História Love and Hate - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Gay, Lgbt, Romance
Exibições 10
Palavras 1.149
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


oioi

Capítulo 5 - Ele tem te incomodado menos, não tem?


Fanfic / Fanfiction Love and Hate - Capítulo 5 - Ele tem te incomodado menos, não tem?

Tao POV’S

Entrei dentro de casa e senti um cheiro delicioso, Ken estava cozinhando ou seja hoje o jantar vai ser bom. Fui em direção e encontrei Ken de frente pro fogão cantarolando alguma musica.O abracei por trás e ele deu um mini pulo de susto, mas quando viu e era eu relaxou.

-Oi, como foi o seu dia?- perguntou dando seu melhor sorriso, e se aconchegou mais em mim.

-Foi bom e o seu?- perguntei e logo em seguida dei um beijo no seu pescoço de leve, senti ele se arrepiar e ficar tenso.

-Foi bom, e pare com isso, isso ficou no passado- ele disse com um tom de voz levemente irritado.

-Estava com saudades de você sabe- disse manhoso me enroscando mais nele.

            - Vai tomar um banho, quando eu terminar te chamo- ele disse autoritário e eu apenas obedeci.

Durante o banho comecei a pensar sobre o que está acontecendo na minha vida. Por mais que tenha começado a sentir algo por Henry, dificilmente vou esquecer Ken, já que, foi com ele todas a as minhas primeiras vezes literalmente.

Sai do banho e fui direto pro meu quarto apenas de toalha, pois esqueci as roupas o quarto. Enquanto me trocava alguém abriu a porta e foi bem no momento q eu colocava uma calça, mas por sorte, ou não, era o Ken, fiquei o encarando e El estava travado na porta me encarando. Me aproximei do mesmo, e comecei a encarar de perto, e quando vi já estávamos nos beijando, porém, segundos depois Ken caiu em si e me afastou.

-Isso não vai acontecer de novo- ele disse com a voz fraca olhando para o chão e completou, agora com a voz firme- Jantar ta pronto termina de se arrumar e desce.

Terminei de me vestir e desci, lá embaixo encontrei minha mãe sentada no sofá mexendo no celular, com as sobrancelhas franzidas, e aproximei da mesma e a abracei, ela levou um pequeno susto, mas me puxou pra seu colo.

-Hey família venham comer- Ken disse já animado de novo, porém dava pra ver como estava confuso.

Durante o jantar minha mãe fez um interrogatório com Ken, pra saber como andavam os pais, se estava com ágüem, o que pretendia fazer agora. O que me chamou atenção foi como ele ficou pra baixo com o assunto pais, depois do jantar o chamei pra conversar.

-Hey, porque ficou tão pra baixo com o assunto pais?- perguntei docemente.

-Bem, na verdade, eu não decidi voltar pra cá, meus pais me pegaram com um guri na frente do prédio e meu pai enlouqueceu e me expulsou de casa, e bem com as economias que eu tinha eu consegui comprar uma passagem pro único lugar que eu sabia que tinha lugar pra mim, e sempre terá- ele disse com os olhos marejados e continuou- e recentemente antes de me expulsarem minha mãe descobriu um problema grave no coração, e bem, eu não posso ver ela agora, porque capaz de eu aparecer lá e meu pai me expulsar a base da porrada- ele disse já chorando, o vi soluçar e o puxei pra um abraço, comecei a fazer cafuné na sua cabeça, ele se afastou- e não podemos mais ter nada, porque não agüentaria perder mais alguém caso de algo de errado.

Depois dessa conversa tensa fui dormir com ele no quarto de hóspedes que agora é o seu quarto. Dormi com ele agarrado ao meu tronco, isso me lembrou de quando éramos criança e dormíamos abraçados, mas naquela época éramos muitos ingênuos, pra entender que as pessoas veriam isso como errado.

Henry POV’S

O que diabos esse guri está fazendo comigo, nunca tinha sentido isso antes por alguém, muito menos por um menino, sei que minha mãe levaria isso numa boa, mas meu pai não, capaz de ele me matar se descobrir. Olhei pela janela e vi que o Tao ainda não tinha vindo pro quarto. Fiquei observando seu quarto por horas e nada dele aparecer, até que desisti e resolvi dormir. Minha cama estava com seu cheiro, esse menino ainda vai me enlouquecer.

No outro dia de manhã mandei uma mensagem pro Oliver dizendo que não precisaria me buscar que eu iria a pé de novo, já estava acabando minhas desculpas, o que diria da próxima vez, logo ele vai começar a desconfiar.

Tomei uma ducha e coloquei uma calça jeans preta, uma camisa branca e um casaco do time, peguei minha mochila e sai de casa, parei na frente da casa do Tao, e mandei uma mensagem avisando que estava ali na frente, segundos depois vi a porta ser aberta e um Tao sorridente saindo da porta, ele veio até mim e eu estiquei a mão em sua direção e o mesmo a pegou.

-Eai dormiu bem?- ele perguntou animado

-Meio mal e você?- perguntei enquanto o encarava

-Muito bem, mas porque dormiu mal?- perguntou preocupado, enquanto fazia um carinho em minha mão.

-Porque você não dormiu comigo- sussurrei no seu ouvido o que o arrepiou e perguntei o que vinha me incomodando a noite toda- na verdade você nem apareceu no quarto, onde você dormiu?- perguntei desconfiado.

-Dormi no quarto do Ken, e não, não aconteceu nada ele estava mal por causa dos pais dele, mãe dele esta doente e o pai dele expulsou ele de casa depois que ele descobriu que Ken gosta de guria também- ele falou rápido já explicando quando viu minha cara nem um pouco agradável em sua direção.

-Mas já tiveram que eu sei- resmunguei e ele me olhou surpreso.

-Como você sabe?-perguntei

-Vocês não eram lá muito discretos na escola- disse enquanto meu humor só piorava- mas vamos parar de falar nisso antes que eu fique mais irritado.

-Okay, melhor mesmo- disse concordando comigo.

Soltei sua mão, não tinha percebido que estávamos quase no portão da escola, o mesmo me olhou sem entender, mas eu já estava longe pra poder explicar algo, mas acho que quando cheguei perto de Oliver e o resto do grupo a resposta já estava clara.

Tao POV’S

Logo que entrei no colégio dei de cara com Ryan e Kas, sim recém nos conhecemos  e já criei um apelido pra ela, fomos juntos até a sala, onde eu  tinha minha primeira aula e elas foram pra delas. Entrei dentro da sala e avistei Akira acenando pra mim e apontando pra um lugar vago na sua frente, andei rápido até o lugar antes que alguém pegasse.

-Eai anãozinho- Henry cuspiu as palavras e eu apenas revirei os olhos.

-Hey, não tem medo de morrer não?- Akira disse com a voz grossa e ameaçadora, Henry o olhou irritado e saiu de perto de nós,e Akira voltou atenção pra mim- Aliás ele tem te incomodado menos,não tem?- ele me perguntou

-Sim- disse rápido e logo depois o professor entrou na sala o que me fez virar pra frente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...