História Looking for Him - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Bts, Drama, Hoseok, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Lemon, Namjoon, Romance, Suga, Taehyung, Tragedia, Vhope, Yaoi, Yoonmin
Exibições 64
Palavras 1.395
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Fluffy, Lemon, Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Genteeeeeee, me perdoa a demora ;-; sério ;-;
Olha, tenho certeza que esse capítulo vocês vão amar, vão até me amer -qqqq mas no próximo, vão querer me matar ahahshshshssheh
Enfim, espero que gostem, boa leitura amores ❤🌸
Ps: desculpem qualquer erro.

Capítulo 8 - Capítulo VII - A dor do prazer


No dia seguinte, acordei com alguém me sacudindo de um lado para o outro. O sol que deveria entrar pela janela e aquecer meu rosto, não estava presente. Mas, dava para sentir as ondas de calor invadindo a mesma e tocando meu rosto lentamente. Eu diria que está nublado lá fora, com sol e as nuvens o tampando. Mas, é só um pequeno palpite.

— Vamos acordando, Sr. Jimin.

Era Bárbara.

Me sentei e ela tocou em minha mão, me ajudando a se sentar.

— Teremos um dia perfeito hoje, Sr. Jimin.

Eu hesitei.

Deu para sentir que ela percebeu a minha hesitação. Levei minha mão até a dela e tentei encontrar seu rosto, em seguida sua bochecha. Alisei a mesma e beijei-a na bochecha, em seguida falei.

— Bárbara, você se importa se eu querer passar o dia inteiro sozinho em meu quarto?

Dessa vez, ela hesitou.

— Claro que não, faço tudo para ver você bem, Jiminzinho.

— Sabia que entenderia.

Ela se levanta e começa a sair. Eu me deito e antes que eu pudesse voltar a dormir, ouço ela dizer.

— Feliz aniversário, Jimin.

Eu sorri e depois cai no sono novamente.

 

Sonhei. Sonhei que podia enxergar novamente. Sonhei que nunca tivesse perdido minha visão. Estava feliz, correndo de um lado para o outro. Podia tocar as coisas sem precisar de ajuda, podia ver todos a minha volta. Podia correr. Eu estava me sentindo livre.

Corria atrás de Bárbara brincando de pega-pega no quintal de minha infância. Aquela era a minha infância. Minha infância antes de perder a visão. Bárbara vestia um vestido rosa, do tipo que fica a cor do céu durante algumas tardes de pôr de sol. Ela estava de Maria Chiquinha, e ela estava feliz. Eu estava feliz. Meu melhor amigo de infância, Suga também estava na brincadeira. Na época, mal ele sabia de sua doença, quando ele descobriu, já era tarde demais para conseguir remover, logo então a única coisa que lhe restou foi o tratamento. Eu ainda me lembro em como Yoongi foi ao saber que tinha poucas chances de sobrevivência sem o tratamento, mas ele ficou ainda pior quando soube que mesmo fazendo o tratamento, ele tinha chances de acabar falecendo. No começo ele não queria fazer o tratamento, ele ficou triste, depressivo. Mas, Bárbara e eu estávamos lá para apoiar ele em qualquer situação. Ele chorava, tudo o que ele fazia era chorar. Até que um dia, eu olhei nos olhos dele e falei Suga, eu nunca vou sair do seu lado. Não importa o que aconteça, não importa para onde você vá, eu vou sempre estar com você. Eu te amo. Ele demorou um pouco para aceitar a dor, mas acabou aceitando e no mesmo ano, foi quando aconteceu.

Foi quando eu fiquei cego.

Eu tinha 12 anos de idade. Estávamos todos juntos e reunidos frente a minha casa, pensando e conversando. Fazia um calor de 37° graus.

— Vamos para a represa?

— Tá maluco? Aquilo é muito fundo.

— E também já morreu pessoas naquele lugar.

— Afogadas? — Perguntou J-hope

— Não pô, elas foram abduzidas.

Sorrimos. Yoongi usava suas próteses. Mal dava para perceber quando ele usava calças. Ficamos nesse vem e vai, até que concordamos em ir.

 

Quando chegamos no local, ele estava fechado. Havia uma faixa amarela impedindo que qualquer um passasse por ali. Ao nosso redor, escutávamos os pássaros a cantar. O barulho da água escorrendo e indo embora.

— Viemos a toa.

— Pois é.

— Então por que não vamos à praia? Ainda está cedo.

Todos nós concordamos. Havia uma pequena ponte por qual nós tínhamos que passar. Estávamos nos virando para ir embora, quando eu tropecei no meu próprio pé e cai na água. Eu sei nadar, mas para meu azar, a mochila que eu estava carregando estava muito pesada e quando ela entrou em contato com água, se estufou e começou a me puxar para baixo. Eu gritava por socorro e podia ouvir meus amigos gritando também. Vi que Hoseok desceu pela pequena barreira e esticou um pedaço de madeira para que eu pudesse agarrar ele me puxar. Mas, eu estava ficando fraco, meus olhos estavam queimando, como se alguma coisa ácida tivesse sido jogada em meus olhos. Meus olhos estavam fechados. Pude sentir a madeira se encaixar na mochila e em seguida ser puxado. Eles me colocaram no chão e me deitaram, meus olhos ainda estavam fechados. Eles pediam que eu abrisse meus olhos, mas não importava a força que eu fizesse, ei não conseguia.

Quando, por fim, consegui abrir meus olhos, eu não conseguia ver nada. Sentia a claridade, mas não conseguia ver nada a minha volta.

— Eu não enxergo. — Grito

— O quê?

Eu estava desesperado. Eu não conseguia enxergar. Estava cego. Eu estava cego.

— Eu não enxergo.

 

Havia produtos químicos naquela água. Por isso aquela faixa estava pendurada, impedindo que as pessoas entrassem. Meus amigos dizem que foi apenas um acidente, mas acidentes assim não acontecem. Muitas empresas jogam seus lixos tóxicos nos mares, lagos e lagoas ou até mesmo na rua, mas nunca que eu pensaria em toda minha vida que também jogavam em represas, onde a água desce e abastece a quase de meia população do local.

Eu me culpo por estar cego. A culpa minha.

                                 ★★★

 

Levantei da cama em um susto com alguém tocando a minha mão. Não era o toque de Bárbara e muito menos o toque de nenhum dos meus amigos. Primeiro, fiquei em silêncio e assustado, em seguida a voz tentou se pronunciar, mas nada saiu. Então, o mesmo cheiro de lavanda com lima invadiu minhas narinas. Só tem uma pessoa nesse hospital inteiro com esse cheiro.

— Jungk..

— Shh. — Ele me interrompe.

Puxa minha mão, e a beija. Em seguida, ouço um barulho estranho. Ele está ficando em pé. Ele está em pé. Então, sinto ele aproximar o rosto do meu e me beijar. Ele joga meu corpo para trás e logo eu sinto que ele está deitado ao meu lado.

— Jungkook o que você está fazendo?

Ouço ele sorrir.

— Estou fazendo o que já devia ter feito.

Ele me beija novamente. Levei minha mão até seu rosto e o alisei lentamente, não parando nosso beijo. Desci lentamente a minha mão até sua barriga, e enfiei ela por baixo de sua camisa. Fiz pequenos movimentos com a mesma, subindo e descendo. Por fim, levantei sua camisa e a tirei. Deu para sentir um sorriso se abrindo em seu rosto. Em seguida ele tirou a minha camisa. Suas mãos deslizaram por minhas costas e a alisou, unindo meu corpo ao seu. Sua boca lentamente tocava a ponta dos meus lábios, ele foi descendo lentamente pelo meu pescoço, até chegar em meu abdômen. Ele beijava e dava leves mordidas em meus mamilos. Se somente assim já ele estava me fazendo se contorcer, não quero imaginar o resto. Suas mãos saíram de minhas costas e foram diretamente para minha calça. Bem devagar ele tirou o meu cinto, e abriu meu zíper. Pude sentir ele me encarar com um olhar muito malicioso. Jeon arrancou fora minha calça.

— Quero que sua primeira vez seja especial. — Disse ele.

Ele me beijou. Levou novamente a boca até meu pescoço e o beijou, descendo lentamente por meu abdômen, me fazendo ficar arrepiado. Senti sua mão encostar em meu membro. Ele o alisou e em seguida, senti uma leve mordida no mesmo, o que me fez soltar um pequeno gemido. Lentamente, ele tirou minha boxer e não levou segundos, até sentir meu membro dentro de sua boca. Gemi.

Suas mãos subiram lentamente até meu ponto e desceram arranhando o mesmo, me deixando um pouco mais excitado. Ele parou. Subiu novamente beijando meu corpo e levou a mão até minha cabeça, onde o mesmo puxou meu cabelo para trás e soltou uma risada.

Neste momento, estava pensando o que fazer. Ele estava deitado. Ele sempre ficaria deitado.

Fiquei por cima de Jeon e lentamente pude sentir seu membro penetrando em mim. Dor. Prazer. Alívio. Era tudo o que eu sentia naquele momento. Seu membro fazia movimentos de vai e vem dentro de mim.

— Oh, Jeon….

Ele apertou minha coxa esquerda. Subiu a mão lentamente até meu peito e me puxou para baixo devagar, levou a boca a minha e me beijou.

Naquele momento, tudo estava perfeito. O momento. A emoção. A sensação. Tudo naquele momento realmente estava perfeito.

— Oh, Jeon… me fode. — Gemi lentamente em seu ouvido. 


Notas Finais


Então................ Eu espero que tenham gostado e não me matem por terminar o capítulo desse jeito, mas, já era esperado né? ahahshshshssheh só que dessa vez eu terminei de um jeito menos "eu vou matar esse autor" :v
É isso, vejos vocês no próximo então? Até mais, lindos do meu heart ❤🌸


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...