, olhei ao redor e já tinha algumas pessoas para a festa que ia ter, olhando bem, vi uma garota ruiva extremamente familiar "Ricardo, não é sua irmã ali? ", Ricardo olha e fala " a Própria" vamos em direção a ela e percebemos que ela esta falando com um garoto, "Eu Já falei Gabriel, A Gente não vai ficar junto, eu não gosto de você, por favor não me faz eu te chutar daqui" O garoto por incrível que pareça estava sorrindo, "Brilhante, como você consegue atuar tão bem?, você com certeza vai ganhar o papel principal da nossa Próxima peça, ouvi dizer que e algo como valente, acho que você ficaria perfeita de Mérida" Fernanda sorri para o garoto e fala "espero que sim, ah, vocês estão ai, saíram  cedo de casa, da próxima vez me chamem também" Fernanda disse ao perceber a gente parado na frente dela, Ricardo abraçou ela forte e disse "quem ia querer vossa chatice em pessoa saindo com a gente?" ele disse ironicamente e eu respondi "eu iria querer, acho ela legal" sorri, Fernanda sorri de volta para mim e fala "bom eu e o Gabriel estamos ajudando a montar a festa, então ou vocês ajudam ou voltem só depois, por favor" Ricardo segura meu braço e fala " Já estamos de saída, maninha", "Ei, Espera" Me solto de Ricardo e pergunto para Fernanda "você viu alguém sair das cavernas antes da gente?" Fernanda faz um esforço e fala "sim, um garoto assustado um pouco mais alto que eu e cabelo castanho, por que?" Ela fala normalmente "Por eu acho q ele estava seguindo a gente, cuidado com ele ta bom?" respondo meio preocupado e meio pensativo, seguro a mão de Ricardo e falo "vamos então?" Ricardo concorda com a cabeça e fomos andando pela areia enquanto eu pensava, chegamos em um ponto um pouco longe, agora sim o sol estava se pondo, sentei na areia, Ricardo senta do meu lado e fala "Por Que eu acha que você sabe exatamente quem e o garoto?" eu Respondo "Por que eu sei Quem é", Falo meio triste, " é meu ex-namorado" ...

Continua...


Notas Finais


:3 Tem Treta a Frente


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...