História Loser - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jeon Jungkook, Jikook, Kookmin, Park Jimin, Texting, Vkook, Yoonjin
Exibições 178
Palavras 4.282
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oi pra voce
oi pra todo mundo
então, cap novo na área (really?)
meus capítulos tem os piores títulos possíveis nas histórias de capítulos mundiais

me avisem qualquer erro

boa leitura ^-^ <3

Capítulo 6 - Que calor é esse?


Fanfic / Fanfiction Loser - Capítulo 6 - Que calor é esse?

Jeon Stalker Jungkookie [23:01]: Cheguei em casa agora, Hoseok hyung chegou bem também. To te mandando mensagem porque minha internet não quer funcionar, e olha que a Coréia é o país que contém uma das melhores internets mundiais, eles que revejam seus conceitos

Eu [23:02]: Que bom que chegaram bem, estava esperando uma mensagem sua avisando isso

Jeon Stalker Jungkookie [23:05]: Sério? Espera, o que? Eu to realmente surpreendido

Eu [23:06]: Surpreendido com o que?

Jeon Stalker Jungkookie [23:08]: Com o fato de eu estar sendo finalmente notado aos poucos

Eu [23:10]: Quantas vezes vou te pedir pra parar de ser estranho?

Jeon Stalker Jungkookie [23:08]: Desculpa, não desiste de mim

 

Seria estranho eu estar finalmente admitindo que me importo (nem que seja um pouco) com essa criatura? Ok, eu devo precisar de um psicólogo. Sabe o que é mais irônico? Ele será um psicólogo. Essa frase que eu disse tem muitos sentidos, melhor eu parar.

Jin hyung fez todos nós comermos um monte de comida, só porque ele havia feito, e logo depois Hoseok e Jungkook tiveram que ir, pois estava ficando tarde.

O problema desse Jungkook, é que ele me faz ficar dando atenção pra ele, toda vez que ele me chama. Eu praticamente não consigo me conter. Deve ser resultado de mais de 1 ano sem ficar com ninguém. Aish.

 

 

~

 

 

— Oi. — Digo chegando perto dos meus melhores amigos/gays/imbecis que amo tanto, que estavam sentados em uma das mesas do pátio da faculdade, próximo à cantina.

— Não enche. — Yoongi vira de costas pra mim, tentando me ignorar. Ele se acha engraçado?

— Vocês dois viram o Jungkook por aí?

— Olha só, ele perguntando sobre o namoradinho. — Yoongi fala, novamente, ele só abre a boca pra me irritar, vou tacar meu caderno na cabeça dele daqui a pouco.

— Não vi não, Jiminnie. — Jin me responde, pelo menos um deles é sensato nesse casal, porque se não, ia ser difícil existir uma convivência.

— Aigo, ele marcou de me encontrar aqui faz 2 horas, e eu sou um babaca que tá esperando até agora.

— Ainda bem que você sabe que é babaca, nem precisei falar nada. — Yoongi, de novo. Dessa vez, não me seguro, e bato com o meu caderno literalmente na cabeça dele. Isso dá até um alivio espiritual. Acho que todo mundo deveria experimentar isso um dia. — Ai! Eu vou dar na sua cara, moleque, sai de perto de mim.

— Já tentou procurar ele nos banheiros? — Jin procura me ajudar.

— Já, até nas salas dos últimos andares eu procurei, e não achei.

— Ele deve ter faltado, ou ido embora, ué. Qual o problema nisso? Essa sua obsessão pelo garoto vai fazer ele não te querer mais, ein, cuidado. 

— Yoongi hyung, pelo amor de Deus, tem como você não falar nunca mais? — Reclamo, eu não aguento esse ser humano, alguém, por favor, tira ele desse mundo.

— Você que se incomoda com as minhas sinceridades. Jimin, contra fatos não existem argumentos. — Ele fala virando diretamente pra mim, e eu dou um tapa em sua cabeça. Confesso que estou amando fazer isso. — Para de me agredir se você tem amor a sua vida, se não vou te jogar na frente de um carro.

— Enfim, obrigado, Jin hyung. Morre, Yoongi. Vou procurar ele fora da faculdade. — Digo, ajeitando a mochila em minhas costas, após guardar o caderno, e me direciono para onde citei.

 

 

Por que eu estou indo atrás dele mesmo? O stalker dessa história não sou eu. Esse negócio de eu ficar me preocupando com gente além de mim está ficando cada vez pior a cada dia que passa.

Talvez seja porque no dia de hoje, eu fiquei conversando com ele até 2 horas da manhã sobre o quanto superar coisas passadas é difícil, ele sempre me ajuda no lance de desabafos quando quero reclamar da minha vida, e o mesmo havia confirmado de que viria hoje. Ele não me fez acordar cedo atoa, não mesmo. Você queria aulas particulares de anatomia comigo, e agora você vai ter, viado.

Sorte a minha que esse idiota mora perto da faculdade, então resolvo ir eu mesmo, pessoalmente fazer uma visitinha às 13 horas da tarde. Só vim pra aula porque essa criatura me insistiu, pra ele simplesmente faltar? Isso me dá até uns coiso de raiva dentro do estômago.

 

— Quem é? — Ouço a voz do meu novo aluno, vulgo idiota, após eu tocar o interfone umas 3 vezes. Estava mais grave que o normal, não duvido muito que tenha acabado de acordar. É um desgraçado mesmo.

— Seu lindo professor particular de anatomia.

— Jimin hyung?

— Abre logo esse portão, garoto.

— Ta, pera

Vejo que o portão abre, entro, e me direciono até o elevador após passar pelo porteiro que ficou apenas me observando com cara de “nossa que otário, nem vou ajudar ele, prefiro ficar aqui vegetando, que mesmo assim eu vou ganhar meu dinheiro no final do mês” enquanto eu estava apertando o interfone feito louco minutos atrás.

Chego à frente da porta de seu apartamento, e bato freneticamente até ele me atender.

— Se você quer quebrar a porta, avisa logo. –Ele abre e me dá espaço para entrar.

— Ninguém mandou você me dar um bolo.

— Bolo? É seu aniversário, hyung? — Ele diz coçando os olhos, estava apenas de shorts e com essa barriga magrela toda de fora.

— Que? Jungkook, para de ser burro.

— Eu não funciono de manhã. Por que ta aqui tão cedo? Nem ta no horário de ir pra faculdade ainda e-

— Moleque, são quase 14 horas da tarde, seu demente.

— O QUE? Ai, cassete, hoje tinha aula de teorias da saúde. — Vejo que o mesmo passa a mão sobre a nuca e a outra se direciona para a cintura. — Aish, que merda, é tudo culpa sua.

— Culpa minha?

—Culpa sua. 

— Por quê?

— Ficou me usando até 2 horas da manhã. –Ele fala.

— Olha aqui, eu não te usei, você que se ofereceu pra ajudar um amigo que reclama da vida. Praticamente te fiz de twitter.

— Então, fui usado. Como um twitter!

— Amigos são pra essas coisas.

— Gosto quando me chama de amigo. Fala mais. — O mesmo se aproxima de mim como se fosse me dar um abraço e eu dou dois passos pra trás.

— Sai de perto de mim, seu pelado, vai colocar uma blusa pelo menos.

— Está incomodado com o meu corpo? Me deixa.

— Não, você me respeite. Vá colocar uma camiseta.

— Aigoo! — Ele desiste e vai até seu quarto provavelmente pegar uma roupa.

Ok, agora eu tenho tempo o suficiente para reparar na sala dele, onde eu estava parado perto do sofá, e resolvo me sentar, não quero varizes, ao invés de ficar olhando para aquele leve abs do Jungkook. Sim, leve. Não vi nada demais naquela barriga de gente que não bebe coca cola porque o professor de bioquímica disse que é feita para limpar sangue de mortos nos corpos de bombeiros dos Estados Unidos. Não me perguntem, ele que me contou.

Fico olhando para os lados, e não me surpreendo com a bagunça que é, já que ele mora sozinho. Tem blusas jogadas em cima de uma poltrona, uma jaqueta do meu lado esquerdo, sua mochila estava no canto do rack, e tinha uma enorme televisão no painel.

Percebo que em seu rack não tem nada além de miniaturas do Homem de Ferro, e um pequeno porta retrato. Então me levanto para mexer. Quero futucar as coisas dele, aproveitar que já estou aqui, não é mesmo?

Quando me aproximo, vejo que é uma foto dele junto com um garoto de cabelos alaranjados, muito parecidos com os meus. Isso me assustou, porque de longe, parecia comigo mesmo. Mas o rosto do tal rapaz era mais fino, e tinha feições muito bonitas. Os dois estavam sorridentes, pareciam felizes. Será que é esse o tal ex namorado do Jungkook? Não sei, só sei que ele já vai voltar e eu estou aqui fazendo coisas erradas.

— Jiminnie?

— Que? — Digo me afastando do rack, ele ainda estava no quarto, apenas falando alto de uma forma que eu ouvisse.

— Ta com fome? — Ele aparece no corredor e me olha, já vestido. Amém, Jesus.

— To né. Estou esperando você aparecer na parte da cantina há umas 3 horas. O que tem a dizer sobre isso? Hm?

— Me perdoa.

— Não.

— Por favor. — Ele tenta fazer uma cara de fofinho, mas falha ao ver que eu começo a rir. Ele cora, se aproxima de mim, e me dá um empurrão de leve no ombro. — Vou te recompensar pagando seu almoço.

— Ok, se você vai me pagar comida, eu aceito as desculpas. Só depois de comer.

 

~

 

 

— Você não vai conseguir aprender nada nesse ritmo. — Digo revirando os olhos. Jungkook conseguia ser a pessoa mais lerda desse mundo, nunca tinha visto igual.

— Para de me criticar.

— Jungkook, eu já tentei te ensinar umas 10 vezes os mesmos ossos, como consegue? Melhor você desistir da faculdade e se tornar sapateiro da esquina.

— Você é um ótimo amigo. — Ele fala me olhando diretamente, tirando seu foco dos livros.

— Sou realista.

— A prova é amanhã, estou ficando nervoso. — Vejo que o mesmo faz um olhar de preocupado, e acabo ficando com pena. Meu coração não é de pedra, só às vezes.

— Se quiser fico até mais tarde com você na sua casa pra tentar te ensinar. — Falo indiferente, pegando meu caderno que continha algumas anotações de como ajuda-lo e fechando-o.

— Sério? — O mesmo me olha esperançosamente.

— Pare de agir feito criança.

— Obrigado, você é o melhor hyung que eu tenho.

— Não me faz mudar de ideia. —Falo guardando as coisas, já ia dar 18 horas, e estava escurecendo. — Vamos. 

 

-

 

— Jin hyung? É o Jimin. To te ligando pra avisar que vou chegar tarde hoje, então deixa as chaves perto da plantinha do lado da porta porque eu esqueci as minhas.

— Vai fazer o que?

— Tenho que ajudar Jungkook com a prova que ele vai ter amanhã.

— Eu sabia que ele tava com o namoradinho.

— Yoongi? Como... Jin, você colocou no viva voz?

— Jimin? Desculpa, Yoongi que pediu, parece que ele tem um vício em perturbar você.

— Isso se chama amor, muito amor pela minha pessoa. Enfim, mais tarde eu to chegando.

 

-

 

— Juro que se você não entender isso hoje, vou eu mesmo lá na direção e cancelo sua matrícula da faculdade fingindo ser seu pai. — Falo sentado no chão, com nossos livros, cadernos e algumas canetas sobre a mesinha de centro da sala.

— Você? Meu pai? Com essa cara bonita aí?

— É porque eu engravidei sua mãe no primeiro jato.

— Meu deus, Jimin. Não sabia que nossa amizade já estava nesse nível. E nem que você era podre assim.

— Não existem níveis pra amizade, quando você se torna meu amigo, já é obrigado a ouvir coisas desagradáveis automaticamente. Acostume-se. 

— Ok, vamos voltar para o foco principal que são esses troços chatos que chamam de osteologia, seu rosto é bonito demais pra eu ficar olhando.

— Eu vou te dar um tapa toda vez que me elogiar. — Falo após dar um tapa (como eu disse que faria) na sua nuca, depois de seu comentário constrangedor. Talvez assim ele pare.

— Se acha que isso vai me fazer parar, está muito enganado. — Ta, eu sou burro e me enganei.

— Mas bater nas pessoas é legal, então também não vou parar. Idiota.

— Você sempre vai me chamar de idiota? — Ele fala colocando seus cotovelos sobre a mesa.

— Eu chamo você do jeito que eu quiser.

— Que tal me chamar de crush?

— Que?

— Que o que?

— Jungkook, para de usar drogas, não faz bem pra você.

— A minha única droga aqui é você.

— Eu vim pra cá pra te ajudar com a prova de amanhã, e não pra você ficar me usando para testar as suas cantadas ridículas que você pega no facebook pra utilizar depois com seus contatinhos.

— Eu aceito que me chame de idiota. Me sinto próximo a você, parece que você costuma xingar as pessoas que são seus amigos.

— Já tivemos esse assunto sobre sermos amigos antes, pula o capítulo.

— Desculpa, eu gosto de ficar lembrando.

— Ta bom, Jungkook, foca. O crânio é composto por quantos ossos?

— 22?

— Não. — Pego a caneta e bato em seu ombro. Estou muito violento hoje. — O crânio tem 8 ossos. O i t o. — Desenho um oito no caderno dele, e fico fazendo vários números oito. — A cabeça tem 22 ossos. C a b e ç a.

— Hyung, você é o pior professor do mundo.

— E você, o pior aluno.

[...]

 

Já estava tarde, acabamos passando da hora, e quando fomos ver: novamente eram 2 da manhã. Eu tentei explica-lo o máximo que pude, e conforme passou as horas –no qual paramos para jantar e voltamos aos estudos dele–, vejo que Jungkook fica sonolento. Apesar de ele ter dificuldades, está se esforçando bastante.

Eu havia tomado banho e acabei colocando algumas roupas dele emprestadas, já que seria impossível eu voltar a essa hora pra casa, sem os ônibus estarem rodando.  

— Jungkook, onde eu penduro a toalha? — Pergunto quando chego à sala, mas dou de cara com a criaturinha adorável dormindo em cima dos cadernos, se apoiando com a cabeça em cima dos braços. — Não acredito que você dormiu. — Dou um pequeno sorriso.

Pego algumas almofadas, o puxo levando-o para perto do sofá. Procuro dois cobertores dentro de seu armário, e quando retorno à sala, cubro-o.

Ele estava fofo, com um leve sorriso em seu rosto. Pelo visto estava tendo bons sonhos. Por que eu fico achando esse garoto fofo toda hora? Que coisa mais gay da minha parte, Yoongi ta bugando a minha mente, aquela peste.

 

 

 

~

 

— Olha só quem chegou às 8 horas da manhã. — Yoongi me encara assim que abro a porta.

Sabia que dormir no chão não é nada confortável? Jungkook dorme muito, e eu tive que dar uns 3 chutes pra ele acordar, e lembrar que hoje tinha prova. Não só teórica, mas prática também. G-Deus o ajude, porque eu já fiz o que pude.

— Não me enche o saco, seu merdinha. —Reclamo desse babacão. Quantas vezes eu reclamo dele na vida mesmo? Acho que umas 54898 de vezes? Nah, acho que já reclamei mais que isso.

— Lembre-se que depois do sexo é bom fazer xixi, evita infecções urinárias!

— Já mandei você se foder hoje? — Falo alto enquanto estava no corredor indo para meu quarto.

Me jogo na cama, estou cansado, que saudade eu senti dessa gostosa.

 

Eu [8:43]: Boa sorte na sua prova, idiota. Levo suas roupas depois pra você, não to com ânimo, nem paciência pra assistir aula hoje, você me fez dormir no chão. Vai dar tudo certo, fighting!

Jeon Stalker Jungkookie [8:45]: Tomara que você reprove por faltas, assim você ficará um ano atrasado e teremos mais tempo juntos na faculdade. Muito obrigado pela ajuda, hyung

 

Tá, agora eu vou dormir, mais.

 

 

[...]

 

Que merda, quem está me ligando a plenas 12 horas da madrugada?

— Espero que quem for que seja, que você esteja morrendo para me ligar no momento em que eu estava dormindo

— Jiminie hyung, eu sou um merda

— Jungkook? Homem, você sabe o significado da palavra paz?

— Queria saber, mas eu não sei, porque eu sou um merda

— Isso não é novidade pra ninguém, amigo

— Eu travei na prova prática e troquei o nome e número das macas, vou levar 0, ficar 10 anos estudando isso, e acho que vou aceitar sua proposta de ser sapateiro

— Fica calmo, essa só foi a sua primeira prova, vai se dá bem nas outras

— Não vou não

— Para com esse pessimismo antes que eu tente te dar um tapa na cabeça pelo telefone

— Desculpa

— Relaxa, eu acredito na sua capacidade

— Acredita mesmo?

— Não muito, mas estou tentando pensar que você realmente não é burro

— Eu te liguei pra você me acalmar, seu idiota

— Você me ligou pra me perturbar, é diferente. Eu tava dormindo, desgraça, quer que eu dê sermão de como estudar é bom e que você é capaz de tirar notas boas assim que acordo? Não sou bom ajudando as pessoas e ainda me esforcei pra te ajudar

— Esse teu jeito é encantador

— Porra, até pelo telefone tu me usa de cobaia pras tuas cantadas, eu não te aguento mais

— Topa sair comigo no final de semana pra eu me sentir melhor?

— Não

— Por que?

— Porque você me acordou, inferno

— Está andando demais com o Yoongi hyung

— Eu moro com ele

— Vaaaamos

— Eu vou é socar sua cara

— Vaaaaaamos

— Se eu falar que sim você para de me encher?

— Vaaaaaaaamos

— Ta! Ta bom! Para!

— Vaaaaaaaaamos

— JUNGKOOK

— Ah, você aceitou. Ok, então até mais. Depois falo com você, quando acordar me manda mensagem

— Por que eu te mandaria mensagem?

— Porque eu sou a única pessoa que você conversa

— Idiota

 

O ser humano conseguiu me desconcentrar do meu sono de beleza maravilhoso no qual eu era um k idol famosão que tinha abs e tirava a camisa nos palcos, fazendo as meninas delirarem. Jimin, vamos parar de sonhar e voltar pra sua realidade: você mora com dois gays e ainda tem um stalker perseguidor. Pois é, a vida real dói.

 

— Jimin!

— Ah não, me deixa. — Vejo que Yoongi aparece na porta e vem na direção da minha cama.

— Quero conversar, amigo.

— Agora eu sou seu amigo?

— Sempre foi. — Ele fala, me puxando para o lado que ele estava com as mãos nas minhas pernas.

— Não me toque.

— Toco sim, e se reclamar ainda vou te arranhar.

— Yoongi. Você nem tem unhas.

— Tenho dentes.

— Fala o que você quer. —Falo pensando: Por que ninguém me deixa em paz nessa minha vida de merda?

— Quero conversar com você sobre o Jungkook.

— Que? Eu já falei que a gente não tem nada, eu gosto é de bucet-

— Não ouse falar nome dessas coisas nojentas e elásticas em minha moradia.

— Ainda não entendi aonde quer chegar.

— Jimin, Jungkook tem um passado meio triste.

— E dai? Eu também tenho.

— Sim, mas acho que o caso dele é mais grave.

— E como você sabe dessas coisas? E vem falar comigo assim do nada? Seu doente.

— Hoseok estava preocupado com ele e veio conversar comigo. Eu sou direto, já falo logo o que eu quero falar, estrupício. — Ele diz, e estava com expressões estranhas, Yoongi não se importava com ninguém além dele e Jin.

— O que ele falou? — Me ajeito na cama, agora eu realmente estava interessado no que o traste estava falando, já que finalmente era algo útil.

— Ele me contou sobre o tal ex namorado do Jungkook, disse que eles sofriam muita homofobia na cidade onde moravam, e por isso que depois da morte dele, Jungkook largou tudo lá e veio morar aqui em Seoul.

— Você sabe como o namorado dele morreu?

— Parece que ele foi... Espancado em um beco e não aguentou os ferimentos. Jungkook teve que assistir tudo enquanto apanhava também.

— Nossa, como alguém pode sentir tanto ódio gratuito por duas pessoas apenas se amarem? Isso é tão escroto.

— Eu sei, me da vontade de arrancar os pintos de quem fez isso com eles dois e enfiar no próprio cu de cada um. Mas enfim, o lance é que, Jungkook é homossexual assim como eu e Jin, e Hoseok não quer que ele se apaixone por você, já que é hétero e estão muito próximos.

— Nós somos apenas amigos, ele me ajuda a parar de pensar na Ha Won e eu retribuo tentando ser amigável.

— Você é, digamos assim, tecnicamente, bem pouquinho, lá no fundo mesmo, se for parando pra analisar bem detalhadamente, nos mínimos detalhes, bonito Jimin, e isso com certeza deve ter chamado a atenção dele.

— Acho que estão exagerando.

— Olha, eu não costumo me preocupar com ninguém, mas defendo quem passa por problemas e por ser parecido comigo no aspecto da sexualidade, então se tu fizer merda com esse garoto eu vou arrancar suas orelhas e pedir pro Jin fazer de petisco.

— Pode confiar, está tudo sobre controle. Agora pode me deixar em paz, pelo amor que você tem a Jin?

— Ta. Pensa no que eu disse.

Ele se retira do quarto e eu volto a me deitar na cama. Estou cansado! Aish. E o fato de Jungkook ter perdido o namorado de uma forma tão cruel mexeu comigo, confesso que estou um pouco mal agora. Nada pior que ser acordado, ter que ver a cara do Yoongi logo em seguida e ainda ficar na bad. Eu que achava que a minha vida era uma bosta, tem gente que já passou por coisas pior que eu e ainda consegue sorrir. Sou um otário mesmo.

 

 

 

~

 

 

— Vou te levar pra um lugar legal hoje. — Jungkook fala quando nos encontramos depois das aulas naquele meu lugar de descanso, que acabou se tornando nosso lugar de descanso.

— Você tem que parar de me auto convidar pra sair com você sem eu ao menos aceitar.

— É porque se eu pedir, você faz cu doce, mas acaba aceitando. Então eu só evito perda de saliva.

— Ta, aonde tu quer me levar?

— Na parte de games do meu prédio.

— Você tem certeza que tem 20 anos? Às vezes parece ter 10.

— Adultos também jogam. — Faz um pequeno bico como se tivesse ficado afetado com o que eu disse.

— Não fica fazendo esse bico.

— Por quê?

— Te deixa de um jeito fofo, e eu não costumo achar isso de ninguém.

— Ai meu deus! — Ele coloca a mão no coração e cai para o lado, na grama.

— Jungkook? Jungkook? Que isso, você ta bem? — Fico um pouco assustado e chego próximo dele, tentando o levantar, mas ele é enorme, mal consigo movê-lo.

— Não acredito que você disse que sou fofo. — Ele começa a rir, sem se levantar, babaca, me fez ficar preocupado atoa.

— Não me assusta desse jeito! Não existe definição melhor pra você que Jeon Stalker Idiota Jungkook.

— Você só aumenta o meu nome cada vez mais. — Vejo que volta para a mesma posição de antes e encosta sua cabeça no tronco da árvore.

— Vou mudar seu nome no meu celular agora. — Pego meu telefone, e vou em editar.

— Não! — Ele tenta pegar meu celular, vindo pra cima de mim. Começamos a rir, e ele consegue, puxando e sai correndo. Vou atrás dele.

Dois idiotas que se tornam cada dia mais amigos correndo na parte recreativa e verde da faculdade por causa de um celular. Que coisa gay + infantil ao mesmo tempo.

 

 

[...]

 

— Adorei o fato de que você me trouxe aqui só pra eu ficar ganhando de você na sinuca. Como pode ser tão ruim? — Falo rindo quando vejo que Jungkook erra e acaba deixando a bola branca entrar no buraco pela 2° vez.

— Estou deixando você ganhar. — Ele diz com um olhar meio irritado por não conseguir ganhar de mim.

— Aham, claro.

— Sou bom em dardos.

— Dardos? Nunca joguei.

— Vem cá. — O mesmo tira o taco das minhas mãos, colocando no canto e me puxa até uma parte onde tinha o alvo + dardos pra jogar. — Olhe e aprenda.

Jungkook pega um dos dardos, mira, e acerta em cheio, exatamente no meio. Como ele fez isso? Fico de olhos arregalados.

— Melhor você largar a vida de psicologia e se tornar profissional nisso.

— Não é uma má ideia. — Abre aquele sorriso de gente despreocupada de sempre. — Vem, vou te ensinar. — Ele me puxa pra próximo de si, colocando o dardo em uma das minhas mãos, segurando a mesma e encostando seu peito nas minhas costas. Ok, isso ta ficando estranho.

Estou sentindo um calor estranho subir das minhas pernas até a cabeça, o que ta acontecendo aqui meu Jesus Cristinho, me ajuda.

— É... Eu... Acho que já entendi. — Me afasto um pouco indo pra frente, e taco o dardo de qualquer jeito pra frente. Não me culpem, to nervouser.

— Suas mãos. — Ele fala rindo.

— Que? O que que tem minhas mãos? — Falo vendo que eu acertei quase na parede, bem longe do centro. Que merda.

— Elas são pequenas e fofinhas. — Ele se aproxima pegando em minhas mãos novamente. De novo, isso aqui ta ficando estranho e eu estou ficando com calor aleatoriamente do nada. Cadê o ar condicionado desse lugar? Não tá ligado? Olho para o lado e vejo que está. Pois é, algo de errado não está certo.

— Não gosto delas. — Puxo minhas mãos num reflexo quando vejo que estou me sentindo estranho. — Eu vou tentar mais uma vez. –Falo pegando mais dardos e (tento) acertar mais algumas vezes.

 

[...]

 

— A saída do final de semana ainda está de pé, né. — Jungkook fala enquanto nos direcionamos para a parte de fora do prédio dele.

— Não sei.

— Jiminnie...

— Ta bom, mas saiba que eu não devo pagar por você ser burro e não conseguir acertas as questões da prova.

— Eu estava nervoso!

— Não interessa, eu te ajudei.

— Você passou a maior parte falando que eu era inútil do que me ensinando.

— Essa é a minha tática de ensino, pra você me achar um otário e tirar nota boa com raiva de mim.

— Não consigo sentir raiva de você.

— Eu não te entendo às vezes. Ok, estou indo agora. Até mais.

— Tchau, hyung.

 

Agora eu estou indo pra casa pensando no porque eu fiquei tão nervoso com essa criatura perseguidora me tocando. Isso é algo pra eu me preocupar? Não sei.

Parando pra pensar, a minha vida anda uma bagunça desde que ele apareceu, e se forçou (sério, ele forçou) a entrar no meu meio social. Entrou meio estranho, mas entrou. Até porque agora eu falo com ele o tempo inteiro, e não tenho paz ou sossego pra pensar em Ha Won e ficar reclamando da minha vida. Até quando eu reclamo, é com ele que eu falo. Isso é algo bom, não é? Eu sou uma pessoa confusa, desculpa, sou de libra. 


Notas Finais


oi de novo
então, obrigadinha por ter chegado até o final desse cap vc é uma/um vitoriosa/vitorioso
ta deixa eu falar então sobre umas coisas: a partir de agora, eles vão começar a se aproximar mais de uma maneira diferente
isso mesmo q vcs estão pensando
uhum
mas calma
nada de lemon ainda, aguenta coração
to tentando fazer uma história que seja mais "realista" digamos assim, em que eles são apenas dois amigos que se gostam, tentei aproxima-los de uma maneira estranha mas aproximei, né nom? - e que o Jungkook fica dando essas cantadas/indiretas (bem diretas) na cara do Jimin de brincadeira, não tem nada de sentimento nesse rolo todo
mas agora vai ter
pq? pq o otp é lindo e precisa brilhar
jungkook vai começar a dar mais em cima do jimin? jimin vai começar a gostar das aproximações meio lokas e repentinas de jungkook? pq jimin fica com fogo na raba quando jungkook encosta nele?
quero que pensem nos dois carinhas que ficaram perturbando o jungkook naquele dia tbm, se vcs lembram, eles são... digamos que... importantes na história. pam pam paaam
vcs verão nos próximos caps, então não me abandonem <3

espero q a estória não esteja ficando chata ç.ç

beijinhos pra vcs
até o próximo, bye! see ya <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...