História Lost Boy - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais
Tags Clichê, Michael Clifford
Exibições 109
Palavras 2.336
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Roses are red, violets are blue, please do not kill me.
Recomendo vocês ouvirem Torn, coloquei só o começo da musica mas fica muito bom se vocês quiserem ouvir. Boa leitura :)

Capítulo 20 - Capitulo 19


Caroline Weight

Quinta feira- 06h32min

- Hey- falei fingindo que tinha acabado de acordar para meu tio que entrara em meu quarto rápido de mais

- Caroline eu te dou 2 minutos para me explicar o porquê de você só ter chegado agora em casa- exclamou bravo

- E-eu... Hm... Como o senhor sabe?- perguntei de volta me sentando

- Pelo amor de deus filha, eu sei de tudo que acontece dentro dessa casa- suspirou.

- Eu estava fotografando na floresta- expliquei- Eu acabei ficando por lá e quando notei já havia amanhecido

- Tudo bem, agora me conte o quem te fez perder a hora fotografando- voltou a falar me olhando.

- Michael- revirei os olhos e comecei a contar toda a historia para meu tio, que a cada palavra parecia ficar mais e mais bravo, em nenhum momento eu tinha percebi o quanto irado ou nervoso meu tio podia ficar, até eu contar a historia.

- Como ele ousa fazer isso?- perguntou alto- Onde esse garoto mora?

- O senhor não vai fazer nada, já me resolvi com ele- menti e o olhei.

- Eu nunca mais a quero perto desse garoto, muito menos perto dos amigos dele- falou me encarando

- Isso eu não posso aceitar, eles são os meus únicos amigos depois de Rose- respondi.

- Não lhe perguntei nada, se eu vir a ver você conversando com eles entrara de castigo na hora, entendido?- perguntou

- Não, não pode me proibir de falar com meus amigos- exasperei.

Uma discussão sem fim começou, meu tio havia ficado realmente bravo com a ideia de que eu estava 'namorando' a partir de uma aposta. Meu primo interviu alguns minutos depois, me puxando para fora do quarto e parando perto das escadas. Meu tio veio logo atrás e começou uma nova briga com meu primo, eu estava irritada mas acima de tudo nervosa, pois eu nunca havia alterado a voz para meu tio e muito menos ele para mim. Eu não sabia o que fazer ou o que falar, e quando vi meu tio levantar a mão para meu primo- já que ambos alteraram o assunto da discussão e agora ambos gritavam- eu somente empurrei o braço de meu tio, não olhando para onde estávamos parados.

Meu primo ficou estático ao ver meu tio caindo escada a baixo e a ultima coisa que eu ouvi foi um grito da minha tia e meu primo me chamando.

Eu tinha acabado de desmaiar depois de empurrar meu tio escada a baixo, eu não conseguia ficar um segundo sem chorar e meu corpo parecia uma gelatina, meu primo repetia varias vezes no caminho do hospital que eu nunca pensaria em fazer tal ato de proposito, mas eu só sabia chorar e pedir desculpas ao meu primo, que me abraçava enquanto íamos seguindo a ambulância no carro de meu tio que Rose dirigia.

Ver meu tio indo para a sala de cirurgia foi a pior visão que tive de ver, eu só queria voltar a trás e nunca ter começado briga nenhuma, deveria ter aceitado o castigo de meu tio ou apenas ter ficado quieta e nunca ter falado nada de Michael para ele.

2 horas se passaram até eu poder ver Rose, ela era a única pessoa que eu consegui falar a historia. Vi a mesma me abraçar e dizer repentinas vezes algumas frases que eu não poderia repetir, pois só queria ver meu tio sair daquela maldita sala de cirurgia e pouco ligava para o que me falavam. Muito tempo se passou e Rose agora apenas fazia carinho em meu cabelo, ela era sem duvidar meu anjo da guarda. Uma enfermeira entrou na sala que eu, Rose e minha tia estávamos sentadas e nos pediu para aguardar mais algum tempo, pois meu tio estava terminando a cirurgia e logo após nos poderíamos vê-lo.

Segui corredor adentro e atravessei a porta tendo a visão de Luke, Cal, Ash e Michael, todos com caras cansadas. Ouvi Calum murmurar um 'graças a deus' e todos olharem a porta onde eu e Rose nos encontrávamos, me deixando sem reação.

- An... Eu... O que vocês fazem aqui?- sussurrou olhando-os

- Viemos saber se você esta bem e o que aconteceu, ficamos preocupados- Ash respondeu se levantando assim o resto dos meninos.

- Rose você pode... – indiquei os meninos com a mão pedindo com os olhos para a mesma contar o que tinha acontecido, ela concordou e eu segui rumo ao bebedouro.

Peguei o copo de plástico e depois de tomar uma boa quantidade de água me apoiei no pilar ao lado e me deixei ficar com os olhos fechados, eu estava tão cansada, eu só queria voltar no tempo.

- Caroline?- ouvi uma voz me chamar e uma mão ser posta em meu ombro.

Oh não

- Eu não quero falar com você- respondi sem me virar

- Eu só quero saber se você esta bem, por favor- pediu.

Meu erro foi virar e fitar aquelas olhos

- Quer mesmo?- perguntei o olhando- Eu não acredito mais em você

- Só, por favor, esquece o que aconteceu ontem, eu não quero falar sobre aquilo aqui dentro, com você assim- murmurou.

- Michael- pedi na esperança dele me entender

- Caroline- falou e eu realmente estava farta de engolir isso

- Por que ainda tenta falar comigo? Por que quer saber de mim, da minha vida, de como eu estou?- comecei- Parece que você esta pagando pra me ver desse jeito, parece que gosta. Você me machucou você jogou algo na minha cara e entrou na merda de um carro e saiu daquela escola como se tudo fosse uma piada, um show. Eu não tive tempo de pensar no que aconteceu que tudo isso acontece, você não tem vergonha na sua cara de vir aqui no hospital perguntar se estou bem mesmo depois de tudo que aconteceu... T-tudo é você, tudo é c-culpa sua, agora eu ainda t-tenho que aguentar sua basbaquice achando que vamos f-ficar bem enquanto meu tio esta dentro de uma sala de cirurgia porque eu causei isso, v-você me fez f-fazer isso com e-ele... E-eu...

Sabe aquela sensação de vazio? Sabe quando você não sabe o que falar ou fazer? Estou cansada de tentar manter as coisas juntas. Tentar controlar o que não pode ser controlado. Inspirei fundo, duas vezes. Nenhuma das tentativas de diminuir a frequência cardíaca funcionava. Olhar o fundo me aterrorizava e no final eu me afoguei em lágrimas.

Michael foi embora depois de ouvir meus xingamentos, ele havia me dito que estava machucado mas quando jogou tudo de uma vez e saiu, ele sabia que iria se machucar, não sabia? Ou mais uma vez eu estava me afogando em lágrimas e mentiras?

Calum ficou comigo boa parte do tempo e logo depois Ashton me fez companhia, tudo enquanto Rose ia para casa explicar o acontecido aos pais e tomar um banho. Quase 1 hora depois fui chamada para ver me tio, que estava com toda a região da coluna enfaixada, o que me rendeu outras boas lagrimas.

- Meu amor, vem aqui- chamou minha tia. Me aproximei e pude ver meu tio me olhando com um sorriso nos lábios

- Oi- sussurrei

- Ei, eu que faço uma cirurgia e você que fica com com essa cara?- perguntou

- Me desculpa pai eu nunca quis fazer aquilo, eu juro que eu nunca mais...

- Hey não chore, eu tenho que me desculpar, eu fiquei muito nervoso quando soube da história- suspirou e se mexeu desconfortável- Mas falamos disso depois, agora quero lhe agradecer porque irei ficar 3 meses em casa

- O senhor é tão idiota- revirei meus olhos e sorri.

Não demorou muito e Josh apareceu no quarto e quase pulou em cima do meu tio quando ficou sabendo que a fratura nas costelas não prejudicariam em nada e que depois de 4 dias ele já estaria liberado, porém teria de ficar 1 mês sem se levantar. Josh me abraçou e ficou repetindo milhares de vezes que ele tinha avisado, que eu não era a culpada, que Michael era idiota e que ele me amava. No fim eu mal reparei na quantidade de vezes que chamei meu tio de pai, porque talvez ele realmente merece esse titulo.

...

Já eram quase 21:30 quando cheguei em casa, ajudei meu primo pegar algumas roupas para minha tia que dormiria no hospital e me sentei em minha cama ouvindo o som do carro indo embora. Sozinha novamente. Resolvi tomar uma banho para ver se todo o ruido de cansaço iria embora pelo ralo, eu estaria mentindo se dissesse que os ruídos não eram em parte por ter visto Michael no hospital, o fato de estar com alguém e acabar desenvolvendo sentimentos pela mesma para depois descobrir que tudo não se passa de um brincadeira, tudo é um sentimento que deveria ser ensinado a combater na escola.

 Caminhei para fora do box do banheiro com os pés molhados, segui caminho até meu guarda roupas e coloquei meu tipico pijama que consistia em calça de moletom e regata preta. Seguei meu cabelo com o secador e depois decidi fazer chá, tentava me ocupar ao máximo para aquela sensação ruim, que rezo ter deixado no banheiro, não voltar. Ouvi o som de um carro parando e segui rumo a porta da frente com minha xícara com um liquido fumegante em mãos, abri a porta e infelizmente a figurada que me encarava na porta não era Josh ou qualquer pessoa parecida com ele.

- Não acredito que você veio estragar o resto do meu dia- suspirei o olhando

- Me deixa falar com você, por favor- pediu

- Não acho que temos muito o que conversar- respondi me apoiando na porta e soprando a xícara

- Eu acho e eu te devo qualquer tipo de explicações que você queria e mereça- suspirou- 5 minutos

- 5 minutos- respondi fechando a porta atrás de mim e me encostando na mesma enquanto Michael girava em círculos e apertava as mãos

- Eu nunca quis que você fosse uma aposta, eu não sabia que você era assim- começou- Eu estava tão irado por uma garota do jornal da escola me difamar com uma matéria de capa que quando Calum me fez a proposta eu mal liguei

- C-Calum fez a aposta?- perguntei

- Sim, mas Caroline ninguém sabia que você era assim, nós não tínhamos conhecimento do qual especial você era. Eu não tinha conhecimento do que você iria fazer comigo- apontou pro próprio peito- Meu sentimentos por você não são de uma aposta, por favor acredite em mim


I thought I saw a man brought to life. 

He was warm he came around like he was dignified.

 He showed me what it was to cry

(Eu pensei ter visto um homem ressuscitar

Ele era quente e se aproximou como se fosse digno

Ele me mostrou o que era chorar)

Sabe aquela sensação de querer muito uma coisa mas não saber se é o certo? Eu não sabia se poderia confiar mais nele, eu queria tanto, meu coração acelerava só de pensar que toda aquela maldita historia era verdade, mas eu não podia ignorar meu cérebro piscando em alerdas mandando espasmos ao meu corpo em forma de aviso.

Well you couldn't be that man I adored

You don't seem to know-or seem to care

what your heart is for

But I don't know him anymore

(Bem, você não poderia ser o homem que eu adorava

Você não parece saber ou se preocupar

para com o que serve seu coração

Eu não o conheço mais)

- Michael eu acho melhor você ir embora- falei baixo encarando o resto do liquido presente na xícara

- Você não acredito não é mesmo?- perguntou sem me dar o tempo de responder- Oh meu deus, eu consegui fazer você não confiar mais em mim

There's nothin' where he used to lie

My conversation has run dry

That's what's goin' on

(Não há nada mais onde ele costumava se deitar

Minha conversa tem corrido seca

Isto é o que está acontecendo)

- Michael não faz isso comigo, não faz isso com você- pedi- Eu não posso simplesmente lhe entregar todos os meus sentimentos de volta, eu não consigo acreditar em uma pessoa que passou 40 ridículos dias comigo com uma aposta na cabeça

- Mas eu ignorei a aposta, eu não liguei para ela em um momento... Eu só queria ficar com você- respondeu e se aproximou

- Você esta mentindo?- perguntei sem encara-lo

Nothing's fine

I'm torn

I'm all out of faith, this is how I feel

I'm cold and I'm ashamed

Lying naked on the floor

(Nada está bem

Eu estou ferida

Eu estou totalmente sem fé, assim é como me sinto

Eu estou fria e envergonhada

Deitada no chão)

- Não- respondeu

- Então por que não me contou desdo do começo? Eu não estou com tempo para ouvir suas desculpas Michael, por favor para de falar como se não estivesse me machucando- exclamei

- Você acha que eu queria te ver assim? Pelo amor de deus Caroline, eu nunca quis deixar nenhum de nós assim- suspirou

Illusion never changed

Into something real

I'm wide awake and I can see

the perfect sky is torn

(A ilusão nunca mudou

Para algo real

eu sou bem esperta e posso ver

o céu que é perfeito está rasgado)

- Vai embora- pedi olhando para baixo

- Você quer mesmo isso?- perguntou

- Michael eu só quero pensar, ficar longe ao máximos de mentiras e ter um pouco de paz. Eu não tenho paz a 2 dias seguidos, eu não sei o que eu quero- murmurei

- Eu vou embora, mas você não esta livre de mim- respondeu e colocou a mão em meu queixo erguendo minha cabeça para encara-lo, deixou um beijo em minha testa e seguiu caminho até seu carro.

You're a little late

I'm already torn

(Você está um pouco atrasado

E eu já estou ferida)


Notas Finais


Minha semana de provas acabou, AEOOOO BRASIL to liberada e sem desculpas para atrasar pra atualizar.
Beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...