História Look At You - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Personagens Originais, Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Visualizações 63
Palavras 2.740
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Então gente, eu tive que dividir esse capítulo no meio porque ele estava extremamente grande, estou dando uma última limpada na parte dois e logo logo postarei. Espero que gostem meus amores <333333

Capítulo 8 - Faltando aula pt.1


SEOKMIN

Essa coisa de audição é bem mais trabalhosa que eu pensava. Cheguei na escola há pouco tempo e já estou mais exausto do que nunca estive na minha vida, mas não reclamo. Trabalhar com música sempre foi uma coisa que eu amei fazer, e agora na companhia dos meus novos amigos tudo melhora. Eu realmente adoro esse lugar. No início eu tive muito medo de a qualquer momento as coisas darem errado com SooMin e ela acabar parando no internato. Minha mãe é uma pessoa boa, bem mais do que minha irmã pensa que ela é, mas ela não volta atrás em suas decisões. Mas agora eu posso ver que minha irmã se sente como eu. Sempre a vejo sorrindo quando está na escola, e sempre está com alguns de seus amigos, ver minha irmã não causando problemas por ai e estando feliz é maravilhoso.  

-Ei cara. –Ouço alguém me chamar, levanto a cabeça e vejo Joshua se sentar ao meu lado. –O que você acha de mudarmos essa parte?

Pego o papel e analiso as mudanças feitas por ele, realmente elas parecem se encaixar muito melhor na música. Dou um sorriso sincero para ele e lhe respondo.

-Está bom. Acho que a música vai ficar bem melhor nessa versão.

-Você acha que o Woozi vai aceitar mudar? –Ele pergunta abaixando ainda mais seu tom de voz e olhando para os lado, preocupado.

-Por que não aceitaria? Alguém é contra mudar?

-Na verdade eu só mostrei para você isso. Eu sei somos amigos e que sou mais velho que o Woozi, mas as coisas que ele faz parecem tão melhores que as minhas que eu não me atrevo a pedir nada para ele. –Ele diz meio acanhado.

-Fala sério, cara. –Digo apoiando a mão em seu ombro. –Sou mais novo que você e mesmo assim vou te dar um conselho: Se arrisque. Mesmo que ele diga não, você pode pedir para ele te ensinar a melhorar. Tenho certeza que o Woozi Hyung não negaria uma coisa dessas a um amigo, ele não é um monstro tão horrível assim. –Dou risada do meu próprio comentário e Joshua me segue, aliviando mais a sua tensão.

-Então... acha que devo mostrar a ele?

-Se ainda está em dúvida pergunte aos outros, eles vão te dizer a mesma coisa. Por mim você deve mostrar a ele. –Digo tentando passar o máximo de coragem possível para ele.

-Obrigada Dokyum. –Ele sorri e aperta minha mão, como o sempre cavalheiro Hong Jisoo.

Ele mal se afasta e meu celular vibra em meu bolso, me dando um susto. Pego ele e vejo que é uma ligação de casa, estranho. Raramente alguém liga de casa, pois minha mãe nunca está lá e Mika geralmente liga para SooMin. Sinto uma pontada de preocupação estranha em meu peito, algo está errado.

-Alô? –Atendo falando bem baixo tentando não chamar atenção de meus amigos.

-SeokMin, você está em aula? Ou foram liberados? –Mika pergunta com uma voz realmente estranha.

-Não estou em aula Mika e também não fui liberado. Por que a pergunta?

-Eu acho que aconteceu algo com a Soo. –Quando ela diz isso meu coração quase para.

-O que? –Quase grito no telefone, o que faz todos os garotos olharem para mim.

-Ela chegou aqui em casa com o rosto inchado de choro e um pouco cabisbaixa. Perguntei o que aconteceu e ela disse que aconteceu algo na escola e a turma dela foi liberada, depois ela me ignorou e simplesmente foi para o quarto e se trancou lá. Você sabe de alguma coisa?

Fico atônito no telefone. O que poderia ter acontecido a minha irmã para que ela estivesse chorando? Ela quase nunca chora, e se chorou é porque algo sério aconteceu. Meu peito aperta mais ainda e eu não consigo mais ficar ali. Desligo o telefone sem responder a Mika e começo a arrumar, ou melhor, a jogar todas as minhas coisas na mochila.

-DK, você está bem? –Ouço a voz do Woozi Hyung.

-Acho que aconteceu alguma coisa com a minha irmã. Eu preciso ir. –Digo quase implorando com o olhar para que ele não me impedisse de sair.

-Tudo bem, pode ir. Qualquer coisa, se precisar de alguma ajuda, pode ligar. –Ele diz olhando de forma preocupada para mim.

Acho que o desespero estava mesmo espantado em meu rosto, pois não me lembro de ter visto uma expressão tão preocupada na expressão de meus amigos. Saio correndo em direção a saída do colégio, mas antes que eu passe pelo portão alguém aparece em meu caminho.

-Dokyum. –Ouço a voz de Wonwoo atrás de mim. –Você já está indo?

-Algo aconteceu com a Soo. –É a única coisa que sai da minha boca. –Eu tenho que ir, agora eu não posso.

A informação obviamente impactou Wonwoo bem forte, pois ele paralisou com uma expressão de terror no olhar que chegava a ser preocupante. Sabia que ele queria ir comigo para vê-la para, mas eu não podia perder mais tempo. A cada minuto que se passa sinto que minha irmã piora, independente do que ela tenha. Deixo um Wonwoo ainda estático ali e corro para minha casa. Entro em uma velocidade absurda, largando minhas coisas pelo chão e correndo até Mika, que estava limpando os degraus da escada.

-Onde ela está Mika? –Pergunto eufórico.

-Está no quarto. Estou preocupada, ela não faz barulho faz algum tempo. –Ela diz olhando em direção ao corredor.

Subo as escadas correndo e paro em frente ao quarto de SooMin. Tento abrir a maçaneta, mas obviamente está trancada.

-Lee SooMin, abre essa porta. –Digo com força.

Achava que ela iria resistir, fazer birra, ou discutir comigo para não abrir a porta, mas não foi o que aconteceu. Demorou poucos minutos, mas ela abriu a porta. Ainda vestia a mesma roupa que colocou para ir a escola de manhã cedo, seus cabelos estavam emaranhados e seu rosto estava levemente inchado, como se tivesse dormindo ou chorando.

-Não sabia que voltaria cedo hoje. –Dizia ela tirando os fones de ouvido.

Não digo nada, apenas a puxo e a abraço forte, sem nem saber o que aconteceu. Não importa, eu sinto que ela precisa disso agora.

-Ei, não precisa se preocupar comigo. Eu só voltei mais cedo para casa. –Ela dá uma risadinha que mais parece forçada.

-O que aconteceu? Você estava chorando porque?

Ela abaixa a cabeça parecendo envergonhada, depois de alguns segundos de silêncio ela finalmente se pronuncia.

-Eu passei mal na escola hoje. Fiquei muito envergonhada de incomodar as pessoas que nem me conheciam e tiveram que parar o que estavam fazendo para me ajudar. Então eu voltei pra casa, e no caminho chorei um pouquinho só. –Ela dizia com a cabeça abaixada. –Não foi nada demais, eu só não estava bem para continuar na escola.

-E você está bem agora? Chamou um médico?

-Não precisa, eu estou melhor. Só preciso descansar. –Ela levanta seu rosto e sorri fraco para mim.

Não a questiono mais, apenas a puxo de novo e lhe dou mais um abraço ainda mais apertado. Embora agora eu saiba que não foi nada demais ainda tem algo no meu peito me incomodando, como se faltasse eu saber de algo, mas pressão é algo que quase não consigo usar com SooMin. Se eu quiser saber se há mesmo mais alguma coisa nessa história eu terei de descobrir só.

 

Na manhã seguinte acordei um pouco atrasado, pois fiquei até tarde da noite conversando com SooMin. Me levanto da cama e me arrumo o mais rápido que posso. Desço para a cozinha para comer qualquer coisa antes de sair e Mika já está lá.

-Chegou cedo hoje Mika. –Comento abrindo a geladeira e pegando de lá uma pequena garrafa de iorgut.

-Eu dormi aqui hoje, vocês nem me viram. –Ela responde fazendo uma cara meio triste.

-Ficamos até tarde conversando no quarto da Soo, só sai de lá pra dormir mesmo. –Digo virando o último gole do líquido na boca. –Estou até atrasado por causa disso. Tchau Mika.

-Ei, você não vai esperar sua irmã? –Ela pergunta e eu me espanto.

-A Soo ainda não foi?

-Não, acho que ela nem levantou também. –Ela diz com estranheza.

Corro rapidamente para o quarto de minha irmã e bato na porta, mas ninguém responde. Bato outra vez. E outra. E mais uma. Até que ouço um resmungo baixo de dentro e a porta se abre. SooMin aparece com os cabelos emaranhados, o rosto inchado de sono e ainda com parte do cobertor enrolado em si.

-O que foi? Não se pode mais dormir, não? –Ela diz irritada.

-Você não vai pra aula?

Ela ainda demora um pouco para processar a pergunta. Quando finalmente entende ela anda vagarosamente até sua cama e olha a hora no celular, e o fica encarando por alguns segundos.

-Não vou. Vá você. –Ela diz e se deita novamente.

-O que? Por que não vai? –Pergunto perplexo.

-Simplesmente não quero. Já fiz coisa demais, mereço uma folga.

-Mas e sua aula. E os seus ensaios? O que o líder do seu grupo? O que ele vai dizer?

-Diga ao Hoshi que eu fiquei doente e não pude ir a aula hoje. E se mais alguém perguntar diga o mesmo.

-Mas...

-SeokMin. –Ela me corta. –Apenas vá, por favor.

Olho para ela na cama e perco a vontade de discutir. Minha irmã parece realmente cansada, e mesmo que não estivesse ela já está bem grande para eu agir como um pai para ela. Me aproximo de sua cama e lhe dou um beijo na testa antes de sair.

Não sei como, talvez tenha sido sorte ou até magia negra, mas cheguei na escola bem na hora. Saio do carro e passo praticamente voando pelo portão quando a campainha anunciando o começo das aulas toca, respiro aliviado. Paro um pouco, apoiando as mãos nos joelhos tentando recuperar o fôlego, no desespero nem percebi que tinha parado de respirar. Sinto uma mão tocar em meu ombro e levanto a cabeça, vendo Wonwoo ali parado. Se dissesse que eu estava surpreso estaria mentindo, sabia que ele seria a primeira pessoa que eu veria hoje.

-Tudo bem cara? –Ele pergunta com um pouco de preocupação.

-Estou, só atrasado. –Respondo pausadamente, ainda não estou respirando normalmente. –Quer saber como a SooMin está, não é?

Ele se assusta com a pergunta e desvia o olhar, visivelmente envergonhado. Escondo um sorriso vitorioso. Faz um tempo que sei que Wonwoo gosta da minha irmã, não por sermos amigos ou porque ele me falou, mas o rosto dele quando ela aparece já evidencia isso. E nem é preciso saber muito sobre esse tipo de assunto, basta olhar para ele quando os dois estão juntos. Só me sinto mal por ele, está vivendo um amor unilateral e dizem que isso dói.

-Como ela está? –Ele pergunta ainda com o olhar desviado de mim.

-Está bem. Ontem ela passou mal e quis voltar para casa, mas já está bem. Ela só não quis... –Me interrompo quando lembro da recomendação de minha irmã. –Não pode vir hoje. Ainda se sente um pouco fraca.

-E você chamou um médico?

-Queria, mas ela não deixou. Sabe como é a Soo. Disse que só precisa de um descanso.

Wonwoo continua encarando o chão com uma expressão pensativa, o que me deixa curioso para saber o que ele pretende fazer, mas prefiro deixar isso só com ele mesmo.

-Eu já vou indo então. –Digo e Wonwoo levanta o olhar de volta para mim. –Ainda tenho que achar o Hoshi e dizer que Soo não poderá vir hoje. Até mais Wonwoo.

Ele apenas confirma com a cabeça e eu saio primeiro, procurando meu caminho.

 

SOOMIN

Não consigo ficar por muito mais tempo na cama desde que SeokMin me acordou, o que me irrita profundamente porque tudo que eu queria hoje era só ficar dormindo o dia todo e tentar esquecer o dia anterior. Meu corpo se levanta da cama contra a vontade do meu espírito, caminho até o banheiro e fecho a porta. Encaro meu reflexo no espelho e a imagem de Minghao me beijando vem na minha cabeça. 

“Você não é nada pra mim, é só uma pedra no meu sapato.”

Aquelas palavras me machucaram profundamente, e eu não consigo entender o porque. Só sei que depois daquilo eu me senti um lixo, uma garota fraca e entregue e eu odeio me sentir assim.

Balanço a cabeça com força e respiro fundo, tentando deixar isso de lado. Tiro minhas roupas e entro de uma só vez debaixo do chuveiro. A água gelada sob meu corpo, o som dela preenchendo meus ouvidos em uma harmonia calma e relaxante, um momento rodeada pela minha solidão onde nada passa pela minha cabeça. Esse é um dos poucos momentos onde saio de mim, onde mágoas, problemas, amores ou desilusões existem, sou só o vácuo fora do universo. Mas essa sensação não dura muito.

Ouço alguém bater a porta do banheiro e gritar lá de fora.

-Soo, o seu... está aqui. Deixo... entrar ou...? –Ouço as coisas cortadas.

-O que? –Pergunto tentando entender o que aquelas palavras estavam tentando dizer.

-Seu.... Ele pode.... –Ouço as coisas ainda piores.

Talvez pudesse ser uma coisa importante e eu devesse desligar o chuveiro e saber o que era, mas hoje não estava com cabeça para ouvir o que quer que fosse, então simplesmente afirmei.

-Deixa ai no meu quarto que depois eu vejo. –Respondo e ouço Mika se afastar imediatamente.

Ainda demoro mais alguns minutos no banho tentando prolongar aquela sensação boa ao máximo. Termino de lavar o cabelo e saio do chuveiro, enrolo meu corpo em uma toalha e meu cabelo em outra e saio do banheiro. Passo direto para meu armário e separo uma roupa qualquer, um short vermelho, uma camisa amarela larga e um pouco maior atrás e um par de tênis brancos com listras pretas. Me viro para colocar a roupa na cama quando vejo uma criatura tentando se esconder atrás da cama. Paraliso de medo, mas ainda consigo gritar.

-AHHHHHHHH SOCORRO. –Dou um berro alto.

A criatura se levanta de supetão e então vejo que é Wonwoo, o que em parte me tranquiliza.

-Espera, sou eu. –Ele diz parecendo tão assustado quanto eu.

-O que faz no meu quarto?! –Pergunto quase gritando.

Nesse momento Mika invade o quarto correndo e nos encara meio confusa e preocupada.

-O que tá acontecendo aqui?

-Ele invadiu meu quarto! –Aponto para ele com lágrimas nos olhos pelo susto.

-Eu não invadi, a Mika me disse pra entrar. –Ele aponta para ela e eu fico perplexa.

-O que?!

-Você que mandou Soo. –Ela responde inocentemente.

-Você está louca? Quando eu disse isso?

-No banheiro, há pouco. Te disse que ele estava aqui e você disse para deixa-lo entrar no seu quarto. –Ela termina de falar e me encara com sarcasmo. –Você não estava ouvindo, não é?

Paro para pensar e então me lembro de ouvir algo como o nome de Wonwoo quando estava no banheiro, mas achei que fosse só coisa da minha cabeça. Fico com total vergonha, imagine o que ele poderia ter visto se eu não o tivesse visto encolhido ali.

-Acho melhor eu descer. –Ele diz de forma tristonha e sai do quarto.

-O que você está fazendo, Lee SooMin? –Mika me repreende.

-Esquece isso, Mika. Só deixa eu me trocar, tá? –Digo quase a empurrando para fora do lugar.

Ela não diz mais nada, mas me repreende novamente com o olhar antes de sair. Fico com medo de que tenha qualquer outra coisa que possa me ver pelo quarto, então pego minhas coisas e me troco rapidamente no banheiro. Iria apenas pentear os cabelos e deixá-los secar ao vento, mas estava com tanta vergonha de sair e ter que me desculpar com Wonwoo, ou até mesmo encara-lo que eu resolvo demorar mais. Pego o secador e fico secando mecha por mecha do meu cabelo, o fazendo ficar um pouco ondulado. Depois de tudo pronto eu respiro fundo e saio, dando uma olhada pelo quarto antes de sair. Acho que fiquei paranoica.

Desço as escadas e Wonwoo está na sala, encolhido em um canto do sofá, provavelmente tão embaraçado quanto eu. Me aproximo bem devagar dele e sento ao seu lado, mas ainda mantendo uma distância mínima de dois palmos. Quando eu o chamo ele levanta o olhar para mim, sinto algo diferente nele, algo que me deixa.... apreensiva...

 

(...)


Notas Finais


É isso gente, desculpem se ficou meio sem graça, essa primeira parte é assim mesmo. Mas a próxima.... se preparem pra vários feels jogados no limbo. Já estou avisando.

Obrigada por lerem e até a próxima okay? ~~kissus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...