História Lost Dream - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga
Tags J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Min Yoongi, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, Yoongi
Exibições 70
Palavras 3.186
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Harem, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpe a demora (tenho digo isso aqui)

Sim o nome do cap é pra homenagear WINGS ٩(๑❛ᴗ❛๑)۶



PS: TEM PARTICIPAÇÃO ESPECIAL NESSE CAPITULO!

Capítulo 19 - Asas


Fanfic / Fanfiction Lost Dream - Capítulo 19 - Asas

 

Sonhei com uma vida diferente, onde não precisaria amar sozinha, você estava ali e dividíamos nossas vidas.

Os raios do sol incomodam em meu rosto, assim eu despertei lentamente. Um lugar amplo e iluminado com a claridade do dia vindo da claraboia por um segundo eu me esqueci de onde estava. Ao mexer senti meu corpo dolorido. Sorri com as lembranças. Tateei o coxão, mas ninguém. Eu estou sozinha no meio do edredom branco.

Sentei abraçando meus joelhos, eu ainda estava nua e as roupas do chão haviam sido recolhidas. Então ele não tinha transado comigo e ido embora, não me julguem, mas isso acontece direto nos filmes. Porém eu tenho certeza que ele nunca seria do tipo que faz isso.

Eu sorri me encolhendo novamente na cama cobrindo minha nudez. Eu fico imaginando como vai ser. Fico pensando se tudo vai dar certo, me pergunto às pessoas vão nos aprovar ou vamos ter que viver para sempre um amor proibido. Mesmo que tudo pareça que vai dar errado, eu fico me desejando ao seu lado por uma eternidade longínqua.

Viro-me para encarar o lado vazia da cama apenas com o seu travesseiro. Me levanto surpresa. Uma flor azul e um pedaço de papel, a flor era de um dos canteiros do jardim da entrada. Um bilhete com a caligrafia dele (eu já identifico pelos meses do trabalho).

 

“Sabia que você fica ainda mais encantadora enquanto dorme? Eu gastei muito tempo te observando... Eu contei até quantas pintinhas tem no seu rosto (são cinco) às vezes você sorri durante o sonho, será que estava pensando em mim? Haha Fui fazer nosso café, levante tome um banho, pode pegar o que quiser no closet, pus nossas roupas pra lavar. Te vejo lá em baixos PS: Te amo <3”

 

Ele realmente não existe. Tão fofo. Reparei no quarto, na frente da cama havia uma estante branca com um LDC e alguns livros, ainda tinha duas porta uma em sua direita e outra na esquerda. Uma delas entreaberta dava pra ver que era o banheiro. O banheiro decorado todo em branco e cinza, tinha até uma pequena banheira. As cortiças estavam semifechadas, mas dava pra ver que a vista da banheira era o jardim.

Fiz um coque nos cabelos adentrando no box de vidro fosco, agua quente caia sobre o meu corpo dolorido o aliviando, algumas partes dele estava marcada. Os momentos que vive com ele ontem ficam dançando na minha cabeça, não foi só o meu corpo que foi dele. Minha alma se entregou, eu sei que fomos um do outro. Talvez não tenha sido a transa mais magnifica da vida dele, porém eu acho que foi a mais intensa sentimentalmente, isso é o que eu acho.

Enrolei-me em uma das toalhas indo para o porta do outro lado da Tv. O closet não era enorme, mais dava para passear por ele tranquilamente. Como eu ia me vestir com roupas masculinas?! Tipo mesmo ele não sendo um gigante, eu tenho 1,58! Todas as calças ou bermudas que eu peguei ficavam grandes e folgadas. Peguei uma camiseta de algodão mais grossa (já que não tenho peças intimas, porque ele as pôs pra lavar) que chegava um pouco depois da minha coxa. Nela estava os disseres: “Do Not Wake Me Up” tinha que ser dele não é mesmo?

Soltei os cabelos e desci as escadas. A casa estava com cheiro de ovos, torrada e café. Meu estomago roncou só de senti-lo. A cozinha era uma copa americana, ou seja, interligada com a sala. Logo nos últimos degraus eu o vi mexendo na frigideira, com certo afinco chegou até a jogar os ovos para o ar e pega-los de volta e eu achando que só o Jin tinha dotes culinários.

— Bom dia dorminhoca! – disse abrindo um sorriso pra mim — Depois reclama de mim. – se aproximou me abraçando rapidamente e logo voltou para o fogão.

— Desde quando você sabe cozinhar? – perguntei me aproximando do balcão, onde tinha café, torras ovos, suco e algumas frutas como meu olfato tinha previsto.

— Eu não moro mais com a minha mãe, tive que aprender a me virar.

— Mas você tem o Jin.

— Eu não vivo grudado nele.

Ele desligou o fogão colocando a comida da frigideira nos pratos, ele estava com uma calça de moletom cinza e uma blusa preta com mangas compridas de malha. Seu cabelo escuro estava todo bagunçado, essa visão era extremamente sexy pra mim. Ele concentrado pondo a mesa era estranhamente másculo, meu copo esquentou sem a minha permissão.

Yoongi percebeu que eu estava o encarando, eu mordi os lábios desviando o olhar. Ele riu alto. Eu só senti o seu corpo colando em mim de maneira bem lenta beirando a tortura. Seus braços me abraçaram firmemente enquanto ainda olhava para o meu rosto com profundidade. Minhas mãos presas em seus tórax segurando entre os dedos algumas dobras de pano da blusa.

Com os dentes ele puxou minha boca para a dele. Eu estava voando novamente, como ontem eu me senti a completamente dele, isso tudo com um único beijo. Com um arrepio eu senti sua mão deslizando calmamente pelas minhas costas indo em direção a minha nuca por debaixo dos meus cabelos ganhando carinhos gostosos na região. Eu o apertei ainda mais forte pelos meus dedos, sentindo nossas línguas encontrando um novo ritmo.

Minha vida se tornou uma busca insaciável pela sua essência, pelo abrigo dos teus abraços que sem dúvida nenhuma são os melhores que eu poderia ter. Uma busca pelos teus mais suaves carinhos, ou os mais calorosos beijos, pelo toque das suas mãos, pelo timbre da tua voz. Uma constante sede por você e todas as características que te envolvem, como se cada detalhe seu me mantivesse mais viva do que o ar que respiro.

— Lana você não acha que já passamos da fase de ficarmos com vergonha um do outro? – perguntou ofegante ainda com os nossos rostos próximos.

— Não era vergonha – eu sorri passando a língua pelos lábios tentando guardar todo o gosto de seu beijo. — Você fica muito sexy quando está concentrado em algo, eu... Eu só estava te secando e...

— E depois ficou com vergonha de ser pega! – zombou ele ainda me acariciando minha nuca.

— Porque nossas roupas foram lavadas? — desconversei ainda agarrada nele, nenhum de nós dois parecia estar com vontade de se soltar.

— Nossa aventura por: árvores, grama, jardins e barro. Resultou no emporcaliamento das roupas. Por quê?

Ham bem, eu não me sinto muito à vontade sem peças intimas... — murmurei meu rosto esquentou — E eu não posso voltar pra casa só com a sua camiseta – tentei desviar o ponto. Ele sorriu sacana aproximando seu rosto de mim, roçando o nariz pelo meu pescoço.

— Isso pode ser um problema já que ontem eu acabei arrebentando ela... – disse mordendo o lóbulo da minha orelha

— VOCÊ O QUE?! – ele se assustou com o meu surto repentino — Você estragou a minha lingerie da Victoria Secret? Eu tinha acabado de comprar... Oh ela era tão linda!

Sei que devo estar parecendo uma mesquinha, uma mimada imbecil. Mas cara, aquela lingerie era a coisa mais linda que eu já tive, sem falar que custou o olho azul da minha face! Eu me sentia tão poderosa dentro dela, e só pude usar uma vez! Ah Min Yoongi!

— Era só um pedaço de pano que estava me impedindo de te tocar. — ele não estava bravo ou chateado, apenas estava se divertindo com a situação. — Não tô intendo o porquê de estar tão bravinha, você nem percebeu o quando eu o fiz. – a ultima parte da frase ele disse com um desdém extremamente safado voltando a dar atenção ao meu pescoço.

Até me esqueci do que me chateia, tendo ele beijando e mordendo minha pele de maneira tão “relaxada”. Eu não esperei ele acabar de ser “preguiçoso” puxei seu rosto pra mim começando mais um dos infinitos beijos que eu ânsia em dar a ele. Suas mãos agarram mim cintura colocando-me sentada em cima do balcão da cozinha.

Nós queimávamos em um incêndio particular. Ele me apertava e se movia com o ritmo do nosso beijo ardente, trabalhando para se encaixar perfeitamente entre o meio das minhas pernas. Eu sentia nossa temperatura subir mesmo sob com os tecidos. O meu corpo estava dolorido, mas eu não me importo com essa dor.

Nosso corpo aparecia pedir por mais, mesmo estando completamente colados, não era o suficiente. Meus dedos trançaram dos cabelos dele o puxando mais pra mim. Sua mão escorregou de mim cintura para a minha coxa a apertando, tendo o trabalho de levantar um pouco a camisa que visto Deus isso é ótimo! Com um agarro brusco ele me puxou pra ele, tirando um gemido de dor que eu não permiti sair.

— Você está machucada? – ele se afastou me olhando preocupado.

— Não. – isso não era totalmente mentira, a dor era leve e suportável. Já ele se afastando era totalmente doloroso. Ele puxou totalmente minhas pernas para me chocar com sua virilha – Ah! — doeu e eu não consegui disfarçar.

— É claro que está! Eu te machuquei! — ele se afastou por completo de mim. — Eu devia ter sido mais cuidadoso... Omo eu sou um bruto! – ele resmungou pra si apoiando-se na mesa de estar mordendo fortemente o lábio.

No seu semblante só havia culpa e incredulidade pra si próprio. Senti também uma pitada de arrependimento, ele estava se martirizando pelo meu corpo dolorido devido a nossa noite de amor anteriormente. Desci do balcão reprimindo a dor no interior das minhas pernas, o virei para encara-lo.

— Eu estou ótima. – assegurei erguendo seu rosto para me olhar— Isso é perfeitamente normal depois da primeira vez de uma mulher, geralmente nosso corpo demonstra estar dolorido por não ser uma atividade física usual do organismo. É como se eu tivesse feito uma primeira aula de musculação na academia, melhora nos dias seguintes.

— Palavras de uma medica. — disse em um muxoxo, formando um bico fofo como uma criança que não queria escutar as palavras de seus pais. — Eu devia ter sito mais delicado, ter mimado mais o seu corpo talvez assim...

— Você não é delicado nem quando fala, porque seria quando a gente transa? — eu sorri colocando meus braços envolta de sua nuca, selando nossos lábios por alguns segundos — Yoongi você me tratou como uma princesa, não teve uma pessoa neste mundo que foi mais mimada do que eu quando estive nos seus braços. Eu repetiria cada toque cada movimento trilhões de vezes.

— Está tentando me fazer sentir melhor?

— Estou te falando à verdade — nós beijamos e quando eu achei que iriamos recomeçar todos aqueles toques quentes ele se afastou.

— Não vamos fazer amor até você estar melhor.

WTF? Yoooongi! — eu reclamei como uma criancinha.

— Você não vai morrer por isso afinal: Melhora nos dias seguintes. — debochou afastando uma cadeira para se sentar á mesa. — Sente-se vamos tomar nosso café. — ele me apresentou a mesa como um lorde. Eu sentei a sua frente o oferecendo meu bico de desgosto.

Não sei se era por causa da fome, mas esses eram os ovos mais deliciosos que eu já havia comido. Ele não passava muito tempo em sua casa, eu me pergunto quando ele arrumou suprimentos para o café da manhã. Enquanto comíamos o seu celular vibrava intensamente, por fim ele desistiu de ignora-lo. Ele lendo as mensagens com uma torrava presa à boca era uma visão muito fofa.

— Algum problema?

— Nenhum, minha mãe está perguntando se vamos almoçar com eles.

Eu gelei na mesma hora. Toquei-me que tínhamos passado a noite inteira fora. Oh meu Deus! Eles devem ter suposto que a gente fugiu pra transar... Como eu vou olhar nos olhos deles agora. Ele apoiou o rosto em uma das mãos me olhando intrigado, estava visível a minha cara de espanto.

— O que foi?

— Os seus pais... Eles devem estar pensando que nós... — terminei gesticulando, não precisa completar.

— E daí?

— O que eles devem estar pensando de mim?! Merda que vergonha! — eu cobri meu rosto com as mãos.

— Eles vivem no século vinte e um Lana, eles sabem o isso acontece.

— Você me apresentou como amiga.

— Estava na cara que a gente não era amigos. — ele estava mais uma fez se divertindo enquanto eu estou completamente frustrada. — Antes de te convidar pra vir... Eu disse pra minha mãe que queria apresentar uma pessoa especial. Eles já sabem que estamos em um relacionamento amoroso, só apresentei você como amiga porque você estava em pânico com a pressão de conhecê-los.

Ser apresentada como namorada para o a família dele pesava muito mais no status.  Eu sinceramente amei a família dele, eles tem a aura de lar, mas aos meus olhos são tradicionais a moda antiga daqueles que que ainda querem conhecer a mulher com que seu filho se relaciona, que acredita que namoro sério acaba em casamento e tudo o mais.

Eu não estou prepara para estar em um patamar deste. Eu e ele nem sabíamos onde tudo isso ia dar, e ainda agora não temos certeza de nada. Pode virar poeira em segundos (mesmo eu não querendo que aconteça), será que eles pensam em nosso futuro? Desejam que eu esteja ao lado de Yoongi e construir uma família. Não isso não vai acontecer não á curto prazo. E tenho medo de não a longo também.

 

 

 

Gostar de você pode ser a melhor decisão que fiz, ou a pior decisão que sempre vou fazer.

Já estávamos descendo a rua para a casa de seus pais. Yoongi me obrigou a sair com a sua camiseta e minha jaqueta jeans, pois nossas roupas não haviam secado (havia me emprestado uma cueca pelo menos). Ele estava todo coberto como sempre, protegido contra qualquer ser que o identificasse. Porém não se incomodou de andar com as mãos entrelaçadas a minha durante o trajeto.

Assim que viramos a travessa da rua ouvimos uns grunhidos. Era como um choro estridente de algo pequeno. Eu fiquei procurando da onde vinha, mas nada. Continuamos a nadar até ele ser parado por algo. Um filhote de puddle que lhe puxava a perna das calças com aos dentinhos.

— Ei solte! — ele tentava espantar — Ora vamos! — ele gritou.

O filhote largou se sentando olhando pra ele com os olhinhos apaixonados. Era uma fêmea de pelos marrons um tom de caramelo avermelhado, estava um pouco magra, porem ainda era muito fofa.

— Ela gostou de você. – sorri me agachando estendendo minha mão para ela cheirar.

— Isso é tão pequeno que nem deve saber me diferenciar de um alimento. — desdenhou.

Nossa olhe pra ela! Um monstro devorador de Mins Yoongis — disse pegando a pequena e aproximando-a dele.  Ela se esticou toda para alcança-lo, roçando a cabeça em sua mão. — Ela é um amor! Que dó dela estar tão magrinha e sozinha nessas ruas.

— O que você sugere? — disse ele se rendendo acariciando a filhotinha, fazendo a felicidade dela em meus braços.

— Não sei, hum tem algum pet por aqui?

— Sim mais hoje é domingo eles estão fechados. — ele fez bico ainda passando a mão no  bichinho. — Podemos leva-la pra casa... Amanha a levamos para o Pet e eles a encaminham para a adoção.

Disse se virando de nós (eu e a cadelinha). Ele não me engana eu sei que ele gostou dela, mais é orgulho demais para admitir. Acomodei melhor ela nos meus braços até chegarmos a casa. Em sentia o estomagozinho dela roncar. Tão pequena pobrezinha.

— Chegamos! — gritou pela casa jogando a chave na mesinha da entrada. Ele todo espaçoso se esparramou no sofá.

— Oh! Que bom que pena não esperamos vocês para o almoço — dona Min formou um bico (igualzinho ao que o filho faz) de chateação. — Omo! O que é essa coisinha fofa?

— A encontramos na esquina, está faminta, pensamos em leve-la para a adoção amanhã. Claro se a senhora a deixar ficar aqui hoje. — perguntei pra ela com os olhos pidões.

— Claro que pode! Eu não negaria comida ou abrigo pra um pequenino ser feito este — ela começou a brincar com o filhote que rapidamente se animou — Sabe eu queria que tivéssemos um cachorro, mas meu marido e Yoongi nunca gostaram muito. Vou no vizinho pedir um pouco de ração dele.

Soltei a cachorrinha no chão, ela ficou paradinha no canto muito tímida para começar a explorar. Sentei no sofá ao lado dele que automaticamente passou seus braços pelo meu ombro. Era um toque que me deixava apreensiva já que seus pais podiam aparecer, mas ele não estava se importando.

— Até que ela é bonitinha... — disse me apertando mais pra ele, a ponto de descansar minha cabeça em seu ombro. Ambos ficamos acompanhando ela começar a conhecer o ambiente, cheirando cada parte da sala.

— Você está sorrindo de um jeito, será que quer fica com ela?

— Nem pensar... — ele moveu os ombros, ainda sim o sorriso não sumia — Não posso ter um animal no dormitório, viajamos muito ela é pequena precisa de atenção.  

— Então quer ficar com ela — comecei a rir do modo fofo como ele pensou em tantos detalhes. — Você está parecendo um pai de primeira viajem, sempre se preocupando com os prós.

— Se eu sou o pai... Você seria a mãe dela comigo?

Lá vem ele com essa mania de me fazer perder a fala. Não sei se ele está brincando, mas isso remexeu meu coração. Ele estava querendo ter algo comigo, algo que fosse nosso. Porém eu só finjo que não escutei, vai que ele está tirando uma com a minha cara. Querer ter algo em conjunto significa que ele tem planos pra nosso futuro? Ou ele está apenas sendo impulsivo?

— Ela podia ficar com a minha mãe, eu á conheço e sei que está doida pra ficar com o filhote. Ela estaria bem cuidada enquanto nós trabalhamos, tenho certeza que mamãe vai ficar nos mandando fotos dela a cada segundo. Não me incomodaria de nas folgas vir vê-la.

Ele dizia com calma. Transpassava certeza, confiança. Estava mesmo planejando isso, ficar com ela compartilhar algo comigo. Os meus dias estão cada vez mais se tornando mágicos. Nem em minhas fantasias mais esperançosas tinham essa profundidade.

— Deveríamos então ar um nome a ela.

— Hum... — ele fazia carinhas fofas sem perceber, dava vontade de aperta-lo! — Caramelo!

— Serio isso?

— É a cor dela!

— Você escreve canções maravilhosas e não consegue ser criativo na hora de dar um nome pra um cachorro? — provoquei. — Que tal Bella?

 — Você é super criativa também – revirou os olhos pra mim. — Que nome vamos dar pra você bolinha de pelos? — perguntou para a cadela que brincava com os seus pés. — Não se enrole do meu cadarço pode se machucar. — ele brigava manhosamente com ela, — JÁ SEI!! Poderíamos chama-la de Holly é pequeno e fofo.

Ele me puxou para o chão. Ali rimos e brincamos com a Holly, ela como todo boa filhote gostava de morder seus pais. E corria pra lá e pra cá querendo a atenção de Yoongi.

Vê-lo assim parecendo uma criança sorrindo sem se importar aquecia-me. Olhando assim para ele e bate uma vontade imensa de cuidar, mimar e proteger de todo o mal que existe no mundo.  Acho que acabei descobrindo que conviver com um anjo faz você querer ter asas.

 

 


Notas Finais


EU AMO A HOLLY <3
Me desculpem pela demora, mas a vida tá um caos!
E esse come back DIVOSO está tirando minha vitalidade pois eu quero dar todos os prêmios possíveis aos meu amores Bangtan!

Como ficou o cap?
Gente e esse casal? Tão em uma melosidade só né?
Min Yoongi todo fofo romântico... Alana querendo ( ͡° ͜ʖ ͡°) e Suga não dando, fazendo a famosa greve kkk

O que vocês tem a dizer pra mim?


Eu sei que demorei relevem manas...


MOMENTO JABA (◠゚̲̅◠)

Vou deixar meu Twitter caso alguém queira falar comigo ou saber mais sobre a fic :)
TWITTER: https://twitter.com/XxoGroowl

Vou deixar aqui embaixo outras fics minhas:

My Little Blessing (Suga): https://spiritfanfics.com/historia/my-little-blessing-2183639
TRAILER: https://www.youtube.com/watch?v=eAaMKzN4wWs

IMPRINTING (Vhope): https://spiritfanfics.com/historia/imprinting-6374580
TRAILER: https://www.youtube.com/watch?v=AamAY8LdO8g


AMO VCS TE TODO O MEU CORAÇÃO!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...