História Loser - Bubbline - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Marceline, Princesa Jujuba
Tags Bubbline
Exibições 26
Palavras 1.526
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Saga, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que curtam! ;)

Capítulo 4 - Se.te.


Fanfic / Fanfiction Loser - Bubbline - Capítulo 4 - Se.te.

  Quinta-feira, e eu estava andando com a Bonnibel. Minhas amigas (Phoebe, Fionna) ficaram me olhando feio e tal, mas é porque eu estava estressada e acabei xingando a Phoebe, já que ela estava fazendo drama, e eu estava com cólica. Sério, eu xinguei ela de otária, idiota e derivados. Eu estava realmente estressada, mas foi passando, sabe. Eu não gosto de me sentir mal, então quero sempre afastar energias negativas de mim.

  Logo eu estava bem, fui conversar com a Bonnie. Mas Fionna e Phoebe ficaram bravas, dizendo que eu estava excluindo elas e não sei o quê. Bonnibel meio que sabia disso.

  -Vai lá falar com elas, Marceline! – ela pedia.

  -Bonnie, eu já falei sobre isso com elas mil vezes, não adianta.

  -Eu me sinto mal sabendo que estou atrapalhando a relação de vocês... – ela disse olhando pra baixo.

  -Não é você, sou eu. Se eu não estivesse aqui, não teria problema. Elas não tem nada com você, é comigo o assunto.

  -Mas você está aqui por minha causa... – ela disse pausadamente – eu acho, então é meio que minha culpa sim!

  -Vai te fazer sentir melhor se eu for ali falar com elas?

  Sinceramente, eu sabia que no dia seguinte eu poderia fazer as pazes com elas. Ou até mesmo semana que vem. Nossa amizade é muito forte, e não cairia tão facilmente, e no menor desequilíbrio, eu faria de tudo pra restabelecer nosso vínculo. Sou boa com as palavras, e sempre acabo reatando pessoas brigadas, inclusive quando estou entre elas.

  Por isso, não queria sair de perto de Bonnie. Quero aproveitar meu tempo com ela, eu não sei quanto isso vai durar. Mesmo assim, eu fui.

  -Sim, vai me fazer sentir melhor. – ela confessou.

  -Ok, então... já volto.

  Elas estavam conversando ali perto, junto com a Carol. Já vi que ela ia atrapalhar nossa conversa. Essa menina só serve pra isso, mesmo. Sentadas em um banco paralelo ao nosso, distanciado por cerca de cinco passos de distância e uma casinha pequena que tinha ali para as crianças, vi elas rindo e me aproximei.

  -Oi, gente. – puxei conversa, animada.

  -Sai daqui! – Phoebe falou alto, gesticulando enquanto ria e fingia ciúmes com as outras.

  -Calma, calma, agora é sério.

  -Sério nada, volta lá com a Bonnibel! – Phoebe insistia. Sei que no fundo, um pouquinho desse ciúme era real.

  -É, sai pra lá, urubu! – Carol se meteu na conversa, e eu quase meti minha mão nela. Tudo o que vai, volta. Fica esperta.

  -Você estava toda estressada com a gente, xingou a Phoebe, e quando foi com a Bonnibel começou a rir e pular de felicidade. – Fionna se juntou, ela parecia mais séria. As outras concordaram.

  -Mas eu realmente estava estressada, só que passou. Sabe, eu não deixo stress durar tanto tempo. Só preciso... extravasar um pouco. – tento explicar.

  -Sei. – Phoebe não se deixava entender.

  -É sério, vocês sabem que são minhas melhores amigas. Eu nunca trocaria vocês. E vocês sabem disso. Mas vocês e a Bonnibel são seres diferentes, os grupos são... entende? Não se encaixam, e eu pareço o meio-termo. Não consigo juntar os dois grupos, por isso acho que... arranjei um tipo de solução.

  -Hm, e qual é? – Phoebe me encarava. Fionna e Carol apenas observavam em silêncio. Uma hora ou outra, Carol me xingava, e eu me segurava pra não deitar ela ali mesmo.

  -Bom, segunda eu fico com vocês, terça com a Bonnie, quarta vocês, quinta Bonnie, sexta vocês. Tudo bem assim?

  -Tá, tá, a gente te desculpa. Mas hoje não é o dia dela? Vai lá, então. – ela meio que me expulsava junto com as outras, mas eu sabia que tinham me desculpado de verdade.

   Bonnie me direcionou seu olhar e eu fiz um joinha, confirmando o sucesso da operação enquanto me aproximava.

  -E aí, conseguiu? – ela perguntou sorrindo, quando me aproximei.

  -Sim, entramos em um acordo.

  -O que é?

  -Segunda fico com elas, terça com você, quarta elas, quinta você e sexta elas.

  -Ah... parece estranho. – eu percebi que algo nisso incomodava ela.

  -Relaxa, deu tudo certo. Elas me desculparam e tal. Se sente melhor? – afinal, foi pra isso que fiz todo esse rolo.

  -É... um pouco sim.

  Eu sabia que na cabeça dela ela estava pensando algo tipo “Mesmo assim, separei a Marceline das amigas dela”, mas com o tempo isso vai passar. Pena que Bonnibel me soa muito certinha às vezes, e isso me assusta. Ela seria totalmente capaz de me afastar de novo só para que eu voltasse às minhas amigas e ela parasse de me “atrapalhar”. Eu sei, eu sinto isso.

  No final, eu me sentia um pouco... limitada. Ela não estava me evitando, mas algo estava ali para me atrapalhar, eu não sabia ver o quê, mas tinha alguma coisa. Eu falava com ela, mas era algo rápido, e ela se virava pra conversar algo com não sei quem. Provavelmente o Finn. Não consigo sentir raiva desse cara, talvez um pouquinho de inveja. Ele conhece a Bonnie a mais tempo, e parece ser uma peça bem importante da vida dela. Sabe, ele parece... especial pra ela.

  Aula de português. Tipos de sujeito, tipos de predicado, verbos de ligação, coisas que você não usa em merda nenhuma quando cresce. Mas beleza, não tenho tanta dificuldade. A professora, que me odeia e a todos da sala, ficou só com a nossa, já que era substituta, mas como o professor antigo se aposentou, ela é a efetiva agora. Nas outras salas, tem um professor diferente.

  Não entendo por que ela ficou com a nossa sala, de certo não foi escolha dela, mas sério: ela ODEIA essa sala. Já chorou aqui, gritou pra cacete, e eu já discuti com ela, nesse mesmo dia de quinta, porque ela sorteou grupos com a desculpa de “vocês precisam socializar”.

  Eu caí com a Carol e a Breakfast. O pior grupo da sala. Eu sabia que ia fazer tudo sozinha, e me recusei a juntar com elas. Ainda mais porque tinha uma guria do grupo 2 e a professora ficou dizendo que eu era do dela, sendo que eu era do 7 e deixei isso claro várias vezes.

  -A Marceline está fazendo problema, ela era do dois, mas quer ficar confundindo aí. – ela disse com desdém, olhando pra minha cara como se eu fosse a pessoa mais idiota do mundo.

  -Eu já falei que sou do SETE. GRUPO SETE. SE.TE. NÃO DOIS. – tive que falar alto pra ela prestar atenção. Quando fiz isso, Phoebe e Fionna caíram na risada. Eu olhei pra elas e não consegui evitar um sorrisinho. Que besteira, discutindo por tão pouco.

  Mas eu estava realmente brava. Já pelo meu grupo ser uma merda, e ela fica fazendo bosta e dizendo que fui eu?! Avisei ela que não vou fazer com a Carol nem com a Breakfast, só ia carregar elas nas costas mesmo. Mas ela ficou dizendo que se eu não fizesse em grupo, não aceitaria meu trabalho que era no dia seguinte.

  Enquanto eu discutia com a professora, Bonnibel se inclinava e sussurrava um:

  -Se acalma... Marceline.

  E eu respirava, pra evitar de falar algo que me arrependeria depois. Valeu, Bonnie. Enfim, bateu o sinal. Me despedi da Bel-bel, da Phoebe e da Fionna, fui embora. Espero que as duas do meu grupo pelo menos estudem, ou vai ser uma merda pior do que imaginei.

  Cheguei em casa, e depois disso, eu sempre troco de roupa, almoço, arrumo a cozinha e durmo. Acordo, vou no computador, tomo banho, me troco, volto pro computador e durmo. Se tem lição, eu faço depois do banho, como hoje. Não era bem lição, mas eu estudei.

  Eu uso o método das vídeo-aulas. São bem legais, os professores costumam explicar muito bem e sem todo mundo gritando como na sala fica bem mais fácil entender. Eu vejo essas coisas no canal Stoodi. Eu ri quando percebi que a pronúncia é “estude” e que não tinha percebido antes. Os vídeos são bem editados e eu adoro o “tu tu tu tu tu” que o cara faz quando tem um corte.

  Quando percebi que tinha pegado aquelas coisas de sujeito, predicado e verbo de ligação o suficiente pra fazer a prova, fechei e mandei um vídeo engraçado pras minhas amigas. Pena que a Phoebe foi hackeada, não deu pra ela ver. Isso que dá ser famosinha no Facebook.

  Enfim, o vídeo era “Gemiremix”, e tinha o DJ André Marques. No começo, era só aquela repetição de som que vai ficando mais rápida e afinando até ter o drop. Mas o drop, adivinhe: é o bait do gemido. Pra quem não sabe, “bait” é tipo isca, então é como se você caísse numa pegadinha. O bait do gemido é quando começa algo normal, e do nada tchans: um gemido de mulher começa a sair.

  Eu ri demais. Bonnibel mandou um “Kkkkk” com aqueles dois emojis que estão chorando de rir. Clichê, coisa de menininha mesmo. Mas ao mesmo tempo, fofinho.

  Como tinha dormido bastante de tarde, fiquei até meia-noite no computador, depois fui dormir. Pelo menos tinha lavado a cabeça, me sentia cheirosa. Eu estava, mesmo. Dormi que nem pedra. Dormir é muito legal, fala sério.

 


Notas Finais


Dois capítulos hoje. Próximo saindo... AGORA!!
Muahaha.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...