História Lost Memories ( Bts - Suga ) - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Drama, Min Yoongi, Romance, Suga
Exibições 83
Palavras 954
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ando tão ocupada ultimamente, desculpe pela demora para postar T^T
Boa leitura
~ Kissus

Capítulo 32 - Jung-Hoon.


 Cansei de viver escolhendo todas as minhas ações, falas e decisões com cautela. Cansei de viver da maneira “certa.”
- Por que não matamos a saudade então, huh? - Yoongi disse e tentou retirar minha blusa, dei um tapa na sua mão o impedindo.
- Matar saudade? Me diga o que você quer de verdade... – Quero ver aquelas palavras sujas saindo de sua boca, quero ver o quanto está necessitado, quero sentir seu corpo contra o meu, quero o satisfazer.
 Talvez esteja sendo masoquista demais, mas quer saber? Eu não ligo.
- Quero você na minha cama, Kim. Sabe a quanto tempo esperei para te ter novamente? Não foi fácil... E eu não vou ser bonzinho desta vez... – Um sorriso malicioso e ao mesmo tempo maldoso se fez presente em seus lábios.
- Pois bem... Sou toda sua, Min Yoongi. – Um sorriso malicioso inconscientemente se formou em meus lábios.
 Não estava mais importando com as consequências das minhas ações ou falas, eu só queria ficar junto dele, assim como desejei muito tempo.
- Minha, huh...? - Yoongi me pôs deitada naquela superfície macia, sofá, em um movimento rápido retirou minha blusa.
 Ficou observando meu corpo de cima a baixo por alguns segundos antes de selar nossos lábios. Nossas línguas dançavam em uma sincronia gostosa e um tanto quanto pornográfica.
 Levei minha mão até a barra da camiseta de Yoongi, nos separando para eu poder retira-la.
 Yoongi abriu sua boca para dizer algo as foi interrompido pelo irritante som da campainha.
- Merda! – Resmungou, saiu de cima de mim e foi até a porta.
- O que é hein?! Estou ocupado! – Yoongi esbravejou e ia fechar a porta.
- Hey, qual é nervosinho! – A voz de Akemi... Vesti minha blusa rapidamente para evitar que Akemi me visse e isso causasse problemas.
- Só vim trazer a Yang! Ela não parava de chorar e dizer o nome de Kim. Acho que não sei mesmo cuidar de crianças... – Akemi fingiu uma expressão triste.
- Ah, claro... – Yoongi se acalmou e pegou Yang dos braços de Akemi.
- Parece que vocês estavam se divertindo aí... – Apontou para Yoongi que estava sem camisa. O mesmo revirou os olhos.
- Já pode ir Akemi... – Acenou para a mesma.
- Juro que se machucar ela eu vendo seus órgãos.
- Ah okay... Pode ir. – Yoongi fechou a porta na cara de Akemi, não pude evitar uma risada.
 O mesmo sentou com Yang no colo, ela parecia se divertir com aquilo.
- T-Tudo bem, já pode me dar ela!
- Qual o problema dela ficar aqui? Eu não vou fazer nada... – Sorriu para Yang e bagunçou seus cabelos. Yoongi sussurrou um “ela é tão fofa” e a abraçou.
 Por que esses dois se dão tão bem? Chega a ser estranho...
- Podemos sair para comprar coisas para ela? - Exibiu um sorriso largo. Ainda não me acostumei com suas mudanças de humor repentinas.
- Sim... Eu acho...
- Estou indo então! – Ele vestiu sua camisa com um pouco de dificuldade devido ele estar com Yang em seu colo.
- Você não vai sozinho com ela!
- Por que não? - Me olhou confuso.
- Por que não.
- Então vem logo! – Me puxou até seu carro.
- M-Mas eu ainda estou de pijamas. – Yoongi entrou no carro.
- Qual o problema? - Entrei também. Ele está tão animado... Parece uma criança.
 Suspirei.
- Nenhum. – Yoongi me entregou Yang e deu partida no carro.

 Ele parou em vários lugares, lojas de brinquedos, lojas de doces, e por último parou em uma loja de roupas infantis.
- Já está chega Yoongi... O carro está cheio de coisa... – Suspirei e encostei minha cabeça no banco.
- Esse já é o último lugar. – Ele pegou Yang do meu colo pela milésima vez e abriu a porta do carro.
- Pode ficar aí se quiser. – Completou, assenti. Vou ficar aqui mesmo já estou cansada de tanto andar... Yoongi saiu do carro com Yang sumindo da minha vista.
 Me encostei na janela, preparada para tirar um cochilo. Até ser interrompida por algum telefone que havia começado a tocar.
- Aish... – Resmunguei e peguei o que parecia ser o telefone de Yoongi. Não teria problema se eu atendesse não é?
 Atendi o mesmo, uma voz feminina soou pelo outro lado da linha.
- Boa tarde senhor Yoongi. Viemos lhe informar sobre a estadia do senhor Jung-Hoon aqui no hospital.
Gelei ao escutar aquele nome. Não posso acreditar no que estou ouvindo. É um sonho? Comecei a me beliscar. Não parece ser um sonho.
- Senhor Yoongi? - A moça o chamou mais uma vez.
- Aqui é a secretaria dele, receio que esteja muito ocupado para responder. Mas do que se trata mesmo?
- Ah sim. Desculpe por incomodar. Queria informar sobre a recuperação do senhor Jung-Hoon, ele melhorou bastante. Não precisa mais da ajuda dos aparelhos e já consegue se comunicar sem dificuldades.
- Obrigada por ligar. O senhor Yoongi gostaria que lhe informassem o endereço do hospital, é possível?
- Novamente? Tudo bem... – A voz feminina suave e calma ditou todo o endereço, o anotei em um papel.
- Muito obrigada senhorita...?
- Seo-yeon, ou Yeon, como preferir. – Completou.
- Obrigada Yeon. – Desliguei a chamada.

 Meu coração estava a mil, não ouvia esse nome há anos. É tão estranho escuta-lo novamente, espero que tudo não seja uma grande conhecidencia e se não for... Todos, principalmente Yoongi me devem uma explicação.

 Jung-Hoon. Meu querido pai que havia supostamente falecido anos atrás. A pessoa que me amou incondicionalmente a pessoa que minha “mãe” conseguiu tirar de mim.

 A esta altura já estava chorando. Meu pai está vivo! A pessoa que mais amo nesse mundo não se foi.
 Preciso vê-lo.


Notas Finais


Esse capítulo ficou uma bosta, eu sei.
Aigoo~ Eu chamei uma amiga minha pra me ajudar com a fanfic, postar uns capítulos de vez em quanto e tals pra a Fic não ficar tão parada e essa peste não aceitou, eu ainda mato ela. Que raiva c:
Eu estou escrevendo três fanfics, essa e duas Jikook, preciso manter todas atualizadas e aquela peste nem pra me ajudar. Tenho tanta coisa pra escrever e não tô tendo ideias... Socorru T^T
Enfim, espero que tenham gostado...
Bye Bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...