História Looking For You - Second Season - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bastian Schweinsteiger, Cristiano Ronaldo, Iker Casillas, Manuel Neuer, Mario Götze, Mila Kunis, Sergio Ramos, Xabi Alonso
Personagens Personagens Originais
Exibições 61
Palavras 1.804
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLHEM QUEM VOLTOU
~fugindo das pedras~ huehue
Sério, desculpem a demora, mas eu continuo sem note e isso me prejudica e muito.

Mas obrigado a quem ainda esta aqui, e desculpem n ter respondido aos comentários. Mas eu amo VCS ♥

Espero que gostem😘

Capítulo 13 - Capítulo Treze - Amar dói


Fanfic / Fanfiction Looking For You - Second Season - Capítulo 13 - Capítulo Treze - Amar dói

Não se importava com mais nada. Raramente chorava e nunca deixava transparecer sua dor. Dessa vez, porém, chorou descontroladamente. Conheceu a linguagem das lágrimas, a mais universal e penetrante de todas as locuções. Sentou-se numa mureta que contornava um belo jardim onde cresciam margaridas, jasmins e violetas multicoloridas. Seu mundo, no entanto, era destituído de cores e de flores.
— Augusto Cury.

Eu ainda estava a olhar aquela foto. Aquela mensagem no meu whats que parecia que saltava à minha frente, balançando as letras e aquela imagem. Aquele era Iker. Era o homem que tantas vezes eu pensava que tinha mudado, que eu acreditava em cada palavra quando ele dizia que me amava. Pisquei mais uma vez os meus olhos, guardando a foto no meu celular, e tirando print da conversa, ou melhor, daquela única mensagem. Abri o whats de Vit, e enviei as duas imagens. Sem dizer mais nada.  

- Senhorita? - duas batidas na porta, e eu larguei o celular na cama.

- Sim? - respondi fraco, sentindo o meu coração bater de forma acelerada.

A porta se abriu na minha frente e eu limpei duas lágrimas que caiam pelos meus olhos. O sorriso da nossa empregada podia ser reconfortante, mas neste momento, eu não queria ser reconfortada. Eu queria somente berrar e deitar tudo para o ar.

- Precisa de algo mais senhorita Mila?

- Não. - falei rápido e rispidamente, como nunca o tinha dito.

Ela me olhou, acenando com a cabeça e saindo, fechando a porta. Me ergui da cama, indo até ao banheiro e vomitando. Vomitando até o que eu não tinha ingerido. Puxei a água, olhando minha imagem no espelho. Abri o registo da água, molhando meu rosto, ao mesmo tempo que as lágrimas caiam à vontade. Fechei a água, ouvindo o celular tocar. Corri aqueles leves metros, e peguei o aparelho em minhas mãos. Vi o nome na tela, e deslizei o dedo na mesma atendendo a chamada.

- Oi? - falei, de forma calma, como se eu quisesse evitar demonstrar o quanto estava destruída.

- Estás bem Mila? - a voz calma, fez como se as minhas estruturas caíssem. Eu não queria chorar.

- Estou. Estou. - repeti a mesma palavra duas vezes, como se fosse mais para mim.

- Não, tu não estas bem. Que se passa? Me fala, por favor.

- Ah Xabi. - deixei meu corpo cair na cama, e as lágrimas escorrem por meu rosto. Eu não conseguia ser forte muito mais tempo. - Eu estou destruída. Eu pensei que tudo fosse correr bem desta vez, mas foram mais mentiras, somente mentiras. - o meu choro já era compulsivo, de maneira que eu soluçava.

Senti o celular vibrar, e retirei ele do meu ouvido, vendo a notificação de Vit. Levantei meu corpo da cama, dizendo a Xabi para esperar um pouco, e procurei no criado mudo, encontrando e conetando os phones no celular.

- Já cá estou. - falei para Xabi, ouvindo a respiração dele e deslizando o dedo na tela e abrindo a mensagem do whats.

“Que merda é esta Mila?? Esse é o Iker?? Quem é essa vadia?? O que esse desgraçado está a fazer com você?? Aii que ódio desse viado.” - A melhor amiga do mundo

Respirei fundo, começando a digitar algumas palavras.

- Mila?

- Hum?

- Fala comigo. - Xabi pediu, meio assustado. - Eu odeio sentir você assim..

- É o Iker.

Xabi suspirou fundo e eu notei o quanto aquilo o estava a deixar desconfortável.

- O que ele fez?

Mordi meu lábio e enviei para o whats dele o print, voltando a dirigir meus dedos para a mensagem que eu estava a escrever para  Vit.

“É ele mesmo amor. Eu não sei o que fazer, muito menos o que pensar. Está doendo muito.”

- Esse é Iker? - Xabi perguntou surpreso.

- Quem haveria de ser Alonso? - perguntei irritada.

- Calma Mila,  respira fundo. - enviei a mensagem para a Vit, respirando fundo. Vi os sinais ficando azuis, sinal que ela tinha lido, e olhei o print novamente. - Você já pensou que pode ser tudo uma armação? Que alguém pode ter simulado isso, para lhe deixar mal?

- Ele já devia de estar em casa. Sério, o treinamento deles terminou tem horas, Cris já esteve comigo e Iker, nem sinal dele. - meu rosto estava novamente molhado pelas lágrimas.

“Tem calma meu amor. Acalma o seu coração, que eu tou indo para perto de ti. Para te amparar, cuidar, e para socar a cara desse animal de quinta. AHHH QUE ÓDIO.” - A melhor amiga do mundo.

- Eu entendo amor. - ouvi a porta abrir e bater segundos depois, e me ergui da cama, vendo o carro de Iker estacionado junto ao passeio. - Com quem estás a falar Alonso?

Reconheci imediatamente a voz de Raquel, e escutava a voz de Iker falando com a governanta.

- Depois falamos. Beijos.

E Alonso desligou a chamada, deixando-me somente com a resposta à minha BFF.

“Não destruas a tua relação com o Manu por minha causa amor. Eu sobrevivo, acho.”

Iker apareceu na porta do quarto, me olhando, e eu desviei meu olhar para ele, depois de enviar a mensagem para ela. Limpei o máximo que pude minhas lágrimas, se bem que estava tudo entalado na minha garganta e eu só tinha vontade de falar tudo. Seus passos eram calmos, como se a culpa que ele deveria sentir o estivesse a consumir,  e depois de jogar o seu casaco aos pés da cama, jogou o seu corpo para perto de mim.

- Oi amor. - seus labios foram ate ao meu ombro, depositando ali um beijo.

Sorri um pouco, sentindo o celular vibrar, mas quando ia desbloquear a tela do mesmo, Iker retirou o objeto das minhas mãos, colocando ele no criado mudo do seu lado, e puxando mais meu corpo para junto do seu, e beijando meus lábios com vontade.

E eu sentia: o perfume, o sabor de outro alguém.

- Não Iker. - pressionei seu ombro e peito, tentando o afastar de mim, e ele me olhou.

- Eu preciso de ti mi amor. - ele beijou meu pescoço, começando a retirar a alça da minha camiseta. - Te amo tanto. Tanto.

E entre palavras e mais palavras, minha roupa e a dele foram sumindo, e eu estava me a entregar. Ao homem que me traia.

[…]

Apertei meu casaco, olhando o painel das chegadas, vendo que o avião já tinha aterrado, e dirigi meu olhar para a porta de desembarque. E a vi. A melhor pessoa do mundo.

- AMOR!! - berrei alto, quase que me jogando para cima de Vit, e a mesma me abraçou forte. Cara como eu sentia falta dela.

Por mais que eu não quisesse que ela viesse, por conta do Manu, ela tinha me convencido do contrário, dizendo que ele entendia, e que ficaria à sua espera. Larguei o seu corpo, esperando alguns minutos enquanto a sua bagagem chegava.

- Vamos? - eu assenti, e caminhamos até a um dos táxis parados na zona de saída do aeroporto. - Como você está? - foi a primera pergunta que Vit me fez, mal começamos a viagem.

- Na mesma amor. - encostei minha cabeça no banco a olhando. - Tudo na mesma. Iker chega tarde, e só aí se lembra de querer fazer amor comigo.

- E você faz?

Mordi mais meus lábios, e baixei meus olhos, entregando minha resposta. Vit rugiu baixo, com raiva.

- Mas como Mila? Como?

Dei de ombros e fechei meus olhos, sentindo ela me fazer cafuné.

- Vai se tudo resolver calma.

Passados uns minutos, estávamos em frente ao CT do Real Madrid, pois Cris tinha me implorado que eu levasse lá Vit quando ela chegasse, se bem que por vontade dela, não iria pisar no mesmo local que Ramos tão cedo. Passamos pelo segurança, que já tinha sido informado, e quando chegamos ao gramado, o treino estava a acabar. Meus olhos percorreram o campo todo, procurando por Iker mas não o vendo.

- Ele já saiu? - Vit perguntou e eu baixei meus olhos, suspirando. Mas sem tempo para pensar muito tempo nisso, pois Cris berrou para todo o mundo ouvir.

Ele se abraçou a Vitória, e depois a mim, sendo seguido por Pepe, Marcelo que fez uma enorme festa, Bale, Modric, seguidos pelo resto do plantel. Ramos foi o último, e eu notei o corpo de Vit, e o de Ramos ficarem rígidos, mas os olhos dos dois brilharem, se bem que não trocaram nem duas palavras.

Depois dos meninos se despacharam, decidimos ir a uma cafeteria perto, para porem todos a conversa em dia. Eu olhava o meu celular, pois tinha mandando mensagem a Iker e lhe ligado, e ele nada. Bufei, e tanto Vit como Cris me olharam.

- Tudo bem?  - Cris perguntou, pegando na minha mão.

- Sim, só cansada. - sorri, mentindo.

- Então vamos, eu levo-as a casa. - Cris se levantou e nós duas fizemos o mesmo. - Vou levar as donzelas, malta. Vemos nos amanhã no treino.

Todo o time se despediu de nós,  e quando Ramos se aproximou de Vitória, ela tentou fugir mas ele lhe depositou um beijo no rosto. Cris pegou nas malas dela, e fomos até ao carro de marca que ele tinha estacionado. Em menos de nada, estavamos em minha casa.

- Obrigado amor. - disse, beijando o rosto de Cris com força. - Amo-te muito.

- Se precisares de algo, chama-me. Amo-te mais.

- Adeus Cris, e obrigada. - Vit falou saindo do carro e ele lhe acenou. Depois de tirarmos a bagagem dela, caminhamos um pouco até a entrada de casa, e eu reparei que o carro de Iker estava na garagem.

- Como foi reencontrar o Ramos? - alfinetei Vit que me mandou o dedo do meio.  RI alto, abrindo a porta e notando a casa às escuras. Mas Iker estava em casa ou não??

Vitória pousou as malas na sala, e meus ouvidos notaram pequenos barulhos. Estreitei meus olhos, e subi as escadas sendo acompanhada por ela. Aproximei-me lentamente do corredor, notando que a luz do nosso quarto estava acessa.

Como se previsse algo, Vitória passou por mim, se aproximando ela da porta, parcialmente aberta. Ela espreitou, e arregalou os olhos, virando-se para mim, e puxando meu braço no sentido contrário.

- Que se passa Vit?? - Falei baixo, puxando o meu braço para mim.

- Vamos embora Mila. Por favor, vamos embora.

Ela pedia  tanto com a voz como com os olhos, mas eu retirei força não sei de onde e puxei meu braco, fazendo ela me largar e caminhei para a porta.

Iker. O homem que eu amava. Com ela. Na nossa cama. Com ela.

Raquel.


Notas Finais


AHHHHHHHHH VIADOOO HUEHUE

Espero que tenham gostado amores.

Tentarei não demorar :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...