História Lost in my Dreams - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Personagens Originais, V
Tags Drama, Jikook, Jungkook, Pesadelos, Sonhos, Universo Alternativo, Vkook
Exibições 17
Palavras 966
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem!
Ps: As frases em negritos se tratam do pensamento de Jungkook.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Lost in my Dreams - Capítulo 1 - Prólogo

Acabara de acordar em meu quarto, que de forma estranha se encontrava em uma cor e estado totalmente diferente do que se encontrava antes de que eu tenha dormido.

Até aonde eu me lembrava meu quarto era vermelho, tinha diversos móveis e bagunça, o típico quarto de um adolescente. Mas após ter acordado de um sono um tanto quanto profundo, percebo que as paredes se encontram numa cor branca, aonde nenhuma porta se encontrava para demarcar minha saída, e não haviam nenhum dos móveis que ali ficavam, apenas um lustre de velas cor de menta que ficava sobre minha cabeça.

Nem minha cama houvera se safado do tal sumiço, apenas me encontrava flutuando, e não queria levantar, apenas para sentir aquela sensação por mais tempo.

Mas ao ouvir o grito de minha mãe da cozinha, como de costume todos os dias para que eu não me atrasasse, me levantei e peguei-me pensando numa forma de sair daquele quarto vazio.

A roupa surgira em meu corpo num piscar de olhos, isso me assustou, mas eu não reclamei.

Eu diria que isto tudo seria um sonho, mas não podia ser, eu sentia, tudo o que acontecia comigo, eu sentia.

Saio pelo quarto tateando as paredes até encontrar uma parte da parede que se encontrava um tanto quanto "solta", não hesitei em empurra-la e me encontrar em um corredor.

Este corredor era escuro, mas não o suficiente para me impedir de ver algo, haviam alguns corpos, alcoolizados e, certamente, inconscientes.

Uma fumaça invadia o piso do corredor, esta me causava náusea junto às luzes de festa que piscavam freneticamente pelo corredor. Parecia um tanto quanto as festas que as pessoas de minha escola faziam quando os pais viajavam.

Não demorei demais naquele lugar, aquilo realmente me deixava arrepiado, não o suficiente para me fazer sair correndo daquele lugar, mas eu não aguentava passar muito tempo naquele lugar.

O clima mudara drasticamente ao chegar na cozinha, aonde minha mãe me receberá com um sorriso acolhedor e uma comida no mínimo ótima, repleta de doces.

-Bom dia meu filho. - Ela dizia pondo o prato de chocolate sobre a mesa que aparentava um cogumelo gigante.

-Bom... Dia? - Eu disse sem entender o porquê dela estar me tratando bem

Logo começo a comer o chocolate, que tinha gosto de pão, o que me fez estranhar, tomei o milkshake de morango e tinha gosto de suco de laranja.

Era bom demais para ser verdade.

-Nada como uma alimentação saudável para começar o dia bem! - Ela dizia, com um prato repleto de besouros que ao tentar fugir de seu prato eram levados a sua boca.

Isto me lembrava um filme que eu realmente amava, mesmo tendo muito medo do que se tratava.

Ela parecia degustar a comida como se fosse a última refeição de sua vida, ver aquela cena me dava nojo, mas me deixava uma pergunta em minha cabeça.

Será que o gosto é bom?

Digo, o gosto de minha refeição fora bem diferente do esperado, argh! É bem melhor tirar essa imagem de minha cabeça.

De mim exalava um forte cheiro de colônia doce. E meu cabelo se encontrava numa cor castanha, o que me estranhara, pois eu jurava que tinha dormido com os cabelos num extremo preto.

É fato, isso é muito estranho. Mas chega a ser melhor que a mesmisse do dia-a-dia.

Se passara pela minha cabeça as coisas estranhas que poderiam acontecer comigo quando eu estivesse fora de casa.

-Vamos, vista o casaco, está nevando lá fora! - Ela me cobria com o casaco e pusera a bolsa em meus ombros, me empurrando, literalmente, para o lado de fora.

-Mas mãe! Estamos em pleno verão!

-Jean Jungkook, não duvide de mim! - Ela diz e fecha a porta atrás de mim.

Percebo que não há ruas, apenas as calçadas e as construções, no lugar das mesmas um grande e vasto nada.

Era verdade o que minha mãe dissera, nevava um tanto lá fora.
Uma neve cor de rosa, que ao cair em minha língua eu certifiquei que era sorvete de morango.

Sempre soube que um dia ou outro, iam colocar sabor na neve.

Eu sentia demasiado frio enquanto esperava o ônibus. Meu cabelo já se encontrava num azul cor gelo.

Então, meu ônibus chegara, sobre o grande e vasto nada, esperando minha subida, e assim o fiz.

Todos no ônibus me olhavam, e eu poderia achar isso a coisa mais estranha que havia acontecido comigo naquele dia, já que todos e todas me ignoravam, menos uma pessoa.

Park Jimin, e como sempre, havia um lugar vago em seu lado, algo que não mudara nem sequer no estado que nós presenciamos.

Este usava um óculos escuro e segurava algo como uma bengala, este sorria ao perceber que eu cheguei.

-Bom dia Jungkook. - Ele dizia olhando para a frente, e foi daí que eu percebi.

Neste universo alternativo, Jimin era deficiente visual.

-Bom dia - Respondi sem querer ser maldoso.

-Pronto para o seu primeiro dia aqui em Seul?

-Já faz anos que eu moro aqui Jimin.

-Você acabou de chegar! - Ele ri - Bem vindo ao seu mundo Jean Jungkookie!

-Como assim?

-O tempo vai lhe fazer entender, apenas relaxe.

O papinho de Park Jimin me deixava um pouco mais confuso, ao meu lado esquerdo, na outra fileira se encontrava Kim Taehyung, este fumava uma bengala doce, que trazia um cheiro doce e uma fumaça colorida ao ônibus.

-Tente respirar o mínimo Jungkook, não queremos te ver drogado. - Jimin dizia.

-Como assim "queremos" ? - Faço as aspas com as mãos.

-Ué, eu você e você quer, a não ser que você queira.

-Como assim dois eu's ?

-Isso é outra coisa que o tempo vai lhe ensinar

Agora, eu definitivamente não estou entendendo nada.


Notas Finais


Até a próxima!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...