História Love and Hate - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Gay, Lgbt, Romance
Exibições 17
Palavras 1.283
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


oioi

Capítulo 2 - I probably like you


Fanfic / Fanfiction Love and Hate - Capítulo 2 - I probably like you

Tinha acabado de chegar na escola era umas oito horas, e a aula só começa lá pelas oito e quinze, e eu teria um período de Inglês, um de Matemática, e outro de Artes, e daí seria o bendito recreio, e pra melhorar o meu humor quando eu entrei no corredor  dei de cara com o mané do meu vizinho, revirei os olhos e tentei passar direto, mas era óbvio que ele iria me incomodar, esse cara me ama só pode.

-Hey viadinho- ele disse segurando meu ombro.

-Que foi Henry?- disse irritado, por algum motivo meu bom humor tinha ido embora, e eu acho que sei o motivo.

-A bixinhata irritada- ele disse tirando com a minha cara, ele já estava passando dos limites, me aproximei do mesmo o empurrando em direção da parede.

-Você até pode me incomodar, mas é melhor para de me chamar de bixinha, antes que alguém descubra a bixa que você é- eu estava muito irritado e eu nem sei o porquê, já que já estava acostumado com ele me irritando, vi ele engolir em seco e me empurrar pra trás, ele de algum modo parecia magoado, o que me fez suspirar.

-Me encontra no banheiro no intervalo- terminou de sussurrar em meu ouvido.

Segui até meu armário, e troquei meus materiais, quando abri o mesmo vi outro papel cair do meu armário dessa vez era bem pequeno, e a letra era muito feia, tentei ler o que estava escrito até descobrir o que era.

"Acho que gosto de você"

Estava escrito só isso, e mais nada, não tinha nome como todas as outras vezes, e eu suspeitava que fosse um menino, o que não me surpreendia porque quase todos sabiam que eu não curtia meninas. Virei-me dando de cara com uma menina baixinha, muito fofa, de cabelos azuis e olhos azuis, tinha um estilo rockeira, e parecia estar nervosa.

-Oi?- falei em tom de pergunta.

-Oi- ela disse baixinho- eu quero falar com você já faz uns dias e eu estava tão envergonhada, mas hoje eu resolvi tomar coragem e...- ela ia continuar, quando meu telefone começou a tocar e quando li quem era no visor sorri, ele não me ligava a quase três meses, era o Ken.

-Espera só um minuto, eu realmente preciso atender esse telefonema- disse a interrompendo de vez e me afastando- Alo seu puto, pensei que não me ligar mais, foi estudar em Los Angeles e nunca mais ligou pros amigos- disse tentando fazer uma voz magoada- nem me visitar me visitou- disse fazendo manha, bem  eu moro em Sana Mônica e esse viado, que não é viado, resolveu morar em Los Angeles.

-Desculpa Tao- ele disse suspirando- mas não precisa mais chorar por mim, e tenho uma surpresa pra você, depois da aula venha direto pra casa- ele disse e nem deixou retrucar e ele já tinha desligado o telefone.

-Hey- disse chamando atenção da menina que estava escorada na parede me esperando- o que você queria mesmo?- perguntei tentando me lembrar se ela já tinha dito o que queria.

-Não tinha chegado no assunto principal ainda, é que- ela começou, e de novo ficou nervosa, a encarei tentando a incentivar a falar o que tinha pra falar-  eu gosto de você-ela sussurrou tão baixinho que quase não entendi, mas eu tinha entendido.

-Olha melhor nao falar disso aqui, não quer ir à minha casa depois?- perguntei, queria fazer ciúmes no Henry, pera, eu quero o que, a esquece, mas se bem que agora já a convidei mesmo.

 -Sério?- ela disse e seus olhos brilharam.

-Sério

-Eu adoraria- ela mal terminou de falar e uma menina maluca de cabelos coloridos, quase um arco-íris chegou e a arrastou em direção a sala, e foi ai que percebi que tinha batido, olhei o relógio eu estava cinco minutos atrasado, fui correndo pra sala.

Cheguei na frente da sala, e agora eu estava dez minuto atrasado, bati na porta e o professor abriu a mesma, sua cara não estava nada boa.

-Com licença?- perguntei pidão.

-Entra, mas essa é a ultima vez Tao- eu sabia que não era, eu sou o aluno preferido dele, por ser o que sempre tira as notas mais altas em suas provas, olhei as opções, e eu tinha duas, na frente do Terry, ou no fundão do lado do Henry, e sem a minha permissão as minhas pernas me levaram para o fundo da sala, e dei uma olhada decanto de olho pro Henry, o mesmo parecia supresso.

Estava copiando a matéria, até sentir um pedacinho de papel acertando a minha mão, peguei o pedaço de papel eli o conteúdo do mesmo.

"Ainda está de pé?"

Sabia do que ele estava falando, eu estava ponderando se ia ou não até o professor Harris, me olhar com seu olhar assassino, e voltei a copiar. Respondi no verso do papel um pequeno sim, e atirei na mesa do lado, no momento que o professor virou pra anotar mais coisas no quadro.

Já era horário do intervalo, e só agora percebi que o Akira,não tinha vindo falar comigo até agora, ou seja, ele matou aula, ou simplesmente não veio, mas agora tenho outros assuntos pra resolver. Fui para o banheiro próximo ao refeitório, e lá encontrei Henry encostado na pia, ele me encarava com um sorriso malicioso.

-Então, estou aqui, o que a nossa majestade quer?- falei debochando e o mesmo mudou o sorriso malicioso, para uma cara levemente irritada, percebi que ele se aproximava, até que ele me encurralou na parede.

-Eu quero beijar você- ele disse sussurrando, como se alguém ouvisse isso fosse a pior coisa do mundo.

Me afastei fazendo birra, mas óbvio que ele não levou a sério, saí correndo em disparada pra uma cabine e fechei a porta, se passou uns dois minutos e ouvi passos em direção aporta, a mesma foi aberta com força, ele estava sorrindo, sinceramente ele fica bem mais bonito sorrindo.

-Devia sorrir mais, e reclamar menos- disse sem pensar.

-Que?-ele disse confuso.

-Eu disse que você fica mais bonito sorrindo- e na hora que disse corei, ele apenas sorriu, entrou na cabine, e fechou a porta trancando a mesma.

-Agora você não tem pra onde ir- ele disse se aproximando e me abraçando.

-Eu ainda tenho boca, posso gritar por socorro- disse o provocando, ele apertou mais o abraço- Ei, está tudo bem?- perguntei já preocupado com toda essa carência.

-Eu não sei tem alguma coisa estranha comigo- ele disse desabafando, enquanto me apertava mais.

-Deve ter mesmo, quem diria que o menino que estava me incomodando até ontem estaria dentro de um banheiro me abraçando- eu disse o irritando.

-E o mesmo que estava te irritando agora pouco, vai voltar depois que sairmos desse banheiro, você sabe, não sabe?- ele disse com a voz fraca.

-Infelizmente eu sei- disse suspirando e finalmente correspondendo o abraço dele- vamos para o assunto principal aqui- eu disse tentando tirar o clima tenso, que se instalou, ele me afastou um pouco e capturou meus lábios com os seus.

-Eu acho que estou gostando de você- quando ele disse essa frase, e me lembrei do pequeno papel que encontrei no meu armário hoje de manhã, ele me abraçou forte, escondendo sua cara na curvatura do meu pescoço, e eu sorri de lembrar que ele era o dono do pequeno papel.

-Mas me conte da onde saiu esse amor todo por mim- disse zombando dele.

-Não sei, desde que aquele seu amigo foi embora comecei a notar mais em você, e senti um interesse repentino por você, não sei explicar direito- ele disse se afundando mais no abraço, e passei a fazer cafuné nos seus cabelos.


Notas Finais


eai? como fico?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...