História Lost - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Show Nu, Won Ho
Tags Beautiful, Distopia, Guilty, Lost, Monsta X
Visualizações 6
Palavras 1.343
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olha quem voltou em menos de 24h jashdjasdjha
Gente, eu não posso prometer nada de atualizar todos os dias, mas não vou deixar essa fic em hiatus!
Ps: MUITO OBRIGADA POR FAVORITAREM AAAAAAAAAAA
Pps: Dedico esse capítulo pra fãzona @whybngtan (obrigadona de verdade, amor)

Capítulo 2 - Um convite a Jooheon


Hyunwoo, agora batizado de Shownu, sabia exatamente quem chamar para ser o próximo membro do clã: Lee Jooheon.

Jooheon era um menino extrovertido, fazia amizades facilmente na vizinhança, mas em um piscar de olhos seu humor e comportamento poderiam mudar completamente. Hyunwoo o conhecia apenas por nome, raramente tinha tempo e disposição para trocar algumas palavras com o garoto, mas nos últimos dias Jooheon estava começando a dar trabalho para alguns comerciantes da cidade. Rumores de que Jooheon estava assaltando padarias apenas para conseguir o pão de cada dia e isso veio à mente do mais velho quando pensou em pessoas rebeldes para o clã.

Pouco se sabe sobre a vida de Jooheon, alguns boatos dizem que ele não havia família e sobrevivia à custa de um trabalho precário numa sapataria, mas assim que seu patrão o demitiu por causa de comportamento inadequado, Jooheon não viu outra maneira de sobreviver a não ser entrar para o mundo de crimes. Numa ditadura como aquela, se tornar criminoso não era algo tão perigoso quanto aparentava. Os verdadeiros criminosos eram a polícia e o governante. Jooheon apenas vivia por si só intercalando qual padaria ou mercado assaltar dessa vez.

Numa manhã acordara irritado, percebeu logo que uma aguda dor no estômago o indicava a fome acumulada do dia anterior. Infelizmente falhara no assalto e para evitar ser preso, Jooheon preferiu fugir da cena do crime com a barriga roncando. Mas não pretendia passar fome nessa manhã. Encontrou forças para se levantar da cama, que em outras palavras era um fino colchão, e já montava seu plano em sua mente. Jooheon se idolatrava por ser muito ágil em bolar planos infalíveis tanto teórica quanto praticamente. Sorriu ao lembrar-se de um lugar particularmente incomum em quase todos os cidadãos. O plano estava pronto: Jooheon iria entrar na selvageria do crime.

Jooheon não entendia como atraía tanto azar nos últimos dias. Seu plano era assaltar as casas de alguns policiais que ainda se davam ao luxo de morar no meio dos cidadãos mais simples, talvez para se gabarem da vida fácil que levam, pensou Jooheon. O objetivo era pegar algumas armas para que da próxima vez que resolvesse assaltar um lugar não houvesse resistência e fosse mais fácil de levar comida para a casa. Colocou quase dez armas de médio porte numa sacola preta, que consequentemente pesou e ao passo que saia lentamente da última casa de qualquer policial, ouviu um barulho suspeito. Sem pensar duas vezes o rapaz se pôs a correr.

No caminho tropeçou com seu hyung, Hyunwoo, pediu apressadamente desculpas, mas o que Jooheon realmente queria ter feito era parar e conversar com o hyung e dizer que, se precisasse de ajuda com o pai, Jooheon daria um jeito de conseguir alguns remédios na base do furto, mas sua vida corria em risco.

O dia que Jooheon finalmente teve tempo para conversar com Hyunwoo será eternamente um dia inesquecível para ambos, especialmente para o mais novo.

Hyunwoo, acompanhado de Minhyuk um dia, quase no final da tarde, aguardava Jooheon do lado de fora da sua casa, ao contrário de Hoseok, o mais jovem morava na periferia da cidade, mas não era um endereço difícil de localizar na opinião de Hyunwoo. Assim quando o mais novo estava voltando de mãos cheias de comida para o resto da semana é um enorme sorriso no rosto, ele viu dois corpos parados perto de sua casa, quando percebeu quem eram, foi correndo ao encontro dos outros rapazes.

- Hyung! Que bom te ver! Você gostaria de um pedaço de pão? É dos melhores da cidade! - Por mais que Jooheon e Hyunwoo fossem completos desconhecidos um pelo outro, Jooheon não podia negar que seu sonho sempre foi se tornar amigo de Hyunwoo, independente do nível de amizade, Jooheon o admirava demasiadamente.

- Olá, Jooheon, você pode me chamar de Shownu a partir de agora e, ah, conheça Minhyuk. - Jooheon analisou o garoto: os cabelos platinados o deixaram sem saber o que dizer por breves segundos, mas, carismático como sempre, Jooheon sorriu e logo se sentiu confortável ao lado de Minhyuk. As duas únicas coisas que o intrigavam eram o novo apelido de Hyunwoo e porque eles estavam lá a sua espera.

E então Shownu sem enrolar o assunto, foi direto ao ponto: primeiramente disse que estava cansado de toda essa tirania e ainda contou como conheceu Minhyuk (ocultando a parte do clã e tudo mais, Shownu gostaria de saber se Jooheon era esperto o suficiente para fazer parte do clã). Depois, perguntou ao mais novo como ele conseguia ser tão perito no que fazia. Jooheon riu, porque mesmo quase fracassando, nunca foi pego em flagra e respondeu:

- Hyung, é quase tudo natural para mim. É lógico que eu penso em um plano antes de sair por aí agindo, mas não consigo explicar como o meu êxito é tão constante... Talvez eu tenha sido feito para furtar. Mas me diga, por que está tão interessado nesse assunto? Você deseja que eu pegue alguns remédios para seu p-

- Não. Não foi por isso que eu vim... - Shownu se sentiu levemente desconfortável quando um desconhecido como Jooheon citou sobre as atuais condições de seu pai tão naturalmente. - Jooheon, por mais que nós dois nunca tivemos qualquer tipo de conversa, eu vim aqui, porque sei que posso contar com a sua ajuda. Você deve estar se perguntando por que eu mudei meu nome e qual é a relação entre mim e Minhyuk. Pois bem, sinto que devo te explicar...

E começou a explicar sobre o que seria esse tal de clã: a organização para derrubar o governo e a cada detalhe, a cada explicação que Shownu e Minhyuk esclareciam, os olhos do caçula Jooheon brilhavam. No final do discurso dos dois rapazes, Jooheon não podia conter o quão animado estava para fazer parte daquilo tudo.

- Então vocês vieram aqui, porque querem que eu me junte ao clã?

- Sim, bem... - Minhyuk começou, bagunçando seu cabelo platinado enquanto encontrava as palavras certas: - Mas você deve se lembrar de que o clã ainda está na teoria, quando encontrarmos membros o suficiente aí sim faremos a iniciação do clã e tudo mais.

Jooheon logo entrou de acordo com todas as palavras que seus hyungs diziam, mas a parte favorita do diálogo todo foi quando Shownu perguntou se ele gostaria de ter um novo nome, um pseudônimo para o clã.

- Não, eu não vou usar um apelido, porque quero que eles se lembrem do meu eu verdadeiro: Lee Jooheon.

Os três, Shownu, Minhyuk e o mais novo membro Jooheon saíram então da casa do mais novo e foram encontrar Wonho, assim como Shownu, Hoseok também mudara seu nome, o qual não estava muito longe, porque saíra para dar uma longa e pensativa caminhada.

O que incomodava Wonho a ponto de precisar de um tempo a só era a grande saudade que sentia de um amigo: Yoo Kihyun. Ele estava desaparecido por quase sete meses. Kihyun era amigo inseparável de Wonho e Shownu, até que um dia, no final da tarde, Kihyun precisou voltar para casa e se despediu mais cedo dos meninos, que naquele dia jogavam um jogo amistoso de basquete. Essa foi a última cena em que viu Kihyun. Só de pensar que seu amigo poderia não estar mais vivo, Wonho se arrepiava todo e seu peito enchia-se de preocupações. Para aliviar a dor e organizar seus pensamentos, Wonho resolveu passear por perto de onde Wonho e seu mais novo amigo Minhyuk foram, caso eles demorassem muito tempo, Wonho chegaria mais rápido para socorrê-los, mas ao vê-los sãos e salvos ao lado de Jooheon, Wonho abriu um sozinho e correu para abraçá-los.

Shownu não entendera nada que Wonho fazia, mas apenas decidiu retribuir o abraço. Já Minhyuk e Jooheon não viram esforços para abraçá-lo na mesma intensidade.

Wonho estava decidido: a qualquer custo iria encontrar mais membros para o clã e assim que chegasse ao poder, iria encontrar seu amigo Kihyun, nem que isso lhe custasse à vida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...