História Look At You - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Personagens Originais, Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Exibições 189
Palavras 2.168
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


ANHOOOOOI LEITORAS QUERIDAS, olha quem voltou.
Hoje eu não quero papo, só leiam e, SooHao shippers, não me matem.
Boa leitura *O*

Capítulo 18 - Love can hurt or can release


MINGHAO

 

Respiro bem fundo antes de botar novamente meus pés dentro da escola. Tenho evitado voltar à escola depois dos resultados da audição, mas ficar fugindo não vai melhorar nada. Eu tenho que focar na minha carreira agora. Caminho até a nossa “sala de reuniões”, o que na verdade é a sala de prática que nos foi dada, mas o Hoshi diz que agora é nossa sala para reuniões. Eu entro na sala logo me dirigindo a pequena mesa no canto do lugar, onde já estavam todos sentados. Ao me verem ergueram as sobrancelhas, surpresos.

-The8! Achei que você tinha morrido. Por que não avisou que ia sumir todo esse tempo? Eu fiquei preocupado sabia? –Hoshi diz furioso, com certeza por eu deixar ele sozinho com o planejamento do espetáculo.

-Desculpa gente, eu estava realmente mal de resfriado. Nem me lembrei de avisar vocês. –Respondo me sentando e pegando minhas coisas na mochila, pronto para recuperar o tempo trabalho perdido.

-Nossa, acho que vou passar na farmácia para comprar uns remédios pra mim. Esses resfriados estão contagiosos. –Dino comenta relaxando suas costas no encosto da cadeira.

-Tá bom, você já está aqui então vai ficar bem mais fácil. Vamos discutir nossas tarefas logo, precisamos de algo para mostrar pro diretor no fim da semana. –Hoshi me entrega uma pasta com vários papéis.

Como os meninos já tinham vindo antes, já tinham em mãos suas tarefas e ajustavam detalhes com Hoshi. Eu folheava a pasta rapidamente, dando apenas uma olhada no que eu tinha que fazer. Era algo em torno de 15 cenas, o que foi muito estranho para mim. Eu e Hoshi nos conhecemos já faz alguns anos, sei que ele acredita no meu potencial e tudo mais, mas 15 cenas é algo... surpreendente.

-Hoshi... você vai mesmo me dar tudo isso? –Pergunto maravilhado e, ao mesmo tempo, assustado com a oportunidade.

-Bom você não vai fazer tudo só. –Hoshi responde trocando olhares com os meninos antes de falar novamente. –SooMin vai lhe ajudar.

Quando ouço isso minha breve felicidade se esvai e agora fico preocupado. Lembro-me da noite em que briguei com SooMin, lembro de vê-la desabar, lembro de ver as lágrimas brilharem em seus olhos. Por mais que ela não me agrade muito, me sinto extremamente mal pelo que fiz. Não vai ser nada fácil convencê-la a trabalhar comigo.

-A maioria das cenas ai é encenada por casais, imaginamos que você e ela consigam fazer isso.

-Tudo bem. Cadê ela pra gente começar então? –Digo já me preparando mentalmente para levar um tapa no meio do rosto.

-Ela ainda não chegou. Também estava doente, mas ligou ainda agora e disse que vinha. –Jun responde meio retraído.

-Pode começar antes dela, quando ela chegar nós avisamos pra ela te encontrar.

Olho novamente a pasta em minhas mãos, me sinto estranhamente seguro e envergonhado ao pensar em encontrá-la de novo. Acho que lhe devo um pedido de desculpas, por que, na verdade, ela não teve nada a ver com o que aconteceu comigo. Suspiro, me levantando da cadeira e pegando minha mochila de novo, me preparando para sair.

-Vou dar uma analisada melhor nisso, se a SooMin chegar digam que eu estou no parque atrás da escola. –Digo e os três afirmam com a cabeça, me olhando sair em silêncio.

Ando cuidadosamente pelos corredores lendo cada parte das cenas, parece um livro de romance misturado com um suspense intrigante, tenho ótimas ideias para as coreografias. Fico tão entretido nos papéis  que quase caio da escada, mas uma mão me segura antes que eu me esborrache no chão.

-Ei garoto, mais cuidado. Não ande desatento assim. –O rapaz me adverte.

-Desculpe. –Me viro  para fazer uma reverência, mas assim que meus olhos encontram a pessoa minhas palavras se esvaem.

-Minghao? Oi! –Ele me cumprimenta animado. –Procurando a Soo?

Apenas afirmo  com a cabeça e continuo calado, encarando-o. Esse tal JinWoo tem mostrado um interesse um tanto estranho em relação a SooMin, mas ela diz que ele não é seu namorado. Então... o que é?

-Amor, você não... – Eun Ri vem falando, mas assim que me vê ela para bruscamente e arregala os olhos. –The8...

A encaro com a expressão mais neutra que consigo fazer, mas por mais estranho que pareça, dói menos do que eu esperava.

-Oi amor. Já vou sim, só parei para dar um “olá” para o Minghao. –Ele diz se aproximando dela e roubando um selinho.

Fico assustado com a cena, por isso eu não esperava. Então era ele o namorado que ela falava naquele dia?

-V-você é namorado dela? –Pergunto ainda confuso.

-Sim. Eu te falei naquele dia na lanchonete. –Ele olha para mim ainda sorridente.

Eu encaro o chão tentando lembrar, de repente tudo fica muito claro. Não foi SooMin que falou de mim para JinWoo, foi EunRi. JinWoo é namorado de EunRi.

O choque faz com que eu fique um pouco tonto, mas disfarço. Olho mais uma vez para o casal a minha frente, que me encara com uma expressão preocupada, principalmente EunRi. Estranhamente eu dou um sorriso, um sorriso de verdade, e da minha boca saem palavras que eu jamais pensei que diria.

-Felicidades para vocês dois.

-Ah obrigado. –JinWoo sorri mais ainda.

EunRi me encara, não sei se está confusa, aliviada ou assustada, mas seu rosto não expressa a felicidade que eu espera ver.

-Eu já vou indo. Até logo. –Faço uma breve reverência e saio correndo escada abaixo.

Eu praticamente voo para chegar ao Jardim, inspiro e expiro rapidamente tentando recuperar o ar e entender o que acabei de fazer.

-Eu deixei mesmo de amar EunRi? Assim tão rápido?

Não consigo crê, me sento no banco do Jardim e penso. Tudo parece tão confuso na minha cabeça.

 

(...)

SOOMIN

 

Eu tento me acalmar o máximo possível durante o trajeto da escola. Pego o ônibus mais demorado com o propósito de prolongar mais o meu tempo, mas eu sei bem que prolongando ou não essa conversa é inevitável.

Ônibus dá mais umas voltas e logo chega à escola, meu coração dispara de ansiedade e eu me controlo para não sair correndo de volta para casa e me trancar no quarto. Caminho em passos contidos pela escola, observando cada milímetro do lugar a procura dele. Não demora muito, vejo Minghao correndo para fora do prédio em direção ao Jardim.

-Ele deve ter brigando com ela de novo. –Sussurro baixinho para mim mesmo.

Por um momento eu penso em desistir, mas reúno toda a coragem que me resta e caminho até ele. De longe posso vê-lo sentado no bando, com a cabeça entre as mãos, parece cansado e pensativo. Me aproximo mais lentamente já me preparando para o pior.

-MInghao. –Chamo seu nome tentando fazer uma voz decidida, mas falha e acabo transparecendo meu nervosismo.

Ele levanta a cabeça e ao me ver arregala os olhos e se levanta em um pulo só, isso só me deixa mais nervosa.

-SooMin...

-Você... tá ocupado? –Pergunto me esforçando ao máximo para não desviar os olhos dele.

-Não, pode falar.

Respiro fundo novamente e me sento, assim com ele faz em seguida. Demoro um pouco, fico pensando nas palavras certas, mas escolho simplesmente deixar fluir.

-Bom... eu ainda estou meio confusa mas... vou tentar dizer isso claramente. –Fecho os olhos com força e solto–Minghao eu sou apaixonada por você. –As palavras saem queimando pela minha garganta. –Não sei se deveria ter dito isso antes, eu nunca me senti assim por alguém, acho que é por isso que estou tão nervosa agora. Sei que nunca fomos amigos, você foi grosso comigo na maioria das vezes, eu não deveria ter o menor motivo para tal. Mas aconteceu.

Minghao me encarava em choque, não por que eu gosto dele, aliás, ele já devia saber, mas por que eu tomei coragem para dizer isso. Tomo fôlego mais uma vez e continuo.

-Você pode debochar de mim depois, até eu faria isso se fosse você. Não quero que sinta pena de mim ou coisa e tal, só quero deixar as coisas claras para que possamos trabalhar sem um clima estranho entre nós. –Me viro para olhar para ele. – Eu vou fazer o que você me disse. Não vou mais ligar para você, de quem você gosta ou para o que acontece na sua vida. Não importa o quanto doa.... Eu vou te esquecer

Minhas últimas palavras fazem meu peito doer como se eu tivesse levado um tiro, mas eu me mantenho firme para não chorar. Não na frente dele.

-E com isso... acho que essa brincadeira de escrava acaba não é? –Pergunto forçando um sorriso.

 Minghao continua sério, ele analisa cada parte do meu rosto enquanto o silêncio começa a tomar lugar entre nós. Com medo de fraquejar e fazer alguma besteira, me viro rapidamente e entrego aquilo que termina com tudo: o diário dele.

-Toma, isso é seu. –Assim que  Minghao descobre o que é entra em pânico total, mas antes que ele grite ou fale eu continuo. –Fica calmo, eu não li nada. Eu até ia, não o fiz.

-Como você pegou isso?

 

(...)

QUATRO DIAS ANTES

Minghao ainda não havia aparecido para a comemoração, os meninos foram sem nós e isso me deixou extremamente irritada. Fui até a casa dele, já que agora tenho a chave, arrastá-lo pelos cabelos. Entro já irritada, batendo porta e pouco me importando se ele estaria dormindo ou não. Corro para o andar de cima e vasculho cada quarto, desço novamente e olho a cozinha. Ele não está na casa. Já frustrada e irritada por ele ter simplesmente sumido e não ter me avisado nada, para que eu não esperasse por ele igual uma boba, caminho para sair da casa quando algo me chama a atenção. Há um armário com uma chave na fechadura e dentro há uma caixa com um aspecto antigo e um caderno. Ando curiosa até o armário e o abro, tomando cuidado e olhando para os lados me certificando que não havia ninguém por perto. Puxo primeiramente o caderno, por que sei o que ele é: o diário. Minghao agiu tão estranho no dia que eu peguei esse diário que passei dias pensando nele, curiosa para saber seu conteúdo. Penso em abrir na hora e folhear página por página, mas penso bem e resolvo guardar o diário para usar em uma ocasião mais conveniente. Fecho o armário com todo cuidado e, rapidamente, saio da casa de Minghao.

 

(...)

-Nunca o tirei da minha mochila, não nenhuma palavra daí de dentro então você pode dormir tranquilo. –Digo, feliz por nãoo ter lido nada mesmo.

MInghao olha o diário e o segura com tanto medo que começo a me sentir mal por tê-lo pego, mas me controlo.

-Bom... eu preciso ir. Hoshi está me esperando. Tchau. –Digo rápido, saindo a toda velocidade dali.

Corro para fora do Jardim, com o coração a mil por hora e as lágrimas já descendo descontroladamente. Olho em volta, a escola, as pessoas, o dia.... De repente sinto que tudo se torna mais leve, mais brilhante. Começo a correr, sem olhar para ninguém, sem olhar para trás, sem nem olhar para o meu caminho, entre lágrimas e sorrisos. Acabo esbarrando em alguém e qual não é a minha surpresa quando levanto o olhar e vejo Wonwoo na minha frente. Ele não diz nada e apenas me puxa para um abraço, deixando que eu chore o quanto eu queira.

-O que houve? –Ele pergunta em um sussurro me afastando para olhara para ele.

-Eu consegui Wonwoo, eu deixei Minghao ir... –Eu dou um sorriso de orelha a orelha enquanto as lágrimas ainda caem.

Wonwoo de repente paralisa e num ato inesperado, me beija.

 

(...)

MINGHAO

 

Olho a capa do caderno tentando digerir tudo o que eu acabei de ouvir. Eu sempre soube que Lee SooMin tinha algo de estranho em relação a mim, mas eu jamais imaginei que ela fosse apaixonada por mim. De verdade, todas as vezes que insinuei isso eu falava para irritá-la, jamais pensei que a magoava brincando desse jeito. De repente meu mundo virou de cabeça para baixo. Eu beijo EunRi, levo um fora, SooMin quase descobre sobre meu segredo e agora ela diz que gosta de mim? É coisa demais para minha cabeça. Mas de uma coisa eu tenho certeza, SooMin não pode me esquecer tão rápido e eu não posso ir embora magoada assim, não desse jeito. Eu largo o caderno o banco junto com as minhas outras coisas e corro atrás dela. Ela saiu andando, quase correndo, do Jardim, mesmo que tivesse corrido não estaria muito longe. Olho para todos os lados e a procuro em meio as várias pessoas  que ainda ocupam o hall da escola. Meu olhar se fixa em um casal abraçado em frente a escola, logo identifico Soo com a garota abraçada ao cara. Ando em passos firmes em direção aos dois, mas paro assim que vejo uma cena que me deixa ainda mais chocado. SooMin está beijando o cara... bem na minha frente.

 

 

(...)


Notas Finais


MANOOOOOOOOO. SooWoo <333333 Quem ai shippa? Olha se esse capítulo já causou a discórdia, vão chamando o nct127 por que ai vem fogo.
Obrigado por ler mores, até capítulo que vem ~~Chuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...