História Loser - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 8
Palavras 1.811
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Capitulo 3- confusão parte final e musica


                Entro na sala, e sento em um pufe perto do palco. A sala era toda colorida nas cores, verde, laranja, amarelo, azul, vermelho, e rosa. Com vários pufes e instrumentos, e um palco no fim da sala com um piano, um violão, uma guitarra, uma bateria, e bem ao centro um suporte com um microfone. Aos poucos os meus colegas iam entrando e se sentando com seus amigos. Eu estava tao imerso em meus pensamentos, que nem notava quem entrava para a aula, só passei a prestar atenção mesmo quando a professora passou a falar no microfone;

- bom dia classe, como foi o ultimo fim de semana de férias de vocês?- perguntou com seu entusiasmo matinal que todos já conheciam. Alguns responderam que foi bem, outros reclamaram das voltas as aulas, outros bufaram, e alguns como eu ficaram em silencio.-  Pois bem, hoje, a aula vai ser um pouco diferente. Como vocês notaram, temos a presença de mais alguém na sala- falou e apontou para um canto na sala, todos viramos, e vimos um cara mais ou menos da idade da professora. Eu, como alguns outros alunos não tinha notado ele ali.- bem, ele é o Gabriel Scars, ele é um empresário de musica, e esta aqui a procura de novos talentos. Entao hoje, na nossa aula vocês vao fazer um circulo, e cantar a musica que acha que mais combina com a pessoa que estiver na sua frente...

-E se a pessoa não souber uma musica que combine com a pessoa que esta na sua frente?-perguntou um garota interrompendo a professora.

- Bom, ai pode cantar uma que tenha algum significado para você, ou que a letra seja tudo o que gostaria de falar para essa pessoa. Entao formem um circulo com os pufes, e vamos começar!- ela falou e a sala começou a se organizar em um circulo.

                Eu fiquei sentado no meio, adivinhem de frente para quem? Exatamente, do Marsholl. Que ótimo! Já não bastava os episódios na sala e no refeitório, eu ainda ia ser obrigado a ouvir ele cantando uma musica que me define? E eu vou ter que fazer a mesma coisa? Mas que musica combina com ele? Eu não faço ideia de que musica combine com ele.

                Passei a observar ele, para ver se alguma musica me vinha na cabeça. Ele tinha os cabelos escuros, pele clara, dois piercings na boca, e os olhos azuis como um oceano, profundos e penetrantes, que fariam qualquer um se perder. O que eu acabei de pensar?! Balancei a cabeça negativamente. Estava com a mente muito bagunçada, era isso.

                A metade da sala já tinha se apresentado, agora seria a vez do Parcy, ele pegou o violão e me encarou por alguns momentos. Seu olhar era intenso sobre mim, e por mais que eu o encarasse de volta, não conseguia descobrir o que se passava em sua mente. Definitivamente ler pessoas não era o meu dom. Segundos depois, Parcy finalmente começou a dedilhar no violão. Eu não conhecia a melodia, então ele começou a cantar, e descobri que musica era;

When the days are cold

And the cards all fold

And the saints we see

Are all made of gold

 

When your dreams all fail

And the ones we hail

Are the worst of all

And the blood’s run stale

 

I want to hide the truth

I want to shelter you

But with the beast inside

There’s nowhere we can hide

Ele estava cantando a musica “Demons”. Enquanto ele cantava, ele olhava para mim, seus olhos presos nos meus...

No matter what we breed

We still are made of greed

This is my kingdom come

This is my kingdom come

 

When you feel my heat

Look into my eyes

It’s where my demons hide

It’s where my demons hide

Don’t get too close

It’s dark inside

It’s where my demons hide

It’s where my demons hide

Devo admitir, sua voz era linda, e ele cantava muito bem. Com sentimento.

At the curtain’s call

It’s the last of all

When the lights fade out

All the sinners crawl

So they dug your grave

And the masquerade

Will come calling out

At the mess you made

 

Don’t want to let you down

But I am hell bound

Though this is all for you

Don’t want to hide the truth

No matter what we breed

We still are made of greed

This is my kingdom come

This is my kingdom come

Eu definitivamente não estava mais pensando coisa com coisa. Devia estar enlouquecendo de vez. Ou o dia que foi muito agitado. Isso deve ter feito eu perder a cabeça. Porque eu não sabia mais como pensar, ou o que sentir....

When you feel my heat

Look into my eyes

It’s where my demons hide

It’s where my demons hide

Don’t get too close

It’s dark inside

It’s where my demons hide

It’s where my demons hide

Porque a voz dele, a musica, isso me prendia. Era como se não existisse o mundo ao meu redor. Eu não ouvia mais nada além da sua voz.

They say it's what you make

I say it's up to fate

It's woven in my soul

I need to let you go

Your eyes, they shine so bright

I want to save that light

I can't escape this now

Unless you show me how

Era incrível, ele mal me conhecia, mas em uma única musica ele conseguiu me representar muito bem. Meus sentimentos, o jeito que me sinto em relação aos meus demônios internos. Era realmente incrível.

When you feel my heat

Look into my eyes

It’s where my demons hide

It’s where my demons hide

Don’t get too close

It’s dark inside

It’s where my demons hide

It’s where my demons hide

Ele terminou de cantar e tocar, e o sinal bateu anunciando o fim da aula. A professora disse alguma coisa sobre continuarmos na próxima sala, e os alunos foram saindo da sala. Eu fiquei uns segundos a mais sentado, entorpecido melos meus pensamentos. Minha cabeça estava muito cheia e confusa, e pela primeira vez eu fui tomado completamente pelos meus pensamentos, sem ter meu ‘’calmante’’. Hoje foi o dia mais estressante de todos, certeza.

                Me levantei, peguei minhas coisas, e fui em direção a porta, mas antes de sair eu pude ouvir uma conversa da professora com o Sr. Scars;

“É daqueles dois que eu preciso’’

Foi o único que ouvi, e sai da sala. É hoje foi um longo dia...

                Fui para o pátio da escola, meus amigos estavam la, e no outro lado estava o grupo da nerd e do Marsholl. Balancei a cabeça tentando inutilmente limpar minha cabeça, ou pensar em outra coisa que não fosse o dia de hoje, e caminhei em direção aos meus amigos.

-Ei cara, vamos almoçar la em casa hoje?- perguntou Tyler. Balancei a cabeça negativamente e disse:

- Foi mal, mas hoje eu não to afim não. Outra hora talvez.

- A qual é fofucho? Pensei que estivesse com saudades de mim- falou Morin se esfregando no meu braço, e fazendo uma voz irritantemente melosa.

-Foi mal Morin, mas hoje eu não estou afim.-  falei me largando dela.- falou gente.

Me despedi e sai da escola. Peguei meu maço de cigarros, e decidi ir para casa fumando um, para tentar esvaziar a minha mente. Ando por mais meia quadra, ate que ouço alguém me chamando. Me viro e me deparo com a nerd. A qual é? Sera que eu não vou ter paz nem indo para a minha própria casa? Isso já é sacanagem, cara!

- Qual é nerd, deu para me perseguir agora ou o que?- perguntei cruzando os braços e erguendo uma sobrancelha, minha voz claramente irritada. Eu já tinha acabado de fumar.

-Eu? Seguir você? Nunca! Minha casa é nessa direção, não é o único que mora por esse caminho.- falou revirando os olhos.

-O que você quer?- perguntei indo direto ao ponto

-Voce por acaso leu o livro?- perguntou também sendo direta. Aposto que o tempo todo queria perguntar isso, e só estava esperando por uma brecha.

-Não, mas já sei do que se trata.- falei bufando

-Sabe que vocês vao ter que superar essa ‘’richinha’’ estupida para fazer o trabalho, não sabe?- perguntou

-Sim- falei com a voz arrastada- aposto que aquele professor fez aquilo só para me ferrar.- comentei entre dentes

-Com certeza fez. Mas acho que não vai ser tão difícil assim.- falou

-Como não? Eu não gosto do Marsholl e ele não gosta de mim. Isso nunca daria certo.- falei e ela parou me encarando, fazendo uma expressão como se pensasse nas palavras que falaria a seguir. Eu parei também e a encarei

-É pelo fato dele ser gay?- perguntou meio hesitante e num tom baixo.

-O que? Não.. não é isso é só que... Ah esquece você não entenderia-ate porque nem eu mesmo entendo- Olha, não é essa a questão, ok? É só que aquele professor me odeia, e ele sabe que eu pego no pé do Marsholl, e provavelmente ele só fez isso porque acha que ele me odeia e que não vai querer cooperar para o trabalho, fazendo assim com que eu me ferre. E, sinceramente? Eu acho a mesma coisa.- disse o que pensava sobre isso, e voltamos a andar.

- Bem, então porque não da uma chance ao Parcy? Nós dois sabemos que você não o odeia, tente pelo menos ser agradável com ele, para que os dois tenham uma boa nota no trabalho. Não precisam se tornarem melhores amigos, só precisam trabalhar juntos. Pense na cara do professor? Aposto que ia adorar ve-lo com raiva. Ah vai, não deve ser tão difícil assim ser simpático com ele uma vez na vida. Ele é uma boa pessoa, não vai te custar nada ser legal.- falou me dando um soquinho no ombro.- Bem eu tenho que ir, minha casa fica na próxima rua. Nos vemos amanha. Tchau Dylan- acenou e virou a rua indo embora.

Eu caminhei mais um pouco e cheguei na minha casa. Ou melhor, apartamento. Entrei e me joguei no sofá, ligando a tv. E comecei a pensar no que a Alexia disse, eu realmente iria gostar de ver o meu professor com cara de boboca. Seria demais. Acho que eu poderia considerar o fato de ser simpático com o Marsholl uma vez na vida.

Por um momento ponderei a ideia, e cheguei a conclusão de que seria uma loucura. Como o dia de hoje. Deus, minha vida esta do avesso, quando que eu iria pensar que o primeiro dia de aula poderia me deixar desse jeito? Estressado e confuso. Realmente hoje foi um dia maluco, e provavelmente esse ano ainda vai me fazer querer arrancar os cabelos, vai me trazer muitas surpresas ainda. Eu devo estar pirando mesmo, essa é a única explicação logica para isso.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...