História Love And Pain - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~Ayrian

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Colegial, Dor, Drama, Escola, Hentai, Kiara, Love, Romance
Exibições 8
Palavras 1.301
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olaris amoras ❤
Antes de me apedrejarem, mil perdões pelo atraso enorme.
Houve problemas pessoais por isso não pude postar.
Tá aí um cap que eu pessoalmente gostei.
Vocês vão saber porque depois de lerem.
Nos vemos nas notas finais. sz

Capítulo 5 - Chapter Five


Fanfic / Fanfiction Love And Pain - Capítulo 5 - Chapter Five

Eu sei que as coisas vão mudar , e os momentos ruins vão passar, isso tudo é só uma tempestade, logo logo o sol volta a brilhar.

[ Kiara On ]

Porque diabos eu estava retribuindo? Eu tinha perdido a cabeça? Ele pediu passagem com a língua e eu cedi, eu tinha mesmo perdido a cabeça, meu Deus. Afastei-me dele e cai em minha cama sentada, encarava-o e ele me encarava de volta, que merda tinha sido aquilo? Apenas saí dali sem dizer nada, porque minha vida tinha que ser tão difícil?

Caminhei sem direção no campus, eu não aguentava mais, então eu simplesmente me sentei e pensei em tudo que havia acontecido. Em todas as merdas que eu já havia passado. Na época em que eu perdi a minha irmã, nos tempos que minha família se destruiu, no filho da puta do Dylan, as lagrimas desceram sem controle. Eu não conseguia mais controlar meu corpo, ele agia por si próprio e eu havia abraçado meus joelhos colocando meu queixo nos mesmos.

- Eu mereço mesmo passar por tudo isso? Eu nem estou viva. – Sussurrei baixinho, olhando para o nada e mais lagrimas descendo.

Eu não queria passar por aquilo, porque aquilo doía, como doía, por todos os céus. Não deveria mais doer, já havia doido tanto, eu teria que ter me acostumado aquilo há muito tempo. Pelo visto eu ainda tinha que sofrer mais, soltei um riso baixo, sem vida. Senti alguns respingos de água na cabeça e continuei lá, eu precisava daquilo, mesmo que nem a chuva conseguisse limpar a minha alma eu continuaria ali, sentada no chão. Chuva sempre me trouxe uma sensação de paz, e hoje não seria diferente apesar da minha perturbação. Eu pegaria uma pneumonia, mas pra ser sincera eu não ligava não me importava com a maioria das coisas há muito tempo.

Bom Izzy tinha opiniões divergentes as minhas, pois assim que me viu lá eu podia jurar que vi a água evaporar ao seu redor, que qualquer um me ajudasse se não eu estaria morta.

- Eu posso saber o que você está fazendo aqui? – Izzy gritou, eu me levantei no automático.

- Eu não quero ficar surda Izzy. – Falei entediada.

- Não, você quer é morrer. – Ela falou aflita. – Sai logo dessa chuva Kiara.

- Eu estou muito bem, obrigado pela preocupação. Passar bem. – Falei acenando, eu estava me segurando pra não surtar.

- Vamos Aria, se levanta que eu vou te levar pro quarto. – Ah mais eu não iria entrar naquele quarto de maneira alguma, eu iria surtar.

- Não volto pra lá, vou dormir em um hotel ou algo no gênero. Não se preocupe.

Eu iria para um hotel, mas não necessariamente para dormir, eu beberia até esquecer que eu tinha um nome. E ninguém precisava saber disso.

- Não você não vai. Você vai pro quarto agora se não quiser que eu te coloque no hospital por hipotermia. – Se olhar matasse, eu já estaria morta, mas não me interessava minha vida.

- EU NÃO LIGO. – É eu tinha surtado.

- Ah não Aria, de novo não. – Ela estava apavorada.

- Eu não ligo. – Sussurrei baixinho, e senti o impacto nos meus joelhos quando fui ao chão.

- Kiara me escuta, não faz isso de novo.

- Izzy para... Só para. – Eu estava ficando ensopada, mas eu não sentia o frio e lá estava eu naquele maldito torpor outra vez.

- Aria vamos para dentro, por favor, Aria.

- Pode ir Izzy. – Ela continuou para ali. – VAI IZZY.

E eu estava sozinha novamente, podia me permitir desabar e eles vieram, os soluços estrondosos tomaram conta de mim e eu apenas me abracei e chorei tudo o que tinha direito. A chuva foi parando aos poucos e eu peguei meu celular, graças aos céus que ele era a prova d’água, eram duas e quarenta da madrugada, eu teria que voltar pro quarto pra pegar as chaves do meu carro, merde. Recompus-me e segui rumo ao dormitório outra vez, cheguei perto da porta e escutei coisas não muito agradáveis, ele não estava lá deitado, acho que nunca fui tão grata por não encontrar ninguém em uma cama. Mas pelo visto tinha companhia no banheiro, os gemidos seriam possíveis de ouvir por metade dessa faculdade, nada anormal. Peguei minha carteira, minha mochila e minhas chaves o mais rápido possível e rumei para o estacionamento, teria que comprar roupas para o outro dia, já que não quis ter o trabalho de pegar roupas novas e aquelas estavam em condições horríveis para dizer o mínimo. Apertei as chaves para destravar meu carro e entrei, dei partida no motor e saí cantando pneu, não podia me afastar como eu queria, afinal teria aula amanhã, então fui para um hotel no centro.

Cheguei fiz o check-in e fui direto para o bar do hotel, que estava consideravelmente cheio. Pedi uma dose de tequila para o primeiro barman que eu vi, não demorou muito a chegar e eu bebi de imediato, desceu rasgando e veio aquele aquecimento acolhedor e familiar ao qual eu estava acostumada, pedi mais 3 doses e na quinta dose o barman me parou.

- Senhorita, creio eu que não lhe fara bem se embebedar em plena segunda-feira. – Ele estava mais preocupado comigo que eu mesma. – Eu não lhe servirei mais nada, lamento.

- Não há problema, pedirei a outro barman que me dê mais algumas doses.

- Qualquer um que lhe servir mais uma gota de bebida alcoólica será demitido. – Ele falou severamente.

- E quem o senhor pensa que é para me proibir de beber e ainda ameaçar despedir outros barmens? – Eu falei meio grogue.

- Sou o dono desse hotel e uma pessoa que preza pela lucidez dos outros.

- Se eu quisesse ficar sóbria, o senhor acha que eu estaria bebendo? – Não tinha entendido nada, meu raciocínio estava muito afetado para processar metade daquilo.

- Pare de me chamar de senhor e mesmo que não queira ficar sóbria, você vai permanecer assim.

- Mas nem na porcaria de um bar eu tenho o direito de fazer o que eu quero?

- Exato, agora se levante que eu irei te levar para o seu quarto. – Ele falou já se levantando.

- E eu posso saber como sabe o numero do meu quarto? – Eu estava tonta, não me levantaria dali tão cedo.

- Eu já disse que sou o dono do hotel, saber seu quarto não é nenhum problema para mim. – Ele disse revirando os olhos.

- Certo. – Tentei me levantar e tudo girou. – Aish! – Eu iria direto ao chão, se o barman ou seja lá o que aquele homem era não tivesse me segurado.

- Vamos logo. – Ele me pegou no colo e começou a andar.

- Eu sei andar, me coloque no chão! – Apesar de eu ter certeza de que ia cair, não gostava da coceira que aquele homem me causava.

- No estado que você está, irá conseguir alguns hematomas pela teimosia, então não. – Ele disse rindo, aquilo foi como musica, eu estava mais bêbada do que o normal para pensar algo do gênero.

- Me solte se não eu vou gritar que estou sendo sequestrada. – Falei esmurrando o mesmo.

- Não me importo. – Ele falou e entrou no elevador com serenidade, como se eu não tivesse acabado de ameaça-lo. Aquele elevador não podia fechar, eu ia gritar.

- SOCORRO! EU TO SENDO SEQUESTRADA! – Eu berrei dentro do elevador.

Que tipo de hotel era aquele? Ninguém olhou duas vezes para mim sendo carregada pelo homem.

- Aish! Que merda é essa? – Eu estava indignada. – Me solta, ME SOLTA. – Eu esmurrava o mesmo incansavelmente.

- Pare de ser teimosa e fique quieta! Só irei te levar até seu quarto. – Quando ele terminou de falar eu me senti mole e tudo apagou.


Notas Finais


CARA EU AMEI ESSE HOMEM ❤
Ele veio do nada na minha cabeça, não sei porque.
Me digam o que vocês acharam do cap e se gostaram do tal homem nos comentarios.
Amo os fantasminhas também ❤
UM BEIJO UM QUEIJO E FUI sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...