História Lost in Feelings (Winwin) - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Haechan, Jaehyun, Johnny, Mark, Personagens Originais, RenJun, Taeyong, Winwin, Yuta
Tags Dong Sicheng, Nct, Nct 127, Sicheng, Winwin
Visualizações 112
Palavras 1.407
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


RECADO NAS NOTAS FINAIS - LEIAM!!
Olár, tudo bem?
Atualização rápida, não é mesmo?!
Não queria misturar o momento a seguir com toda a trama que vem nos próximos capítulos, por isso a rapidez em postar e o capítulo curto heueheu espero que gostem.
Sobre a confusão de sentimentos quanto ao "couple". Pois é, é proposital. Por quê? Porque a mensagem principal entre linhas, que essa fanfic deixa é "todos erram". Bons ou ruins, todos cometemos erros. Johnny, projeto"" de vilão, nasceu pra sofrer, e Winwin projeto de mocinho é um assassino, então sim, a quem tinha dúvidas Winwin realmente matou os pais do Johnny! Ele errou peoples kkkk assim como Johnny era uma babaca no começo da fic. NÃO ME MATEM! Explicando isso, porque poucos entenderam :') amo vocês ❤
RECADO NAS NOTAS FINAIS - LEIAM!!!

Capítulo 15 - Sozinho


- Soomie, você está chorando? – Winwin perguntou com um semblante preocupado.

Sem perceber, uma lágrima havia escorrido por seu rosto.

---

- N-Não... – Soo Min se afastou um pouco, virou o rosto e o enxugou rapidamente com as mãos, voltando a olhar para o mais alto. – Não estou. – Sorriu forçadamente, sendo notável até mesmo para quem não a conhece.

- Desculpa, eu não deveria ter feito isso. Você não gostou, até chorou... -Sicheng disse olhando para o chão.

Ele se sentia culpado. A tratou tão indiferente por um bom tempo, e agora a beijara. Sabia que sua atitude era errada, mas não se arrependia do ato em si, somente da reação da garota.

- Não! – Soo Min respondeu, mordendo os lábios em nervoso. – Não chorei porque não gostei..

- Então você gostou? – Perguntou esperançoso.

Certeiro. Soo Min sentiu uma pontada em seu coração. Aqueles olhos brilhantes pareciam tanto com o que sua personalidade anterior carregava.

- Não – Foi interrompida.

- Não? – Sicheng perguntou com uma expressão triste.

- Sim?! – Franziu o cenho.

- Sim? – Sicheng se alegrou.

Soo Min revirou os olhos.

- Para, okay?! – Enfim disse. – Não me confunda mais do que você já está habituado a fazer.

- O que quer dizer com isso?

- Pra você não me beijar se realmente não quiser muito isso.

- Mas eu te beijei porque eu queria muito isso! Muito mesmo... – Afirmou Sicheng.

Soo Min bufou e corou desacreditada.

- Pra você não me.. me beijar se for se arrepender depois. F-foi isso que eu quis dizer.

- Não estou nenhum pouco arrependido. – Sicheng disse se aproximando um pouco de Soo Min que havia se afastado. – Poderia até mesmo, fazer isso novamente. Várias, várias vezes - Sorriu com a reação envergonhada da menor.

Ele não estava brincando, estava falando sério. Mas era algo tão repentino que Soo Min abriu a boca, em surpresa, porém não saiu nenhuma resposta dali. Ela analisou bem aquele sorriso por alguns segundos e se pronunciou.

- Quem é você? – Perguntou.

- Quem sou eu? Como assim, Soomie?

- Winwin ou Sicheng?

Sicheng franziu a testa, e Soo Min continuou.

- Como pôde me be-beijar por causa de uma memória que você nem sabe se realmente existiu? Como pôde começar a lembrar de coisas, e não ter me contado?

- Olha...- Iria tentar lhe explicar, mas desistiu - E-eu não tenho certeza. – Confessou suspirando. – Algo me diz que preciso ficar ao seu lado, e eu apenas estou confiando nisso.

Soo Min riu soprado.

- Então você apenas está seguindo seu instinto, não é? – Perguntou – Já deveria saber, idiota. – Falou a última parte bem baixinho.

Sicheng ouviu aquilo, e ficou um pouco chateado. Para ele suas atitudes tinham interpretações óbvias.

- Bom, meu instinto pensa em você quase 23 horas por dia. Além de me fazer sonhar com você, todo santo dia. Então sim. Estou seguindo ele, porque não posso simplesmente viver por você sem está ao seu lado! – Sicheng respondeu sem rodeios. Não era de sua personalidade fazer muito drama com algo.

Ele era direto porque podia perder a paciência muito facilmente. Foi sincero, porque estava irritado por pensar em Soo Min tanto assim. Mesmo evitando, e negando a companhia da garota, era nela em quem ele mais pensava depois do seu irmão. Mesmo sem lembrar, ele ainda sentia. Queria usar essa oportunidade, de não lembrar de tudo porque sua vida era muito ruim para alguém apenas se infiltrar ali sem sua permissão, mas quando esse alguém começou a ignorá-lo, ele ficou abismado. Como ele podia viver sentindo isso tudo, durante cada minuto, cada segundo, e a pessoa apenas decidir virar as costas, assim do nada?! Estava errado para ele. Por isso ele apertou o botão do foda-se, pelo menos para aqueles dias calmos.

- O-o quê?

- Isso mesmo que você ouviu, satisfeita? – Perguntou gesticulando com as mãos.

- Win- Sicheng, para com isso! Esse tipo de brincadeira é ridícula.

Sicheng se sentou.

- Não estou brincando Soomie, estou ficando louco. – Suspirou - Não consigo mais te ignorar para o seu próprio bem. Eu posso não me lembrar de tudo, mas meu coração de “Winwin” manda em mim...

Soo Min escutava sem reação.

O mais velho se levantou, e puxou a mão da garota, a conduzindo até o chão juntamente com ele. Após sentados, Sicheng a encarava.

- Você entendeu o que isso significa, garota? – Deu um peteleco em sua testa, ganhando uma expressão irritada da parte da mesma.

- Sim e não. – Respondeu massageando o local atingido, com um biquinho nos lábios.

Graciosa”, o rapaz pensou.

- Você poderia ter escolhido alguém mais esperta pelo menos, não é mesmo Winwin?! – Resmungou para si mesmo, e por um instante Soo Min pensou que ele estava em meio a um surto psicótico.

Pensou isso, até o mesmo engatinhar em sua direção, ficando a centímetros de seu rosto.

- Isso significa, que não quero que você chore quando eu te beijar...

A respiração quente de Sicheng batia em seu rosto. Soo Min ainda digeria a informação anterior, enquanto os lábios do maior se aproximavam lentamente dos seus.

Estava cedendo. Iria ceder. Mas..

Ele matou os pais de Johnny”, seu subconsciente lhe lembrou.

- Não...– Afastou- o pelos ombros, porém o mesmo ainda permanecia naquela posição, e relativamente perto.

Sicheng portava uma expressão confusa, quando a porta da sala abriu com tudo.

Ambos olharam para aquela direção, assustados com o barulho da porta batendo na parede.

Johnny.

Ele estava ofegante, como se tivesse corrido milhas de quilômetros.

Soo Min o olhava como que perguntasse “O que você está fazendo aqui?”. Já Sicheng o olhava como se quisesse o matar, mesmo que não tenha sido o mesmo a interromper o momento anterior.

Johnny oscilou o olhar entre os dois consecutivamente. Analisando as posições, a proximidade. Ele já tinha uma pequena noção do que estava acontecendo ali, e lhe doía, mas a sua urgência era maior.

Ele não sabia ao certo o que faria quando encontrasse Soo Min. Apenas precisava de sua companhia depois de receber tal notícia.

Deixou que sua raiva, por presenciar os dois daquela forma, falasse mais alto e caminhou até ambos pegando o braço da garota, a levantando consequentemente do chão para que saíssem do local.

- Vamos. – Disse simplório.

Sicheng, porém, agiu rápido também. Segurou a outra mão de Soo Min, e se perguntou internamente se essa cena clichê era realmente necessária.

- Calma aí. – Disse, se levantando ainda segurando a mão da garota. – “Vamos?” Você não está vendo que estamos no meio de algo importante? – Perguntou para o mais velho.

Johnny bufou, e o ignorou totalmente, dirigindo suas palavras a menor.

- Soo Min, preciso falar com você sobre algo sério. Vamos... – Puxou o braço da mesma para que andassem.

Porém, novamente Sicheng agiu com rapidez e a puxou de volta.

- Soomie, nós temos algo inacabado aqui. Não vá...

Soo Min, que observava toda aquela cena de camarote, olhou para aqueles olhos suplicantes do garoto chinês, e depois para a mão de Johnny que segurava seu braço, e pensou. O que seria tão importante para que o mais velho corresse a ponto de deixá-lo ofegante, atrás dela?

Olhou novamente para os rapazes e suspirou.

Como confidentes, e por medo de encarar Sicheng depois de lembrar do motivo de seu silêncio com o mesmo durante todo o dia, optou por ir com o de cabelos sedosos.

Se soltou do braço de Johnny, e conduziu sua mão até a mão de Sicheng que lhe segurava, a tirando gentilmente dali.

- Desculpa Sicheng. Eu realmente preciso falar com ele... – Falou.

Mentira. Eu só estou usando isso como pretexto pra não ter que te encarar novamente. Não agora...”, pensou.

Queria falar mais, que depois voltaria, mas não tinha coragem.

Sicheng na mesma hora, adquiriu um olhar triste, enquanto Soo Min se distanciava de si, ao lado de Johnny, depois de pronunciar essas poucas palavras.

Em outras circunstâncias, teria discutido com o mais velho, e até socado a cara dele, mas dessa vez não. Soo Min havia escolhido isso, então ele não poderia simplesmente desconsiderar a escolha da mesma. Mesmo depois daquele beijo...

Suspirou indignado, bagunçando seu cabelo perto da nuca com força, sentando-se no chão.

Joelhos inclinados, pernas abertas, braços sobre os joelhos e cabeça abaixada. Desapontamento.

- Mesmo depois de todos os meus esforços, eu sempre acabo numa sala, sozinho... – Disse para si mesmo, levantando a cabeça e olhando ao redor, onde já não havia mais ninguém.


Notas Finais


OBRIGADO PELOS MAIS DE 90 FAVORITOS!!!
Eu estou gritando aqui, sério! Eu nunca pedi pra ninguém a ler, nunca mandei mensagens ou divulguei em redes sociais, então cara, que grande feito!! Sempre disse, e continuarei dizendo, se pelo menos uma pessoa ler, eu continuarei, e aqui estamos nós, com mais de 90 favoritos.
Obrigado mesmo. Não gosto muito de dizer esse termo, mas até mesmo para os leitores fastamas, apesar de não serem porque se estão lendo, estão por aqui, Não é mesmo?! Obrigado também a quem sempre comenta e surta comigo. Vocês são demais ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...