História Love and Family - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chris Evans
Personagens Chris Evans
Tags Drama, Romance, Sexo, Traição
Exibições 8
Palavras 3.028
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi people do meu ❤
Trilha do capítulo ;
Stay - Rihanna feat Mikky Ekko .

Capítulo 25 - Descoberta


Fanfic / Fanfiction Love and Family - Capítulo 25 - Descoberta

Descoberta

NICK

O casamento  se aproximava , a reforma  do apartamento  estava acelerada e eu tentava  me desdobrar  para dar conta de tudo  .

Depois  de uma negociação  rápida , adquirimos  o apartamento  que ela havia  gostado .

Vivian  havia  encontrado uma empresa  de arquitetura confiável  e eficiente . Porém , ela queria  participar  de cada fase  da  reforma e acabava  por me solicitar  constantemente. Pedindo  minha opinião  para a escolha  do revestimento  dos banheiros  até  o tecido para as cortinas .

No trabalho  , Lígia  a advogada  da empresa  brasileira , começou  a achar empecilhos  em cada fase do processo  de implantação da empresa  . Marcando  à  todo momento  , reuniões  que se estendiam  após  o horário  de trabalho  por horas .

Muitas  vezes , acabávamos  por ficar  sozinhos,  já  que eu achava  injusto manter os funcionários  muito  além  do expediente  . Afinal  , eles tinham  vida pessoal  . Apenas , Lígia  parecia não  ter ...

 Cansado após mais uma dessas reuniões ao meu ver desnecessárias, cheguei  à  casa de minha  mãe . Eu ainda  estava morando  com ela , exausto , com dor e irritado . Mais uma vez , Lígia  havia me segurado , por um motivo  insignificante  .

E por conta  disso  , eu  esqueci em  meu escritório  , minha  certidão  de nascimento  . Documento  necessário,  para que eu pudesse  dar entrada na licença  de casamento  .

Procurei  minha  mãe para saber se ela tinha  outra via . E a encontrei  na sala íntima,  lendo um livro .

-  Oi mãe  . – falei  , beijando seu rosto . Larguei  as muletas  e me joguei no sofá. 

-  Oi, filho . Tudo bem  ? Depois  de ter se tornado diretor  , você  tem chegado  a cada dia  mais tarde ... – disse  contrariada – Você  tem  que se cuidar  , Nick .

-  Pois  é  . Enquanto  essa empresa  não se fixar de vez aqui , o trabalho  continuará  intenso. 

- A Vivian ligou duas vezes  , disse que seu celular  só  dá caixa postal  .

-  Hum... Deve ter acabado  a bateria  , Daqui a pouco  , retorno para ela .-  fiz uma pausa  . – Mãe  você  tem uma via do meu registro  de nascimento  ? Esqueci  a minha no escritório  e amanhã  vou à  prefeitura  , dar entrada na licença  de casamento  . E quero  ir direto daqui .

- Seu pai tem ... quer dizer tinha  uma pasta com documentos  no escritório  . Ele havia até  tirado uma via  nova , por conta do testamento  . – respondeu , ficando  com a expressão  triste . – As pastas  estão  nomeadas.  Você  sabe como ele era organizado  .

-  Obrigado  . Vou pegar e depois  tomar um banho  . 

-  Você  vai jantar  ? Ou quer que eu prepare  um lanche  ? A Mary à  essa  hora já  se recolheu  .

-  Não  precisa . Depois eu mesmo  , faço  um sanduiche  .

Levantei , sem conseguir  evitar  de fazer um careta de dor  e fui para  o escritório  .

Desde o falecimento  dele , eu só  havia  entrado lá  uma única  vez , para a leitura  do testamento  .

Flashback  on

Estávamos  reunidos  , eu , Mike  , minha  mãe  e Mary.

Eu me sentia  tenso por estar  no escritório  dele .

Cada objeto  , cada detalhe  estava  impregnado  da presença  dele . Era como se ele fosse entrar a qualquer  momento .

Antes de iniciar  a leitura  do documento  , o tabelião  nos informou que não  caberia  contestação  ao que havia  sido determinado por meu pai , em pleno  gozo de suas faculdades  . Dito isso , passou  a ler o documento  .

-  Eu Jack  Bennet  , em pleno  gozo das minhas  faculdades  mental  e física  , disponho dos  meus  bens da seguinte  maneira : 

• para Mary , minha colaboradora  de tantos  anos , um apartamento  em Newark  no valor  de  100 mil dólares  .

-  Meu Deus  !!!  Senhor  Bennet  , eu ... – Mary interrompeu  perplexa  

Minha  mãe  segurou  na mão  dela com um sorriso  , em sinal de aceitação  .

O tabelião pigarreou e minha  disse :

- Por favor  , continue .

Ele retomou a leitura  .

-  Para meu  amado sobrinho  Michael Lee Bennet , deixo 25 % das ações  de minha  empresa , o chalé  em Wildwood  e o meu jogo  de xadrez  ;

• para  o amor da minha  vida , Lisa Bennet  , ficam os 50% da nossa  empresa , meus  investimentos  e ações  ;

•e  finalmente  para o meu filho Nicolas  Bennet , os outros  25 % da empresa  , a casa  de praia  em Cape May e minha coleção  de carros  antigos .

- Senhor  Nicholas  Bennet , o seu pai deixou uma carta para o senhor  .

Encerrada  a leitura  e após  os trâmites  legais , ficamos  mamãe  , Michael  e eu . E ele foi o primeiro a falar  :

-  Tio Jack , como sempre  foi muito generoso .

- Sim. – concordou minha mãe  . – Ele sempre foi uma boa pessoa  e gostava  de você  como filho , Mike . E  graças  a Deus , ele também  deixou Mary amparada .

-  Verdade .

Enquanto  eles conversavam  , eu me mantive em silêncio  , observando  a carta que ele havia  deixado sem coragem de abrir .

-  Nick ,tudo bem ? – minha  mãe perguntou  , provavelmente  preocupada  com o meu mutismo  .

- Ah , sim . Tudo bem . – falei  alheio .

-  E quanto  a empresas o que vocês  pretendem  fazer ? – ela questionou .

Mike me olhou sem saber o que responder  e deu de ombros .

-  Encontrar  um administrador  ? Ou vender ? O que você  acha Mike ? – perguntei. 

- Sinceramente  , não sei ... Qual  será  a melhor opção  ? Eu só  sei que um professor   universitário  e um advogado tributarista  , não  são as pessoas  mais indicadas  para comandar  uma  empresa de engenharia  .

Rimos  e a tensão  em que estávamos  desde o momento  da abertura  do testamento  , se dissipou .

Flashback  off

Eu não  havia  lido a carta até  hoje ... o que ele poderia  ter escrito  que mudaria o passado ?

Agora de volta  aquele  local , tantas lembranças  vieram  à minha mente ... infelizmente não eram felizes .

Interrompi meus pensamentos melancólicos e fui até o arquivo,  encontrando minha pasta ,mas não o documento que procurava .

Frustrado , decidi procurar na escrivaninha . 

Abri e nas duas primeiras gavetas do lado esquerdo , encontrei apenas agendas e recibos . Passei para o lado direito e ao abrir a primeira gaveta , me deparei com o envelope de um laboratório conceituado e especializado em exames de comprovação de paternidade .

Curioso peguei o envelope ,enquanto  dezenas de perguntas cruzavam minha mente . Mas a mais pertinente  era  : Será  que meu pai havia traído minha mãe e tido um filho  ?

Sacana !!!

Sem hesitar abri o envelope , que já havia  sido aberto  e peguei o  laudo . 

Assim que comecei a ler , me senti enregelar . 

Por que meu pai havia  feito um exame de DNA comigo  ?!

Desde quando  ele  desconfiava  da possiblidade  de não ser meu pai ?!

O que  isso significava? ! 

E o que diabos  estava acontecendo  ?!

Saí atônito  do escritório  e fui em busca de explicações  , o mais  rápido  que as muletas  me permitiram .

Minha  mãe  ainda estava na sala íntima  , compenetrada na leitura  e se assustou com a minha  entrada abrupta  .

-  Mãe  o que significa isso  ?!  - falei  , jogando  o envelope  em seu colo.

Ela empalideceu e achei que fosse  desmaiar .

-  Nicholas ... eu ... seu pai ... nós  ... hum ...

- A senhora  pode ser mais clara ?! Eu quero entender  o que está  havendo  !!!

-  Filho é  uma longa história  ... – murmurou e passou  as mãos  trêmulas  pelo rosto  .

-  Nós  temos  tempo . – disse me sentando , tentando  manter a calma .

Ela começou  a falar e a cada fato  que contava , eu me sentia  mais perplexo  . Quando  terminou  de falar , as lágrimas  escorriam  livremente  por seu rosto  .

-  Ele duvidava que era meu pai ?! E porque ...

-  Sim . Mas tinha medo de confirmar  e não  aguentar  a decepção.  Ele te amava muito e tinha  medo de ter perder  ...

-  ME AMAVA ?! -  interrompi indignado  . 

- Sim , Nicholas  . Amava . Mas ele via Adam em você , a culpa o assombrava . 

-  Meu Deus  !!! Eu sempre achei  que ele não  gostasse de mim ... – murmurei  ,enquanto  as lágrimas escorriam sem controle  . – E por que depois de tanto tempo , ele fez o exame ?

Eu não entendia  a razão  de realizar o exame ,  depois de ter tornado  a minha  vida um inferno  . Tentando  agrada – lo , fazer com que sentisse  orgulhoso  e me frustrando  a  cada tentativa  .

Sempre  me sentindo um fracasso  de filho .

- Não  foi ele ...

-  Como assim ?! 

- Fui eu , filho . Cansei de esperar que ele conseguisse  superar  a insegurança  e  passasse a te tratar melhor ...

-  Me tratar melhor ?! – dei uma risada amarga  . – Ou me tratar , como um pai deve tratar seu filho ?! 

-  Nick, eu fiz o exame  para mostrar  a ele , quanto  tempo  perdeu  te mantendo  a distância  ...

-  E a senhora esperou  todo esse tempo ?! Esperou  minha infância  e adolescência  , serem um martírio  ...

-  Filho,  me perdoe . Eu acreditei  que com o tempo  ele mudaria... eu o amava e não  podia  viver  sem ele ...

- Mas pode viver vendo  seu filho ser infeliz  ?! Sendo desprezado,  humilhado ...

Eu sentia que o mundo  que eu conhecia  , era uma mentira  total  .

-  Eu fui covarde  . Mas eu pedi  o divórcio  e disse  que ele deveria  tentar  recuperar  o tempo  perdido  . Só  não  pensei que o choque o levaria  a morte .

- Recuperar  o tempo  perdido  ?! Isso  só  pode ser uma piada !!!

-  Você  não sabe  o  como eu me  sinto culpada !!! Eu matei seu pai !!! O amor  da minha  vida ...

-  E  acabou de me matar também !!! A  senhora teve a  solução para o nosso problema  durante todo esse tempo e por egoísmo , covardia , não fez nada ...

- Nick eu  sinto muito  ...

-  E deve sentir  mesmo  !!! Por todas as vezes que me viu correr  atrás  dele  como  um cachorrinho  e ser enxotado , como um cão  sarnento . Por me ver chorando  e ainda  assim , tentar me consolar. 

-  Filho , eu não  sei o que dizer ...

- Não  há  o que dizer . Vocês arruinaram minha infância  e juventude  , por egoísmo  e covardia  . Mas eu não vou permitir , que vocês  continuem  fazendo  isso . Eu não vou continuar  fazendo  parte desse  teatro  de mentiras .

A  deixei chorando  , mas no  momento eu não  tinha  como consola – la .

As situações  humilhantes  vividas  , passavam por minha mente  e a dor  havia voltado  com força redobrada  .

Saí  de casa e fui para o apartamento de Vivian  , durante o trajeto  , chorei  copiosamente  . 

Eu não  tinha falhado !!! Ele que foi incapaz  de vencer o temor  que o  paralisava .

Chorei  por tudo  que vivemos  e principalmente  pelo o que o orgulho dele  e a dependência da minha  mãe  , não nos permitiram  viver .

VIVIAN

A companhia  tocou insistentemente  enquanto  eu estava no banho .

Enrole os cabelos  em uma toalha e coloquei um roupão  , indo atender  assustada com toda aquela  urgência  .

Será  que a senhora Dawson, minha  vizinha  idosa , havia  passado mal novamente  ?!  Ela morava com a neta de oito anos , que na última vez que isso aconteceu , entrou em pânico . Por sorte , eu estava chegando do consultório e pude ajudar . E desde então , ela sempre me chamava .

-  Boney , o que aconteceu ?! – perguntei  , abrindo  a porta sem olhar  pelo olho – mágico.  Se fosse algum  estranho  , o porteiro  teria que interfonar , para que eu autorizasse  a entrada .

Para minha  surpresa  , era Nick  que estava à  porta . Com os  olhos  vermelhos  e inchados de tanto chorar .

-  Nick !!! O que aconteceu ?! – perguntei  aflita  .

Ele me abraçou  , largando  as muletas  , e eu retribui apoiando  seu corpo  .

-  Vida, por favor ,  fale comigo  !!! Me diz o que aconteceu  ...

O  ajudei a sentar , enquanto ele  chorava  sentidamente .

Peguei  as muletas e fechei  a porta , que havia deixado  aberta . Fui à  cozinha  e voltei  trazendo  um copo de água  com açúcar  , que coloquei  na  mesinha  de centro .

Em  seguida , me sentei ao lado  dele e o abracei  .

Depois  de alguns  minutos , ele se acalmou  e eu indaguei novamente  o que havia  acontecido .

Ele me colocou a par dos fatos e eu me senti empalidecer .

-  Nick , eu sinto muito ,amor !!! 

-  Eu também  . O pior  é  saber que  minha mãe  , podia  ter evitado tudo isso ... – sua decepção  era evidente  .

- Vida , não  podemos julga -la ...

-  Não  ?! Você  permitiria que seu filho fosse desprezado  pelo pai  ?! – perguntou  indignado  .

-  Eu não ...

-  Com certeza,  eu  não admitiria uma coisa  dessas !!! – falou , me impedindo  de responder  .

Abaixou  a cabeça  , apoiando  o rosto nas mãos  e os cotovelos  flexionados nas pernas  .

Eu acariciei seu cabelo e peguei  o copo de água  , oferecendo  - o a ele .

-  Amor , bebe um pouco  de água  . Isso vai te ajudar  a ficar  mais calmo . – falei suavemente .

As mãos dele tremiam ao pegar o copo . Ele tomou em um só gole , toda a água  .

-  Vem , você  precisa de um  banho , comer alguma coisa . – falei  , entregando  - lhe muletas  e o ajudando  a ficar em pé  .

Fomos para o meu quarto  em silêncio  e enquanto  eu o ajudava  a se despir , me sentia arrasada .

Ele não  merecia sofrer ... Os últimos  tempos  já haviam sido muito  difíceis , a morte  do pai , nosso quase término , o acidente  e a dolorosa  recuperação  .

- Eu já venho , vou encher  a banheira  .

-  Hum – hum . – respondeu  simplesmente. 

Enchi a banheira  e coloquei  sais e óleos relaxantes  . Ele precisava se  acalmar. 

Voltei ao quarto  e o encontrei com o olhar perdido  no  vazio .

- Vem ,amor . – toquei em seu ombro  .

Ele se levantou com certa dificuldade e fomos  para o banheiro , ele se  acomodou e soltou  um suspiro , apoiando a cabeça  na borda e fechando  os olhos. 

Me  despi do roupão  e me sentei por trás dele , o recostando em meu  corpo . Passei  suavemente  a esponja de banho pela extensão do seu  corpo , que  conseguia alcançar. 

Ficamos  assim unidos até  a água  esfriar  .

Saímos  do  banho,  o ajudei a se secar e a colocar a cueca,  Ele estava  como em choque  ...

Deitamos  e em poucos  minutos , ele adormeceu. 

Fiquei o observando adormecido  , tão  vulnerável ... mais do que nunca  , tive a certeza  que não  poderia  abandona – lo .

ALGUNS  DIAS DEPOIS  

Nick  e eu fomos  ver o resultado  final da reforma do nosso apartamento  .

Nós últimos  dias , tínhamos  ficado mais unidos. Ele estava ficando  no meu apartamento,  só  tinha voltado à  casa dos pais para  pegar  suas coisas .Estava evitando  a mãe  , se sentia muito  magoado e sempre  que eu perguntava  , dizia não  estar pronto  para conversar  com ela .

Eu a mantinha informada sobre ele e prometi convence  - lo a escutar a explicação dela . Contudo , não havia  tido  sucesso  até  então  .

E apesar  do meu apartamento  não  ser adaptado  para atender  necessidades especiais  , estávamos  nos virando  bem . O bom humor  era nosso  aliado  , contra as dificuldades  do cotidiano  .

Com Nick  tão  próximo  , constatei  que quase  não  pensei em Mike  .

Porém , ao entrar no apartamento o peso da  escolha  que eu havia  feito  , caiu sobre  meus ombros  . Depois  de casada não  haveria  mais  volta ...

Nick  estava entusiasmado  e eu tentei  aparentar a mesma animação  .

-  Vida está  lindo !!! Você  tem muito  bom gosto !!! – falou , enquanto  observava a suíte  principal , nosso quarto . Decorado em tons claros  e muito  espaçoso  .

- Nós  temos !!!

-  Na verdade  , você  . Tenho que confessar  , que na maioria  das vezes  em que  pediu minha opinião  , eu não consegui ver diferença entre  minimalismo ou vintage por  exemplo  .

- Nick  !!! Eu não  acredito !!! – disse rindo da sua expressão  de garoto  levado , pego no flagra .

- Mas você  fez um ótimo  trabalho  , senhorita  Vivian  Ava Smith !!! Em breve senhora  Bennet  .- falou  , sorrindo  abertamente  em seguida .

O abracei  para evitar que ele visse a apreensão  , em meus  olhos  .

Senhora  Bennet ?! Senhora  Nicholas  Bennet  .

Bella já era a senhora  Michael Lee Bennet . Sortuda !!!

Agora  não havia mais  razões  para adiar o casamento  .

Ele estava em pé  novamente  , usando  muletas,  mas andando  . O apartamento  estava  pronto . Então  , não  havia como retardar  o inevitável  .

“ Para tudo !!! Parece até que vou para a cadeira elétrica  !!! Eu vou me casar com o homem  que me ama e que eu também  amo . À  minha  maneira  ... mas amo . “

Pensei  , me repreendendo e tentando  me convencer ao mesmo tempo  .

Tudo dará  certo .

Esse era meu mantra , quando  o medo ou o arrependimento  , tentavam me dominar  .

Eu só  precisava  permanecer  firme ...


Notas Finais


Ai , qualquer um dos Bennet , estava de bom tamanho para mim !!!
😂😂😂😂
Beijos de Luz
💋💋💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...