História Looking For Paris - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Selena Gomez
Personagens Justin Bieber, Selena Gomez
Tags Jelena, Justin Bieber, Selena Gomez
Exibições 368
Palavras 3.155
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - Você é a nossa jóia


Fanfic / Fanfiction Looking For Paris - Capítulo 15 - Você é a nossa jóia


Dia Seguinte.
Selena Gomez POV.
11h45AM.

Risadas altas saiam de minha garganta enquanto eu fugia de Justin, correndo por todos os cantos da casa. Entro na sala e salto para cima do sofá e antes que tivesse oportunidade de correr para outro canto da sala meu corpo é atirado para cima do sofá e Justin fica por cima de mim, me encurralando.

— Peguei você. — ele diz, antes de colar nossos lábios. — Ainda bem que Lia não está aqui, senão ela já estava me agredindo há imenso tempo. 

Abano minha cabeça concordando com ele e o puxo para mim, beijando-o. Estava amando este tempo que estou tendo com Justin e se pudesse, eu faria com que ele nunca mais acabasse, mas como nada é para sempre, tocam na campainha e Justin se afasta de mim, bufando.

— Se for Ashley que está por detrás daquela porta com Lia, eu irei matar sua melhor amiga.

— E se for Ryan que está por detrás daquela porta com Lia, eu irei matar seu melhor amigo.

— Se for Ryan grite o nome dele, para tapar você e para protegê-lo de ser morto por você.

— Idiota. — falo e quando abro a porta, me surpreendo ao ver Charlie. — Charlie?!

— E Taylor! — a mesma diz, ao aparecer por detrás dele e logo sinto as mãos de Justin na minha cintura. — Estamos interrompendo algo?

— ela diz, ao olhar para nossos trajes e aí me recordo que estava somente com uma camisa de Justin.

— Hm, não! Lia não está e nós estávamos aproveitando o tempo que temos antes de ele ir trabalhar. — ela assente. — Mas entrem! Nós vamos trocar de roupa e já voltamos. 

Acompanhada por Justin, subimos até ao nosso quarto e enquanto eu me preocupei em colocar somente uns shorts, Justin já estava preparando suas roupas para ir trabalhar. 

— Vai já trabalhar?

— Vou. Provavelmente vai querer ficar com seus amigos e quanto mais cedo eu for, mais rápido termino meu trabalho e volto para casa. — assinto e beijo seu ombro, antes de ir ter com Charlie e Taylor.

— Então... Você e Justin... 

— É por isso que nos anda ignorando agora? — Taylor pergunta.

— O quê? Não! Eu e Justin nem passamos muito tempo juntos. Ele trabalha, eu fico em casa cuidando de Lia, ele chega de noite e... É isso. Ontem foi seu dia de folga e eu tive um ataque de ciúmes que resultou numa briga, mas como pode ver, já está tudo resolvido e acho que isso só nos deixou... Mais apaixonados um pelo outro do que já estávamos.

— Ai meu Deus, que lindo!

— Ouvi a palavra "lindo", estão falando de mim? — Justin pergunta entrando na sala e Taylor deita a língua de fora para ele. — Selena, me ajude com a gravata.

— Não sei como é que você não consegue fazer isso, Justin, não é assim tão difícil. — reclamo, enquanto caminho até ele ajudando-o.

— Eu na verdade sei, é só uma desculpa para ter você bem perto de mim.  — ele sorri e eu reviro meus olhos, beijando-o. Pouso minha mão na sua cara e ouço um grito vindo de Taylor, me fazendo afastar assustada encarando-a. — Está tudo bem?

— Selena Marie Gomez, o que é isso na sua mão esquerda? — ela pega na mesma e fica encarando o anel que estava no meu anelar.

— É, Justin me pediu em casamento. — digo, com um sorriso nos meus lábios.

— E você ainda não me tinha contado, porque? Isso é motivo para festejar, mulher!

Reviro meus olhos enquanto Justin ri da animação de Taylor e logo depois ele vai embora. Taylor começa falando já dos preparativos, do vestido e do local de casamento, coisas que nós nem tínhamos ainda conversado sobre e quando ouço a campainha tocar penso que é a minha salvação, mas é Ashley que chega para complicar a situação e no meio daquilo tudo encaro Charlie, pedindo por ajuda mas ele apenas ri, dando de ombros.

Horas depois.

Justin se atira para a cama e me puxa para cima dele, beijando-me. Rio-me de seu desespero, mas retríbuo o beijo da mesma forma entrelaçando minhas mãos nas dele e senti Justin brincar com o anel que estava o meu dedo, antes de se afastar de mim. 

— Não acha melhor começarmos a fazer os preparativos?

— Não. — digo. — Não tenho pressas, quero ir o mais lento possível, não necessitamos disto tudo, vamos só... Ver como corre, não digo que algo irá acontecer, mas  estamos indo tão bem e agora as dores de cabeça com um casamento não me vão ajudar.

— Se é isso que você quer, é isso que faremos. — ele diz e beija meu pescoço, antes de se deitar abraçado a mim. 

Acariava o cabelo de Justin, enquanto pensava no quao sortuda eu era por lhe ter comigo. Eu sempre achava que eu iria acabar com Cara, mas no fim foi a pessoa que eu menos esperava: o meu melhor amigo, e sinceramente, não podia ter tido melhor. Ele me respeita, me compreende, me apoia e me incentiva a ser melhor e em decisões que podem mudar o meu futuro e, mesmo que sejam para pior eu sei que no final do dia, ele estará lá não como um namorado, ou noivo, mas como meu melhor amigo.

6 anos depois.
San Diego, USA.

Me encaro no espelho, vendo a roupa que estava usando e bufo ao ver que tinha trocado os pares do sapato e isso me faz parar por cinco minutos, ao pensar em qual que deveria usar visto que os dois ficavam bem com o vestido cor de vinha que estava usando mas, após ouvir o choro de Logan opto por levar o preto simples e corro até ao quarto ao meu lado, vendo meu bebê de três anos pendurado no seu berço, chorando.

— Oh meu bebê, está com fome? — ao ouvir a minha voz, ele abre seus olhos e estica seus braços até mim enquanto faz um biquinho. —  Vamos ver se o seu pai se safou na cozinha ou não!

Pego Logan no colo e desço com ele até a cozinha, onde encontro Justin com um avental posto, enquanto preparava o pequeno-almoço para nós todos.

— Já preparou a papá do Logan? — ele assente e após ter colocado Logan na sua cadeira vou até ao micro-ondas, onde encontro a comida dele e entrego ao mesmo que, sozinho, começa comendo. — Lia ainda não desceu?

— Está vendo ela aqui? 

— Se acordou mal-disposto é com você, eu fiz uma pergunta simples. — respondo irritada e quando estou a sair da cozinha sou surpreendida por Justin que me vira para ele e me beija. 

— Só precisava disto para meu humor ficar melhor. — sorrio para ele e me afasto, indo até ao quarto de Lia.

Bato na porta e a mesma me responde com um "entre" fraquinho e aí já desconfio que se passa algo e, quando entro no seu quarto e vejo a mesma debaixo das mantas com uma cara tristonha cheia de pintas vermelhas à volta percebo que a mesma estava fingindo estar doente.

— O que se passa, meu amor?

— Eu estou doente, mamãe. — caminho até ela e me sento ao seu lado na cama. —  Acordei com muita dor de barriga e estou muito quente.

— Ai é? — ela assente e eu coloco a minha mão na sua cara. — Você está muito quente, acho que temos de ir ao hospital.

— Hospital não! Só quero ficar em casa hoje.

— Têm certeza que está doente? — pergunto, desconfiada e a mesma ao ver que não tinha caido na sua mentira nega e limpa uma das pintas que tinha na cara, bufando. — Então, me diga porquê que não quer ir à escola?

— Lembra daquele trabalho que eu tive de falar da nossa família? — assinto. — Eu falei o que você me contou, que você e papai eram muito novos e não estavam planeando ter filhos quando me tiveram e...

— E?

— E desde ai que uma garota da minha classe está gozando comigo, falando que para além de eu ser feinha, eu sou erro e que vocês não gostam de mim, pois não me queriam quando você engravidou de mim.

Lia começa chorando e, ao ver minha filha assim daquele jeito quebrou meu coração e a puxo para cima de mim, abraçando-a. Noto que Justin está na porta assistindo aquela cena e logo ele se senta ao meu lado.

— Lia, olhe para mim. — ele pede. — Não existe ninguém, repito, ninguém neste mundo que ame você mais do que eu e sua mãe. Não dê ouvidos para essa garota de oito anos achando que sabe sobre a nossa vida mais que você. Na verdade, deveria estar grata por existir porque se não fosse você provavelmente nós não estaríamos juntos. Sua mãe provavelmente estaria ainda num relacionamento tóxico enquanto eu estava procurando o que fazer da vida.

Você é a nossa jóia, a coisa mais importante que aconteceu na nossa vida e vê-la triste nos deixa triste. — Justin concorda. — Portanto, faremos assim. Hoje você pode faltar e irá ficar comigo e logo à tarde um de nós irá na sua escola resolver esse assunto e quando digo um de nós, refiro-me a mim.

— Obrigada, eu amo vocês. — ela nos abraça e é aí que eu dou conta que Logan não está connosco e quando eu encaro Justin ele entende meu olhar e corremos os três para a cozinha, vendo Logan todo sujo assim como a cozinha. — Papai, olhe o que você fez!

— É papai, olhe o que você fez! — falo e Justin olha para mim irritado. — Eu tenho de ir trabalhar, portanto, limpe a cozinha. Amo você!  

Me despeço de Justin com um selinho e pego na minha carteira que estava em cima da mesa, antes de puxar Lia comigo para fugirmos da limpeza que Justin teria que fazer agora na cozinha.

— Mamãe, eu tenho fome. — Lia diz, logo após sairmos de casa e me recordo que ela não tinha comido, assim como eu. 

— Eu também, o que acha de tomarmos o pequeno-almoço no Bear Buns? — sugiro, visto que é a pastelaria preferida de Lia e pelo seu olhar, desconfio logo que é um sim. 

Algumas horas depois.
16h30PM.

Estou a poucos metros do portão do colégio de Lia, esperando que aparecesse a tal garota  que estava maltratando minha filha e aí, procurar sua mãe e conversar com a mesma. Não iria deixar que minha garotinha ouvisse esse tipo de coisas todos os dias por uma garota mal-criada que, claramente devia sofrer com algo em casa para descarregar a raiva em minha filha pois, tão nova e já possuir um ódio assim por alguém é preocupante.

— Ela está ali, mamãe, Allison está ali! — ela aponta para uma garota morena que corre para sua mãe que estava de costas para nós. Estico uma mão para Lia, já que a outra estava pegando Logan e caminho até Allison e sua mãe. — Me desculpe... — quando a mulher se vira arregalo meus olhos, ao reconhecer a pessoa que estava à minha frente. — Kendall?

— Selena?

— Para quem me julgou tanto que eu estava grávida, parece que acabou na mesma situação que eu. — digo, mas não de forma sarcástica mas sim, surpresa.

— Eu não acabei na mesma situação que você, Gomez. — ela ri. — Allison é adotada. Não lhe devo satisfações, mas descobri que sou estéril e dois anos atrás adotei Allison. O que você quer?

Encaro a pequena garota que olhava para mim e para Lia e aí entendo tudo. O porquê de todo aquele ódio e raiva dentro de si e ela tinha apenas oito anos. Ela foi abandonada em pequena e não teve a pequena família tradicional e descarregava em minha filha por ter a família que ela tanto queria. Mãe, pai e um irmão.

— Eu... Eu queria convidar Allison para jantar hoje connosco e se, não se importar dormir lá também, claro, se a mesma quiser. — Allison encara sua mãe com os olhos brilhando e eu desvio meu olhar para Lia, que parecia confusa. 

— Porquê que eu haveria de deixar?

— Por favor, mãe... Eu nunca sou convidada para nada!

— Eu não sei, filha eu...

— Ouça, Kendall. Nosso passado não foi dos melhores, não gostávamos uma da outra pois você me odiava por motivos desconhecidos, mas, de certa forma nossas filhas acabaram na mesma escola e eu não estou dizendo que isto é uma forma do destino dizer que nós devíamos ignorar tudo que aconteceu e sermos amigas, mas sim deixar que as nossas gerações se dêem bem, pois como pode ver Allison ia amar ficar connosco e eu não irei fazer nada a uma criancinha de oito anos somente porque ela é sua filha, pois sei que você também não faria nada à minha. Não fez quando eu estava grávida e não fará agora que é mais matura do que era antes, e digo isto falando por nós as duas.

Kendall pensa por uns minutos e, ao ver o desespero de sua filha acaba aceitando a mesma ficar connosco.

— Me passe sua morada e eu mais logo vou lá deixar umas roupas de Allison, se assim quiser, senão nos encontramos num local qualquer.

Penso no que Justin irá pensar nisso, mas logo chego à conclusão que não devo satisfações para o mesmo e além disso, era Kendall. Apesar de esse ser o maior problema, não duvidava que ela fosse fazer algo visto que já fazia anos que não a via e a mesma já tinha seguido sua vida assim como eu tinha seguido a minha. Acabo por dar não só a minha morada, como também o meu número e o número de telefone a Kendall, caso ela quisesse ligar para saber como as coisas estavam.

— Então, quem quer ir comer no Wendy's? — sugiro e pelos gritos, acredito que seja um sim. 

O caminho até ao Wendy's é rápido e silêncioso e, devido eu não estar com fome compro apenas para as crianças e enquanto observava-os comer meu celular toca, e era Justin.

— Oi Justin, está tudo bem?

Você não vai acreditar no que lhe vou contar, mas Kendall está aqui fora de nossa casa. Devo abrir, ou?

— Abra. Ela foi deixar as roupas de sua filha.

Filha?

— Longa história, apenas pegue no saco e mais tarde eu conto-lhe tudo.

Combinado, irá demorar para chegar a casa?

— Não, trouxe as crianças para lancharem no Wendy's, quer algo?

Claro que quero! Isso é pergunta?

— Certo, vou ver o que arranjo para você gordinho. — ouço-o rir. — Falamos mais tarde, amo você. 

Eu amo você! 

Desligo a chamada e encaro novamente as crianças à minha frente e as duas garotas prestavam atenção a Logan, mas, devido a ele baralhar as palavras nenhuma entende nada do que ele diz, mas ainda assim, quando o mesmo diz algo e ri elas riem também, para o fazer rir e eu acho isso amoroso. Aproveito a distração deles para ir pedir algo para Justin e acabo por pedir algo para mim também.

— Crianças, vamos para casa? — pergunto, depois de ter os meus pedidos e de ver que eles já tinham terminado de comer.

 

[...]

 

— Allison, podemos ir conversar na sala? — pergunto e ela assente, descendo comigo até à sala e eu ligo a televisão, colocando num canal de desenhos animados. — Lia me contou as coisas que você fez com ela e quero desde já dizer que eu não vou gritar com você ou algo do género, pois eu não sou sua mãe e não a contei também porque não que a mesma gritasse com você, então me pergunto: o que se passa para você tratar minha filha desse jeito?

— Quando Lia fez a apresentação dela sobre a família, ela vos descreveu como a família perfeita. Um pai que todas as noites lhe dá um beijo de boa noite e uma mãe que lhe acorda todos os dias com carícias. Um irmão que ela gosta muito e que são inseparáveis. Eu não tenho isso e fiquei com ciúmes. Minha verdadeira mãe não me quis. Não tenho papai, minha mamãe passa a maior parte do tempo fora e fico sempre com a minha vovó Kris. Então achei que... Se eu fizesse Lia se sentir mal como eu me sinto todos os dias eu talvez me sentisse bem mas eu fiquei pior e só queria pedir desculpas a ela. 

— E você pode pedir desculpas. É tão nova e merece tanto, Allison. É difícil, eu sei. Ser adotada e ter uma mãe ausente, mas tente conversar com ela. Vou-lhe contar um segredo... Eu e sua mãe também já frequentamos a mesma escola, e eu odiava-a! — ela ri. — Mas uma coisa que sei também é que ela não é ausente porque quer, mas sim porque quer o melhor para você. Quando tive Lia eu me recusava a viver com medo de virar uma mãe ausente e logo me apercebi que eu consigo ser os dois e se eu consigo, sua mãe também consegue.
Ela sorri e me abraça, agradecendo. Ela se afasta e sai da sala indo até ao quarto.

— Quem diria que um dia você iria dar conselhos à filha de Kendall Jenner.

— Tecnicamente, ela não é filha de Kendall. — me sento em cima de Justin após ele se atirar para o sofá e pelo olhar dele, vejo que fui longe demais. — Rude demais?

— Imenso. — ele diz antes de apertar a minha coxa. — Sabe... Depois de as crianças dormirem podíamos brincar nós os dois?

— Ai é? — pergunto e ele assente, rindo. — Que tipo de brincadeira, ao certo?

— Aquela que trouxe Lia e Logan ao mundo. — começo a rir alto e tapo a minha boca com as duas mãos, tentando me controlar e ao ver meu estado de desespero Justin começa rindo também. — Parecemos dois loucos rindo.

— O único louco aqui, é você! — digo. — Mas eu irei pensar na sua proposta, agora é melhor irmos colocar eles a dormirem. 

Entrelaço minhas mãos na de Justin e subimos juntos ao quarto dos nossos filhos e sorrio ao ver Lia e Allison juntas na mesma cama, enquanto Lia mostrava um jogo a sua nova amiga.

— Hora de dormir, pestes. — Justin diz e em primeiro vai a Logan, colocando-o no seu berço. — Durma bem Peter Pan, eu amo você.

— Te amo, papai.

— Agora você, minha jóia! — Justin diz enquanto caminha até Lia. — Sabe o quanto eu amo você, não sabe?

— Do tamanho do universo.

— Exatamente isso! — ele ri e beija sua testa. Ele me encara e sem ao menos falar algo eu assinto. — Allison? 

— Sim, tio Justin?

— Boa noite. — ele diz, antes de beijar também sua testa e vejo um sorriso crescer nos lábios da garotinha.

Justin caminha até mim e eu entrelaço meu braço no dele e quando estou indo embora consigo ouvir alguém me chamar e deixo Justin ir, enquanto volto a entrar no quarto.

— Me chamou, Allison?

— Obrigada. 

— De nada, anjo.

"A cada dia me sinto tão abençoada por olhar para você, porque quando você abre os olhos, me sinto viva. Meu coração bate tão rápido, quando você diz o meu nome, quando estou te abraçando bem forte, me sinto tão viva"
Blue.


Notas Finais


ALO ALO! Voltei. ✨
Antes demais, me desculpem por ter avançado assim dessa forma com os anos, não sabia mais o que acrescentar e decidi logo avançar com uma ideia que já tenho em mente à algum tempo, e bom, decidi começar desta forma. Kendall apareceu, mas não acredito que irei fazer dela novamente uma personagem importante para a história, é mais sua filha que irá aparecer mais porque ela e Lia agora são amigas, mas isso não envolve nenhum tipo de amizade entre Selena e Kendall. Só quis realçar como às vezes as histórias se podem repetir, pois Selena também foi gozada com Kendall quando começou namorando com Cara (eu referi isso uma vez, num capítulo da 1º temporada) e desde aí que sempre houve guerra entre Selena e Kendall e agora decidi fazer diferente entre as filhas delas. Gostei da forma como ficou e a mensagem que quis mandar, tanto que, próximo capítulo teremos Kendall novamente, pois Selena irá querer falar com a mesma sobre o que Allison desabafou com ela e, deixando claro que, Selena não irá roubar a filha de ninguém, mas estará bastante presente na vida de Allison e irá ajudar a mesma em algumas coisas relacionadas a seu futuro.
Sim, Jelena teve outro bebêzinho! E já estão casados, também, apesar de não ter mencionado isso.

Lia (na vida real ela tem seis anos, se não me engano mas na fanfic já tem 7/8 anos, por isso que parece tão novinha): http://imgur.com/a/xbVuE
Logan: http://imgur.com/OwLBGrO
Allison: http://imgur.com/a/rmcA5 http://imgur.com/a/OhHcE


COMECEI UMA NOVA FANFIC, E IA AMAR QUE VOCÊS ACOMPANHASSEM. Ela se chama Light Of Hope e estou ansiosa para a mesma. ✨

https://spiritfanfics.com/historia/light-of-hope-6704701
https://spiritfanfics.com/historia/light-of-hope-6704701

BEIJOS!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...