História Look At Me (Laurinah). - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Dinah, Dinah Jane, Lauren, Lauren Jauregui, Laurinah
Exibições 242
Palavras 1.657
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa noite, bolinhos. Um passarinho me contou que vocês estavam ansiosos por um capítulo com ponto de vista da Dinah, é verdade? kaspakos Então, esse capítulo é todinho do ponto de vista da loira, espero que vocês gostem, eu realmente gostei de escrevê-lo.

Mores, só mais uma coisinha. Queria deixar claro que embora seja Lauren e Dinah, são a Lauren e a Dinah que EU criei na minha cabeça, ok? Porque sei que em alguns momentos vocês ficam "nossa, mas a Dinah não faria isso, a Lauren não é assim" e mimimi. Portanto, como é uma história fictícia, as personagens também são, e às vezes podem ser bem diferentes das nossas bichinhas reais.

Capítulo 12 - 12: The Fire


Fanfic / Fanfiction Look At Me (Laurinah). - Capítulo 12 - 12: The Fire

The Fire - Kina Grannis

"You stood tall the fire began to let out, I trusted you’d refrain and keep closed you mouth. You let the fire out and it’s right in front of me."

Dinah Jane Point of View.

Eu estava exausta depois daquele dia, havia visitado muitos lugares com as meninas, e havíamos acabado de sair de mais um longo ensaio. Sem Lauren. Eu não estava feliz com o acontecimento do almoço, não gostava de me desentender com nenhuma das meninas, mas Lauren estava inflexível. Eu não precisava ter sido tão grossa com ela, mas perder o ensaio por causa disso? Era muita irresponsabilidade de sua parte

Quando subimos de volta para nossos quartos, pensei em ir direto para o meu e tomar um banho para descansar. Mas eu estava com aquilo entalado em minha garganta. Eu realmente queria e precisava saber o que estava se passando com Lauren. Então deixei que as meninas fossem para seus quartos e caminhei até o dela. Dei duas batidas na porta e esperei.

Nada de Lauren. Bati mais uma vez e me recostei na parede ao lado da porta, ajeitando meus cabelos em um novo rabo de cavalo, já que estavam bastante bagunçados. Meu corpo estava um nojo, eu havia dado tudo de mim no ensaio para extravasar alguns sentimentos negativos. Então estava toda suada, com a camiseta molhada e dobrada, mostrando parte de minha barriga para pegar um vento e esfriar mais depressa. Onde diabos estava Lauren? Dormindo antes das dez?

Peguei meu celular e enviei um “Lauren, estou na sua porta, se puder abrir por favor.” em seu whatsapp, mas a mensagem continha apenas um “visto”, indicando que havia sido enviada, mas não recebida e menos ainda visualizada. Suspirei frustrada e girei meus calcanhares, preparada para voltar para o meu quarto e finalmente tomar meu banho. Aquela conversa ficaria para amanhã.

Mas antes que eu pudesse me mover, ouvi o som do elevador parando em nosso andar e logo em seguida risadas femininas. Eu tinha certeza que era a Lauren com alguém, e isso só se confirmou quando ela saiu dali aos beijos com uma mulher desconhecida. Meu estômago rapidamente se embrulhou e um estranho nervoso tomou conta de mim. Sabe quando seu coração bate muito rápido e você sente que tem alguma coisa errada? Era exatamente assim que eu me sentia, mesmo sem entender o porquê.

Ver Lauren agarrada àquela mulher não fora algo que eu esperava encontrar aquela noite. Na verdade, eu não me importava com o que ela queria fazer de sua vida. Mas ela sabia muito bem que se fosse pra cama com uma desconhecida, correria o risco de no dia seguinte ter seu nome, junto ao nome de nossa banda, estampada em todos os jornais falando sobre sua formação sexual. Se Lauren queria se foder, problema dela. Mas eu tenho certeza de que ninguém além dela queria fofocas envolvendo o nome Fifth Harmony espalhadas por aí.

Respirei fundo e não me movi. Outra vez, de forma estranha e inexplicável meu sangue começou a ferver em minhas veias ao ver suas risadinhas e a forma que não se desgrudavam nem para caminhar em direção ao quarto. Quando Lauren finalmente prestou atenção em algo que não fosse aquela vadiazinha barata atrelada ao seu pescoço, ela me viu e paralisou. Tive vontade de encher sua cara pálida de tapas até que ela ficasse vermelha, mas me mantive quieta.

- Di-dinah... – Ela disse, gaguejando. Qual é? Esqueceu o meu nome também? Tive vontade de perguntar, mas não foi isso que eu disse.

- Lauren, eu sinto muito em atrapalhar sua noite, mas nós temos um compromisso importante com a banda e não podemos contar com a sua irresponsabilidade. – Foquei meus olhos furiosos nela, que pareceu não entender o que eu dizia. A mulher ao seu lado sequer importava-se com a minha presença, continuava com suas mãos bobas soltas pelo corpo de Lauren.

Uma vadia, literalmente.

- Que compromisso? Eu sei que perdi o ensaio, sinto muito ma... – Nem permiti que ela continuasse.

- Não, Lauren. Nós estamos indo ensaiar agora e precisamos de você. - Lauren pareceu ainda mais confusa, enquanto tentava olhar para o relógio em seu pulso.

- Como assim? - Ela perguntou, me fazendo soltar um suspiro frustrado. Pensei que fosse mais fácil enganar a bêbados.

- É, como assim? A Lolo não vai a lugar nenhum agora. - A vadia se intrometeu, com a voz arrastada pela bebida, se pendurando outra vez nos ombros de Lauren e soltando uma risadinha irritante.

- Lolo? Vejo que estão íntimas. - Abri um sorriso debochado, mas aquilo me incomodara mais do que deveria. Por que tinha uma estranha chamando minha Lolo de Lolo? O quê? Minha Lolo? O que diabos eu estou dizendo? - Olha, sinto muito, mas você precisa ir comigo. - Nem dei a oportunidade de Lauren questionar mais nada, a peguei pelo braço e a puxei comigo em direção ao meu quarto.

Não olhei para trás, mas Lauren se debatia tentando escapar de minha mão, enquanto olhava para a garota e se desculpava. Só a soltei quando já estávamos em meu quarto, com a porta atrás de mim devidamente fechada.

- Você está maluca, Dinah? – Ela gritou, me olhando furiosa. – Por que você fez isso?

- Não, Lauren. Quem está maluca é você. – Respirei fundo, colocando minhas mãos em minha cintura. – Você ia pra cama com uma vagabunda que com certeza iria te difamar no dia seguinte. O que deu em você? Por que estava bebendo ao invés de ir ao ensaio com a gente?

- Primeiro, Emily não é uma vagabunda, Dinah, olha como você fala. – Arqueei uma de minhas sobrancelhas, vendo-a defender aquela vadia. – Segundo, eu não te devo explicações da minha vida.

- Pouco me importa o nome daquela vagabunda, Lauren. E você deve satisfações sim, a partir do momento que essas suas besteiras começam a prejudicar a nossa banda. – Não fora de propósito, mas eu já havia alterado o tom de minha voz mesmo sem perceber. Lauren conseguia me tirar do sério.

- Eu não fiz nada demais, eu só faltei na porra de um ensaio que eu já fiz mil vezes só esse mês. Eu não vou prejudicar a banda em nada, que saco, Dinah! – Ela sentou-se na beira de minha cama e cruzou os braços na frente do peito, bufando como uma criança emburrada que acabara de ser colocada de castigo. Lauren definitivamente era uma criança.

- Eu só estava preocupada e tentando fazer o melhor para você, ok? Eu não queria que você corresse o risco de ser exposta dessa forma. – Senti minhas mãos trêmulas e uma pequena vontade de chorar começou a tomar conta de mim.

- O melhor para mim, Dinah? – Ela riu debochada. – Como se você desse a mínima.

- Por que você está me tratando assim, Lauren? O dia todo. O que eu te fiz? – Ela me olhou seriamente durante algum tempo. Seus olhos estavam escurecidos e eu não enxergava nada positivo que viesse dela. Aquela vontade de chorar aumentou, e eu funguei, abaixando meu olhar para o chão e fitando meus pés.

- Eu só estava tentando me divertir um pouco depois de ter passado a tarde inteira sozinha e você chega pra estragar tudo. – Aquilo foi demais para mim.

Caminhei rapidamente até a porta e a abri, voltando meu olhar em direção a Jauregui. – Vai, Lauren. Pode ir. O problema é todo seu, a partir de hoje eu não me meto em mais nada que tenha relação com você. Se você quer se foder, eu não estou nem aí. Pegue a primeira vagabunda que encontrar, mas transe com ela a noite inteira, que é pra valer a pena o prejuízo que você vai nos dar depois.

Minha voz estava falha, eu não conseguia mais esconder aquela vontade de chorar. Que droga, isso não precisava ser assim. Por que é que eu me importava tanto com Lauren, afinal? Ela era grande o suficiente para tomar suas próprias decisões e aquilo não cabia a mim. Mas, por alguma razão, me machucava e eu não era capaz de ignorar.

- Por que está tão preocupada assim, Dinah? Não é como se eu nunca tivesse feito isso antes. – Ela se levantou e se aproximou de mim, pude sentir o cheiro forte de álcool e aquilo só me embrulhou o estômago ainda mais.

- Eu já disse, eu não me importo. A porta está aberta, vá. – Repeti, tentando focar meu olhar em qualquer coisa que não fossem os olhos verdes que me estudavam curiosamente.

- Você está com ciúme? – Subi rapidamente meu olhar até o seu, só para vê-la soltar outra risada debochada. – Está com ciúme de mim e Emily, Dinah?

- Okay, você bebeu mais do que eu achei que tivesse bebido. Por que diabos eu teria ciúme de você, Lauren? Me poupe. Some logo aqui e vá fazer o que você quiser, eu não me importo. – Abri ainda mais a porta e apontei para o lado de fora, esperando que ela saísse. Lauren estava fora de si, de onde ela tirou essa história estúpida de que eu teria ciúme dela? Revirei os olhos e suspirei, esperando que ela saísse.

Mas antes de fazê-lo, Lauren se aproximou de mim e beijou minha bochecha. Respirei fundo para não empurrá-la para longe naquele momento. Eu definitivamente detesto pessoas bêbadas. Como se aquilo não tivesse sido o suficiente, Lauren veio para me dar mais um beijo, dessa vez acertando o canto de minha boca, e sabe-se Deus o que teria acontecido se eu não tivesse me afastado a tempo.

- Amanhã a gente conversa. – Foi a última coisa que eu disse antes de bater a porta em sua cara. Minhas mãos estavam trêmulas e meu coração batia muito rápido contra meu peito. Que diabos foi aquilo? Eu podia sentir o local onde Lauren havia beijado formigar minha pele.

Alguma coisa muito errada estava acontecendo ali.


Notas Finais


O QUE SERÁ QUE ESTÁ ACONTECENDO, HEIN DINAH? AAAAAAAAAAAAA, espero não ter decepcionado meus bolinhos. Beijos de luz e até o próximo. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...