História Look at me - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Barbara Palvin, Justin Bieber
Visualizações 1.977
Palavras 3.035
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Queria agradecer pelos comentário e favoritos, muito obrigada mesmo.

Espero que gostem ❤ revisado

Capítulo 15 - I’LL  MAKE YOU FELL, WHAT YOU’VE NEVER LELT B


Fanfic / Fanfiction Look at me - Capítulo 15 - I’LL  MAKE YOU FELL, WHAT YOU’VE NEVER LELT B

Eu queria muito gritar para todos que, ela era minha, mas ela não gosta de chamar atenção. Ja  fazia mais uma hora que estávamos, dentro do carro deitados no banco de trás, não, nós não transamos, só ficamos nos pegando e rindo, eu expliquei para ela que naquele dia na casa dela eu estava falando com o Ryan , por que ele me ajudou a preparar o pedido de namoro para ela.

- nós precisamos ir embora – apertei mas ela em meus braços, dando um beijo em seu pescoço.

- ainda está cedo, eu gosto daqui – murmurei a arrumando em meu colo,para que ela ficasse de frente para mim.

- o sol já está sumindo Jay, meus pais já estão me ligando – ela me mostrou seu celular e tinha várias chamadas perdidas.

- vamos ver o pôr do sol, aí nós vamos  - ela assentiu, saímos do carro e o vento gelado bateu em nosso corpo, me encostei no capo do carro, fazendo ela se escorar no meu corpo, o vento fazia seu cabelo voar para o lado a deixando mais bonita. O sol já estava sumindo quando ela me olhou sorrindo.

- esse lugar costumava ser o meu segundo lugar favorito – ela franziu o cenho – agora é o primeiro – ela sorriu.

- é meu lugar favorito também – a beijei.

- por do sol e Jess – sorri contra seus lábios – melhor combinação – ela gargalhou – talvez ,não, mas por enquanto é – ela parou de rir e me encarou séria.

- o que quis dizer com isso, Sr.Bieber? – sorri.

- que está na hora de irmos – selei seus lábios, a puxando em direção ao carro, ela entrou emburrada, Lá vamos nós para a primeira birra do namoro.

- o que foi birrenta? – perguntei enquanto ligava o carro,dando partida.

- nada – deu de ombros – e eu não sou birrenta – fez um bico enorme naquela boca linda , que me deu vontade de morder.

- você quis dizer que você não é, SÓ birrenta, e chata, grossa, mimada, marrenta – soltei e senti meu braço arde – au, filha da mãe você não me deixou terminar – ela cruzou os braços,olhando para frente.

- não quero ouvir – ela ligou o som, dei de ombros, o caminho nós fomos em silêncio, sabia que ela tava brava, mas era só questão de tempo, eu adoro a deixar brava, ela fica fofa e sexy ao mesmo tempo.

- vamos La bicuda – chamei ela, abrindo a porta do carro, para ela descer.

- Jess, qual é, vai ficar brava por qualquer coisa – ela revirou os olhos, eu odeio quando ela faz isso.

- você disse que eu era sua coisa favorita, por enquanto, Justin – agora entendi, que ela não entendeu o que eu quis dizer, soltei uma gargalhada a deixando mais puta ainda, prensei ela contra o  carro quando ela tentou sair andando.

- você tem que me deixar terminar de falar, quando eu começo – me aproximei dela dando um beijo em sua bochecha, e um selinho em seus lábios – eu por acaso disse que a outras coisas favoritas não envolviam você? – ela ficou em silêncio – baby? – ela negou – vai ter milhões de outras coisas que vamos fazer juntos que se tornaram minhas preferidas - ela assentiu me aproximei beijando seu pescoço e subindo até seu ouvidoeu vou fazer você se sentir especial, amor, eu vou fazer você sentir o que nunca sentiu – vi ela se arrepiar, deixei um leve beijo em seu pescoço, gargalhei, quando ela se arrepiou mais.

- eu não sou birrenta – disse assim que a encarei, mordi seu bico.

- claro que é, baby, mas você também, é linda, inteligente, meiga – dei um selinho nela, passando meu nariz em seu pescoço, a fazendo se contorce de cócegas- cheirosa, sexy, gostosa,woow sim você é muito gos -  ela me beijou não deixando eu terminar.

- você fala umas coisas às vezes, e eu acho que é você não pensa antes de falar – ri.

- só digo verdades, baby, você sabe que é gostosa, e você abusa disso, ainda mais usando essas calças coladas, porra Jess você já olhou sua bunda? – ela corou, sorriu, ela fica tão linda corada.

-o que tem de errado com a minha bunda? –oh minha menina, é tão ingênua.

- errado? Jessy, caralho, sua bunda é fodidamente perfeita – ela corou mais ainda.

- vamos esquecer minha bunda, por favor – ela disse se aproximando de mim, agarrei sua cintura, com as duas mãos – eu preciso te beijar – ela disse erguendo os pés para tentar alcançar a minha boca, ri abaixando minha cabeça.

- toda sua, baby – ofereci minha boca, e ela não demorou a colar com a dela, o beijo era lento e intenso, fazendo meu corpo vibrar quando nossas línguas se encontravam, seu gosto de morango, já tinha me viciado, e com certeza era minha fruta favorita, desde que a provei nos lábios de Jess. Desci uma de minhas mãos, para sua bunda a apertando contra meu corpo, ela resmungou algo e tentou parar o beijo, mas minha outra Mão subiu para seu pescoço, ela parou de tentar se afastar, o beijo ficou mais rápido e as unhas de Jess arranhavam meu pescoço, arfei contra seus lábios vendo ela fazer o mesmo, fui parando o beijo com selinhos, encarei seus olhos azuis, seus lábios inchados e vermelhos, sabendo que os meus não estavam diferentes, assim como nossas respirações.

- você é um tarado – ela disse recuperando o fôlego, neguei.

- você é minha, então tudo em você também é meu – dei de ombros, Ela revirou os olhos para mim- não revire os olhos para mim mocinha – mordi sua bochecha.

-AU! Por que fez isso, seu canibal – gargalhei, Jess era incapaz de xingar alguém.
-toda vez que você revirar os olhos, para mim, eu vou te morder – dei um beijo onde eu tinha mordido.

- depois eu que sou infantil, o que tem demais em revirar os olhos?

- isso me irrita, Jess, mas se você quiser eu posso te mostrar o infantil e outro motivo para você revirar os olhos – disse sério, ela arregalou os olhos azuis.

- você está mais tarado que o normal hoje Justin – ela disse séria.

- não , é só que você me deixa puto com essas suas manias, mas porra eu gosto tanto delas – é eu sei sou confuso, nem eu me entendo.

- você é louco – ela riu.

- sim, louco por você – beijei ela uma vez, eu amo o beijo dela.

-está na hora de entrar jessy.

Separei nossos lábios, olhando para seu pai, braços cruzados e postura rígida, eu queria ser igual ele quando tivesse uma filha.

- me desculpe senh...liam, por ter deixado a Jess tão tarde em casa - ele assentiu, cocei minha nuca, nervoso,sentia minhas mãos suarem.

- eu queria chamar você e sua família para jantarem lá em casa no sábado.

- estaremos lá rapaz, agora deem tchau, que amanhã os dois tem aula.

Ele disse e virou as costas, mas deixando a porta aberta, encarei ela que me encarava sorrindo.

- eu passo pra te buscar amanhã- ela assentiu, envolvendo meu pescoço com suas mãos - acho que você poderia passar a tarde comigo, o que você acha? - dei uma leve mordida em seu pescoço.

- não sei, se meus pais iriam deixar.

- fala que temos um trabalho para fazer-beijei o canto de seus lábios, ela assentiu, colando nossos lábios.

Esperei ela entrar antes de dar partida no carro, para minha casa.

(...)

Cheguei na casa da Jessy e seus pais me disseram que ela tinha ido para o colégio com Chris.se eu fiquei puto? Claro que sim, eu poderia estar saindo de casa agora.

- ei Bieber, o treinador pediu para você ir lá pegar sua jaqueta.

Dylan me parou no corredor, Assenti, andando com em direção a quadra.

- vai indo la.

Encarei Jessy que parecia explicar algo para a Sara, ele concordou e eu segui em sua direção.

- pensei que eu fosse te buscar hoje - ela deu um Pulinho, pelo susto e se virou para mim.

- Chris me trouxe.

- eu sei, eu fiquei igual um idiota buzinando na frente da sua casa.

- me desculpe

- Sara pode nos dar licença - pedi, ela assentiu pegando seus livros que estavam com a Jess e saindo, encarei ela de braços cruzados e sério.

- porque você não me esperou?

- eu só vim com o Chris Jay - ela colocou e tirou uma mexa do cabelo de trás da orelha que por sinal estavam soltos hoje, sorri sem mostrar os dentes, ela fazia aquilo quando estava mentindo.

- porque você está mentindo? Qual o problema Jessy?

- nenhum, eu só não quero ninguém falando de mim nos corredores do colégio, como se eu fosse uma nova atração em um circo.- passei minha mão no rosto, não acreditando no que tinha escutado.

- e isso importa Jessy? Você nunca ligou para isso - ela abaixou a cabeça e abraçou mais seus livros.

- eu não era o assunto, Justin, eu era invisível, eu não quero ninguém no meu pé, ou então alguma garota me perguntando o quanto você transa bem - bufei

- quem veio perguntar isso para você?

- ninguém- ela mexeu no cabelo mais uma vez - eu não me sinto confortável, ouvindo outra garota falar de como o meu namorado é bom de cama - ela revirou os olhos, mostrando sua irritação, não consegui esconder o sorriso que se formou em meus lábios assim que ela disse “meu namorado”.

- Pare de se importar com o que eles dizem Jess, é com você que eu estou, e pretendo continuar.

- tudo bem, eu deveria ter te falado isso antes, só vamos tentar ser discretos,ok- concordei com a cabeça, olhando em nossa volta e o corredor já estava vazio, me aproximei dela, roubando um selinho de seus lábios.

- você vai poder ir embora comigo? - ela sorriu

- você quis dizer para sua casa? - sorri sapeca, por ela ter entendido minha pergunta - sim, meus pais nem né perguntaram o que iria fazer lá - dei mais um selinho nela.

- qual sua última aula?

- ed.física -ela revirou os olhos, ela odeia ed.física, mordi sua bochecha -Justin!!

- o que eu falei sobre revirar os olhos - ela bufou - estarei na quadra na última aula,ok

Ela concordou, dei mais um selinho nela, e me afastei quando ela quis aprofundar.

- você não está atrasada?tenho treino a nas primeiras aulas, mas minha última é livre, vou ir para a quadra ok - ela assentiu, a deixei na porta de sua sala e fui para a quadra.

(...)

Na hora do intervalo, não achei Jess em lugar nenhum, eu virei esse colégio de ponta cabeça e nada dela.

- onde você estava no intervalo?-Perguntei assim que ela entrou na quadra para sua aula.

- na enfermaria, eu queria ver se conseguia dispensa da aula- ela fez um bico,que eu fiquei tentado a morder.

- vá se trocar Jessy,e Bieber ou sai da quadra ou para de atrapalhar minha aula.

- estou indo sentar treinador.

Disse, indo em direção a arquibancada, enquanto o professor dividia os grupos para o jogo de queimada, eu encarava a porta do vestiário feminino, esperando Jess sair. Eu odeio a partir de hoje o uniforme de ed.física, apertado demais. peguei minha jaqueta do time, com o número 6 atrás.

- Hey - ela me olhou, joguei a jaqueta em sua direção, e ela me encarou confusa.- amarra na cintura.

Ela revirou os olhos,mas fez o que eu pedi. Ela estava no mesmo time que Sara,como sempre, inseparáveis.

O jogo já havia acabado, e eu estava encostado na parede ao lado da porta do vestiário feminino. Várias meninas já haviam saído e nada da Jess.

- vamos?

A encarei, cabelos soltos, óculos, e uma camiseta florida e short jeans, perfeita, do jeito Jess de ser.

- vamos - disse sorrindo.

- o que vamos ficar fazendo o resto da tarde?

- quero te mostrar uma coisa -ela assentiu, sorrindo.

- o que é? - abri a porta do carro para ela, negando com a cabeça -vai Jay,me conta - neguei lhe dando um selinho antes de dar partida no carro.

- sua jaqueta, tem o número seis, meu número favorito.

- o meu também -sorrimos.

- seus pais estão em casa - neguei,parando o carro na frente da minha casa, desci do carro, dando a volta para abrir a porta para ela.

- eles só chegam mais tarde -expliquei, guiando ela para dentro da casa -esta com fome?

- não, eu comi no colégio - concordei com a cabeça -você esta estranho, aconteceu algo?

- eu quero fazer uma coisa com você, mas estou com medo da sua reação.

Seu corpo ficou tenso, e seu rosto demonstrava o quanto ela estava confusa, me aproximei, envolvendo sua cintura,colando nossos corpos, fiz carinho em seu rosto com uma de minhas mãos, ela fecho os olhos, apreciando meu toque, era a primeira vez que eu estava tão próximo dela hoje.

- o que quer fazer? - seus olhos azuis me encararam.

- eu quero ir com calma com você, mas eu quero te mostrar, consegue me entender.- Não sabia que palavras usar, para minha sorte ela concordou.

- me mostre então - olhei  em seus olhos, e não tinham nenhum vestígios que mostrasse que ela não queria aquilo.

- quando achar que eu estou indo longe demais, me avise, ok-ela assentiu, a levei até a cozinha, sem largá-la estava com medo dela desistir. A sentei sobre o balcão da cozinha e fui até a geladeira, sentia seus olhos curiosos em mim, peguei o pote de sorvete e me posicionei entre suas pernas.

- você vai tomar sorvete comigo? - se eu não estou errado notei um tom de indignação em sua voz.

- quase isso -ela franziu o cenho - vou tomar de um jeito diferente -peguei um pouco com a colher -jogue seus cabelos para trás - ela suspirou e fez o que eu pedi, sem desviar meu olhar do dela, passei a colher em seu pescoço, sua pele quente se arrepio no momento em que entrou em contato gelado do sorvete. Aproximei meu rosto do seu pescoço, lambendo todo o sorvete de sua pele, beijei seu pescoço, como se estivesse beijando seus lábios, senti suas mãos irem para meus braços os apertando, junto com um aperto em sua coxa dei uma leve chupada em seus pescoço, não ficaria marca. Uma de suas mãos se perdeu em meio ao meu cabelo, apertei sua coxa, subindo minha boca até seu ouvido,mordi o módulo de sua orelha, a ouvindo arfar em meu ouvido, sorri contra seu pescoço.

- é bom? - sussurrei, enfiando minha mão em meio aos seus cabelos, dando um leve puxada, para fazê-la me encarar, seus olhos tinham um brilho diferente, posso dizer que gosto desse brilho.

- sim -sussurrou, aproximei nossos lábios , lhe tomando com rapidez , estava sem beijá-la desde ontem,e pelo que percebi, não era uma tortura só para mim, ela parecia meio perdida onde deixar suas mãos, então deixei que ela a passasse por tudo onde ela queria tocar, braços, pescoço, cabelo, e uma parou em meu peito e outra em meu rosto, separei nossos lábios,fazendo ela resmungar.

- calma amor-sorri lhe dando um selinho, pousei minhas mãos nas coxas dela,a encarando - quer tentar?

Ela assentiu, meio receosa, mergulhei a colher no sorvete novamente,a entreguei, aproximei mais nossos corpos, senti o gelado em contato com minha pele me fazendo arrepiar. Ela deu uma risadinha, apertei suas coxas. Fechei os olhos assim que senti, sua língua lamber todo o meu pescoço, uma,duas,três, vezes até tirar todo o sorvete, como eu havia feito com ela senti seus lábios se fechando em torno da pele do meu pescoço, estremeci, com o contado de seus lábios gelados na minha pele quente. Com uma mão em sua coxa e outra no meio de seus cabelos, puxei sua cabeça até que nossos lábios estivessem colados. Mergulhei minha mão no pote de sorvete, passando em seu pescoço enquanto nos beijavamos.

- achei que ja estivesse acabado - sua voz estava baixa e falha por cinta da respiração, encarei o sorvete escorrendo de seu pescoço para o meio de seus seios - tire a camiseta - a encarei surpreso por seu pedido. Mas tirei, me aproximando de seu corpo novamente, sua mão cheia de sorvete passou por todo meu peito.

- você vai limpar toda essa chugeira amor - a informei, puxando com cuidado sua camisa para fora de seu corpo - roxo - murmurei olhando para seu sutiã roxo escuro.

- quer começar a limpar? - encarei seu sorriso de santa, e apertei sua coxa,fazendo ela dar um pulinho em cima do balcão

- sem ironias Baby- não esperei ela esponder e comecei a tirar o sorvete se seu corpo, seu corpo se arrepiou quando cheguei perto de seus seios,sorri contra sua pele, dando um mordida na sua pele acima de seu seio direito.

- Justin - ela suspirou meu nome.

- estou acabando amor - Lambi o meio de seus seios que o Sutiã permitia. Subindo com beijos até sua boca, não encoste meu corpo no dela, se não iria a sujar de novo, não que fosse uma má ideia, mas meus pais ia estavam chegando e não seris nada legal, eles nos pegarem assim.

Seus lábios eram delicados, ao passar pelo meu corpo, senti seus beijos descendo por meus peito, apertei seus braços, tentando puxa-la para cima, mas ela não deixou, senti meu membro dar sinal de vida,assim que seus lábios lamberem a regiam próxima ao meu umbigo. Ela fico de pé em minha frente,sorrindo.

- limpinho amor - neguei a olhando, a beijei com urgência, ela só tinha essa cara de santa, uma coisa que eu descobri sobre Jess, ela aprende rápido, muito rápido, separei nossos lábios assim que ouvi a porta da frente sendo fechada.

A encarei, olhos arregalados e boca aberta, poderia rir, se eu não estivesse ferrado também, peguei nossas camisas e puxei ela para a área da piscina. A olhei e ela na estava vestida, a peguei no colo.

-o que voce vai fa….- ela não terminou de falar, pulei na piscina,com ela em meus braços. Quando voltamos para cima, ela iria gritar comigo, mas minha mãe a pereceu.

-olá, por que estão de roupa na piscina.

- Jess não trouxe biquíni e ela não queria nadar de lingirei- dei de ombros, ela assentiu e saiu, nos deixando sozinhos.

- seu idiota - ela me deu um tapa ardido, porra ela tem a mão forte.

- vai amor, a gente precisava de um banho mesmo.

Ela me encarou seria, gargalhei,lhe dando um beijo calmo o qual ela não recusou, ela nunca me recusaria assim como eu não seria capaz de recusar algo vindo dela.




Notas Finais


O que será que vai rolar nesse jantar?
Eles estão ficando safadinhos, vacilo da Jess dar bolo no Justin.

Comentem o que estão achando.
Até o próximo capítulo baby's❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...