História Lost In Paradise - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Backstreet Boys
Personagens Kevin Richardson
Tags Backstreetboys, Kevin Richardson, Romance
Exibições 28
Palavras 2.559
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Hentai, Romance e Novela, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 23 - Take a risk.


Fanfic / Fanfiction Lost In Paradise - Capítulo 23 - Take a risk.

Os dias haviam passado bem rápido pra mim. Na verdade, tudo estava passando bem rápido. Eu mal conseguia me concentrar em algo. Seriam tantas mudanças... Durante o dia, eu tentava encontrar algum trabalho. Nem estava mais escolhendo muito e via os anúncios na internet em qualquer área. Eu precisava trabalhar. Precisava encontrar algo que me desse algum dinheiro, o mínimo que fosse. Eu não queria depender dele. Não queria passar a imagem de alguém que nem consegue se manter sozinha.

A noite, minha mente era invadida por pensamentos que não me deixavam dormir. Eu tentava não pensar em como seria tudo, em quanto eu teria que me sacrificar... O que me dava coragem eram as palavras dele me pedindo pra não interromper a gravidez. Eu não seria capaz de negar nada á ele! Aquele bebê seria a prova viva do meu sonho, de todos os momentos maravilhosos que havíamos tido... Se ele o queria, eu também queria! E uma pequena ponta de um amor sem igual começava a me encher de alegria e de esperanças.

Eu me obrigava a não pensar nele. Enfiava pro mais fundo da minha mente qualquer pensamento sobre ele. Eu tinha que aceitar que, tudo o que ele faria seria pelo nosso filho e não por mim. Isso me doía absurdamente. Mas também me dava esperanças. Não sabia como isso seria possível já que ele tinha uma família, mas era exatamente assim que eu me sentia. Meu coração se negava a aceitar que tudo tinha acabado entre nós. Ele teimava em dizer que não era o fim. Na realidade, era só o começo...

Estava deitada na cama vendo um filme qualquer na TV. Passava das 22h já. Ouvi batidas na porta e logo as vi entrando.

- Oi geminha- Kylie também tinha vindo- Como tá passando?!

- Bem- respondi.

- Ela não quer começar o pré natal- Sophia revirou os olhos.

- Já falei que tá errado isso aí, hein?!- Shay me deu bronca.

- Eu só quero esperar... - falei suspirando.

- Mas esperar o que?!- Kylie questionou- Você tá quase de dois meses já... Já deveria ter ido ao médico!

Eu não sabia o que estava esperando, realmente não sabia. Talvez que ele me ligasse?! Me dizendo que eu deveria me cuidar e procurar um médico?! Tudo o que eu tinha era somente o nada, o doloroso vazio do silencio... Mas o silencio também era uma resposta. Absolutamente nada! Então era assim que ele disse que ia resolver tudo da melhor maneira?! Talvez pra ele a melhor maneira fosse me manter longe, fingir que nada havia acontecido, que tudo era parte de um pesadelo...

Já não estava mais prestando atenção na conversa quando inesperadamente meu celular tocou. O peguei, olhando pro nome piscando na tela: Keith!

- É o Keith- comentei e elas se calaram.

- Atende logo!- Sophia sacodiu minha mão.

Apertei a tecla sentindo meu coração bater forte. Não por ele em si, obviamente, mas por tudo o que ele representava... Conversamos por alguns minutos. Uns cinco no máximo. Eu só respondia á todas as perguntas, concordando. Desliguei sentindo minha bica seca. As meninas me olhavam espantadas e cheias de curiosidade pra saberem do que se tratava.

- E aí?!- Sophia quis saber.

- Ele tá vindo pra cá- falei tremendo.

- KEVIN?!- Kylie tapou a boca com as mãos.

- Não- ri dela- Keith!

- Mas porque ele tá vindo?!- Shay falou- Deveria ser o outro lá, não?! Que aliás nem ligou pra saber se você tá viva ou morta... Que depecção!

- Ele disse que quer conversar comigo- ignorei o comentário- Que Kevin pediu que ele viesse já que... Ele não pode!- resumi.

- Não pode... – Shay assoviou alto- Ele podia ter ligado tipo, agora! Pra pelo menos ter a decência de falar com você, perguntar como vão as coisas e a visar que o segurança dele está vindo a pedido dele. Era o mínimo!

Continuamos a conversa. Expliquei que ele havia dito que chegaria por volta das 16h. Que iria pro hotel mais perto e que depois viria falar comigo. Ele pediu meu endereço e foi somente isso. Logo fomos dormir. Segundas feiras eram sempre bem exaustivas! (...)

 

O dia seguiu normalmente. As meninas foram trabalhar e eu fiquei em casa, como sempre. Aproveitei pra dar uma arrumada em tudo, mesmo ela dizendo que não era necessário e que eu precisava de repouso. Eu precisava mesmo e muito! Me sentia muito enjoada, principalmente em situações de estresse, como era o caso. Minha ansiedade estava a mil! Ele nem mesmo havia me dito sobre o que era. Mas se ele estava vindo pra cá a pedido dele, então devia ser bem importante ou poupariam o trabalho!

Almocei, tomei um banho, mudei de roupa e fui pra sala esperar. Tudo o que eu queria ouvir eram boas notícias! Era tudo o que eu precisava. Me sentia confiante de que seria assim. Tinha que ser! A campainha tocou por volta das 17h30. Eu estava sozinha. Respirei fundo e fui atender. Eu não sabia como recebe-lo visto que não tínhamos intimidade. Nós só havíamos nos falado algumas poucas vezes.

- Olívia?!- ele sorriu.

- Oi Keith!- tentei ser o mais agradável possível- Entre, por favor!

Assim que entrou, o levei até a sala. Nos sentamos no sofá e ele parecia olhar a tudo minunciosamente. Provavelmente Kevin havia pedido á ele que fizesse isso.

- Aceita tomar alguma coisa?! Água, café, um suco?!- ofereci educadamente.

- Uma água, por favor!

Fui até a cozinha, sentindo o olhar atento dele sobre mim. Voltei em seguida, entregando o copo á ele e voltando a me sentar onde estava anteriormente. Um silencio constrangedor se instalou.

- E você, como está?!- ele quebrou o silencio.

- Bem- falei sorrindo. E mentindo!

Eu não podia mostrar todo o meu desespero e ansiedade.

- Que bom!- ele sorriu de volta.

- Não esperava que você viesse- falei, mas me arrependi porque eu parecia estar sendo grosseira.

- Alguém me mandou vir!- ele riu, me fazendo rir também.

- Foi ele mesmo que... Que pediu que viesse?!- desconfiei.

- Sim, foi- assentiu- Kevin quer saber como você está!

- Queria que ele tivesse ao menos me ligado- digo sendo sincera demais. Hora errada!

- Sabe que ele tem uma vida corrida, não sabe?!- me perguntou.

Assenti, abaixando a cabeça. Quem eu achara que eu era pra cobrar alguma coisa?! Minha atitude infantil e egoísta não estava ajudando em nada! Não era essa a imagem que eu queria que ele levasse de mim pra ele.

- Me desculpe- falei sentindo um aperto na garganta.

Ele me olhou, prestando atenção novamente, me analisando.

- Liv, eu e Kevin nos conhecemos há muito tempo- me disse- Além de ser o segurança, somos amigos. Gostaria que pudesse confiar em mim. Ele também gostaria disso!

- Vou tentar- respondi.

- Sei que você preferia que fosse ele aqui e não eu, mas só cumpro ordens de um amigo!

- Eu sei- suspirei- Me desculpe. Mesmo!

- E como vão as coisas por aqui- olhou ao redor- Tudo certo?!

- Sim, tudo- menti- Na medida do possível, sim. Mas eu preferia estar trabalhando... – argumentei.

- E a gravidez?!- disse rindo um pouco.

- Ah, ainda não fui ao médico- falei sem me importar muito.

- Alguém não vai gostar disso!- me corrigiu- Obviamente nunca fiquei “grávida”, mas tenho dois filhos e me lembro da tonelada de exames pelos quais minha mulher passou!

- Acho que são muitos mesmo!- tentei entrar na conversa, me sentindo um pouco desconfortável.

- Mas acho que podemos dar um jeito nisso...

- Podemos?!- estranhei o modo como ele falou no plural.

- Quando você estiver em Los Angeles!- sorriu novamente, de um jeito enigmático.

- Espere, eu... Não entendi- cocei a cabeça, tentando raciocinar rápido- Los Angeles?!

Keith tomou o ultimo gole de água, colocando despreocupadamente o copo em cima da mesa de centro.

- A minha vinda até aqui não foi pra te encher de perguntas- começou- Eu realmente não sei como te dizer isso sem que possa parecer um pouco surreal demais pra você...

- Pode dizer- sorri nervosamente- Eu tô pronta pra ouvir!

- Kevin e esteve conversando comigo, como amigo. Acho que ele também falou com os outros caras do grupo e certamente com a mãe dele. E ele chegou á conclusão de que não há outro modo melhor pra você e pra ele a não ser que você se mude pra Los Angeles!

Levei as mãos á boca, tremendo. Meu estomago se revirando dentro de mim... Eu não conseguia dizer absolutamente nada!

- Pelo menos até o bebê nascer- concluiu- Devido ao trabalho, ele não poderia vir pra cá e isso complicaria muito as coisas. Los Angeles é onde ele está quando não está em turnê, então...

Era óbvio que ele se referia á família dele. Se ele não estava em turnê, estava com a família! Nada mais “apropriado” do que facilitar as coisas.

- Já contou pra alguém sobre a gravidez?!- me perguntou, quase que prevendo meus pensamentos.

- Não- falei- Só pras minhas amigas. Ninguém mais vai saber. Por enquanto- enfatizei.

- Não vai dar pra esconder por muito tempo- voltou a rir- Kevin comprou uma casa pra que você possa morar. Pode ficar lá até o bebê nascer. Você pode ter a sua vida, viver normalmente e assim ele poderá te visitar quando quiser- explicou- E nem preciso dizer que... Bem, que você não deve dizer á ninguém que o filho é dele!

- Não vou dizer- baixei os olhos, já sentindo o peso da culpa.

- Ele me disse que quer acompanhar de perto a gestação- contou- Então você não vai precisar se preocupar com nada. Financeiramente falando!

- Certo- concordei, assentindo.

- O que eu quero saber é: você aceita?!- me perguntou seriamente- Preciso levar sua resposta... Vamos arrumar tudo. Visto e toda a documentação necessária. Se concordar em ir...

- Posso pensar?!- respondi a única coisa que me veio á mente.

- Até amanhã de manhã?!- falou- Embarco ás 10h. Emirados Árabes! A última etapa da turnê!

- Tudo bem- respondi.

Ele se levantou e o acompanhei até a porta. Nada mais precisava ser dito, apesar de todas as minhas duvidas.

- Vou esperar sua ligação- disse saindo- Até mais, Liv!

- Até- fechei um pouco a porta- Obrigada... Por vir!- agradeci.

Quando ele saiu, me joguei no sofá, tremendo! Eu não sabia o que pensar ou o que fazer. Eu tinha que tomar uma decisão definitiva em menos de poucas horas. Agir sobre pressão era a morte pra mim! Ainda mais se tratando de uma decisão que mudaria minha vida e provavelmente a dele também. Algo me dizia pra ter cautela. Eu não podia me jogar de cabeça em águas ainda tão rasas...

Esperei que as meninas chegassem. Aproveitei pra mandar uma mensagem pra Kylie pra que ela viesse também. Não muito depois elas chegaram.

- Liv- Sophia se sentou ao meu lado no sofá- E aí, como foi, sis?!

- Tô morta de curiosidade!- Kylie disse.

- Anda amiga, conte logo esse babado!- Shay também falou.

- Ficamos conversando por uma meia hora- contei- Ele me disse que Kevin tinha pedido que ele viesse, pra ter notícias minhas...

- Até que enfim!- Shay revirou os olhos- Nada mais justo!

- E ele quer que... Que eu vá morar em Los Angeles- disparei.

- COMO ASSIM?!- Sophia meio que gritou enquanto as outras duas me olhavam espantadas.

- Keith disse que ele comprou uma casa pra que eu possa morar até o bebê nascer- expliquei- Que não preciso me preocupar com nada. Mas ele precisa levar a minha resposta até amanhã de manhã que é quando ele vai voltar.

- E o que você decidiu, geminha?!- Kylie quis saber.

- Eu não sei- comecei a chorar- Eu não sei o que fazer... Podem me ajudar?!

Fui envolvida em um abraço coletivo! Ficamos abraçadas, juntas e chorando.

- Desde o começo isso foi uma união, primeiro de tudo- Sophia disse secando as lágrimas- Lembra quando brincávamos sobre essa possibilidade?! E eu dizia que nos apoiaríamos independente de qualquer coisa!

- Estamos aqui por você, geminha!- Kylie ainda me abraçava- Se quiser ficar, vamos dar um jeito!

- Quero muito ser tia, gente!- Shay brincou- Mas acho que você tem que pensar no que é melhor pra você e principalmente pro bebê. Se você acha que deve ir, então vá! Não se preocupe com coisas que nem aconteceram ainda. Viva o hoje, amiga, o agora!

- Tenho medo- falei em meio ao choro- Nunca viajei sozinha. Como foi viver lá sem vocês?! Não conheço ninguém...

- Podemos te visitar- Kylie falou- Assim que pudermos! Nove meses passam voando, então acho que podemos ficar o mais próximo possível. Podemos não, vamos ficar!- me garantiu.

- WhatsApp, Skype, Facetime e todas as tecnologias!- Sophia riu.

- Todos os dias- Shay emendou- Quero ver de perto a barriguinha crescendo!

Ficamos conversando até tarde. Fazendo planos e imaginando como seria tudo. Não havia muito que pensar, havia?! A minha decisão já havia sido tomada há muito tempo... Independe de tudo, eu queria estar com ele. Não importa onde ou como. Eu só precisava estar! A família dele me preocupava? Sim, muito! Mas agora eu também fazia parte da vida dele. E se ele me queria por perto, eu não ia recusar. Jamais pensei em privá-lo de nada referente á gravidez.

- Quem sabe você não possa... – Kylie me disse.

- Não- sorri sem jeito- Não penso nisso.

- Duvido!- Sophia riu.

- Não precisa esconder! - Shay caiu na risada- Tá na tua cara que também tá indo por causa dele! Confesse!

Me permiti rir, imaginando muitas coisas. De fato elas me conheciam muito bem. E não estavam tão erradas assim quanto á isso. Antes de dormir, lá pelas 23h, peguei celular e disquei o numero. Esperei um pouco até Keith atender.

- Olivia?!- falou do outro lado da linha.

- Sim, sou eu- respondi- Só liguei pra dizer que... Eu vou!

- Posso dizer á ele, então?!

- Pode- respirei profundamente- Já tomei minha decisão!

- Decisão sábia- ele riu- Kevin vai gostar de saber. Sei que vai- me garantiu.

- Espero que sim...

- Vou manter contato e assim que estiver tudo pronto, ligo avisando. Tudo bem pra você?!

- Ok.

- Se precisar de alguma coisa, se tiver algum problema, não hesite em me ligar- disse.

- Certo- respondi- Tenha uma boa viagem de volta, Keith!E...

Me calei. Eu não precisava de mais isso pra piorar. Era óbvio que ele não queria se envolver. Do contrário, não teria mandado o amigo.

- Obrigado- respondeu- Há algo que queira me dizer?! Algum recado?!

- Não- menti novamente- Acho que não.

- Cuide-se, então!

- Tchau!

Desliguei o telefone. Eu me sentia perdida, confusa e temerosa. O medo era meu pior inimigo. Tudo era incerto. Tudo era somente duvidas sem nenhuma resposta. Nada pelo qual eu pudesse me agarrar, me manter firme e decidida... Mas ainda havia alguma coisa. Bem dentro de mim, eu sabia que sim. Eu estava indo por ele, sempre por ele. Por mais que eu quisesse me enganar, essa era a verdadeira razão de tudo. Uma chance, um fio de esperança, a pequena luz brilhando avidamente no fim do túnel...

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...