História Love above all else - Capítulo 15


Escrita por: ~

Visualizações 43
Palavras 1.096
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Eu voltei.Demorei um pouquinho porque esse capítulo não estava ficando bom mas eu estou de volta.Realmente espero que tenha ficado bom.Mas isso vocês me dirão nos comentários

Boa Leitura

Capítulo 15 - Tudo me leva até você


Fanfic / Fanfiction Love above all else - Capítulo 15 - Tudo me leva até você

 

"Sinto falta do sabor de uma vida doce.Sinto falta das conversas.Estou procurando uma canção está noite.Estou mudando todas as estações.Gosto de pensar que tínhamos tudo.Desenhamos um mapa para um lugar melhor.Mas na estrada eu sofri uma queda. Então, querida porque você fugiu?Eu estava lá por você.Na suas horas mais difíceis.Eu estava lá por você,Na suas noite mais escuras.Ouço sua voz enquanto durmo.É difícil resistir a tentação.Pois todos esse estranhos vêm até mim.Agora não consigo te esquecer.Não,simplesmente não consigo te esquecer"

Nos últimos dias.Um certo garoto loiro estava estranho,poderíamos dizer que ele estava diferente.Ele andava cada vez mais isolado de todos.Cada vez mais irritado com pequenos problemas.Ele havia mostrado um outro lado dele.Um lado que Stella nunca havia visto.Mas, agora pedia para que esse lado se escondesse novamente.Preferia que seu amigo estivesse de volta,que Jonathan volta-se a ser quem era. Porém,quanto mais tentava mais difícil ficava traze-lo de volta

A loira tentou,tentou e tentou novamente mais nada funcionava.Até que a última de suas tentativas foi a que menos rendeu sucesso. Eles brigaram.De tudo foi usado.Gritou até que sua voz ficasse rouca.Usou expressões até que fosse impossível contrariar.Lutou pelo que acharam certo até que não havia mais armas no qual lutar.Aquilo machucava,machucava mesmo.E aquele perfeito outono se desmoronava no parque

Stella : Será que você não entende?Eu estou preocupada com você,todos estão preocupados com você,eu quero ajudar você, porque eu quero que você,volte a ser meu amigo - a garota gritava

Jonathan : Me deixa em paz e vai cuidar da sua vidinha perfeitinha - ele gritou e aquilo feria - Vai lá,você não tem reinos para comandar,você não tem festas para participar,você não tem uma vida própria para cuidar?

Stella : Tenho,tenho uma vida para cuidar,só que você faz parte dessa minha vida e agora eu estou tentando cuidar dela - ela gritou com os braços cruzados - Não eu não tenho uma vida perfeitinha,nunca tive,nunca conheci meus pais e agora que conheço minha mãe tenho pouco tempo para ficar com ela,talvez seja perfeita para você que não consegue resolver seus problemas

Jonathan : Não venha porque eu,sou eu que ajudo você a resolver os seus problemas

Stella : E é isso que é interessante,você sempre consegue resolver os problemas dos outros,ajuda os outros,mais não consegue resolver os seus problemas e não deixa ninguém ajudar - ela já se acalmava - Me procure quando acabar com esse coração orgulhoso

Eles precisavam acabar com aquilo.Só que seria impossível com a barreira que eles criaram.Seria impossível se continuassem orgulhosos como eram.Eles não conseguiriam.Porque sempre que eles ajudavam alguém,eles ajudavam juntos.Separados,eles não eram nada.Separados eles não conseguiam nada.Eles não conseguiriam quebrar aquela barreira separados.Mas como se juntariam para quebrar aquela barreira?É era realmente impossível

Stella : Eu odeio isso - ela gritava no parque sem se importar

Seus cabelos presos com uma fita vermelha em uma rabo de cavalo balançavam.Seu corpo se movimentava sem parar.Socos eram disferidos sem cessar na árvore.Estava estressada.Só faltava explodir mais isso aconteceria em breve.Em um soco mais forte sua mão se machucou fazendo que sangue saísse da mesma.Uma pequena casca da árvore caiu no chão.Junto com o corpo da garota.Agora,ela tinha duas mãos enfaixadas.Esperava que isso sarasse antes do recomeçar da semana

Seus dedos deslizaram pela nuca loira.Seu corpo foi de encontro a árvore.Suas pernas fraquejavam indicando que a qualquer momento ela cairia.Suas mãos latejavam de tamanha dor sentida.Seus olhos,esses eram como uma cachoeira e todas as suas gotas eram dirigidas para o seu braço.Sentia muitas saudades de Jonathan,realmente precisava dele.Porém não se redimiria a pedir perdão para ele. Treinar foi tudo o que ela fazia depois das aulas.E tudo o que conseguia era se quebrar toda

O orgulho tosco

Em um movimento ela se distanciou da árvore da árvore em passos curtos e lentos.Já havia dias que treinava essa movimento mais nunca conseguia.E então correu.Bateu seu pé no tronco da árvore e prendeu as mãos em um dos galhos firmes.Deu um impulso girando no galho e então deu uma cambalhota no ar.Uma de suas pernas ajoelhadas e a outra firme enquanto sua mão segurava o seu corpo. Finalmente havia conseguido fazer o movimento

Stella : Consegui finalmente

Porém,um sentimento ruim tomou conta do seu peito.Ela sentia que alguém estava mal e tudo que passava pela sua cabeça era o garoto.Realmente,não conseguia esquecer ele.Por fim,ela decidiu que iria tentar esquecer.Decisão errada.Ela não iria conseguir esquecer e então ela iria atrás.Sues passos longos foram correndo em direção ao local esperado.Ela corria em direção a casa do garota.E só parou quando finalmente seus olhos vistaram a grande casa de madeira

Stella : Jonathan? - ela gritou enquanto apertava sucessivamente a campainha - Eu sei que você está ai,abre essa porta logo 

Nada.Nada aconteceu,nenhum barulho,nenhum movimento.Nada.Porém,ela não era burra,ligou para o celular do garoto que ecoou pelo local.Ele nunca andaria sem o celular.E logo que ouviu o toque do celular ouviu um baixo xingamento.Como a porta continuava fechada.Tudo o que fez foi o simples movimento de mais cedo.Seus pés tocaram um cano de água antes que suas mãos se prendessem em uma das barras da varanda.E então ela escalou

Seus pés tocaram o leve chão branco do quarto.O quarto tinha poucas luzes para iluminar.No chão ela encontrou um garoto loiro a chorar rios e rios.Ele estalava os dedos enquanto cantava uma música desconhecida aos ouvidos da loira.Ela não pode deixar ele parado e muito menos ele poderia continuar ali parado.O corpo do garoto foi para cima do da loira em um abraço mais do que apertado.É,que saudade sentiam daquele abraço

Os dedos da garota se entrelaçavam nos cabelos loiro do garoto.As lágrimas do garoto eram dirigidas ao tronco do corpo da garota. Não havia briga que impedisse um abraço como aquele.Não havia barreira que impedisse.Aliás,daquela barreira tudo o que restou foram cacos que agora se espalhavam no chão branco da casa do garoto.É eles realmente precisavam daquilo.Eles realmente precisavam quebrar aquela barreira.E uma vez quebrada tudo já estava melhor

Stella : Se não quiser me contar - ela falou enquanto o garoto se levantava se sentado ao seu lado

Jonathan : Não,tudo bem,precisava desabafar

"Mas me pergunto onde você estava.Quando estava no meu pior momento.De joelhos.E você disse que me protegeria.Então eu me pergunto onde você estava.Todos os caminhos que pegou te trouxeram de volta a mim.Então estou seguindo o mapa que me guia até você. O mapa que me guia até você.Não há nada que eu possa fazer.O mapa que me guia até você.Seguindo,seguindo,seguindo você.O mapa que me guia até você.Não há nada que eu possa fazer.O mapa que me guia até você - Maps (Maroon 5)"



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...