História Louca por você; Versão SasuSaku ❤ - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Romance, Sasusaku, Sedução
Exibições 274
Palavras 1.991
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Genteee, esse capítulo tá quentíssimo. 😏
Boa leitura amados!

Capítulo 7 - Um novo emprego? Será?


Sakura pov's

Como é que eu fui deixá-lo me convencer a fazer isso?
Estou de pé, diante da porta principal da boate Dual. Olho bem para a placa. E não consigo deixar de sorrir. Dual. Duplo. Dois gêmeos. Pelo visto, Sasuke é safado em tudo o que faz. E inteligente.
Droga.
Ainda é dia, e o estacionamento está vazio. Estou em dúvida em relação ao que estou prestes a fazer. Desde domingo à noite, quando meu pai me levou pra casa da minha prima, Tasuke ficou me enchendo o saco para que eu o deixasse arranjar um emprego pra mim, na boate.
Embora aparentemente não se dê muito bem com o irmão, Tasuke se ofereceu pra me trazer até aqui e me apresentar oficialmente a ele. Idiota e teimosa como sou, eu me recusei a se quer pensar a respeito do emprego. Mas agora que o fim de semana está se aproximando e estou começando a ficar preocupada com o fato de ter que ir até Botafogo para trabalhar no Dublin's, estou mais otimista em relação à oportunidade na Dual. Infelizmente, Tasuke teve de sair da cidade novamente, então fui obrigada a vir sozinha. Mas estou começando a ficar em dúvida. Especialmente porque o que mais me faz querer permanecer por perto nos fins de semana é a oportunidade de passar mais tempo com Tasuke, que está numa zona proibida.
Você é muito babaca mesmo! Querendo arranjar encrenca!
Dou um profundo suspiro e desloco o peso de um pé ao outro, na dúvida do que fazer. Olho para o meu carro com carinho e lembro-me de Tasuke chamando um mecânico para consertá-lo, antes mesmo que eu chegasse em casa, no domingo. Acabou sendo um probleminha simples, com uma vela de ignição, acho que foi o que ele disse. Mas ainda sim... Ele o consertou.
Suspiro de novo.
A possibilidade de passar mais tempo com Tasuke, e o fato de que ele poderia casualmente fazer uma visitinha só pra ver se estava tudo bem, me empurram em direção à boate.
Abro a porta e entro no salão escuro. Mesmo em pleno dia, muita pouca luz entra pelas janelas pequenas e altas.
O lugar parece totalmente diferente sem o jogo de luz e a multidão comprimida entre as paredes. As mesas elevadas estão limpas e vazias, o chão preto está brilhando, dá para se ouvir uma espécie de música instrumental saindo suavemente das caixas de som, e a única iluminação em todo o salão é a da luz das vitrines de licor, atrás do balcão do bar.
Tasuke mencionou que Sasuke estaria aqui o dia todo, mas estou começando a pensar que eu deveria ter pedido a ele para marcar um horário. Não faço a menor ideia de onde procurá-lo.
A beira da minha sandália de dedo faz um barulho surdo cada vez que bate nos meus calcanhares, enquanto atravesso o salão.
Vou até o bar e puxo um banco para me sentar, esperando que Sasuke esteja vigiando o lugar, já que a porta estava aberta.
Quase desmaio de susto quando ele surge, inesperadamente, atrás do balcão.
_ Você deve ser a Sakura.
_ Puta que pariu! _ xingo, colocando a mão no peito pra controlar o coração.
Ele ri.
_ Com uma boca assim, vai focar bem a vontade por aqui. _ se eu não estivesse tão surpresa, provavelmente não gostaria daquele comentário. Em vez disso, sorrio.
_ Você faz aflorar tudo o que tenho de pior. O que posso fazer?
Sasuke está usando uma camiseta preta que deixa totalmente à mostra seus braços definidos e a interessante tatuagem que dá maior realce ao lado esquerdo do peitoral.
Tento não pensar nele como um cara gostoso, mas está é a palavra que não sai da minha cabeça.
Droga!
Ele apoia os cotovelos sobre o balcão e inclina-se na minha direção.
_ É porque não me deu a chance de deixar aflorar o que há de melhor em você.
Sua voz é profunda e tranquila. As sobrancelhas estão arqueadas, como na noite em que nos conhecemos, de um modo sugestivamente desafiador.
Sinto o pulso acelerar.
Meu pai do céu, ele é mais gostoso do que eu lembrava!
De alguma maneira, eu tinha conseguido me convencer de que ele não era tão atraente quanto Tasuke; e que por ser bad boy, era menos interessante. Jesus amado, como eu estava errada!
Tento desesperadamente manter a calma e causar uma melhor impressão desta vez. Sei que só terei esta oportunidade de me redimir.
Sorriso educadamente e respondo:
_ Bem, isso não será problema se eu começar a trabalhar para você, certo?
Ele dá um passo pra trás e sorri de forma maliciosa
_ Já está ameaçando um processo por assédio sexual?
_ Não, eu... Claro que não! Eu... Eu não quis dizer... O que eu de fato quis dizer foi... _ na minha cabeça, ouço o barulho de um avião caindo numa velocidade terminal e batendo em uma montanha com uma enorme explosão.
Cale a boca Sakura! Por favor, apenas cale a boca!
_ Não vá recuar agora! _ diz. _  Isto está começando a ficar interessante.
Suspiro. Eu me sinto aliviada e, ao mesmo tempo, um pouco irritada.
Ele está me provocando!
_ Você é sempre maldoso assim?
_ Maldoso? _ pergunta, com uma expressão inocente. _ Eu??? Nãããão.
Com um sorriso, ele pousa as mãos no balcão e, apoiando-se nelas, ergue o corpo, jogando as pernas por cima e pulando bem perto de mim. Chego a fechar bem os olhos durante um segundo, na esperança de que a visão daqueles bíceps e tríceps delineados na sua pele lisinha não fique gravada na minha mente. Entretanto, acho que não dá tempo de evitar, porque é tudo que consigo ver no plano de fundo das minhas pálpebras.
Droga!
_ Tasuke comentou que você é bartender, é isso?
Eu abro os olhos e dou de cara com ele. Sasuke está me olhando fixamente, tão de perto que consigo ver ver a linha tênue onde a pupila preta acaba e a íris começa. Que olhos lindos! Vejo sua sobrancelhas se arquearem, esperando uma resposta.
_ Desculpe, o que foi que disse? _ pergunto.
_ Nada. Acho que nem faz diferença. Se você for assim tão adoravelmente sexy o tempo todo ninguém vai se incomodar  caso demore ou não a servir as bebidas.
Coro um pouco ao ouvir suas palavras. Elas não deveriam me agradar. Mas agradam. Muito.
_ Isso não é problema.
_ O quê? Você ser adoravelmente sexy? Não mesmo.
_ Não foi isso o que eu quis dizer. Eu trabalho em um dos lugares mais movimentados de Botafogo há dois anos. Posso me sair muito bem no seu bar.
Ele cruza os braços sobre o peito e sorri de forma pretensiosa.
_ Acha mesmo?
Sinto minha coluna se empertigar.
_ Tenho certeza.
_ As pessoas que vêm aqui não só querem ser atendidas como entretidas. Acha que pode dá conta disso também?
Eu nem sei o que isso significa exatamente, mas minha boca já falou por mim:
_ Sem problemas.
_ Então você não vai se incomodar em fazer um... teste.
Sua pausa me provoca um leve frio na espinha. Dou um pigarro e tento manter a pose, numa demonstração de autoconfiança.
_ Teste? Como seria?
Por alguns segundos ele não responde. Tempo o bastante para me deixar totalmente envergonhada. Tempo bastante para me fazer imaginar as mais diversas formas de testes, alguns dos quais me deixam excitada.
Pare de pensar sacanagem, Sakura! Esse cara está passando dos limites.
Ele ri.
_ Nada muito complicado. Não quero abusar da sorte com essa coisa do assédio sexual. Pelo menos por enquanto.
_ Você está tentando me fazer desistir do emprego e sair correndo?
_ Ah, qual é! Vai dizer que nunca trabalhou pra alguém que ficou interessado? Aposto que isto acontece o tempo todo com uma garota como você.
Resisto ao sorrisinho ridículo que está repuxando meus lábios. Não posso deixá-lo perceber que estou satisfeita de ouvi-lo confessar que se sente interessado, sobretudo quando satisfeita, na verdade significa: mal posso respirar, estou excitada demais.
_ Uma garota como eu? _ pergunto da forma mais calma possível.
_ Isso mesmo, uma garota como você. _ As pálpebras de Sasuke caem parcialmente, até a metade dos olhos, fazendo-os parecerem penetrantes, cheios de tesão, e a sua voz soa como os lençóis de seda nos quais posso imaginá-lo dormindo. _ Ousada, sexy e linda. Aposto que nunca conheceu um homem que não faria qualquer coisa por você.
Ele está me observando como se quisesse me despir bem ali, em um bar vazio, com luz fraca e música suave. E bem lá no fundo, isso é exatamente o que eu gostaria que ele fizesse.
Então, acabo bufando.
Ai meu Deus, bufando!
_ É ruim, hein!
_ Bem, isso é o que você diz, mas sou capaz de apostar que faz o que bem entende com qualquer cara. _ ele inclina a cabeça para o meu lado, enquanto me observa atentamente. Eu tenho a sensação que ele está me avaliando. _ Mas talvez não saiba disso.
_ Eu... Eu... Não sei o que você quer dizer. _ falo, odiando o fato de minha voz parecer tão ofegante. Não quero, de jeito nenhum, que Sasuke perceba o que causa em mim.
_ Hummm. _ é tudo o que ele diz. Após vários outros segundos tentando me compreender, Sasuke sorri, de uma forma educada, que diz que ele voltou a se concentrar na parte profissional. Pelo menos tanto quanto demonstrou se concentrar, até agora. _ Então, vamos ao teste. Pode vir para uma substituição amanha à noite?
Odeio ligar para o Léo avisando que vou faltar, mas não quero sair de lá enquanto não tenho certeza de que consegui o emprego. Portanto, é ligar para o Léo ou mandar este teste para o espaço. Não tenho muita escolha.
_ Claro. Que horas devo chegar?
_ Às sete horas. Assim a Tenten pode te dar mostrar como tudo funciona na casa, antes de as portas abrirem, às nove.
_ Tudo bem. _ digo, acenando com a cabeça. O silêncio cai entre nós e fico sem saber o que dizer. _ Bem, acho que vou deixá-lo trabalhar.
_ Você não quer saber qual o salário? Tasuke disse que era importante.
Cacete! Estou tão enfeitiçada que esqueci até de perguntar sobre o pagamento!
Sinto as bochechas esquentarem. Rezo para que esteja escuro demais para ele notar e que, no caso, atribua esse rubor ao meu constrangimento de falar sobre dinheiro.
_ É, tem esse detalhe.
_ Que tal 2 reais acima do valor que o seu empregador atual está pagando por hora?
Meu queixo quase cai.
_ Você não quer saber quanto me pagam?
Ele faz uma careta.
_ Não precisa. Algo me diz que o pagamento vai valer a pena.
_ Sem pressão, por favor. _ resmungo.
Ele ri novamente.
_ Ah, vai rolar muita pressão. Não se preocupe. Este lugar bomba nos fins de semana.
Penso em lembrar-lhe que já estive aqui, mas não quero que pense em mim tirando a roupa dele.
Tarde demais.
_ E você só viu a parte de cima da boate. _ Diz Sasuke com uma piscadela.
Eu deveria saber que não sairia daqui sem alguma referência sobre aquela noite.
_ Será que dava pra esquecer que aquilo aconteceu?
Seu sorriso é malicioso.
_ Nem brincando. _ então ele começa a andar pra trás, afastando-se de mim e da porta. _ Espero você amanhã à noite. Às sete horas.
_ Devo usar algo especifico? Ou...
_ Eu mando entregar uma roupa na sua casa. Manequim 38, certo?
Por alguma razão, só de saber que ele me observou tão atentamente, a ponto de descobrir meu tamanho, me faz sentir arrepiada em todos os tipos lugares que eu não deveria me sentir arrepiada.
_ Isso mesmo.
Ele pisca novamente, se vira e desaparece por uma porta pouco visível, nos fundos do bar.


Notas Finais


Qual vocês preferem? Sasuke ou Tasuke? Beijos, até amanhã ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...