História Look At Me (Laurinah). - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Dinah, Dinah Jane, Lauren, Lauren Jauregui, Laurinah
Exibições 184
Palavras 1.450
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa tarde, bebês. Tô morrendo de gripe, mas mesmo assim não posso deixar de vir aqui postar pra vocês. Espero que vocês estejam gostando do rumo que as coisas estão tomando. <3

Capítulo 10 - 10: When You Love Someone


Fanfic / Fanfiction Look At Me (Laurinah). - Capítulo 10 - 10: When You Love Someone

When You Love Someone - James TW

"It don't make sense, but nevertheless, you've got to believe us, it's all for the best."

- Promete que me liga assim que o avião pousar no Japão? - Minha mãe pediu pela milésima vez, enquanto enrolava uma mecha de meu cabelo em seu dedo. Eu tive que rir. Quando ela iria perceber que eu já tinha vinte anos e não era mais a garotinha que ela levava para a escola todas as manhãs com a lancheira da Barbie?

- Mãe, assim que der eu ligo. Não se preocupa. - Joguei meus braços ao redor de seu corpo e apertei muito forte. Tudo bem, talvez ainda existisse uma pequena parte daquela garotinha dentro de mim. Eu detestava ter que ficar longe dela.

Depois de mais alguns minutos a sós nos despedindo, minha mãe e Taylor me levaram até a área de embarque do aeroporto, de onde tive que seguir sozinha. Caminhei até avistar Ally e Normani sentadas, acompanhadas por Mike, nosso empresário, Gina que fazia parte da produção e estava sempre conosco, e alguns seguranças.

As duas sorriram ao me verem. Só tínhamos ficado longe por alguns dias, mas quando se passa tanto tempo com determinadas pessoas, você realmente se acostuma e sente falta com apenas algumas horas longe.

- Achei que você seria a última a chegar. - Ally disse, envolvendo minha cintura com seus pequenos braços e me apertando em um abraço carinhoso. Normani logo veio se juntar a nós.

- Quem sempre se atrasa é Dinah, nem vem! - Dei língua para ela, assim que nos afastamos.

- Dinah já chegou, mas ela não estava se sentindo bem, então foi para o banheiro. - Quando Mani me disse aquilo, senti um desconforto no peito. Dinah não estava bem? Eu precisava vê-la.

Foram alguns minutos torturantes até que Camila chegasse, e depois Dinah finalmente apareceu. Ela estava com uma carinha abatida, mas nos cumprimentou como se tudo estivesse bem, então decidi não ser chata e deixá-la em paz por um tempo.

Seriam doze longas horas de vôo, então fiz questão de obrigar Camila a trocar de lugar comigo, para que eu pudesse ficar ao lado de Dinah no avião. Eu simplesmente adorava todo aquele conforto da primeira classe, mas naquele momento eu detestava que houvesse tanta distância da minha poltrona para a de Dinah.

Ela estava quieta demais para ser Dinah. Geralmente, ela e Normani estariam fazendo o possível e o impossível para colocar esse lugar de cabeça para baixo. E eu não estou exagerando, elas realmente são capazes disso.

- Olha só, aqueles amendoins que você tanto gosta. - Brinquei, estendendo minha mão com um punhado de amendoins para ela. Dinah me olhou e sorriu com o canto dos lábios, pegando alguns grãos de minha mão e jogando na boca. - Está tudo bem?

- Sim, só não queria ter que ir assim tão rápido. - Seus lábios se curvaram em um biquinho como se ela fosse chorar a qualquer momento, e eu tive vontade de colocá-la em meus braços e ninar. 

- Eu sei, Di. Mas o tempo vai passar rápido, você vai ver. - Embora eu não quisesse realmente que passasse.

- Seth chorou tanto quando tive que entregá-lo a minha mãe. Regina nem quis me dar tchau. - Ela estava realmente se esforçando para não chorar. Olhei para o cinto de segurança preso ao redor de minha cintura e depois para Dinah.

Não precisei pensar duas vezes.

Soltei-me da poltrona e dei um passo até ela, sentando-me no apoio para braço de seu acento. Levei minha mão até o seu rosto e afastei todo seu cabelo para trás, deixando seus lindos olhos mais visíveis para mim. Ela me encarou e soltou um suspiro frustrado, então não esperei muito até passar meu braço em seu ombro e puxá-la para um abraço.

- Está tudo bem, Di. Eu estou aqui com você. - Senti quando uma lágrima pingou em minha perna, onde sua cabeça estava deitada, e comecei a fazer um carinho com as pontas dos dedos em sua nuca, brincando com aqueles fiozinhos de cabelo que começavam a nascer ali. Céus, vê-la chorar definitivamente era a pior coisa do mundo.

Voltei ao meu lugar alguns minutos mais tarde, depois de tomar uma bronca da aeromoça por estar fora de meu acento na hora da decolagem. Mas pelo menos aquilo fizera Dinah rir. E era assim que eu gostava de vê-la. Feliz.

Não tenho certeza de quando isso aconteceu, mas adormeci e só acordei várias horas mais tarde, quando o avião já estava fazendo pouso no aeroporto de Tóquio. Eu sempre ficava muito animada para conhecer lugares novos, eu nunca havia pisado em solo japonês e estava cheia de curiosidades e uma enorme lista de coisas que queria fazer.

Logo que desembarcamos, os carros a nossa espera nos levaram para o hotel. Normani veio comigo, Camila, Dinah e Ally foram em um carro separado. Estávamos em um hotel localizado bem no centro da metrópole de Tóquio, então passei todo o caminho absorvendo aquela quantidade enorme de cultura através da janela. Tudo, absolutamente tudo ali era diferente e me encantava. A cultura oriental é magnífica.

Depois de nos acomodarmos em nossos quartos, descemos até o restaurante do hotel para almoçar, e todas estávamos muito empolgadas para finalmente experimentar o verdadeiro sushi japonês. Sentamos-nos em almofadas fofas ao redor de uma mesa retangular grande o suficiente para acomodar todos nós, e dessa vez, Dinah estava ao meu lado.

Não pude conter uma risada ao vê-la brigando com o hashi para conseguir equilibrar uma fatia de salmão e levá-la até a boca.

- É assim, Dinah! - Nick, o babaca, disse, envolvendo a mão de Dinah com a sua e ajustando os palitinhos entre seus dedos. Eles estavam próximos demais, e Dinah sorria toda sem jeito, enquanto Nick (o babaca) encaminhava a comida até sua boca.

Certo, que ceninha ridícula foi aquela? Dando comida na boca de Dinah? Sério?

Soltei um suspiro frustrado e atrai alguns olhares curiosos para mim. Menos Camila. Seu olhar era o mais puro divertimento, como se estivesse esforçando-se muito para conter uma risada. Latina desgraçada.

- Que foi, Lau? Não tá gostando? - Ally pareceu preocupada, mas logo se distraiu com uma porção de rolinhos primavera que havia sido colocada sobre a mesa.

- Estou, mas estou com dor de cabeça, quero ir dormir um pouco.

- Dor de cabeça de novo? - Mani perguntou do outro lado, esticando seu braço por cima de Ally e roubando o rolinho que ela estava há um tempo tentando pegar.

- Mani! - A baixinha reclamou, dando-lhe um tapa no ombro.

- Mas você dormiu a viagem toda, Lo. - Dinah disse, fazendo-me olhar em sua direção e ver que Nick não havia se afastado nem um pouco. Eu estava quase me levantando e perguntando se ele queria sentar em seu colo.

- E daí? Estou exausta, não posso nem dormir mais? - Talvez eu devesse tomar mais cuidado com as palavras que usava para falar com Dinah, mas eu não conseguia controlar o mau humor que tomava conta de mim, todas as vezes que Dinah estava próxima de Nick. O babaca.

- Nossa, desculpa. Não vou mais incomodar a vossa majestade. Pode dormir o quanto quiser. - Ela disse com um tom de deboche em sua voz, e aquilo só me deixou ainda pior.

- Ficarei muito agradecida se não incomodar e nem se meter no que não é da sua conta, Dinah. - Dessa vez, realmente exagerei e todos olharam para mim com uma cara surpresa.

- Não se preocupe, não vou mais fazer isso, Lauren. Ficarei bem longe. - Cancerianas...

- Ei ei ei, calma gente. - Camila disse, levantado-se para chamar a atenção de todos. Inclusive, das pessoas que estavam em outras mesas. Que vergonha. - Lauren tá assim por causa do jet lag, nós sabemos que é normal. Vamos deixar ela dormir quieta, daqui a pouco essa cara emburrada passa.

- Por mim, pode dormir a semana inteira se quiser. - Quando Dinah disse aquilo, senti uma enorme vontade de chorar, mas respirei fundo e fitei o prato a minha frente. De repente, sem a menor vontade de comer o que estava ali.

Me senti a pessoa mais idiota do mundo naquele momento. Havia descontado meu mau humor em Dinah, e agora além de estar de conversinha com Nick, ela estava brava comigo. Ótimo, Lauren. Meus parabéns. Tudo o que eu mais queria, era não me importar com isso. Mas me importava. Me importava pra caralho, porque eu estava apaixonada.

Apaixonada por Dinah Jane que não se importa se eu dormir a semana inteira Hansen. 


Notas Finais


E essa Lauren ciumenta Jauregui? <3 ASPOKSPAKOP Até amanhã, bbs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...