História Lost Memories - Vkook - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Acidente, Bts, Esquizofrenia, Jeon Jungkook, Kim Taehyung, No Lemon Squad, Taekook, Vkook
Visualizações 17
Palavras 1.773
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura e me desculpem por qualquer erro

Capítulo 2 - Chapter 02


Fanfic / Fanfiction Lost Memories - Vkook - Capítulo 2 - Chapter 02

Lost Memories


Estava um grande silêncio o que era até bom, mas estranhei. Esse lugar é bem pior que o manicômio então deveria ter mais gritos.

Minha barriga roncava por causa da minha fome, a última vez que me ingeri algo foi de manhã no manicômio e a comida de lá não passa de remédios ou alguns restos de comida, agora já seria noite, ou tarde, não faço a mínima ideia, aqui não tem nenhuma janela ou coisa do tipo.

Taehyung estava de pé com o ouvido na porta tentando escutar algo mas parecia estar um grande silêncio, me pergunto se isso é normal. Logo ele volta a se sentar do meu lado:

— O silêncio que está lá fora é assustador. Será que estão todos dormindo?

— Não sei. Por que eu acho que isso não é bom?

Suspirou — Não vamos pensar em coisas negativas.

— Me pergunto que horas são...

Escuto alguém destrancar a porta metálica, uma pessoa - com uma máscara- apareceu, por um momento fiquei esperançoso achando que talvez eu pudesse sair dali mas engano meu. Segurava uma coisa em sua mão esquerda, uma coleira de metal. Coleira?

Ele começa a se aproximar de mim enquanto eu recuo até encostar na parede, Taehyung parecia estar tentando segura-lo o que não estava dando certo, essa pessoa era mais forte. Logo colocou o objeto metálico no meu pescoço em um piscar de olhos, eu entrei em transe ao sentir aquilo em volta de meu pescoço, resolvi empurra-lo mas algo me impediu.

Eu senti um choque, um choque nada leve e sim, forte. Era uma coleira de choque. Joguei-me no colchão e comecei a gritar, a dor não parava:

— Calado se quer que eu pare. — Então eu o obedeci e a dor começou a ir embora aos poucos — Não faça bagunça aqui.

Eu estava ofegante enquanto estava encolhido, logo o vi indo embora sem dizer mais nada. Deve ser por isso que todos ficam quietos, por causas dessas terríveis cargas elétricas dessas coleiras.

— Jungkook! — Taehyung veio em minha direção preocupado — Ah meu Deus! Me desculpe por não conseguir fazer nada, e-eu...

— Tudo bem, TaeTae. — sorri fraco — Eu estou bem.

“ — Meu filho! — uma mulher veio correndo em minha direção com lágrimas e logo me abraçou — Que bom que você está bem...

— ... Me desculpe mas não sei quem é você. — me afastei — Mas eu estou bem.

Ela me encarou paralizada, os médicos a olharam com a expressão que haviam razão ao dizer que eu perdi as memórias. Em vez de ficar abalada, ela apenas sorriu, não parecia ser de alegria:

— Eu sou sua mãe, Jungkook. Não sou nenhuma louca, calma. — riu — O que importa é que você está bem, vamos para casa.

Continuei a encara-la sem dizer algo por um tempo, eu não havia outro lugar para eu ir, certo? Ela diz ser minha mãe, então estarei voltando para casa...

Eu estaria mais feliz se eu me lembrasse de algo...”

Passei a mão no objeto em meu pescoço, não era tão agarrado mas me incomodava mesmo assim.

A porta fez um som estranho como se tivesse se destrancado sozinha e abriu um pouco, eu a encarei desconfiado, isso é suspeito. Me aproximei lentamente e olhei pela fresta, observei um grande corredor com várias portas iguais, porém, com números diferentes. O corredor parecia ser longo e logo as portas começaram a serem abertas, nelas saiam as pessoas. Arregalei os olhos pelos estados delas, todos também estavam com a coleira em seus pescoços.

— Eles parecem zumbis... — Taehyung disse após observar o jeito e o estado físico deles.

— Acho que devemos sair também...

— Pode ser perigoso....

— Pode ser mais perigoso se não sairmos.

Tomei coragem e abri a porta saindo pelos corredores enquanto observava os outros. Suas olheiras eram grandes, andavam cambaleantes, olhos vermelhos que deduzi ser de choro ou sono. Nenhuma parecia enxergar a presença dos outros ao seu redor, como se fossem robôs programados a ir a um certo lugar.

— Esse lugar é horrível. — pensei

Resolvi segui-los, todos iam em um refeitório – e agradeci mentalmente por ter uma chance de comer -, fui pegar a minha bandeja para me servir.

— Eu pensei que eles seriam aqueles loucos que começariam a te atacar mas me parecem inofensivos. — Taehyung sussurrou.

— Isso é bizarro. — peguei um pouco da comida - que não parecia ser uma das melhores mas qualquer coisa seria melhor que remédios e restos - e coloquei na bandeja indo para uma das cadeiras do refeitório — Todos parecem tão sem vida...

— É assustador, será que ficaremos assim também?

— Ugh! Claro que não. — peguei uma parte da comida em uma colher e a levei até a minha boca, não era bom e nem ruim. Digamos que dava para comer.

Enquanto eu mastigava eu sentia um par de olhos olhando para mim e tenho certeza que não era Taehyung já que ele estava observando o local. Percebi que o único som do local era o barulho dos talheres e a mastigação dos outros. Se eu cochichar algo todos poderiam ouvir, apenas não quis arriscar e me 'juntei' a eles, ficar quieto e apenas comer.

Logo, um som se fez presente como se fosse um alarme e todos se levantaram indo de volta para seus dormitórios, fiquei confuso com aquilo e não percebi que fiquei parado observando todos irem, apenas notei isso quando senti novamente aquele choque que durou cerca de 2 segundos. Eu deveria ir para meu dormitório também.

Quando entrei no suposto quarto, um dos seguranças apareceu segurando uma outra prssoa pela gola da camiseta e a jogou para dentro fazendo com que ela se machucasse saindo logo em seguida, eu fui até ele preocupado e me agachei:

— Meu Deus! Você está bem? — olhei seu estado e apenas recebi um grunhido como resposta.

“ — Vamos logo, Jungkook! — disse estressado.

— Aigoo! Esses livros pesam, sabia? — reclamei.

Após um tempo depois que saí do hospital, minha mãe resolveu me colocar no colégio de novo onde fiz novos amigos.

— Acho que não existe alguém mais lerdo que o Jungkook. — atravessou a rua junto com o outro.

— Atravessamos a rua e você ainda está aí! Você tem certeza que não quer ajuda?

— Não se preocupem.. — ri — Estou indo.

Comecei a atravessar a rua enquanto sorria para os dois que zombavam da minha velocidade, mas os seus sorrisos se tornaram em uma feição assustada ao olharem para o lado:

— JUNGKOOK! CUIDADO!

Olhei para o lugar onde eles estavam olhando e percebi um ônibus vindo em minha direção, por algum motivo minhas pernas não se moveram. Eu estava paralizado, fechei meus olhos esperando pelo o que ia por vir mas meu corpo foi empurrado para o lado, derrubei os livros no chão e caí.

Abri os olhos novamente e eu ainda estava vivo, o ônibus havia passado por cima de meus livros mas isso não era o mais importante. Olhei para a pessoa que supostamente me empurrou, ele parecia assustado com aquilo, logo ele veio em minha direção:

— Meu Deus! Você está bem? — disse preocupado.

— Sim graças á você, obrigado. — sorri e ele retribuiu.

Os meus dois amigos vieram em minha direção assustados e me tiraram do meio da rua:

— Caralho, Jungkook! O que acabou de acontecer? Você quase foi atropelado!

— N-não sei... — coloquei a minha mão em minha cabeça após sentir uma leve pontada.

— Aliás, com quem que você estava falando?

— Não ligue com isso, deve ser a adrenalina dele fazendo ele ver coisas. — riram. “

— Cuidado Jungkook, ele pode ser perigoso... — Taehyung sussurrou.

Ele começou a se contorcer no chão o que me fez ficar mais preocupado — Aish! Vamos coloca-lo no colchão — o levei até o objeto meio desgastado e o posicionei.

Taehyung me encarava com uma feição preocupada. Poxa, essa pessoa parecia estar sofrendo nas mãos daquele segurança e o jogou aqui que nem um lixo, claro que eu iria me preocupar e ajuda-lo.

Levei um susto quando ele começou a se mexer mais e abrir os olhos, eu resolvi permanecer calado enquanto o olhava e ele fez o mesmo, segundos depois ele recuou assustado:

— Por favor! Não faça nada comigo!

— Se acalme, não vou fazer nada com você... Por favor, relaxe. — tentei dizer o mais calmo possível para que ele pudesse confiar em mim.

Ele continuou me encarando assustado até olhar o meu pescoço e então, sua respiração foi acalmando-se aos poucos.

— Será que ele é um dos loucos? — Taehyung disse normalmente, aliás, já nos acostumamos a ninguém conseguir vê-lo e escuta-lo.

— Não sei...

— Ah! Você é mais um dos pacientes... — disse mais aliviado — Me desculpe por perguntas mas... pode me falar a doença que você tem?

– Dizem que eu tenho esquizofrenia —revirei os olhos — mas eu não tenho isso, tenho certeza.... E você?

— Eu vejo coisas sobrenaturais... de espíritos para outras coisas...

— Outras coisas? — arqueei a sombrancelha.

— Sim... — respirou fundo — Mas na verdade eu não tenho isso, apenas enxergo isso por causa de um remédio que eles me obrigam a tomar...

— Como assim?

— Alguém começou a colocar alguma coisa em minha comida o que me fez ver coisas tanto aqui dentro quanto lá fora. Quando descobri e comecei a recusar a comida deles, eles perceberam que eu percebi o que estavam fazendo comigo e começaram a forçar-me. Aliás... — olhou para mim fixamente e examinou o meu corpo fazendo eu e Taehyung estranhar — eu já te vi em algum lugar no manicômio....

— Mas nós nunca o vimos... — Taehyung pronunciou confuso.

— Acho incrível como aquele lugar manda os pacientes para cá apenas porque querem....

— Posso te perguntar uma coisa?

— Claro.

— Por que aquele segurança o deixou aqui?

— Também não sei... Acho qu-Ugh! — fechou os olhos — Droga...

— O que foi? — disse preocupado.

— O remédio na comida está começando á fazer efeito... — apertava seus olhos com força — Mas mudando de assunto, que falta de educação a minha, talvez eu seja o colega de quarto de vocês e estamos conversando por um tempo mas não me apresentei... Sou Hoseok, Jung Hoseok.

— Sou Jeon Jungkook. — apertei sua mão sorrindo.

— Aigoo! Ainda acho que ele pode ser perigoso ou algo do tipo... — olhou para nossas mãos enquanto cruzava os braços.

— Eu sou confiável, não se preocupe. — riu fraco olhando para ele. Taehyung e eu nos olhamos assustados. Espera, ele falou com Taehyung, ele viu Taehyung? Isso era possível?

— V-você está me vendo? — disse gaguejando apontando para si mesmo com os olhos arregalados.

— Sim, como eu disse, eu vejo várias coisas ao ingerir os remédios, e eu estou vendo você.


Notas Finais


Até o próximo capítulo~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...