História Love At First Sight ~ Imagine Taehyung - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Romance, Sexo, Suga, Tragedia
Visualizações 28
Palavras 2.117
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Tava sem nada pra fazer, resolvi então começar essa fic, espero que gostem!

Boa leitura :)

Capítulo 1 - 1


Fanfic / Fanfiction Love At First Sight ~ Imagine Taehyung - Capítulo 1 - 1

Acordei às 3h horas da manhã, sentindo uma grande falta de ar, tinha acabado de ter mais um pesadelo com a época em que vivia naquele maldito orfanato, peguei o copo de água sobre o criado mudo, bebi e coloquei a mão sobre meu peito, na tentativa de me acalmar.

Olhei para minha frente e vi que Mateus estava dormindo tranquilamente, não queria acorda-lo pois a muito tempo ele não tinha uma noite de sono decente, fui até sua cama e o cobri, depositei um beijo em sua bochecha, e passei a mão sobre seu liso cabelo. Mateus era meu melhor amigo, na verdade ele era mais para irmão, conheci ele quando eu tinha apenas 8 anos de idade, Mateus é um rapaz de família japonesa, com traços marcantes e muito lindos, cabelo e olhos intensamente pretos, tão jovem, e tão sofrido.

FLASHBACK ON

- Filha, vem logo! Estamos te esperando no carro.

Meu pai me dizia enquanto arrumava as coisas no porta-malas, estávamos nos preparando para uma viagem na praia, eu estava muito empolgada, logo entrei no carro e coloquei meu cinto, durante o percurso percebi que meus pais começaram a descutir por um motivo que eu desconhecia, mas minha mãe tinha visto algo no celular de meu pai, que não era de seu agrado, então ela começou a dar fortes socos em seus ombros e a gritar, ela sacudia ela com muita força, eu via ódio em seu olhar, logo a discussão foi se intensificando, meu pai perdeu a direção e chocou o carro contra um poste. 

Eu fui no empulso da batida e bati minha cabeça contra o vidro do carro de meu pai, consequentemente eu desmaiei na hora.

Acordei um tempo depois, o carro ainda estava chocado contra o poste, eu vi a cabeça de meu pai sobre o volante, seu rosto estava sagrando demais, então virei o olhar para minha mãe, a mesma estava com a cabeça virada para trás e um corte fundo em seu pescoço. Começei a chorar desesperada, sem saber o que fazer, logo vi um homem se aproximar do carro, fiz sinal para ele, que abriu a porta de trás do carro, local onde eu estava, e me tirou de lá, o mais velho ligou urgentemente para a ambulância, que chegou em torno de dolorosos 25 minutos.

Meu rosto estava ferido por alguns pedaços de vidro, da janela quebrada do carro, logo vi minha mãe sendo colocada em uma maca e sendo coberta por um pano branco, tentei ir atrás dela, ainda em choque, mas o homem que me salvou não deixou que eu fosse, logo em seguida fizeram o mesmo com meu pai, eu estava sozinha no mundo.

Lágrimas insistiam em cair dos meus olhos, e eu cada vez mais agravava o meu choro, senti duas mãos tocarem meus ombros e era o homem que havia ligado para a ambulância, ele me levou até a enfermeira e trocou algumas palavras com ela.

A enfermeira pegou em meu braço gentilmente e me levou para o médico, para que eu pudesse tratar os ferimentos em meu rosto, eu ainda estava muito chocada, em momento algum eu parei de chorar, pois sabia que meus pais não haviam sobrevivido, eu tinha certeza disso.

Ela se despediu do homem e me colocou dentro do carro, onde estavam meus pais, ambos embaixo dos panos, não atrevi-me a levanta-los pois a enfermeira me envolvia fortemente em seus braços, com receio de que eu abaixasse o pano e me traumatizasse com o que eu iria ver.

Cheguei no hospital onde recebi todos os cuidados medicos, eu já havia parado de chorar, mas meu rosto permanecia sério, e meus olhos imensamente profundos, eu passei a madrugada toda acordada, e no dia seguinte bem cedo, a moça que aparentava ter 26 anos veio me ver.

- Ei garotinha, então... Eu sinto muito mais seus pais não sobreviveram, deve ser muito difícil este momento, mas você conhece algum parente, para que eles possam passar aqui para te pegar? - ela disse com uma voz muito triste e secava minhas lágrimas

- Eu não tenho a ninguém, agora eu estou só, não sei mais o que fazer - eu disse desabando no choro novamente.

- Nós não podemos deixar você aqui, teremos que levar você para algum orfanato, sei que um dia você irá arranjar alguém que cuide bem de você, vai ficar tudo bem tá?

- Tá bom - eu disse e lágrimas desataram a cair, eu não queria ir para o tal orfanato, mas eu não tinha opção.

Tudo foi acertado com a maior rapidez possível, e 2 dias depois eu já estava naquele local, naquele maldito local.

Lá nós éramos obrigados a limpar todos os cômodos diariamente, e caso alguém recusasse, era castigado com uma bela de uma surra.

Eu estava tentando seguir todas as regras a risca, todas as crianças de lá, tinham histórias extremamente sofridas, e todos carregavam hematomas no corpo, o que me fez pensar no quão pesada deve ser a tal punição, eu estava a muito tempo na tarefa diária do dia, e como ainda não tinha tido minhas refeições, me sentei um pouco para descansar, mas logo a inspetora daquele inferno me flagrou descansando e antes que eu pudesse dizer algo, me prendeu em uma sala e começou a me torturar, ela batia com uma espécie de chicote, muito fortemente em minhas costas, sentia as lágrimas descerem. Ela abandonou a sala e disse que se meu trabalho não estivesse concluído em 30m ela voltaria e seria bem pior, eu estava sozinha em uma sala escura, mal conseguia me levantar, fiz um esforço, logo depois vi um garoto entrar na sala, era o Mateus.

- Você está bem???

- Es-estou sim é só um pouco de dor. - eu disse extremamente fraca.

- Ai meu Deus! Se você continuar assim você vai morrer - ele disse tirando um pedaço de minha blusa e tapando o ferimento.

Ele me levantou e me deixou repousando em minha cama, enquanto cumpriu o trabalho que eu havia deixando incompleto, e foi assim até completarmos 18 anos, diversas torturas e traumas, diversas noites de sonho perdidas, devido ao medo e a lembrança das torturas. Aquela mulher, Rosália, estava em meus pesadelos em várias noites, todo o mal que ela fez a nós, todas as marcas que deixou em nossos corpos, ainda estão tão presentes.

Mateus sempre havia me falado pouco sobre sua família, não era por falta de confiança ou insegurança, era porque ele realmente não sabia quase nada, seus pais o tiveram muito cedo e o abandonam naquele orfanato, mas o mesmo não se abalava tanto, sempre sorria e fazia o bem, nós éramos tão jovens, eu apenas tinha 8 anos, ele tinha 9. 

Todos confundiam ele como meu "namoradinho". Eu ria intensamente das lembranças, mas tudo o que sinto por ele, é amor de irmão!

FLASHBACK OFF*

Sai de perto da cama de Mateus, o mesmo ainda dormia profundamente, fui para minha cama e decidi não dormir o resto da noite, pois não queria perder a hora no dia seguinte, e eu tenho receio que Mateus não acorde pois quando ele dorme desse jeito, é até tarde.

Então logo me aprofundei em meus pensamentos, olhei em meu celular e já eram 5h44 da manhã, fui para meu banheiro tomar um rápido banho, o apartamento que eu dividia com Mateus era um tanto quanto pequeno, mas era muito organizado. 

Terminei meu banho e coloquei minhas roupas, eu trabalho com eventos, maquiando artistas, já Mateus trabalha na mesma empresa que eu, só que como fotógrafo dos eventos.

Levantei minha blusa e vi os hematomas em minhas costas, dei um longo suspiro, olhei para o teto e fechei os olhos, ninguém sabia das marcas e minhas costas, apenas Mateus, que continha as mesmas marcas em seu corpo, ajeitei minha roupa e tratei de acorda-lo.

- ACORDAAAAAAAAA, vamos perder a hora - eu disse berrando

- Aiiii, que falta de respeito fazer isso comigo! - ele disse jogando o travesseiro em meu rosto.

- Não é não, agora vai tomar um banho e se arrumar para chegarmos logo! - eu disse tirando seu cobertor e o jogando no chão

- TÁ BOM QUE CHATICE! 

Ele se levantou rapidamente e foi tomar banho, nem arrumou a própria cama, folgado!

Arrumei sua cama e logo Mateus saiu do banheiro, já com suas roupas colocadas, não sei se era tradição se vestir no banheiro ou ele, assim como eu, não gostava de expor as marcas.

- Coloque o crachá, feche as portas e vamos! Te espero lá embaixo. - eu disse

Ele assentiu e em dentro de 5m já estávamos dentro do carro em direção às empresa.

- S/N, esqueci de te dizer, mas o chefe havia comentado comigo que tinha algo importante a nos dizer hoje... Só não sei exatamente o que.

- Ai Mateus, você sempre esquece de me avisar das coisas importantes, só você mesmo viu!

- Pode ir com calma senhorita! Deve ser coisa boa.

- Vindo do Rodrigo deve ser bom mesmo... Quem sabe.

Rodrigo era o melhor chefe do universo, tão bem humorado, deve ser realmente coisa boa​, enfim, tô muito ansiosa agora!

Chegamos na empresa, saímos do carro e pegamos o elevador, entramos cada um em nossa sala, e pegamos os nossos equipamentos para seguir para o próximo evento.

- Bom dia meus lindos! - Júlia disse e veio em nossa direção nos abraçando

- Que bom humor todo é esse Júlia? Por acaso quer algo? - Mateus disse sorrindo

- Ai, não me tira do sério hein Mateus - ele disse o empurrando

- Bom dia amiga - eu disse a abraçando

- Oi pra todo mundo! - Luisa disse sorrindo - O chefe acabou de comunicar, que quer ver todos nós em sua sala, alguém sabe o motivo?

Todos nós fizemos que não com a cabeça, era um mistério.

- Então vamos logo, não podemos nos atrasar para o evento, alias já era pra gente estar lá - eu disse e todos nós fomos em direção a sala

Chegamos lá e nosso chefe, que era o cara mais bem humorado do mundo, estava sério, sentado em sua mesa.

- Bom dia Sr. Rodrigo! - nós dissemos em uníssono

- Bom dia pessoal, eu particularmente estou muito triste por um motivo.

- E... Qual seria este motivo? - Luisa disse

- Eu estou triste por perder 4 funcionários como vocês, mas era necessário fazer isso, sinto muito! 

- COMO ASSIM? - Júlia berrou

Nós ficamos estáticos, ele ia nos demitir, com certeza! E agora??? O que a gente fez de mal?

- Está pensando em nos demitir senhor? - eu disse

- Não, jamais!

- Então o que planeja fazer? - Mateus disse enquanto olhava com uma grande curiosidade

- Todos vocês serão enviados para trabalhar por 5 meses, fora do Brasil

Rodrigo disse e então quase todo mundo teve um treco de felicidade, mas logo a curiosidade tomou conta mais uma vez

- Que maravalha senhor! E para onde nós vamos? - Júlia disse

- Para a Coréia do Sul

Ele disse e então quase tive 60 infartos seguidos, era o país do meu grupo musical favorito, o BTS.

- E com quem iremos fazer este projeto?? - perguntei totalmente empolgada

- Alguma de vocês conhece o BTS? - Rodrigo perguntou - Vocês cobrirão os eventos deles por lá, vocês são uma grande equipe, terão todas as instalações e o salário triplicará!

- AI MEU DEEEEEUS - Júlia gritou mais uma vez, essa garota é tão louquinha, mas eu amo tanto ela

- Então nós vamos para a cidade natal do Mateus? - Luisa disse

- Quantas vezes eu vou ter que repetir que não sou coreano? 

- Ai, desculpa Mateuzinho! - ela disse apertando a bochecha dele e todo mundo sentiu o clima, Luisa não perde uma oportunidade!

- Tomem aqui as passagens, amanhã cedinho será a viagem de vocês, boa sorte, se comportem e eu vou sentir falta, queria muito poder ir porém tenho negócios por aqui e na vou poder ir - Rodrigo disse entregando as passagens para casa um de nós. E deixando um aperto de mão para cada um.

- Nós também sentiremos sua falta Sr. Rodrigo! - eu disse

Todos nós nos despedimos e agradecemos e logo saímos eufóricos com os detalhes da viagem.

Peguei meus equipamentos para o evento, terminei todos os meus trabalhos do dia e logo cheguei em casa, eu e Mateus arrumamos nossas malas e antes de dormir, telefonei para Júlia.

LIGAÇÃO ON

Júlia: Oi amigaaaa, ansiosa assim como eu??

S/N: Apenas quase infartando, não acredito que vou poder ver o Taehyung pessoalmente! Tô tão feliz!!!

Júlia: Finalmente eu vou poder ver o Namjoon, me sinto nas nuvens.

S/N: Vai tão bom estar ao lado deles nesse tempo!

Júlia: Exatamente, S/N.

S/N: Agora vai dormir, porque em breve encontraremos 7 lindos anjos!

Júlia: Verdade. Boa noite amiga.

S/N: Boa noite Ju!

LIGAÇÃO OFF

Me deitei e chequei que Mateus estava dormindo, pesadelos não iriam me abalar esta noite! Amanhã estou indo em direção a Coréia do Sul, estou indo em direção a felicidade.


CONTINUA










Notas Finais


Espero que tenham gostado, até o próximo capítulo! ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...