História Lotto - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, IKON, Lu Han, Monsta X
Personagens B.I, Baekhyun, Bobby, Chanwoo, Chanyeol, Chen, D.O, Donghyuk, I'M, Jinhwan, Joo Heon, Junhoe, Kai, Ki Hyun, Kris Wu, Lay, Lu Han, Min Hyuk, Sehun, Show Nu, Suho, Tao, Won Ho, Xiumin
Tags Abo, Baekyeol, Hansoo, Hunhan, Kaisoo, Layhan, Laysoo, Sulay, Taoris, Xiuchen, Xiuhan, Xiulay, Xiusoo
Exibições 590
Palavras 1.399
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 37 - 16 Anos (2ª Temporada)


Donghyuk On

Estava na porta da casa do tio Kris, me sentia nervoso e ansioso, esperei Chanwoo sair de casa para poder conversar com seus appas.

-Donghyuk? -Tio Tao me olhou surpreso, acho que eu nunca tinha ido sozinho na casa deles desde o dia de meu irmão Kihyun tinha ido morar com seu alfa e seu filhote. -Entra querido, como estão seus appas?

-Eles estão bem tio.

-O que o traz aqui? Eu não sabia que viria.

-Eu sei, não avisei por causa do Woonie, eu queria falar apenas com vocês dois.

-Vocês estão brigados? Ele fez alguma coisa?

-Não tio, ele é um menino muito legal, mas é sobre algumas coisas que mudaram para mim, gostaria que o tio Kris escutasse também.

-Eu vou chamá-lo. -O tio saiu da sala, minhas mãos suavam de nervoso mas eu precisava ser forte. Os dois voltaram e se sentaram de frente para mim.

-Bom dia Hyuk, é um prazer te ver de novo, depois que entrou na faculdade tem se tornado bem difícil vê-lo. Como estão indo seus estudos?

-Estão muito bem, eu realmente escolhi a coisa certa, quero ser como meus tios e dar aulas, eu estou de férias agora e precisava resolver minhas questões e pendências particulares, não gosto de deixar as coisas para depois.

-Você me lembra o Minseok, ele também é assim.

-Meu appa me ensinou a ser responsável e sempre dizer as coisas que penso e sinto, se algo me incomoda e por isso eu vim, já deveria ter aparecido mais cedo justamente por ter ficado incomodado.

-Pode nos dizer o que anda te incomodando querido, se pudermos ajudar.

-Yun e também Shownu conversaram comigo sobre o Woonie, disseram sobre como ele estava se sentindo sozinho, todos os nossos irmãos tem seus alfas, o único mal resolvido é Jiwon. Eu conversei com o Woonie essa semana sobre isso, ele se confessou para mim...eu nunca o fiz por medo, queria ter um bom futuro para oferecer antes de um namoro mas ele me colocou contra a parede e disse que se eu não me resolvesse de uma vez iria perdê-lo, não sei quando se tornou tão forte mas eu o amo, queria falar sobre isso.

-Nós sabemos. -Arregalei os olhos assustado quando tio Tao se pronunciou. -Não fique assustado assim Hyuk, somos todos uma família, eu vi vocês nascerem e crescerem e por mais que você fosse discreto ao extremo de algum modo eu sentia que você gostava dele, sempre se preocupou à sua maneira assim como Minseok. O Minnie nunca demonstrou seu sentimento por Jongdae, mas ele crescia de algum jeito e quando foi colocado contra a parede aceitou isso, vejo a história se repetindo.

-Me desculpe por ser devagar, eu não queria que ele sofresse ou algo assim, só me senti inseguro, eu não queria começar um futuro todo errado, assim como appa eu que uma família que eu possa sustentar.

-Sabemos disso querido, acredite nós entendemos mas não se prenda muito à isso, só de você querer dar um bom futuro sabemos que o fará, mas não precisa ficar longe dele por isso. -Tio Kris disse. -Eu ficaria orgulhoso do namoro de vocês.

-Mesmo tio?

-Mesmo querido, agora fale com ele, Chanwoo deve estar lá embaixo ou chegando. -Assenti e me despedi dos tios saindo do apartamento, me sentia mais leve. Quando cheguei no térreo o vi entrando, ele se assustou e ficou parado enquanto eu andava até ele.

-O que faz aqui Hyuk?

-Decidi parar de pensar muito e agir.

-Do que está falando?

-Disso. -Puxei ele para um beijo, sabia que era seu primeiro, assim como o meu e não prolonguei por isso. -Eu te amo, sempre amei.

 

Junhoe On

Estava deitado no quarto rindo do que Yixuan tinha falado. Já faziam 6 anos desde que nos conhecemos no colégio e desde então ele se tornou meu ponto forte. Eu tinha superado um pouco toda a dor e devastação que Jiwon me causou namorando um monte de pessoas diferentes, se eu achava ruim vê-lo beijando outras pessoas piorou ainda mais depois que ele entrou no cio e passou não só a beijar como a dormir com várias garotas e garotos.

Eu me afundei e não queria sair do quarto por nada, chegou um tempo que cortei o braço e tomei remédios por sua causa, foi o único dia que Yixuan gritou tanto comigo que meus ouvidos sangraram. Appa e omma sempre apoiaram minha amizade e quando eu me tornei ainda pior eles passaram a permitir que ele dormisse comigo, só então eu me acalmava, seu cheiro me acalmava, tentei iniciar um relacionamento, ficamos nisso por 3 anos mas não dava certo por nosso amor de irmão ser muito maior.

Yixuan agia como meu irmão, mas também como meu alfa. Depois de sua presença constante eu comecei a superar, voltei à escola, terminei e passei para uma faculdade, Jiwon nesse tempo também começou a trabalhar como trainee em uma empresa, ele queria ser cantor e tinha talento para ser rapper, chegava cansado, mal comia e não saía com mais ninguém, ele chegou a ser internado por estar anêmico e eu voltei a me preocupar, ele não me tratava de modo frio mas também não se aproximou.

-Jun? -Ouvi a voz do Jiwon do outro lado da porta, sequer sabia que ele já tinha chegado, abri a porta sem me preocupar de estar apenas de camisa grande.

-Você chegou cedo hoje.

-Precisava falar com você.

-Entre, o que foi? Aconteceu alguma coisa?

-Aconteceu, antes disso eu queria falar algumas coisas.

-Bom... -Sentei na cadeira de frente para ele. -Pode contar.

-Eu sempre fui assustado sabe? Eu puxei muito do meu omma, tinha medo do novo, do que eu não conhecia e fugia de sentimentos, eu não queria me prender dessa maneira à ninguém, queria curtir a vida e ser quem eu bem entendia, sei que fiz da sua vida um inferno, sei que destruí todas as suas estruturas por dentro. -Respirei fundo assentindo. -Quando entrei para a empresa nunca achei que fosse sofrer tanto para realizar um sonho, ninguém sabe as coisas que passei.

-O que aconteceu?

-Eu fui humilhado várias vezes, disseram que eu não tinha isso ou aquilo, falaram sobre meu corpo, meu peso fora do normal, e que eu não tinha jeito para ser um rapper. Trainees são tratados como lixo, eu dormia lá no chão, não tínhamos nenhum colchão e às vezes nem comida, eu dormi com fome e muitas vezes pensei em voltar para casa e jogar tudo para o alto, mas pensei que eu não poderia voltar.

-Por que não? -Eu estava chocado com as declarações que ele deu sobre o que passava. Jiwon sempre chegava com um sorriso enorme e nunca disse sobre suas dores mas dizia que era bem tratado.

-Por que eu perguntava ao Binnie e aos outros por você e me diziam que estava se recuperando, falaram que estava voltando à rotina e eu sabia que se eu voltasse você poderia regredir, eu não queria isso, não queria ser culpado novamente pela sua piora. Eu sinto muito de verdade, quando estava sozinho treinando, escrevendo as letras eu pensava em você muitas vezes, nas lágrimas que fiz você derramar e o quando eu me sinto idiota e inútil e fui lento para perceber o que estava jogado na minha cara. -Senti meu coração bater mais forte, eu não tinha me libertado dos meus sentimentos, apenas aprendi a lidar com eles.

-Você não é nada disso...eu deveria ter sido mais forte, se o que você percebeu for algo importante então vale à pena.

-Eu percebi que te amo. -Arregalei os olhos assustado.

-O que?

-Eu te amo, te quero, mas não vou me dar ao luxo de ter...eu não sou o cara certo para você depois de te fazer sofrer, só me perdoe. -Ele se levantou me deixando paralisado por alguns segundos até minha mente raciocinar, levantei correndo e o segurei firme pelo braço, ele se virou e segurei seu rosto entre minhas mãos e o beijei, meu rosto já possuía muitas lágrimas caindo, separei nossos lábios mas ainda me mantive colado à ele e sussurei baixo.

-Não sabe como eu desejei ouvir isso de você, eu finalmente escutei.

-Eu te amo, te amo, te amo, te amo. Dessa vez eu farei certo Jun, eu vou te amar do jeito que deveria ter feito antes.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...