História Lost Lovers - NamJin - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jin, Lemon, Namjin, Namjoon, Yaoi
Exibições 379
Palavras 3.032
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Cheguei com mais um capítulo cheirosinho pra vocês!

Boa leitura o/

Capítulo 4 - Afternoon


Fanfic / Fanfiction Lost Lovers - NamJin - Capítulo 4 - Afternoon

Namjoon P.O.V

 

A aula demorou mais do que o normal pra acabar. Quando o sinal finalmente tocou, saí disparado pra fora da sala e fui direto para meu armário.

- Namjoon! - Yoongi me chamou chegando no meu armário. - E ai? Tem alguma notícia do Hoseok e do Jimin?

- Nada... Vou ligar pra ele de novo mais tarde, mas agora eu tenho que ir.

Me despedi de Yoongi e segui meu caminho para fora da escola. Andava devagar pelas ruas ouvindo música, apenas observando as pessoas desesperadas e com pressa para seguirem com sua vida corrida.

Já em casa, o dia passou numa lentidão que nunca vi! E pra piorar, Hoseok não retornava minhas ligações! Como não tinha nada pra fazer resolvi estudar, pelo menos assim ocupo minha mente. Quando me cansei de livros de matéria peguei uma boa e velha literatura, ai sim o dia fluiu melhor e mais rápido.

Quando deram umas sete e meia minha mãe me chamou pra jantar. Confesso que não estava com tanta fome, mas ela fez bife - e eu não resisto à um bife. Conversamos sobre como foram nossos dias, contei-lhe que amanhã passaria o dia todo fora pois faria um trabalho na casa de um colega e disse pra não se preocupar.

Subi para meu quarto e me joguei na cama. Meu celular, que estava na cômoda, de repente começou a tocar e me estiquei para pegá-lo. No visor vi o nome de Hoseok, que finalmente resolveu me ligar às oito horas da noite!

- Namjoon?

- Hoseok!? Por que não me ligou mais cedo? Eu fiquei tentando te ligar o dia todo! O que aconteceu?

- O Jimin cortou os pulsos de novo. Eu estava com ele no hospital.

- Meu Deus! Ele tá bem? - pergunto preocupado.

- Aham. Mas o médico disse que ele quase conseguiu o que queria.

- Não acredito que ele fez isso de novo. - disse esfregando a mão no rosto.

- Namjoon, amanhã conversamos. Vou encontrar minha sogra agora.

- Hein? - ué? Mas a sogra dele não morreu?

- É que minha mãe vai me esganar assim que eu pisar em casa. 

- Ah entendi! - rachei o bico.

- Você ri porque não vai ser você quem vai morrer! 

- Boa sorte, mano!

Desliguei o telefone ainda achando graça do que ouvi. Eu e Hoseok praticamente crescemos juntos, a senhora Jung Jan Di é como uma segunda mãe pra mim, assim como minha mãe é uma segunda mãe para Hoseok. Jan Di é muito gente boa, mas é bem carrancuda quando quer.

Me lembrei que Hoseok perdeu a matéria de álgebra de hoje, então tirei foto das página do meu caderno e mandei pra ele. Sei que ele não vai, mas também avisei à ele sobre o boliche de amanhã.

Do nada, absolutamente do nada, imagens do novato invadiram minha mente. Aquela pele pálida, aqueles cabelos escuros, aqueles olhos negros, aquela boca carnuda, aquela voz suave, aquele jeito tímido.

- Kim Seokjin hm... Por que será que não tiro você da cabeça..?

E foi assim, pensando em Seokjin, que adormeci. E, cá entre nós, foi a melhor noite de sono que já tive em toda a minha vida.

 

~

 

Fui despertado pelo som do despertador. Preguiçosamente levantei-me e segui rumo ao banheiro para realizar minha higiene matinal. Depois tomei um banho rápido e fui me arrumar para ir pra aula.

Nossa escola adota uniforme, então não podemos simplesmente vestir o que quisermos. Já com o uniforme vestido, pus meu tênis preto, que é a única peça que temos liberdade de escolher, e passei um perfume. Desci as escadas para comer alguma coisa antes de sair, tomei uma xícara de café expresso e comi panquecas feitas por minha mãe. De barriga cheia, subi, escovei meus dentes, peguei minha mochila e fui para a escola.

Minha escola é local, fica só a umas cinco quadras da minha casa, em dez minutos andando relativamente rápido eu chego lá. Como ainda falta cerca de meia hora pra aula começar, me dei ao luxo de ir com calma. A caminhada foi tranquila. Aproveitei para observar a cidade acordando para a rotina, e para ouvir as melodias da manhã pelas ruas essas coisas. Cheguei na escola ainda faltando dez minutos para o inicio do dia letivo, então fui para meu armário deixar minha mochila e pegar meu material de física.

- Namjoon!

- Fala ai, Kook! Cade o Tae? 

- Ele ainda não chegou. Vem cá... Você tem alguma notícia do Jimin e do Hoseok? 

- Aham. Eu conto pra vocês todos no intervalo, pode ser? Por acaso você viu o Yoongi?

- Beleza. Vi não, foi mal.

- De boas. Deixa eu ir pra aula, até daqui a pouco! 

- Até!

Andei pelos corredores, atravessando um mar de alunos, rumo à minha sala de física. Chegando lá dou de cara com um Seokjin desorientado.

- Jin? Faz física também?

- Ah.. Oi, Namjoon. Física? Deus me livre e guarde! Pode me dar uma ajuda? 

- Claro.

- Onde ficam as salas de inglês?

- Inglês? Ficam do outro lado da escola! Como você veio parar aqui?

- Um menino disse que era por aqui...

- Pois saiba que ele te trolou com sucesso! Vem, eu te levo lá. Aproveito e te mostro a escola, assim ninguém vai conseguir mais zoar o novato.

- Mas sua aula não é aqui? - questionou preocupado.

- É, mas não tem problema perder uns minutinhos. - dei de ombros.

- Se você diz...

E lá fomos nós, eu e Jin à procura de sua sala. Aproveitei que nossas salas eram, literalmente, de lados opostos da escola para mostrá-lo todas ou a maioria das instalações do prédio. A escola em si não é grande de altura, possui apenas dois andares, mas é muito extensa!

Da ala da exatas, seguimos o corredor até chegarmos à cantina, que ele já conhecia, e que ficava na metade da escola. A partir da outra metade é a ala de biológicas, que terminava com a biblioteca no extremo final do prédio.

Aquele não era seu destino, mas resolvi levá-lo lá por três motivos: ele conheceria melhor a escola; a ala de línguas fica exatamente acima da de biológicas; e eu poderia passar mais tempo com ele. Com o esqueleto do primeiro andar apresentado, seguimos para o segundo.

- É aqui. - disse quando chegamos ao final da escadaria. - A ala de idiomas.

- Muito obrigado, Namjoon! - sorriu sem mostrar os dentes. - De verdade.

- Sem problemas! - sorri de volta. - Ah! Só pra constar, lá é a ala de humanas. - apontei para a outra ponta do imenso corredor.

- Obrigado de novo! - olhou em seu relógio de pulso e arregalou os olhos. - Namjoon, é melhor você ir pra aula se não o professor vai achar ruim... Eu já vou procurar minha sala.

- Da nada não, relaxa. - ri. - Aparece lá no refeitório na hora do intervalo.

- Claro! Até.

Acenei com a mão e segui meu caminho de volta à sala de física. Como esse menino consegue ser tão bonitinho?

 

~

 

A hora do intervalo chegara mais rápida do que pensei. A aula voou muito rápido! Fui até meu armário, guardei minhas coisas, peguei minha carteira e celular e fui para a cantina. Chegando lá entrei na fila e pedi o de sempre.

- Namjoon! - exclamou assim que me viu me aproximar da mesa.

- Fala ai, Yoongi! - disse me sentando.

- Notícias do Hoseok e do Jimin?

- Deixa todo mundo chegar que eu falo uma vez só.

- Tudo bem.

Minutos depois Taehyung e Jungkook chegaram à mesa de mãos dadas.

- Conta logo. - comentou Yoongi impaciente.

- Ah... - suspirei. - O Jimin tentou se matar de novo, está internado, e o Hoseok passou o dia com ele ontem.

- Puta merda... - disse Yoongi baixo.

Taehyung apenas apoiou os cotovelos na mesa e levou as mãos ao rosto, esfregando-o. Jungkook arregalou os olhos e ficou com o semblante sério. Yoongi apenas negava com a cabeça a notícia que ouvira.

- Oi... - disse Seokjin tímido, se sentando ao meu lado.

- Oi, Jin. - cumprimentei-o.

- Aconteceu alguma coisa? - perguntou preocupado vendo que todos estavam estranhos.

- Só uns problemas mesmo, posso explicar pra você outra hora. 

- Ok...

O intervalo começou tenso, mas com o passar dos minutos o clima foi de descontraindo aos poucos. Justo quando estávamos começando a nos empolgar o sinal indicando o fim do recreio tocou.

- Namjoon. - Jin me chamou assim que os outros se levantaram da mesa.

- Diga. 

- Me espere no portão da escola quando a aula acabar. Não se esqueceu, né?

- Não me esqueci não. - ri. - Pode deixar, estarei te esperando.

E com isso nos despedimos e seguimos cada um pra sua aula.

 

~

 

Quando o último sinal tocou, levantei e segui apressado pelos corredores. Abandonei os livros no armário, peguei minha mochila e sai do prédio. Caminhei pelo pátio e me encostei numa árvore próxima do portão da saída à espera de Seokjin.

Uns breves minutos depois vejo Jin saindo do colégio com seus livros na mãos. Ele pareceu me procurar com o olhar e, quando me achou, acenou e veio ao meu encontro.

- Estava de procurando. 

- Percebi. - ri. - Vamos?

- Vamos.

Começamos a caminhar para longe da escola rumo à sua casa, que fica na direção oposta da minha.

- Aqui, você acha melhor passar num mercado antes? - parou bruscamente e segurou de leve o meu braço.

- Para? - encarei-o.

- Pra comprar alguma coisa, um uns doces talvez. - deu de ombros.

- Não precisa disso não, Jin. O trabalho não é de produtos industrializados, mas sim de frutas ou legumes mesmo. 

- Mas o professor pediu a química industrializada também. 

- Com isso acho que ele quis dizer agrotóxicos, não?

- Pode ser. - concordou confuso. - Ele devia ter especificado melhor!

- Concordo. Também estava com essa dúvida, mas eu tenho uns amigos mais velhos que também fizeram química com o senhor Kwon, e eles disseram que eles tiveram que fazer o mesmo trabalho ano passado. Disseram também que quem fez de produtos industrializados não tirou total no projeto. 

- Nossa.. Tudo bem então... Mas vamos passar no mercado mesmo assim! 

- Pra que? - o olhei confuso. Devo ter feito uma cara muito estranha porque quase que imediatamente ele começou a rir.

- Lanche da tarde, oras! - disse rindo.

 

~

 

Depois de ficarmos quase uma hora no mercado porquê Jin não sabia se escolhia Coca ou Pepsi, Ruffles ou Doritos, chocolate branco ou amargo, balas de ursinho ou de minhocas, finalmente fomos para sua casa.

Jin mora a uns sete quarteirões da escola e o mercado que fomos também era perto, ficava entre sua casa e a escola. Andamos uns minutos, e aproveitamos para bater um papo e tal.

- Chegamos. - disse enquanto parava em frente à um prédio que aparentava ter uns trinta andares.

- Quer ajuda? - perguntei-lhe vendo que tinha dificuldades para abrir a porta de vidro do prédio, afinal ele carregava seus livros e umas duas sacolas.

- Aham. - estendeu-me uma das sacolas. - Segura pra mim?

- Claro. - peguei as compras de sua mão.

Assim que entramos, notei uma recepção aconchegante, porém sofisticada. Um homem de idade estava sentado atrás de uma mesa bem na entrada do corredor que leva aos elevadores. Ele usava óculos de grau e um tinha um bigode branco engraçado, dando-lhe um ar simpático.

- Boa tarde, sr. Choi! - cumprimentou Jin, sorridente. 

- Oh! Olá, Seokjin! Como vai? - pergunta animado.

- Vou muito bem, e o senhor? 

- Igualmente! - exclama. - Esse ai é seu amigo?

- Sim! Namjoon, esse é o sr. Choi, ele é o porteiro do prédio. Sr. Choi, esse é meu amigo Namjoon.

- Muito prazer! - estendi-lhe a mão para cumprimentá-lo.

- O prazer é todo meu! - retribuiu o gesto, apertando minha mão.

- Tem alguma correspondência pra mim, sr. Choi? 

- Não, não. - disse negando com a cabeça. - Ah, sim! Antes que eu me esqueça, Kidoh veio aqui mais cedo.

- Ah é? 

- Sim! Mas quando eu disse que você estava em aula ele disse que passaria aqui à noite.

- Ele disse algum horário especifico? 

- Depois que ele saísse do trabalho, foi o que disse.

- Ok! Muito obrigado! Tenha uma excelente tarde, sr. Choi! Vamos, Namjoon?

- Igualmente, Seokjin, Namjoon!

- Até logo! - despedi-me.

Caminhamos em silêncio até o elevador. Jin apertou o botão para chamá-lo e então esperamos uns minutos. Quando finalmente as portas abriram-se adentramos a caixa metálica com compras e Jin apertou o botão de número cinco.

- Que tipo de nome é "Kidoh"? - perguntei em tom irônico, quebrando o silêncio.

- Não é um nome, é um apelido. - respondeu olhando pra mim.

- Mesmo assim é zoado. - franzi a testa levemente.

- Só pra você. 

- O nome dele é tão ruim assim pra usar um apelido desses?

- Até que não. - fez uma pausa. - Ele se chama Jin Hyo Sang. - disse enquanto saía do elevador.

- O sobrenome dele é "Jin"? - fui respondido com um "uhum". - Que engraçado. - ri.

- Engraçado por quê? - disse enquanto caminhava para o apartamento de número 23. 

- Porque teu amigo tem o sobrenome igual ao teu apelido.

- Oxe... - girou a chave. - É aqui, pode entrar. - disse me dando espaço.

Limpei os pés no tapete de entrada e adentrei o recinto. O apartamento não parece ser lá muito grande. Logo após a porta de entrada existe um pequeno hall que leva à uma sala de jantar, percebi isso porque há uma mesa de jantar a uns seis/sete passos da entrada. Virando à direita no hall temos a cozinha, que, apesar de pequena, não é minúscula. No final da cozinha tem uma porta de vidro temperado, provavelmente isolando a área de serviço do resto do cômodo.

- Onde posso por as sacolas? 

- Deixa ali na bancada mesmo. - fiz como disse e ele também fez o mesmo. - Ah! Tira o refrigerante do saco e passa ele pra mim, fazendo favor.

- Aqui. - passei-lhe a garrafa de dois litros, vendo-o guardá-la na geladeira.

- Obrigado. Vamos lá pra sala.

Segui-o pelo pequeno apartamento. Após a sala de jantar fica a sala de estar. A mesma possuí um sofá de porte médio, daqueles que abrem na frente para poder esticar as pernas, um hack e uma televisão de led na parede. Haviam também alguns objetos decorativos pelo local como quadros, vasos, figure actions do Mário etc.

- Seus pais não se incomodam de eu estar aqui? - soltei ao notar nenhuma presença a mais na casa.

- Eles não moram comigo, sou emancipado. - sentou-se no sofá. - Está fazendo o que ai de pé? Sente-se.

- Você é emancipado? - sentei-me do seu lado à uma certa distância.

- Sou sim. Algum problema? - me encarou com uma sobrancelha erguida.

- Não, não! Eu só fiquei curioso pelo motivo que levou você a se emancipar. 

- Isso é assunto para outra hora, está bem? Vamos fazer esse trabalho primeiro.

- Tudo bem.

Passamos uns minutos discutindo sobre qual alimento deveríamos utilizar como objeto de pesquisa. Pensamos em tomates, batatas, alfaces, morangos, e chegamos ao consenso de estudar o milho, que é bastante interessante por ter vários espécimes transgêneros.

Passamos horas navegando na internet à procura de informações e estudos sobre o milho, falando sobre o porquê de ser uns dos melhores alimentos para se modificar geneticamente, falando sobre os efeitos dos fertilizantes químicos e dos agrotóxicos nos genes das plantas etc.

Quando o relógio marcou quatro e trinta Jin resolveu que estava na hora da pausa, afinal estávamos trabalhando há umas duas horas e meia mais ou menos! Fomos até a cozinha preparar os lanches e levamos tudo para a mesa de jantar. No final das contas, Jin optou pela Coca, pelo Doritos, pelo chocolate amargo e pelas balas de ursinho. Comemos tudo com uma boca boa, numa sentada só. Estávamos famintos, até porque nem havíamos almoçado.

Quando terminamos o lanche resolvemos esperar quinze minutos para a comida assentar e não causar uma má digestão posteriormente. Aproveitamos para papear um bocado. Conversamos sobre jogos, filmes e música, e descobrimos algumas coisas em comum.

Como tudo que é bom dura pouco, logo tivemos que voltar ao trabalho. Faltava pouco para concluir a pesquisa, afinal já tínhamos as informações reunidas, só faltava compilar tudo e redigir um texto. Ficamos cerca de meia hora discutindo como e o que mudaríamos para evitar o plágio e, de quebra, evitar um puta processo legal por conta dele!

Um bom tempo depois já estávamos com o trabalho pronto, impresso, lindo e com cheirinho de nota dez! Olhando no relógio vi que já eram sete da noite e me assustei pelo fato de a tarde ter passado tão depressa.

Juntei minha coisas e disse à Jin que precisava ir embora, se não minha mãe ficaria uma fera comigo. Ele riu da minha pequena observação e me acompanhou até a saída. Nos despedimos e segui para o elevador, suspirando ao lembrar dos míseros doze quarteirões que teria que caminhar para chegar em casa, nem havia começado a andar e já estava me sentindo cansado.

Apertei o botão para chamar o elevador e fiquei pensando na tarde que passei com Jin, abrindo um sorriso bobo logo em seguida. O barulho do elevador chegando me trouxe de volta à realidade. Quando as portas se abriram, um cara que não aparenta ser muito mais velho que eu saiu de dentro dele.

- Olhe por onde anda. - disse ao esbarrar em mim enquanto saía do elevador.

Nem perdi meu tempo respondendo o babaca, só acabei de entrar no elevador e simplesmente apertei o botão do térreo. Quando as portas finalmente se fecharam bufei.

- Qual o problema desse cara?

 


Notas Finais


Gostaram?

Semana que vem tem mais hein

Flws o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...