História Love Between Species - ABO - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Abo, Hibridos
Exibições 70
Palavras 1.322
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Hoy.
Gente linda desse BRASIL, a fic é meio que uma adaptação, mas está bem diferente sabe, enfim a autora da fic que me inspirou a escrever essa me deu total direito de fazer isso. O link dela vai estar nas notas finais.
Espero que gostem!

Capítulo 1 - Capítulo Um


Fanfic / Fanfiction Love Between Species - ABO - Capítulo 1 - Capítulo Um

Primeiro Capítulo

O mundo dos híbridos sempre fora cheio de conflitos, principalmente por existir um número consideravelmente pequeno de conservadores que relutavam a todo custo para evitar a união de espécies diferentes. No entanto essa minoria tinha força suficiente para fazer uma verdadeira confusão. As brigas entre espécies diferentes era algo raro, mas antes era muito comum, acabou que algumas medidas tiveram que ser tomadas, e bem as gerações depois daquelas foram se acostumando a viver umas com as outras. Mas como nem tudo era perfeito, alguns híbridos ainda eram horríveis, e capazes de muitas coisas.

Higor Caputo um hibrido de Husky Siberiano da classe Alpha, cabelos negros, olhos verdes, e barba por fazer. Ele assoviava baixinho com as mãos nos bolsos, estava voltando para casa após passar à tarde com os amigos, e havia sido divertido. O Alpha não estava a procura de um Ômega por isso não tinha um, mas era o único solteiro no seu grupo de amigos, o que era meio chato, porque ele odiava aquilo, ao mesmo tempo que gostava da solteirice.

Higor de vinte anos tinha um carro, mas a casa de seus amigos não era tão longe da sua então ele ia andando mesmo, os passos rápidos na rua escura, não era o lugar mais seguro, mas ele não se preocupava, era um Alpha, então não corria muito risco, ele estava passando na frente de um beco escuro, e então suas narinas foram preenchidas por dois cheiros doces, ele ouviu alguns murmúrios vindos de lá dentro e franziu o cenho. Que merda era aquela?

Ele entrou no beco, sabendo que eram Ômegas somente pelo cheiro, os dois estavam sentados, eles conversavam sobre algo, Higor se aproximou, e então ambos os Ômegas notaram a presença dele e recuaram.

– Saia daqui!

Um dos Ômegas disse, Higor se aproximou mais.

– Eu não vou machucar vocês. O que estão fazendo aqui?

– Isso não é da sua conta, vá embora, não queremos você aqui.

O Alpha se irritou, ele estava lá porque estava preocupado com a situação dos dois Ômegas, e eles estavam o tratando com ignorância.

– Não fale assim comigo, não deveriam tratar mal quem tenta ajuda-los.

– Mas nos não pedimos sua ajuda.

– Vamos, por favor, não desviei do caminho dá minha casa para ser mal tratado. - O Alpha se aproximou mais dos Ômegas.

A garota Ômega sussurrou algo no ouvido do outro, que suspirou e assentiu então ambos encararam Higor.

– Perdoe meu amigo, e que não confiamos muito em Alphas, e bem não estamos em uma situação muito boa.  - Ela disse.

– Vão me contar o que aconteceu?

Os Ômegas se encararam e o garoto assentiu.

– Bem, nossos donos não eram muito gentis, passamos basicamente a vida toda com eles, e bem depois de muito tempo sofrendo na mão deles decidimos fugir, e então paramos aqui.

O Alpha ficou encarando os Ômegas pensativo, então ele teve uma ideia.

– Vocês podem ir pra minha casa, a rua não é o melhor lugar para vocês, e também é muito perigoso.

Foram alguns longos minutos de silencio, até eles finalmente assentirem e se levantarem.

– Então vamos. - Higor disse e eles saíram do beco indo em direção à casa do Alpha.

– Obrigada Alpha, por estar nos ajudando. - A garota disse.

– Não precisa me chamar assim. Me chamo Higor Caputo.

– Meu nome é Julie, o de meu amigo é Thomas.

(...)

– Bem esse é meu apartamento. Ignorem a bagunça eu não arrumei as coisas quando sai hoje, e ele também não é dos maiores, mas tem um quarto sobrando que por sorte tem uma cama de casal.

Eles tinham chegado ao apartamento do Alpha, o mesmo abria a porta, então eles entraram e Higor trancou a porta. Era um apartamento bonito, como o Alpha disse era pequeno, só da porta já se via boa parte do apartamento, dava para se ver a cozinha e a sala, o piso branco, a pia com uma quantidade considerável de louça, uma pequena mesa com quatro cadeiras, na sala um grande sofá cinza, e na parede uma tevê de quarenta e duas polegadas.

– É bem bonito aqui. - Julie disse observando tudo a sua volta.

– Obrigado. - Higor respondeu.

O Alpha então parou para observar os Ômegas, Thomas era bem quieto, o cabelo encaracolado e loiro, era baixinho, os olhos azuis, as orelhas e a calda cinza azuladas. Julie era um pouco menor que Thomas, o cabelo era loiro com pontas rosa, a Ômega era agitada, a calda e as orelhas eram brancas.

– Vocês podem tomar banho, eu tenho algumas roupas que vocês podem usar, mas provavelmente vão ficar grandes.

– Seria ótimo, o que você acha Thomas?

O Ômega a encarou.

– Sim.

– Eu vou pegar as roupas pra vocês.

O Alpha foi para o próprio quarto deixando Julie e Thomas na sala, ele separou algumas roupas e depois voltou para entrega-las aos Ômegas.

(...)

Julie estava terminando de se vestir, Higor estava certo ao dizer que as roupas poderiam ficar grandes, o short verde estava caindo, e ela teve que subi-lo várias vezes, ainda mais pelo fato de estar sem roupa intima. Quando ela terminou de se arrumar, olhou-se no espelho, a regata branca era grande, e um pouco transparente, aquilo fez com que a Ômega corasse.

Então ela saiu do quarto do Alpha, já que Thomas estava tomando banho no segundo banheiro da casa, não tinham mais além daqueles. Ela foi para a sala, encontrando Higor e Thomas, o Ômega já estava com as roupas pra ir dormir, os dois estavam sentados no grande sofá.

– Pronto! Agora podemos ir dormir, já está ficando tarde. - Julie disse animadamente.

– Claro podem ir para o quarto, já está arrumado.

– Obrigada Higor, você é realmente incrível. - Julie mexeu as orelhas felpudas, e olhou para o Alpha de uma forma fofa, então encarando o Ômega mais velho. – Vamos Thomas.

Ambos os Ômegas levantaram e seguiram para o quarto, eles apagaram a luz, deitaram, e então ficaram se encarando.

– Você acha que tem chance deles virem atrás da gente? - Julie perguntou.

– Você sabe que sim, eles são loucos por nos.

– Acha que eles podem machucar o Higor? Eu me sentiria tão triste, ele é tão gentil.

– Sim eles podem, mas vamos torcer que não, eu não quero voltar pra lá, e tenho certeza que você também não quer. - Thomas disse e então virou para o outro lado ficando de costas para Julie.

– Espero que isso nunca aconteça.

(...)

– Inferno! Onde aqueles filhos da puta se meteram?

O Alpha disse revoltado, ele havia chamado por Julie e Thomas, mas os mesmos tinham sumido.

– A pergunta deveria ser como eles fugiram, não acha?

– Alexsandro? Já voltou? Mas está cedo.

– Sim já voltei, mas me diga como eles conseguiram sumir? Realmente é mais estúpido do que eu pensei.

– Eu só tinha saído pra fazer algumas coisas...

– Fazer o que Alpha? Não tem nada que você precise fazer você só fica de olho neles, e nem isso consegue fazer.

 O mais novo sentiu seu Alpha interior ser desafiado, e ele quis rosnar, sentindo que não era exatamente sua culpa que Julie e Thomas tivessem fugido.

– Não precisa falar assim!

– Não precisa? Eu paguei caro por esses dois híbridos de gato quando ainda eram míseros filhotes, e acha o quê? Que eu vou ficar feliz por eles terem sumido? Eu não tenho Ômega, eles eram quem substituía isso na minha vida. Eu os quero de volta!

– Não se preocupe irei dar um jeito de trazê-los de volta.

– Espero que traga mesmo, eu não tenho mais idade pra esperar filhotes crescerem, e também não tenho paciência. Ache-os logo, ou corto sua garganta. Não tenha duvidas que eu faria isso. Você já é insuportável mesmo, não faria falta.

 

O Alpha mais velho então rosnou e saiu daquela sala, nervoso, ele só queria seus Ômegas, eles o deixavam calmo, principalmente Thomas, mas eles não estavam ali, e definitivamente o Alpha não estava calmo.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...