História Love and hate - Capítulo 2


Escrita por: ~

Exibições 63
Palavras 833
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 2 - Arkham


JOKER POV

Estávamos no mesmo carro, e eu só conseguia pensar em uma coisa: EU VOU ME VINGAR.  Quando eu sair de Arkham, a primeira coisa que eu vou fazer é deformar aquele lindo rostinho pálido. Por culpa dessa vaca, o meu tão aguardado assalto foi um tremenduo fracasso.

Não demorou muito tempo, e já estávamos passando pelos enormes portões do Asylum. Adentramos o local, guiados pelos brutamontes que chamam de guardas. Eles nos separaram, cada um foi para um lado. Me levaram até a sala de interrogatório, e passei umas duas horas de frente para alguns delegados, detetives e psiquiatras. 

Depois do processo de assinar nome umas mil vezes, tirar foto, entregar pertences e trocar de roupa. Finalmente me levaram para a minha cela na Ala de Segurança Máxima. E pela minha desagradável surpresa, minha cela ficava entre a cela de Charada e da Ortiga Venenosa, eles ficavam brigando o tempo todo e aquilo me deixava com dor de cabeça. 

- Dá para os dois ficarem quietos?! - Gritei, já estressado. 

- Cala a boca, palhaço! - Diz a Ortiga Venenosa. 

- Quem é que está falando á horas? Hein! - Disse, em um tom irônico. 

- Se você quer silêncio, então diz para o Charada calar o caralho dessa boca e parar de falar merda! 

- Quem está falando merda aqui é você, sua vadia. - Gritou Charada, e os dois voltaram à brigar.

Revirei os olhos e deitei na minha cama, tapei os meus ouvidos com as mãos e fechei os olhos com força tentando ignorar aquela zuada toda, e nisso acabei adormecendo. 

HARLEY POV

Me levaram à sala de interrogatório. E depois de entediantes três horas, e depois de todo aquele processo chato e cansativo de: assinar o nome, tirar foto, entregar pertences e trocar de roupa. Achei que finalmente me levariam até a minha cela, mas não, eles me levaram até uma sala que parecia ser de interrogatório. Revirei os olhos e respirei fundo tentando me acalmar. Não acredito que vou passar por essa entediante tortura mais uma vez.  Pensei. 

Então adentramos o local, e lá estava ele, o homem morcego à minha espera. Revirei os olhos mais uma vez, e os guardas me fizeram sentar em uma cadeira à sua frente e logo depois se retiraram, nos deixando à sós. 

- O que você quer? - Perguntei, o fitando com tédio. 

- Só quero conversar. - Respondeu, com sua voz grossa como sempre.

- Só tem um probleminha.

- Qual? 

- Eu não estou muito afim de conversar hoje.

- Posso saber por que? - Perguntou, me fitando sério.

- Hum... deixa eu pensar... - Botei o dedo indicador e o polegar no queixo, como se estivesse realmente pensando. - Primeiro um idiota de cabelos verdes atrapalha meu assalto, depois outro idiota com uma fantasia ridícula de morcego me prende e me leva para a merda de um hospital de doentes mentais, como se eu fosse louca. - Falei, e comecei à gargalhar como se alguém tivesse acabado de contar uma super piada. Até porque aquela situação toda era completamente ridícula e de fato era uma super piada.

- Você é louca! -  Falou, e eu parei de rir no mesmo momento.  Porque ele estava certo, eu SOU louca.

- E daí se eu sou louca? As melhores pessoas são! - Disse, com um sorrisinho irônico. 

- Você é tão louca ou até mais que o Joker, sabia?! - Diz, e eu franzo o cenho.

- E quem é esse tal de Joker? - Perguntei confusa. 

- Não conhece ele? 

- Não! 

- Ele aparece todos os dias nos noticiários. - Diz, me olhando incrédulo. 

- Meu querido! Eu não tenho tempo para assistir besteiras não.  Sou uma mulher de negócios. 

- Negócios ilegais, certo? 

- Claro! 

- Bom, o Joker é o "idiota de cabelos verdes" se você não conhece. - Diz, fazendo aspas e uma breve referência ao que eu falei à pouco.

- Sério? E ele é tão famoso assim? - Perguntei, tentando não parecer me importar.

- É sim! Ele é um louco psicopata,  e vai pagar por seus crimes de agora em diante! 

- Você acha mesmo isso? Se ele é tão louco e psicopata como fala, ele não vai durar muito tempo aqui...assim como eu. - Disse, e logo gargalhei irônica.

- Você está querendo dizer que vai fugir? - Perguntou, incrédulo. 

- Exatamente! - Antes dele falar qualquer outra coisa, os guardas que me trouxeram adentram à sala.

- Senhor, precisamos leva-la. - Diz um dos guardas. 

- Ok! 

Então eles me pegaram e finalmente me levam até à minha cela na Ala de Segurança Máxima.  As celas eram com vidros blindados, em um longo corredor. E quando chego até à minha, não creio em meu azar. Eu ficava de frente ao tal Joker. No fundo eu não achei tão ruim, porque ele por mais que fosse um filho da puta, ele era um filho da puta gostoso pra caralho.

 


Notas Finais


Espero que gostem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...