História Louca por você; Versão SasuSaku ❤ - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Romance, Sasusaku, Sedução
Exibições 233
Palavras 1.406
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi galera!
Mais um capítulo pra vocês. Está maravilhoso. 😍

Capítulo 6 - Ela é irresistível!


Tasuke pov's

Observo Sakura pelo canto do olho, enquanto vou em direção à autoestrada interestadual. Sei que estou procurando encrenca ao inventar tais meios para passar um tempo maior com esta garota.
Não que eu deixasse de ajudar qualquer mulher em uma situação semelhante. Mas será que eu chegaria a esse ponto? Provavelmente não. E insistiria? Definitivamente não.
Por que você não ficou apenas esperando com ela até a chegada do reboque e depois foi embora?
Não sei a resposta. Mas parece que ela tem alguma coisa...
Ela é linda, sem dúvida, embora não seja exatamente o meu tipo. Ela é o oposto da Karin, de praticamente todas as formas, física e qualquer outra. E, embora se encaixe perfeitamente em tudo na minha vida, não me sinto atraído por Karin como me sinto por esta garota.
E isto não é nada bom.
E sei muito bem.
Mesmo assim, aqui estou.Atravessando o estado para deixá-la no trabalho. Enquanto minha namorada está esperando por mim.
Ah, merda Karin.
No instante em que acelero pra subir a rampa de estrada, me viro pra Sakura.
_ Você se importa se eu avisar a Karin?
Ela sorri e responde com um gesto negativo de cabeça.
Então aperto alguns botões no console para desligar o Bluetooth. Não quero que Sakura ouça minha conversa com Karin.
_ Onde você está? _ pergunta, assim que atende o meu telefonema.
_ O carro da Sakura quebrou. Estou dando uma carona pra ela até o trabalho e depois vou para aí.
_ Sakura? A minha prima, Sakura?
_ Naturalmente. Quem mais?
_ E você vai levá-la até o trabalho? No Botafogo?
_ Sim
Eu me deparo com o silêncio. Sei como a Karin é em relação a outras pessoas. Tenho plena consciência dos comentários e do acesso de raiva  que ela está suprindo pra me poupar. Ela sabe como manter sua fachada cuidadosamente intacta. E sabe muito bem que o nosso relacionamento terminaria se ela não fizesse isso. Por essa razão, não fala nada até conseguir controlar a raiva.
_ É uma enorme gentileza da sua parte fazer isso. Apenas saiba que não é sua obrigação. Ela é da minha família, mas eu nunca pediria a você para sair do seu caminho desse jeito.
_ Eu sei que você não faria isso. Mas não é problema nenhum.
Outra pausa.
_ Certo. Acho que o verei dentro de algumas horas,então.
_ Até logo.
Quando ponho o telefone no porta, vejo Sakura me olhando.
_ Algo errado?
_ Eu estava me perguntando a mesma coisa. Ela está zangada?
_ Não _ respondo. _ Por que estaria?
_ Você conhece a garota que está namorando?
Não consigo evitar a risada.
_ Ela não é assim. Ela levou numa boa.
_ Humm, sei.
_ Obviamente vocês não morrem de amores uma pela outra. Então, por que você está morando com ela?
Lanço meus olhos à Sakura e vejo seu rosto se contrair.
_ Estou agindo como uma bruxa ingrata, não é? Ela é sua namorada. Desculpe!
Merda, eu a aborreci.
_ Por favor, não peça desculpa. Não foi minha intenção aborrecê-la. Eu só estava curioso em saber como tudo começou.
_ Karin não contou a você?
_ Não. Ela não fala muito sobre isso.
_ Faz sentido. _ murmura Sakura. Eu finjo que não a ouço, mas tenho vontade de sorrir. _ Bem, a garota que dividia o apartamento comigo nos últimos dois ano, de repente, decidiu ir com o namorado para os Estados Unidos sem me falar nada. Aí chegou a hora de renovar o aluguel e eu não tinha dinheiro para pagá-lo sozinha, então tive de fazer outros planos. Minha melhor amiga me ofereceu o sofá da casa dela, mas ela vai se casar no mês que vem; portanto, isto está fora de cogitação. Só me restaria apelar para os dormitórios. Então, o pai de Karin permitiu que eu fosse morar com ela. Ele não está me cobrando tanto quanto eu teria de pagar por alojamento e alimentação na faculdade, o que é ótimo porque isso seria um enorme problema pra mim. Estou com um orçamento bastante apertado, embora o Léo me pague um bom salário para trabalhar no bar. _ ela olha pra mim, e aceno com a cabeça, num gesto de compreensão. _ Pode não parecer, mas eu sou realmente grata. O problema é que essa última semana foi péssima.
_ Quer dizer então que você é bartender?
_ Sim.
_ Posso perguntar por que você dirige toda essa distância, quando há provavelmente dezenas de bares na cidade que contratariam você pra trabalhar?
_ O Léo paga melhor do que qualquer outro lugar que verifiquei. Muitas garotas que trabalham lá ligam pra avisar que irão faltar nos seus turnos de fim de semana, então ele acaba me pagando mais pra fazer hora extra. Trabalho lá há dois anos e o conheço a muito tempo. Ele sabe que pode contar comigo.
_ No final das contas acho que acabou sendo bom eu ter forçado para que você aceitasse a carona.
Ela sorri. É um sorriso atraente, sexy que me faz querer beijá-la.
E isto não é nada bom.
_ Acho que vou ficar devendo.
_ Estou certo de que posso pensar em alguma coisa como retribuição ao favor.
Qual é cara, resolveu passar uma cantada na garota?
Até para os meus ouvidos, o meu comentário parece sugestivo. O triste é que era essa a intenção. Há literalmente uma dúzia de coisas que eu gostaria que ela fizesse por mim. Ou para mim. Ou que ela me deixasse fazer.
Ela abre um sorriso.
_ Então me avise quando pensar em algo.
Ótimo! Agora ela está retribuindo a cantada!
Eu deveria me incomodar. Deveria resistir. Mas não resisto. Nem em sonho.
Tenho que mudar de assunto.
_ Bem, eu não sei quanto meu irmão paga, mais sei que ele é muito competitivo. Posso falar com o Sasuke sobre você. Ele pode ter uma vaga.
Vejo o pânico estampado no seu rosto.
_ Não.
_ Tudo bem. _ digo, um pouco surpreso pela sua reação. _ Posso perguntar por que não?
Ela suspira e se recosta no apoio de cabeça, fechando os olhos.
_ É uma história longa e muito constrangedora.
_ Tem alguma coisa a ver com o fato de você ter tirado a roupa dele?
Imediatamente, ela afasta a cabeça do encosto e se vira pra mim, de olhos arregalados.
_ Ele falou algo sobre isso?
_ Não, mas você mencionou esse detalhe, naquele dia que nos conhecemos na cozinha, lembra?
Sua expressão se acalma.
_ Ah sim. Tem razão.
_ Só por causa de um pequeno incidente como aquele, você recusaria uma oferta de emprego para trabalhar mais perto de casa, e que provavelmente traria mais dinheiro para o seu bolso?
_ Bem, o detalhe "mais dinheiro mais dinheiro para o meu bolso" ainda teria que ser confirmado. Você não sabe quanto ele paga.
_ Posso quase garantir que seria um bom salário. A boate dele é um sucesso.
_ Hummm._ responde mais uma vez.
_ Você deveria pelo menos pensar a respeito. A não ser que precise ser forçada novamente. Posso muito bem carregá-la até lá.
Ela se vira para olha pra mim e sorri. E não há nada que eu queria do que parar o carro e arrastá-la para o meu colo.
_ Pensando bem, eu preferia que você me fizesse levá-la à força.
O que você está fazendo cara?
Ela levanta a cabeça e a inclina para o lado.
_ Isso é uma cantada?
Eu dou de ombros. Ela é muito direta. Gosto disso.
_ Você se incomodaria se fosse?
_ Karin é minha prima, você sabe.
_ Mas você mal a suporta.
_ O problema não é esse. Acontece que não sou esse tipo de garota.
Eu a observo. E não duvido da sua declaração nem por um segundo. Ela pode até achar a Karin uma vadia fria e calculista, mas nunca faria nada de propósito para magoá-la.
_ Acredite ou não, sei que você não é assim. Sou um bom juiz de caráter e não tenho a menor dúvida que você não é esse tipo de garota.
Sakura assume uma expressão intrigada.
_ Então por que você esta dando em cima de mim? _ ela está séria. Não está sorrindo ou me provocando, tampouco me julgando. Só está curiosa.
Fico fascinado e, durante um segundo, sou completamente franco.
_ Não consigo evitar.


Notas Finais


Se eu fosse a Sakura, já teria atacado esse homem. Kkkkk
Beijos gente. ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...