História Lost dreams? - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Breance, Breannayde, Jadepettyjohn, Jicardo, Lancelim, Ricardohurtado, Schoolofrock
Visualizações 29
Palavras 1.470
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Heeeeey! Tudo bom? Espero que sim!
Boa leitura! :)

Capítulo 6 - ♪ 5 ♪


Lance POV

Eu realmente não sei o porquê de estar acariciando o rosto dela. Só sei dizer que eu senti uma enorme vontade de beijar ela naquele momento, como no dia daquela festa... Eu não havia bebido nada, e lembrava de tudo. Ela havia bebido muito, e não se lembrava de nada.

Bom, pelo menos é isso o que eu acho, ela nunca tocou no assunto. E nem eu. Tive medo das coisas ficarem estranhas e nossa amizade acabar, então não disse nada.

Continuei a olhando por mais alguns segundos, sentindo a vontade de beijá-la tomar conta de meu corpo, me fazendo começar a aproximar meu rosto do dela. Mas meu consciente foi mais rápido e me impediu de prosseguir com aquilo. Porém, eu teria que disfarçar, já que eu havia me aproximado ainda mais dela.

Por fim, dei um beijo em sua testa e a puxei para um abraço, afagando seus cabelos enquanto sentia ela retribuir o abraço.

Aproveitei que meu rosto estava fora de seu campo de visão e fechei meus olhos, negando levemente com a cabeça. Eu tinha que me segurar, não podia estragar nossa amizade. E se ela gostasse de mim da mesma forma? Podia haver uma chance, mas era mínima.

Eu estava destinado a continuar escondendo meus sentimentos, por mais que doesse. Bom, eu não podia reclamar. Eu tinha ela ao meu lado e isso já era o bastante, mesmo que fosse como uma amiga.

Virei levemente a cabeça na direção da barraca onde você pode ganhar um prêmio se conseguir acertar o alvo. Quando entramos no carrinho da montanha russa, eu vi que um dos prêmios era um ukulele colorido. Todas as cores do arco íris, sem exceção.

Brea já tinha um ukulele natural, mas ela mesma havia dito que queria comprar outro. Pensei que eu podia ganhar aquele ukulele para ela, mas acho que o clima ficou um pouco estranho... Talvez depois, quem sabe.

– Lance... — ela sussurrou antes de romper o abraço e me olhar, a olhei de volta, esperando que ela continuasse. — Eu... Bem, eu... — ela suspirou e abaixou a cabeça por dois breves segundos, logo me olhando novamente. O que ela estava querendo dizer? — É que... — ela tornou a ficar calada, mas seus lábios continuaram afastados, ela realmente parecia nervosa para me dizer algo. — Estou com fome.

Fome? Ela demorou tudo aquilo para dizer que está com fome? Ah, Brea... Eu realmente pensei que ela fosse dizer algo importante. Havia até mesmo criado esperanças de que ela iria dizer que gostava de mim... Bom, eu sempre crio.

– Você sempre está... Vem, vamos almoçar. — disse e segurei sua mão, logo a puxando para a saída do parque de diversões.

Breanna POV

Eu ia contar, ia! Ia contar que o amo, mas não como um amigo... O problema é que me faltou coragem. Eu realmente gostaria de saber se ele sente o mesmo, mas e se não sentir?! Eu vou fazer papel de boba e simplesmente estragar nossa amizade!

O acompanhei até a saída do parque, ainda segurando sua mão. Eu realmente queria o parar e beijá-lo, mas aí as coisas ficariam estranhas e nossa amizade iria por água abaixo! Céus, por que eu fui gostar dele? Justo dele?!

Me mantive presa em pensamentos até o momento em que senti um de seus braços ao redor de meus ombros. Nós já estávamos ao lado do carro dele e eu nem percebi isso.

– Está tudo bem? — o ouvi perguntar, e só então percebi que enquanto pensava, eu comecei a ficar com um semblante triste. Eu deveria estar sorrindo. Sorrindo!

– Está tudo bem. Tudo muito bem. É que eu estou com fome, sabe? Isso me deixa triste. — menti descaradamente, torcendo para que ele não percebesse isso. O que era impossível, ele me conhece até mais do que eu mesma me conheço! — Vamos? — questionei e rapidamente abri a porta de seu carro, tomando o lugar do passageiro.

Estiquei meu braço para fechar a porta do carro e ele me deteve ao segurar a porta, me impedindo. Ele me olhou por poucos segundos, parecendo me analisar. Eu apenas fiquei quieta.

– Eu vou fingir que acredito... — ele falou antes de soltar a porta e dar a volta no carro. Ai, meu Deus... Por favor, por favor, por favor, por favor, por favor. Me livre de um interrogatório!

Continuei calada enquanto fechava a porta e colocava o cinto de segurança, observando-o entrar no carro pelo canto do olho. Fiquei com medo dele perguntar novamente, mas ele não o fez. Graças a Deus.

Após mais alguns segundos o carro começou a se mover, então eu o olhei, vendo o quanto ele ficava concentrado enquanto dirigia. Se bem que aquilo era o certo, mas... Ele ficava tão lindo.

Espantei esses pensamentos e desviei o olhar para minhas mãos, mas fechei meus olhos. Deus, eu não estava nem mesmo conseguindo disfarçar que aquilo estava acabando comigo. Logo ele iria perceber, depois se afastar, e tudo o mais iria acontecer, até que eu ficaria sozinha sem nenhum amigo.

Voltei a abrir meus olhos e olhei pela janela, vendo uma lanchonete. Aquilo foi o suficiente para me animar. Logo ele estacionou o carro e saímos. Finalmente!

*depois de algum tempo, na casa de Breanna (já percebeu que eu odeio dizer a hora exata?)*

– Ok, pedimos pra viagem, então vamos comer enquanto assistimos um filme. — falei enquanto me sentava no sofá, vendo-o sair da cozinha e se juntar a mim. — O que acha de O Espaço Entre Nós? (Eu realmente estou apaixonada por esse filme, já assisti mais de 10 vezes, eu acho)

– Você quem sabe, eu assisto o que você quiser. — ele falou, e graças a Deus meu rosto estava fora de seu campo de visão, porque eu não evitei dar um leve sorriso.

– Então será esse mesmo. — falei e logo coloquei o filme, e assim que ele iniciou, começamos a comer nossos lanches. Não era o almoço recomendado, mas eu estava com vontade de comer aquilo.

*11:24 PM (agora sim eu falei)*

Lance POV

Após termos terminado de assistir o filme, nos aconchegamos ali mesmo no sofá. Fizemos praticamente uma maratona de filmes durante horas, enquanto estávamos comendo e bebendo todo o tipo de comida que Breanna tinha em casa.

Ela havia se encolhido ao meu lado e colocou sua cabeça em meu peito, enquanto eu estava sentado e acariciando seus cabelos com uma de minhas mãos.

Eu sabia que ela já estava dormindo há um tempo, mas não queria acordar ela. Eu iria colocar ela na cama, e pra isso eu teria que pegar ela no colo sem acordá-la. Respirei fundo e comecei a me mexer.

Após alguns segundos - que mais pareciam horas -, eu estava de pé com ela em meu colo no estilo noiva. Sua cabeça continuava em meu peito e ela, dormindo. Vitória!

Soltei um leve sorriso e caminhei em direção ao quarto dela, colocando seu pequeno corpo em sua cama. Cobri seu corpo com a manta que havia ali e deixei um beijo em sua testa, antes de começar a me afastar. Mas fui impedido por ela.

Olhei para meu pulso e vi sua mão o segurando. Ela estava acordada? Voltei a olhar para ela e seus olhos continuavam fechados, não acredito que ela estava fingindo dormir.

– Fica aqui... — ela sussurrou com a voz sonolenta. Como eu queria ficar ao lado dela...

– É melhor eu ir pra casa. — sussurrei de volta, me sentando na cama e segurando sua mão entre as minhas.

Ela finalmente abriu os olhos e me olhou.

– Por favor... — Deus, eu não iria resistir...

– Brea...

– Para de enrolar e deita logo. — ela falou com um tom autoritário, me fazendo soltar uma leve risada antes de finalmente me deitar ao seu lado.

Ela então se aproximou de mim e deitou sua cabeça em meu ombro. Eu já estava acostumado com aquilo. Várias vezes acabamos dormindo na mesma cama, e quando já tínhamos "intimidade" suficiente, ela começou a fazer isso.

Passei meu braço por baixo de seu corpo, abraçando sua cintura enquanto sentia ela se aconchegar ainda mais ao meu lado. Senti sua pequena mão repousar em meu peito, então a segurei com minha mão livre, logo entrelaçando nossos dedos.

Como sempre, eu me sinto feliz apenas por estar ali com ela. Eu me sinto feliz apenas por saber que ela está bem. Ela me faz feliz, e não precisa fazer esforço para isso.

Suspirei levemente antes de fechar os olhos, tendo um mínimo sorriso formado nos lábios.

– Boa noite, Lance... — ela sussurrou, praticamente já entregue ao sono.

– Boa noite, Brea... — sussurrei antes de beijar sua testa. Voltei a deitar minha cabeça no travesseiro, com a certeza de ser o cara mais sortudo do mundo naquele momento.


Notas Finais


Olá de novo!
Está notando a completa falta de Jicardo? Pois é, eu também estou... Mas no próximo capítulo esse casal maravilhoso vai aparecer, eu prometo!
E que tal me dizer o que está achando da Fanfic até agora? Isso pode me animar e me incentivar a continuar, sabia?
Sei que o Spirit diz para não exigir que comentem, mas lembre-se eu não estou exigindo, eu estou dando uma sugestão, ok? Ok!
Bye!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...