História Love Beyond Time - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cúmplices de um Resgate
Personagens André Alencar, Isabela Junqueira, Joaquim Vaz, Julia Vaz, Manuela Agnes, Omar Ferraz, Priscila Meneses, Téo Cavichioli
Tags Judre, Majo, Primar, Teobela
Exibições 142
Palavras 783
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Famí­lia, Musical (Songfic), Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi!!! Desculpe a grande demora!!
Aviso: Esse capítulo está depre e podre😋😋😋😋Mas para melhora você vão ouvir essa música: https://youtu.be/fWL_ubtSKbs




Já colocaram?





Não né! Coloca logo




O capítulo tá uma bosta a música vai dar um melhorada!







Tá vamo lá! Boa leitura!😂😂😂

Capítulo 14 - Um dia de verão


Fanfic / Fanfiction Love Beyond Time - Capítulo 14 - Um dia de verão

_ Meu pai morreu...
_ Manu...
_ Não de novo não_ diz chorando_ é mentira ele não morreu, meu pai não morreu. Fala para mim Joaquim, ele só está dormindo. FALA JOAQUIM!
_ Desculpa!
_ De novo não por favor! Faz ele voltar_ se ajoelha no chão abraçando suas pernas_ faz ele acordar por apenas um minutos... Eu só quero me descupar!
_Eu não tenho esse poder_ digo e ela sai correndo pela porta a fora_ Manu volta aqui!
Pego meu casaco e saio atrás dela... O única lugar que ela poderia estar é o parque, mais estava difícil chegar lá pós estava chovendo.
                                                        ***
_ Manu te achei! Vamos embora está chovendo!
_ Eu achei que ele estivesse aqui de novo como sempre, me esperando para andarmos de patins_ diz olhando para a pista sozinha_  mas ele não vai mais me esperar!
_ Vem_ digo a puxando_ vai grita... Grita ele não pode te julgar agora!
_POR QUE DE NOVO? VOCÊ A LEVOU DE MIM, E AGORA O LEVA DE MIM O QUE VOCÊ QUER? EU NÃO CONSIGO MAIS AGUENTAE. POR QUÊ? POR QUÊ DEUS?_ diz olhando para o céu
_ Faz tudo que você não fez ou o que não pode!
E assim estava só nós dois ajoelhados em um parque de baixo de uma chuva pesada... Apenas uma garota gritando pelo mundo pel a sua dor e um garoto a acompanhado.
                                             ~ Manu ~
A dor daquele 24 de Maio voltou, não era pior... Ela chega a ser insuportável, a cada segundo a cada minuto. Me pergunto por que somos seres humanos que eram? Por que estamos sujeitos a isso tudo? Por que nossas vidas são influenciadas pelo destino?
_ Mana!_ diz Isa me abraçando. Ela estava tão acabada_ Como estar?
_ Bem!_ sussurro.
_ Eu ainda não acredito nesse seu "bem". Não se culpe novamente!
_Mesmo você dizendo isso não irá amenizar minha culpa!
_Ele já estava doente
_ Fiquei sabendo pelo Tio Rual... Vai lá na mamãe_ falo a observando encostada na parede.
_ Por que você não vai lá?
_ Ela não vai  querer minha presença... Vai lá eu vou ficar bem!
_ Com todos esses hipócritas te julgando?
_ Não...
_ Eu ficou com ela_ exclama Joaquim pegando na minha mão_ Vamos Observadora?
_Sempre!!
                                      ***
_ Gostaria de chamar Manuela uma das filhas de Orlando!_ diz o padre e eu me levanto e sigo até o altar.
_ Bem... Nunca fui boa em palavras, minha vida se resume em acordes. Mas em vez disso vou falar sobre uma velha história que meu pai me contava:  Era uma vez uma pequena violinista e seu  violino sozinhos em um mundo onde não havia alegria ou qualquer brecha de luz. Mas havia uma forma simples de encotra a saída, era só tocar aquele pequeno istrumento. A única forma de encontrar a luz, a forma de retornar para o lar... Ele sempre me contava essa história, mas eu nunca realmente entendi o que ele queria me dizer. Eu ainda a não sei, mas tenho uma ideia_ digo pegando meu violino_ era apenas " Uma dia de verão"
Foi a primeira vez depois de anos que eu voltava a tocar daquele forma. Estava disposta a  encontra minha luz. Mas quem  nunca desejou encontrar  uma luz ao fim de cada a dia nublado?
                                                     ***
_ Você tá bem?_ pergunta Joaquim assim que desço da moto

_Vou ficar!
_ Você é mais forte que aparenta ser!
_ Como?
_ Pessoas na sua situação estaria em uma grande depressão.
_ Me ensinaram que têm lugares para chorar: no meu travesseiro e no ombro de pessoas que ama!
_Espero que continue assim forte!
_ Só temos que lembrar que nos momento de trevas a pessoas só precisa lembra de acender a luz!
                                         ~ Joaquim ~
Cheguei em casa cansado e abatido. Tirei meu sapatos e minha camiseta e me joguei no sofá olhando para o teto. Quando minha campanhia toca:
_ Já vai... Pois não?_ pergunto assim que vejo um homem de terno e gravata
_ Boa Noite! O senhor é Joaquim Vaz?
_ Sim!
_ Então é quem preciso! Essas cartas são do testamento de Orlando Junqueira.
_ Testamento?
_ Sim, ele...
_ Eu sei, mas espera_ tiro uma carta_ aqui têm uma para a Manu...
_ São as duas para o senhor... Se me der licença boa noite!_ fecho a porta e me deito.
Abro a carta e a leio:


[…] Cuide dela com todo o amor e respeito que estiver, pois vai ter um momento que o mundo vai desabar sobre ela. E só você pode ajudá-la.... Joaquim Vaz... Ou sempre foi e havia se esquecido: Violino da garota do mundo desonhecido!


Notas Finais


Bom se você ouviu a música, o Capítulo ficou melhor, agora se não ficou a mesma bosta!
Até mais


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...