História Longland Elite - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel
Personagens Alícia Gusman, Cirilo Rivera, Davi Rabinovich, Maria Joaquina Medsen, Mário Ayala, Paulo Guerra, Valéria Ferreira
Tags Alicia Gusman, Aventura, Carrossel, Cirilo Rivera, Ciriquina, Colégio, Daléria, Davi Rabinovich, Maria Joaquina Medsen, Mário Ayala, Paulicia, Paulo Guerra, Romance, Valéria Ferreira
Exibições 85
Palavras 1.395
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Meus lindos e lindas, me desculpe por demorar tanto para postar! Eu me enrolei tanto com tanta coisa e a criatividade tinha abaixado um pouco, sabe? Mas eu consegui trazer um capítulo novo para vocês, então espero que gostem! Beijo!

Capítulo 3 - Briga


Quadra do Longland Elite

Cirilo esbarrou em alguém e quando olhou para a pessoa viu que era quem ele menos queria ver. 

—Você não olha por onde anda, rejeitado? —Paulo diz com fúria nos olhos. 

—Olho, só que idiotas eu não enxergo... —Cirilo rebate. 

Paulo fecha o punho. 

—O que você disse? —Paulo já está prestes a bater no Cirilo. 

—Eu disse que...

—O que você tá fazendo aqui, Paulo Guerra? —Alicia surge atrás do Cirilo com a Natasha. 

—Ah... A garota da aula de química... Eu que te pergunto... Eu vim porque hoje tem treino das líderes de torcida e eu não podia perder a oportunidade de ver elas rebolando aquela bunda na minha direção. —Paulo diz e abre um sorriso malicioso. 

—Você é mesmo um idiota e repugnante! —Alicia diz quase cuspindo as palavras. 

—Quer sentir se eu sou mesmo repugnante? —Paulo solta uma brincadeira. 

—Cala a boca, cara! Você não percebeu que tem uma criança aqui ouvindo tudo? —Cirilo diz franzindo a testa. 

—Foi mal, garotinha! Você também é bonitinha! Quer sentir a repugnância do Paulo? —Paulo sorri para Natasha. 

—Filho da puta! —Cirilo soca a cara de Paulo. 

Paulo soca de volta e Cirilo cai. 

—Irmão? —Natasha diz se abaixando e os olhos já marejando. É a primeira vez que ela chama o Cirilo de irmão. 

—Seu idiota! Nunca mais chegue perto da gente! —Alicia diz ajudando Cirilo a se levantar. 

—Foi só uma brincadeira! Eu não faria nada com uma garotinha, vocês são muito caretas! —Paulo diz. 

—Sai garoto! —Alicia aponta para ele ir embora. 

—Tá, tá bom! —Paulo sai. 

Cirilo se levanta e então ele sai com a Natasha e a Alicia. 

—Vamos embora... Desculpa por ter trazido você aqui, Nat... Prometo que não vou deixar você passar por isso mais... —Cirilo abraça a irmã. 

—Eu fiquei preocupada com você, Cirilo... 

—Eu gostei muito que você me chamou de irmão, foi a primeira vez que você disse isso. —Cirilo sorri. 

—Não vá se acostumando! —Natasha ri. 

—Pode deixar! —Cirilo dá um abraço de lado nela. 

—Vamos que eu deixo vocês em casa! —Alicia diz segurando a chave do carro. 

—Você pode fazer um favor pra mim, Alicia?

—O que? —Alicia levanta uma sobrancelha. 

—Fica com a Natasha lá em casa um pouquinho? Eu preciso falar com uma pessoa aqui...

—Tá bom! Você tá me devendo! —Alicia pisca. 

—Valeu! —Cirilo pisca de volta. 

Alicia vai em direção ao estacionamento e Cirilo vai em direção a quadra. 

 

Estacionamento do Longland Elite

Paulo estava andando pelo colégio e viu a Alicia indo em direção ao seu carro, então resolveu ir atrás dela. 

—Garota da aula de química! Perai! —Paulo grita. 

A Alicia se vira e então vê que é o Paulo e revira os olhos para ele e então entra no carro. Paulo vai correndo atrás do carro, enquanto Alicia está dando a partida. Até que Paulo alcança o carro e então bate no vidro. 

—Deixa eu falar com você, garota da aula de química! 

—Não, depois de tudo o que você fez, ainda quer conversar?

—Por favor! —Paulo faz biquinho. 

—Espera aqui rapidinho, Nat! Eu já volto! —Alicia desliga o carro e sai. 

—Você vai achar estranho o que eu vou falar...

—Fala logo, garoto!

—Desculpa por aquilo que aconteceu na quadra... —Paulo diz arrependido. 

—Paulo Guerra pedindo desculpas?

—Sim, eu falei merda e ainda na frente de uma criança... —Paulo olha para a Natasha no carro. 

—Você falou merda mesmo, mas um pedido de desculpas não resolve! Você tem que pedir desculpas ao Cirilo... —Alicia cruza os braços. 

—Há! Não mesmo... Eu não vou pedir desculpas ao rejeitado... —Paulo ri inconformado. 

—Então eu também não aceito suas desculpas! 

—Tá bom então! A minha parte eu fiz! —Paulo se vira para ir embora. 

—A sua parte você fez? Você acha que vir aqui e dar uma de arrependido pra mim é fazer a sua parte?

—Acho

—Então você é mesmo pior do que eu imaginava... —Alicia se vira para entrar no carro. 

—O que isso quer dizer?

—Você não fez nem um terço da sua parte, garoto! O que você faz com o Cirilo todos esses anos e o que você fez hoje, é algo imperdoável! Não é só vir pedir desculpas a mim que não tem nada a ver com a situação que vai resolver! —Alicia começa a ficar brava. 

—Eu só sei que já pedi desculpas e tô de boa! Agora deixa eu ir assistir o treino das líderes de torcida! Com licença! —Paulo vai andando. 

—Você é um completo idiota! —Alicia grita. 

—E você é uma completa nerd chata! —Paulo grita de volta. 

 

Quadra do Longland Elite

Cirilo espera por uma pessoa na quadra. Ele estava sentado na arquibancada quando vê as meninas do grupo de líderes de torcida entrando para treinar e lá estava a pessoa com quem ele queria falar. Cirilo desce a arquibancada e as meninas olham para ele, mas nem ligam, pois elas estavam se alongando. Ele vai em direção a tal pessoa com quem ele quer conversar. 

—Eu posso falar com você, Maria Joaquina? —Cirilo diz olhando no fundo dos olhos verdes dela. 

—É... Quem é você mesmo? —Maria Joaquina diz não prestando muita atenção em Cirilo. 

—O menino que foi humilhado na frente do colégio todo por ter se declarado para você...

Quando Maria Joaquina ouve isso, ela para de pegar os equipamentos na mochila e olha bem para Cirilo. 

—O que você quer?

—Pode ser em particular? —Cirilo diz olhando para duas amigas dela que estão em volta deles. 

—Ai Maria Joaquina, deixa esse menino pra lá! A gente tem que treinar! Você não quer ser a capitã das líderes? —Valéria diz revirando os olhos para Cirilo. 

—Eu acho que você devia ouvir o que ele tem a dizer... —Marcelina abre um sorriso de canto para Cirilo e então passa a mão no cabelo. 

—Eu já volto, meninas! —Maria Joaquina anda até a porta da quadra e Cirilo a segue. —O que você quer falar então?

—É que... Eu queria me desculpar por ter feito você passar por aquilo na frente de todo mundo... Eu não vou mais atrapalhar sua vida ou te perturbar... —Cirilo então sai e vai embora. 

Maria Joaquina ficou olhando ele ir embora. Ela então volta para dentro da quadra. 

—Até que foi rápido, vamos treinar agora? —Valéria diz pegando os pompons. 

—O que ele disse? —Marcelina pergunta curiosa. 

Pensamento Maria Joaquina: Ele só queria conversar comigo para dizer que não vai mais atrapalhar a minha vida? Ele parecia triste e emburrado... O olhar dele é penetrante, ele estava olhando dentro dos meus olhos, acho que por isso que ele não ficou babando por eu estar com roupa de líder de torcida na frente dele e por sinal, a roupa é bem curta. Mas o que será que aconteceu para ele estar tão triste? Será que é só por eu não gostar dele da mesma maneira que ele gosta de mim? Porque eu tô pensando nisso tudo?

—Maria Joaquina, acorda! —Valéria estalava os dedos na frente dela. 

—Ahn? O que foi? —Maria Joaquina olha para a Valéria confusa. 

—Você parecia estar no mundo da lua, nós perguntamos coisas e você não respondeu... —Marcelina responde. 

—Desculpa, eu estava só pensando...

—Em que? No seu namorado gato, o Mário? —Valéria dá uma risadinha. 

—Ahn? É, claro! —Maria Joaquina disfarça. —Bom, vamos treinar?

—Vamos! —Marcelina e Valéria respondem. 

Maria Joaquina pega os equipamentos e então vai treinar, porém ainda pensando no nerd que a "humilhou" na frente do colégio. 

 

Corredor do Longland Elite

—Foi rejeitado pela princesinha de novo, nerd? —Paulo abre um sorriso. 

—Pelo menos eu não sou um idiota que preciso ficar vindo ao colégio para ver bunda de meninas para me sentir melhor. —Cirilo rebate. 

—Eu só não te dou outro soco para sua irmãzinha não chorar de novo... —Paulo provoca.

—Você deve ser muito sozinho né? Só destrata as mulheres e ainda quer bater nos outros sem motivo... Eu sinto pena de você... —Cirilo diz e sai da visão de Paulo. 

Pensamento Paulo: Esse garoto não sabe com quem tá mexendo! Ele vai se ver comigo, mas não será hoje que eu vou aprontar com ele, porque senão vou perder o treino das líderes de torcida...

Paulo vai em direção a quadra para assistir ao treino e Cirilo vai para casa pensando no que aconteceu hoje. 

 


Notas Finais


Meu Deus! O Paulo foi um ridículo com eles, que horror! Alicia fez certo em dizer tudo aquilo a ele! Cirilo, por outro lado, ficou bem triste e foi lá pedir desculpas a Maria Joaquina que ficou sem reação e depois não conseguia parar de pensar no que o Cirilo disse, e eu notei uma coisinha... Marcelina está se interessando no nosso nerd? Pode ser só impressão minha, mas... Parece que tem algo aí! Agora esse final o Cirilo falou umas verdades bem ditas pro Paulo né? O que será que o Paulo vai fazer com o nosso nerd Cirilo? Até o próximo capítulo, beijo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...