História Louco ou apaixonado? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Yuri!!! on Ice
Personagens Jean-Jacques Leroy, Yuri Plisetsky
Tags Jean-jacques Leroy, Jj X Yurio, Jrio, Yuri Plisetsky, Yuri!! On Ice, Yurio
Exibições 538
Palavras 2.179
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi gente!!!! Escrevi essa one-shot curtinha assim que botei o olho no meu mais novo ship de Yuri on Ice!!! JJ e Yurio. Antes de qualquer coisa eu sei a idade deles tá gente. Yurio tem 15 anos e JJ, 19. São quatro anos de diferença assim como em Victuri. Então por favor não me julguem. A fic tá fofinha, não pesei a mão como de costume rs. Boa leitura pra vcs! Espero que gostem! Bjkss.

Capítulo 1 - O primeiro encontro


Fanfic / Fanfiction Louco ou apaixonado? - Capítulo 1 - O primeiro encontro

Meu nome é Yuri Plisetsky. Quero ser o melhor do mundo na minha estreia na categoria sênior. Sou o Ice Tiger da Rússia. Estou de volta à minha terra natal, Moscou, para mais um desafio rumo à final do Grand Prix, a Copa da Rússia. Falando assim até pareço o cara mais confiante do universo, mas a verdade é que eu ando meio confuso. Não sobre a patinação, eu tenho convicção de serei o melhor do mundo! Mas fora do rinque eu não sei... Não sei o que as pessoas esperam de mim, como me veem, nem sei se isso realmente importa.

Hoje foram as apresentações do programa curto da Copa da Rússia. Todos foram muito bem. Me surpreendi com quanto o Yuuri aperfeiçoou o programa dele, ele realmente está se dando bem ao lado do Viktor. Aqueles dois idiotas ficaram gritando "boa sorte" pra mim antes do meu programa. Tsc! Até parece que eu preciso de incentivo, não estou tão ruim assim! Meu vô não foi me ver hoje. Talvez tenha sido bom, eu caí logo no primeiro salto, o que ele diria se me visse cair patético daquele jeito? 

Ágape... Eu não estava me sentindo nem um pouco ágape hoje! Eu queria patinar o Eros, mas o Viktor inverteu tudo e deu a música que eu queria para o Yuuri, acho que ele já tinha segundas intenções, isso sim! 

Desde que recebi esse programa do Viktor que fiquei pensando nessa história de amor... Eu sei onde eu encontro meu amor ágape, mas... e o eros...? Será que...? Droga! Por que eu tô pensando nele? Por que estou com calor? Aaahahhhhh esses pensamentos todos estão me enlouquecendo! Acho que vou dar uma volta.

Faço meu checklist mental: casaco - ok, cachecol - ok, meias grossas - ok, celular e carteira - ok

Pra onde eu tô indo? Devo procurar alguma coisa pra comer? Ou beber? Não, não sinto fome ou sede de nada em especial. Na verdade agora que estou na rua nem sei porquê diabos eu saí! Olha a confusão de novo... Cérebro, por favor, me ajude! Concentre-se em algo, para de embaralhar tudo, para de pensar tanto! 

Fui andando sem destino por algumas ruas e acabei parando na frente de um café, resolvi tomar um chocolate. Entrei, fiz meu pedido, me sentei numa mesinha pequena de frente pra rua e fiquei ali observando o nada. Não que não houvesse nada para ser visto, pelo contrário, a rua estava agitada. Mas nada me chamava a atenção, mesmo assim eu estava distraído. Vi alguém chegar perto de mim, mas não dei muita bola. Era a garçonete trazendo meu pedido (que eu já tinha esquecido).

Fiquei alguns minutos ali bebericando o chocolate que não tinha tanto sabor, nem era tão quente quanto foi aquele beijo. Droga! Tô pensando nele de novo! Novamente sinto o calor. É um calor estranho, diferente do calor do sol que a gente sente na pele, esse eu sinto por dentro. Que droga eu tô pensando? Peguei um guardanapo e disfarcei tossindo, falei alto. Será que falei mais alguma coisa desde que sentei aqui? Será que alguém ouviu eu dizer que estava pensando nele? Eu olhava de um lado para o outro pra ter certeza que eu estava sozinho. Estou enlouquecendo? É mehor eu voltar ao hotel.

No caminho de volta ao hotel eu tentei não pensar em nada, um esforço inútil. Quanto mais eu tentava, mais eu pensava. Comecei a lembrar do nosso encontro no Canadá. Era só o que me faltava! Antes atormentado por pensamentos insanos, agora as lembranças vão ficar me punindo também? 

Foi lá que eu o conheci, depois de me vencer no skate Canadá. Ele ficou em primeiro lugar, era minha estreia e eu fiquei em segundo. Ele está no quarto lugar geral do rancking e mesmo assim, ainda está acima de mim. Agora está disputando comigo uma das quatro últimas vagas do Grand Prix. Mas agora eu estou competindo em casa, vai ser diferente! Foi o que eu pensei... Quando terminei minha apresentação hoje a primeira pessoa que eu vi do outro lado da mureta foi ele. Eu gelei. Ele viu aquela queda?! Que vergonha... Quando me aproximei da saída ele abriu aquele sorriso lindo e estúpido pra mim, me chamando de dama! Espera, eu disse lindo?! Aaaahhhhh!!! Eu tô enlouquecendo!

Maldito Jean-Jacques Leroy!! Que nome mais idiota! E ainda por cima chama a si mesmo de JJ! Um apelido mais idiota ainda! Combina com ele. Narcisista, estúpido, extremamente confiante, alto, musculoso, charmoso, beija bem, tem pegada. Droga! Ele é um gato! Por que eu? Por que ele tinha que me beijar daquele jeito? É só de lembrar do primeiro beijo, que todas as cenas daquela noite se repetem na minha cabeça....

Tinha acabado o programa livre no skate Canadá e eu estava a caminho do hotel nada satisfeito com minha medalha de prata. De repente recebi uma mensagem de um número desconhecido:

Não precisa ficar triste Yuri, vc foi ótimo hj.

Olhei para os lados achando que mais alguém além do Yakov e da Lilia estavam observando minha cara amarrada, quase de choro, dentro do carro. Ridículo. Éramos só nós três e o motorista da van que nos levava para o hotel, e somente eu estava com o celular na mão. Recebi outra mensagem:

Soube que vc é conhecido na Rússia como o Ice Tiger, rs combina com vc... bem gatinho 🐯

Senti meu rosto queimar, não sei se de ódio ou de vergonha. Aquilo só podia ser uma pegadinha! Quem poderia ter meu número? Alguma fã louca? Não, o número do remetente era do Canadá e na mensagem a pessoa se referia a Rússia como se não fosse de lá. Que inferno! Mais mensagens:

Seu rosto deve está vermelho depois da última msg 😁
Tô até imaginando a sua cara de badboy com a testa franzida dando um olhar assassino pra tela do celular sem saber se responde minhas msg ou se o joga pela janela kkkk 
Daria tudo por uma selfie sua agora! 
A carinha mais fofa que eu vi hj... vc ficou uma gracinha com aquela trança 😈

Emoticons de diabinho?! Chega! Como alguém que eu não conheço pode saber tanto sobre mim? De fato eu não sabia se respondia ou se jogava o celular pela janela! Deu até vontade de tirar uma selfie mesmo porque naquela hora eu só queria esfregar meu dedo médio na cara dessa pessoa! Resolvi não responder. Mas li as mensagens umas trinta vezes, estava curioso e impaciente. Recebi uma última mensagem:

Pelo visto vc não vai mesmo responder... tudo bem, nos vemos no hotel então! Até mais tarde!

Hããã???? Que porra é essa? Chegamos ao hotel, eu não queria nem descer da van. Yakov e Lilia seguiram para o restaurante, eu fui direto para o meu quarto. Estava sozinho esperando o elevador, já era um pouco tarde, o hall tinha pouco movimento, então ele se aproximou por trás de mim e sussurrou no meu ouvido:

— Ainda estou esperando sua selfie Tiger. — Era um homem mas sua voz era deliciosa, nunca tinha ouvido uma voz tão doce. Me virei assustado e o reconheci de imediato, era o JJ. Eu não sabia o que dizer. Como ele conseguiu meu número? Por que ele estava me esperando no hotel? O elevador chegou que eu nem vi.

Não vai subir? — Ele passou por mim e parou na porta do elevador fazendo sinal para que eu entrasse. — Damas primeiro. — Falou com um sorriso convidativo. Senti vontade de beijá-lo na mesma hora que recebi aquele sorriso. Mas precisava manter a pose, então pisei o mais firme que pude e entrei no elevador, apertei o botão 18 e fiquei olhando o painel esperando que ele apertasse um andar diferente do meu.

Não sabe pra que andar vai? — Perguntei debochado.

Claro que eu sei! — Ele respondeu chegando mais perto.

Então aperta logo antes que passe idiota!

Não precisa, você já apertou.

— Hã?? Estamos no mesmo andar?

— Hoje sim. — Ele falou tão perto que eu quase senti nossos lábios se tocarem. Eu me escorei na parede lateral do elevador e ele estendeu o braço por cima da minha cabeça, encostando na parede atrás de mim. Ele passou a outra mão pela minha trança, descendo pelo meu rosto e parando segurou meu queixo.

Vejo que não desfez a trança, está linda. — Ele falou tão manso que eu me derreti. Eu fiquei sem ação, ele parecia ter ensaiado tudo aquilo antes de me enviar a primeira mensagem naquela noite. Ele me beijou e eu retribui. Nunca pensei que fosse retribuir um beijo daquele jeito. Foi quente e eu queria mais. Quando chegamos no décimo oitavo andar ele pegou o cartão de acesso do meu quarto que estava na minha mão e desceu do elevador me puxando pelo braço, eu simplesmente fui. 

De repente eu parei, voltei a mim, sei lá o que aconteceu, foi como se o encantamento do beijo tivesse passado ou foi minha teimosia vindo à tona. Puxei meu braço com força gritando com ele na porta do quarto:

Que porra você pensa que tá fazendo?

— Estamos indo para o seu quarto.

— Você é idiota ou o quê? Me devolve meu cartão e sai da minha frente!

— Nada disso Tiger, você não vai me beijar daquele jeito e se livrar fácil assim! — Ele segurava o cartão tão alto que mesmo pulando eu não conseguia alcançar.

O quê? Eu não beijei você! Você me agarrou!

— E você correspondeu... — Aquele sorriso malicioso dele era foda, e ele parecia ter começado a entender o enfeito que tinha sobre mim. — Vamos tentar de novo. — Com apenas uma mão ele segurou meus punhos puxando meus braços para baixo me imprensando contra a porta, e repetiu o mesmo gesto de antes: passou a mão nos meus cabelos, pelo meu rosto e segurando meu queixo me beijou.

Eu não tinha pra onde ir, ou não queria ir pra lugar algum. Não sei. Só sei que o beijei de novo. Ele soltou meus braços e abriu a porta. Entramos ainda nos beijando, eu não queria que a língua dele saísse de dentro da minha boca. Não sei por quanto tempo ficamos deitados na cama nos beijando. Foi o melhor sarro da minha vida. Não tinha experimentado tantos, é verdade, muito menos com homens. Mas nunca havia me sentido daquele jeito antes. 

Eu estava sendo desejado, cobiçado. Ele me queria e dizia isso com seus beijos, com suas mãos inquietas, com os gemidos que soltava entre um suspiro e outro quando eu o tocava. 

Bateram na porta e eu dei um pulo da cama. Era o Yakov perguntando se eu estava bem. O JJ tinha uma expressão desesperada no rosto.

Yurio!! Você está acordado, tá tudo bem?

— Eu estou bem Yakov, me deixa em paz.

— Adivinha só! Tinha um chef russo no restaurante do hotel! Trouxe piroshki pra você!

— Eu acabei de tomar banho, tô me trocando, depois eu pego.

— Ok, vou levar a Lilia até o quarto dela e volto aqui pra te ver.

O quarto da Lilia era no andar de cima, o tempo que Yakov levaria para ir e vir era o suficiente para o JJ sair do meu quarto sem ser visto. E foi o que fizemos. Quando vi o treinador entrando no elevador apressei o JJ para que saísse. Ele me agarrou na porta me dando um beijo de despedida tão bom quanto todos os outros daquela noite estranha.

Espero te ver em breve Tiger. — Falou com um sorriso tristonho e saiu. Fechei a porta e me sentei ali mesmo no chão pensando no que tinha acontecido.

A sensação daquela noite foi a mesma que eu tô sentindo agora. Uma confusão de sentimentos. 

Estou do outro lado da rua do hotel onde estamos hospedados em Moscou, minha casa fica aqui, mas o Yakov me queria por perto então me hospedei com ele. O mesmo turbilhão de antes acaba de voltar com tudo. Sinto-me tonto, parece que vou vomitar. É ele! Ele está parado na porta do hotel. Ah não, será que ele me viu? Por que estou me escondendo? Sim, ele me viu. E esperou que eu atravessasse a rua olhando pra mim de longe com aquele sorriso que me destrói. Meti uma mão em cada bolso do casaco e atravessei a rua olhando para o chão. Continuei olhando para o chão quando cheguei na porta. 

Sai da minha frente idiota. — Fingi indiferença.

Ok! — ele abriu a porta ficando de lado e fazendo sinal de passagem. — Damas primeiro! — Bufei de raiva. Era o mesmo JJ, o estúpido de sempre. Quando passei por ele senti um calafrio. Era ele susurrando no meu ouvido.

Você tá com uma cara péssima Tiger, tá chateado ou foi a queda que te machucou? — Eu já estava trancando os dentes de ódio quando ele falou com a foz mais baixa ainda — Sabe, você tava uma gracinha hoje com aquelas orelhinhas... usa elas mais tarde pra mim. 

Droga! Como ele faz isso? Por que me sinto assim perto dele? Será que... Não, não é possível! Estou.... apaixonado?


Notas Finais


Obrigada pela leitura! Eu tinha escrito essa fic como uma one-shot mas tenho outras ideias com esse ship maravilhindo e tbm recebi comentários fofíssimos então editei pra continuar aqui mesmo! Em breve publico a continuação...
Se estiver à vontade pode deixar seu comentário com o que achou tá bom?! Bjksss!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...